História My Intelligent Brother - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags Colegial, Jihope, Namjin, Quase Incesto, Vkook
Visualizações 54
Palavras 1.717
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, LGBT, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oooolaaaaaa nenes tudo suave?
já vou avisando que tem muito ciúme por aqui hehe
e reconciliação também c:
tá bom chega de dar spoiler
espero que gostem :)

Capítulo 4 - Ciumento e boboca


Minha mãe e Joonshin estavam quietos, apenas observando eu e Jungkook. Jungkook conseguia disfarçar, já eu.. ficava o olhando enquanto nem relava na comida em minha frente.


- Me passa o suco por favor Taehyung. - Estava olhando para o prato quando escuto sua voz, fazendo-me dar um pulo pela surpresa que é ter ele falando comigo. Desde o dia do nosso beijo ele tem me ignorado e eu não vou ficar atrás dele. 


- Ah.. a-aqui. - O entreguei, que nem sequer olhou na minha cara. Cansado daquilo bufei, largando o prato e saindo dali. 


- Taehyung filho, você não comeu nada. -


- Não estou com fome. - Falei subindo as escadas o mais rápido que podia e me trancando no quarto. Mas que droga, eu estava quase chorando. Mas porque? Eu odeio tanto Jungkook. Mas eu odeio mais ainda ver ele me ignorando. Que saco. 


- Isso não passa de hoje. - Falei decidido. Quando todos estiverem dormindo eu vou no seu quarto e exijo que ele pare com essa palhaçada, poxa eu não beijei sozinho. 



[...] 



11:24


Esse horário geralmente é quando os dois vão dormir, então eu coloquei uma meia e saí do meu quarto, andando de fininho até o do de Jungkook. Se batesse na porta iria fazer muito barulho então entrei sem pedir mesmo. Ao entrar, encontrei o mesmo estudando com seus fones de ouvido. Estava de costas então ainda não tinha percebido que eu estava ali, sorri. Era fofo, mesmo não querendo admitir. 


- Taehyung? O que faz aqui? - Eu fui até o seu lado, fazendo o mesmo tirar os fones e me encarar com dúvida, mas pela minha surpresa sem raiva. 


- E-Eu queria conversar. - Poxa Taehyung, esse não é você, o que está acontecendo? Jungkook se levantou e guardou os livros na mochila, suspirando. 


- Fala logo, tenho que dormir. - Ele falou se sentando na cama. Fiquei ao seu lado e respirei fundo. 


- Olha, é o seguinte. Eu sei que você não gostou do beijo e que agora talvez me odeie, mas eu não fui o único que cedi. Não te obriguei a nada, você me beijou porque quis. - Falei e ele se virou pra mim, olhando nos meus olhos agora. 


- Eu gostei do beijo, só que nós somos irmãos e exatamente por isso é errado e... Eu odeio você não eu, porque gostei, e.. não espera, o que eu disse? - Ele se atrapalhou e eu sem conseguir segurar ri, me aproximando mais. 


- Você disse que me odeia, é verdade? - Ele virou seu rosto de novo. Estávamos próximos, mais uma vez. 


- E-Eu disse isso? - Ele perguntou, quase como um sussurro. 


- Sim, você disse. - Me aproximei mais, agora sua respiração podia ser facilmente sentida contra o meu rosto. 


- Não, não é verdade. - Sorri. 


- Que bom, sabe, tava estranho. - Me afastei bruscamente o que o deixou confuso. Talvez pensou que eu fosse o beijar. Queria, mas não, não, eu namoro o Baek. Ele sim é certo pra mim, ele é meu namorado e quem eu deveria amar, mas.. porque não o amo mais como antes, e.. 


- Taehyung? - Virei meu rosto. 


- Oi? - 


- Você está divagando de novo. - Ele riu sem graça. 


- ah, claro. Eu.. eu vou indo, suponho que tenha que acordar cedo amanhã. - Me levantei e ele fez o mesmo. 


- Ah.. é.. - Engoli em seco e fui até a porta, a abrindo. 


- Até amanhã. - Falou e eu sorri. 


- A-Até.. - E fechou a porta. Respirei fundo e dei meia volta, indo para meu quarto. É, parece que deu certo. 



[...] 



Já era de manhã e eu estava tomando café com Joonshin e minha mãe enquanto esperávamos Jungkook. 


- Bom dia família. - Ouvi a sua voz e automaticamente sorri, logo o vendo se sentar ao meu lado.


- Bom dia. - Falamos juntos. Sorrimos cúmplices enquanto minha mãe e Joonshin pareciam perdidos. 


- Então está tudo bem entre vocês? - Eu assenti, junto com Jungkook. 


- Nunca deveria não ter estado, não é? - O empurrei com o ombro. 


- Com certeza. - Ele riu. 


- Que ótima notícia. - Joonshin falou, sorrindo. 


- Posso levar Tae a escola hoje pai? - Jungkook perguntou, me fazendo franzir a testa. 


- E você sabe dirigir? - Ele assentiu sorrindo vitorioso. 


- Ah, ok. - Falei ainda sem acreditar e ele me puxou pelo braço. 


- Ei! - 


- Estamos atrasados não é Tae? Tchau pai, tchau omma Yo! - E saiu me puxando. 


- Tchau meninos, até mais tarde! - Minha mãe falou. 


- Se eu não morrer de um acidente de carro, até. - Falei, antes que Jungkook me puxasse pra fora. Cruzei os braços quando ele fechou a porta de casa. 


- Mas Jungkook ainda falta uma hora. - Falei sem entender. 


- É porque não vamos pra escola mané. - Ele falou, entrando no carro. Ri e entrei do outro lado. 


