1. Spirit Fanfics >
  2. My Interpreter (MI) - Camren >
  3. Chapter I: Little turtle.

História My Interpreter (MI) - Camren - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


CURIOSIDADE: CAPÍTULO EM FRANCES E INGLÊS É A MESMA COISA, BOM DIA!

ISSO MESMO É MAIS UMA FIC E EU NEM ACABEI THE CYCLE AINDA, ENTÃO VAMOS DE DUAS FICS

COMENTEM E F A V O R I T E M

E MUITO OBRIGADA A @anavoej POR ME AJUDAR NA CAPA QUE ESTÁ LINDA! E BORA KSKKSKSSK

NOTAS FINAIS SEMPRE PITELZINHOS

Capítulo 1 - Chapter I: Little turtle.


Pov Lauren

Me chamo Lauren Jauregui, mas isso vocês já devem saber, certo? E essa é a minha história. Tudo começou quando...

Pov Camila

Só sua, Lauren?

Pov Lauren

Não, amor. Nossa. Essa é a nossa história e começou mais ou menos assim...

Dois anos antes

— Bom dia, meu amor número um. Bom dia meu amor número dois.— observei Zayn entrando na cozinha. Sua cara de sono, seu cabelo bagunçado mas sempre com aquele sorriso. Ele beijou Nicholas e em seguida deixou um beijo em minha cabeça.

— Bom dia, papai. Hoje a mamãe vai me levar para a escola!— Nicholas disse animado. Bem animado, por sinal.

Não é como se eu fizesse isso sempre... não, não é fácil conciliar todas as áreas da minha vida. Pelo menos eu sou péssima nisso.

Zayn estava apoiado no balcão da pia e me encarou, segurando uma xícara em sua mão direita. Como se perguntasse "sério?". Eu nada falei, o encarei de volta com a reposta. Ele não notou mesmo que eu estava pronta para sair? Assim como nosso filho?

Zayn e eu... nos conhecemos com... dezesseis anos, eu acho. Mas desde então não nos separamos. Dez anos juntos, entre namoro e casamento. Namoramos até os vinte e logo ele fez toda aquela cena romântica dizendo que me queria para o resto da vida. Tudo bem... eu também disse isso. E eu o amo, demais. Ele é meu melhor amigo, meu eterno namorado, pai de uma criaturinha que eu amo mais do que eu mesma e meu esposo. Nicholas tem seis anos, sim... surpresa de casamento. Não me arrependo de ter engravidado aos vinte.

Eu sou feliz. Estou feliz com ele. Temos Nicholas, não tem como não sermos felizes.

— Vamos?— olhei para o menininho à minha frente. Ele levantou, pegou sua mochila que estava em algum canto da cozinha e abriu a porta da sala.

Eu realmente quis rir, aquela mochila era maior que ele desde quando? Zayn percebeu.

— Nosso filho parece uma tartaruga ou é impressão minha?— ele questionou com seu tom de voz característico para falar graça de alguém. Eu não aguentei, acabei soltando uma gargalhada alta, o que fez Nicholas se virar em nossa direção. E logo disfarçamos.

— Mamãe? Vamos?— a maçaneta ainda era maior que ele, e mesmo assim ele não soltava.

— Não esqueceu de nada?— perguntei com uma sobrancelha levemente arqueada. Ele me olhou por um bom tempo até soltar seu casco, digo, mochila, e correu para o banheiro. Ele tinha que escovar os dentes.

— Eu com seis anos não sabia nem a diferença entre escova e pasta de dente.— meu marido comentou sorrindo e eu acabei fazendo o mesmo.

— Filhos puxam a inteligência da mãe na maior parte, amor.— me levantei para certificar que Nico não estaria molhando todo o banheiro de seu quarto. Mas antes beijei meu marido suavemente. Qual é? Acabei de chamá-lo de burro na maciota.

Eu era engenheira civil e Zayn me ajudava, ele era arquiteto. A empresa que tínhamos era majoritariamente minha, cerca de 85,7% das ações. O restante era dele, aquilo não era a praia dele e eu sabia. Digamos que meu marido fez arquitetura por livre e espontânea pressão dos pais. Então a construtora não era sua prioridade, mas mesmo assim ele trabalhava duro ali.

Segui para o banheiro e vi Nicholas em cima de um banquinho, para enxergar seu rostinho no espelho mas isso não estava acontecendo. Antes que um acidente acontecesse, eu coloquei minhas mãos em baixo dos braços dele e o levantei, imitando um dinossauro.