- Mané? Sério? - 


- Pensei que gostava desse tipo de cara. - Ele deu de ombros, fazendo uma cara de cachorro abandonado. 


- É, mas não combina com você. - Rimos. 


- E pra onde vamos? - Coloquei o cinto. 


- Você vai ver quando chegarmos lá. - Ele deu uma piscadela me fazendo ficar sem graça. 




[...] 




Jungkook parou o carro em um prédio grande, parecia chique mas eu não estava entendendo o porquê dele ter me trazido aqui. 


- Vamos. - Ele saiu do carro e quando eu ia abrir a porta do meu lado, ele havia sido mais rápido. 


- Tá mas.. - Não terminei de falar e ele me levou até lá dentro. 


- Jungkook eu ficaria feliz se me dissesse porque estamos aqui. - Ele respirou fundo, sorrindo em seguida. 


- Eu provavelmente ainda não contei pra ninguém mas eu quero me formar em medicina veterinária. - Abri a boca em um "o", sorrindo. 


- Que legal! Mas ainda não entendi. - Franzi o cenho. Ele riu e pegou minha mão, me fazendo ficar mais constrangido ainda. 


- Eu tenho um amigo que trabalha aqui. Digamos que ele tem muito trabalho e.. - Ele se aproximou, sussurrando: 


- Eu o ajudo as vezes. - E riu. Eu observava seu rosto, o quanto ficava bonito quando expressava o quanto estava feliz e o quanto gostava de estar aqui. 


- É aqui. - Ele parou em frente a uma sala. Bateu na porta e entrou, devagar. 


- Kai, licença. - Ele entrou, e eu em seguida. Um pouco receoso observei os dois se cumprimentarem. 


- Que bom que veio Jungukkie! - Apelido estranho esse, não gostei. Prefiro o meu, Gukkie. Que ainda guardo na cabeça porque não tenho tanta coragem assim. Eles se afastaram e o moreno me olhou. Sorri sem graça ao que ele vinha até mim. 


- Olá, quem é esse? - Ele riu e Jungkook já ia falar, mas eu fui mais rápido. 


- Kim Taehyung. - Fiz a cara mais metida que tinha. Ele não demonstrou nenhuma expressão mas é bom que não tenha gostado e se tiver que se dane, eu não fui com a cara dele. 


- E então, como está o meu Yeontan? - Jungkook falou, indo até um pequeno cachorrinho, que estava dentro de uma 'gaiola'. 


- Que fofo, eu posso tocar? - Eu toquei nele, que agora estava nos braços de Jungkook e nem percebi, quando o mesmo me mordeu. 


- AH! - Gritei de dor, enquanto apertava minha mão, que agora estava provavelmente sangrando. Jungkook deixou Yeontan no chão e veio até mim. 


- Tae! Me dá sua mão. - Eu dei minha mão, enquanto ele examinava. Estava quase chorando de dor quando olho para o tal Kai. Ele estava segurando o riso enquanto segurava Yeontan. 


- Do que você está rindo seu boboca? - Falei, me levantando da cadeira num pulo. 


- Ei! - Jungkook falou, segurando meu braço. 


- Yeontan nunca fez isso, ele deve... - Kai falou, começando a rir. Bufei irritado e peguei minha mochila, correndo dali. 


- Tae! Espera! - Ignorei Jungkook apenas correndo até o estacionamento de novo. 


- Sai Jungkook, não quero mais também fodase você, o cachorro, aquele lixo.. - Falei enquanto ele ria. Pisei no seu pé com força e entrei no carro. 


- Ei, isso tudo é ciúme? - Ele falou, fechando a porta do seu lado. 


- Ah me poupe, não é ciúmes é ódio mesmo. - Falei com raiva enquanto ele ria. 


- Dá pra você parar de rir e dirigir a porra do carro? - Falei sério, o fazendo parar de rir. 


- Boboca, sério? - Ligou o carro e começou a dirigir até a escola, que ficava um pouco longe. 


- Dá próxima vez a mordida quem vai dar sou eu, e vai ser naquele Kai. Aff. - Ele gargalhou enquanto eu o encarava. 


- Cadê a graça? - 


- Você é tão ciumento. É por isso que gosto de você. - Corei. 



Jungkook



- Pronto, chegamos senhor ciumento. - Ele me deu um tapa no braço. 


- Cala a boca, minha ameaça ainda está de pé. - Rimos e ele saiu do carro. 


- Não vem? - 


- Tenho que comprar umas coisas. - Ele assentiu, se afastando. Continuei observando mas percebi ser um erro ao ver Baekhyun por seus braços no ombro do loiro, logo o virando para beijar sua boca. Trinquei o maxilar, eu estava com raiva. Mas porque? Era apenas pra ser 'vendo meu irmão beijar seu namorado'. Mas vendo aquilo eu percebi que não, não é assim e talvez não seja nunca. Lembrar que agora ele está beijando os lábios que eu beijei, me dá raiva, muita raiva. 


- Idiota. - Falei dando um tapa na minha própria testa, ligando o carro e saindo. 




[...] 



Taehyung



Estava entrando na escola quando Baek coloca seus braços em meus ombros, e vira, me beijando. Me surpreendi e senti vontade de o empurrar, empurrar o meu próprio namorado. Por um momento imaginei a boca de Jungkook na minha, o que me fez sorrir por um tempo, logo que nos afastamos eu já não tinha mais o sorriso. Peguei na sua mão e sorri sem graça. Quem eu quero enganar? Não amo Baekhyun. 





Notas Finais


vc n está enganando ninguém todo mundo já percebeu de quem você gosta, docinho
KKK
genten me perdoem se tiver algum erro, a burra aqui revisou mas não prestou muita atenção por causa do sono então sorry :')
até a próxima ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...