Falamos sobre isso mais tarde.

— Mamãe! Seu dinossauro é ruim.— ele disse rindo. Eu o coloquei sentado em meu ombro, lógico que estava segurando, e bati meus olhos com os dele pelo reflexo.

— Como ousa dizer que a mamãe dinossauro é ruim?— perguntei com um tom de falso chateamento. Ele chegou a arregalar os olhos mas não era algo do tipo "seu dinossauro é maravilhoso, mamãe". Na verdade era uma duvida. Uma duvida muito pertinente.

— Não é dinossaura?

Eu senti meu chão caindo ali. Eu nunca parei para pensar nisso.

— Acho que não, Nico.— respondi. ele passou uma das pernas pelo meu pescoço, e assim ficou melhor sentado.

Então a pergunta que deixa todo pai e mãe sem resposta aconteceu.

— Por que?— ele me olhou de uma forma bem inocente, de verdade.

— Por que não perguntamos ao papai?— é tão bom ter alguém nessas horas... e a cara que Zayn fez com a pergunta foi hilária.

Mas o desgraçado respondeu! Desgraçado de forma carinhosa.

— Porque dinossauros são animais extintos e...— Nicholas já estava no chão com o pai abaixado à sua frente. Não acho que ele sabe como responder. Então ele olhou para o relógio em seu pulso.— Uau! Vocês vão se atrasar!

— Vamos, mamãe!— minha tartaruguinha saiu correndo porta afora.

— Well done, Malik. Eu realmente não sei como responder. As duvidas dele estão cada vez mais complexas.— comentei entre um suspiro e outro, peguei minha bolsa e as chaves do carro e casa.

— Tenho inteligência suficiente para escapar dessas situações, amor.— ele disse no mesmo tom que eu, ao falar de sua "burrice". Bobagem! Esse homem não tem nada de burro.

Mas eu ri, foi difícil não fazê-lo.

Seguimos juntos para a garagem, estava friozinho e Nicholas parecia um burrito. Uma tartaruga burrito?

Deus! É meu filho! Lauren, se controle já!

— Ele está duro de tanta roupa, tadinho.— Zayn comentou, mas não era verdade. Ele era apenas pequeno. E aquela touca era necessária.

— Vamos, Nico. Você vai com a mamãe para a empresa por enquanto, tudo bem?— digamos que estava cedo ainda. E ele adorava ir conosco, porém aquele dia Zayn não iria no mesmo horário.

Ele literalmente pulou de alegria, inclusive foi bem difícil colocá-lo na cadeirinha enquanto ele dançava, mas consegui.

— Te vejo depois.— me virei para o meu marido e ele me beijou.

— Logo estarei por lá. Te amo, Laur.— ele me deu um selinho, beijou meu pescoço também. Eu sorri com a cosquinha que a barba dele fez, encolhi o pescoço e me afastei ainda sorrindo.

— Te amo, até depois de novo.— entrei no carro, liguei e dei ré.

— Mamãe, mas eu vou para escola hoje?— olhei Nicholas pelo retrovisor mas voltei a atenção para o trânsito.

— Vai sim, Nico. Não gosta de ficar na empresa um pouquinho comigo?— perguntei apelando pelo emocional mesmo.

Parece maldade mas ele é pior, acredite.

— Eu amo. Mas quero ver meus amigos.

— Mais tarde, meu amor.

— Você ainda vai me levar, não é?— novamente o olhei pelo retrovisor.

— Vou.— garanti.

Eu perdi as contas das vezes que disse a mesma coisa e acabei não fazendo. Mas não decepcionaria Nicholas aquele dia. Não... aquele dia não.

(...)

— Lauren, está na hora.— escutei a voz de Ally, minha melhor amiga e assistente. Hora de quê...?— Nicholas!

— Droga!— me levantei e olhei a hora que marcava no relógio em meu pulso. Não estávamos atrasados, mas tinha que sair logo.

Como eu sei a dificuldade que é ter um filho pequeno, eu criei um espaço para os funcionários se sentirem a vontade para levar seus filhos para o trabalho. Não era um espaço vazio e chato. Tinha coisas ali, até mesmo algumas babás. E era onde Nicholas estava.

— Nick? Vamos.— eu não tive que entrar, sorte! Certeza que ele me faria passar por algum brinquedo.

Ele veio correndo e pegou minha mão.

O caminho foi silencioso e quando chegamos à escola ele sequer me deu o beijo. Tudo bem, tartaruga!

-•-

— Você está nesse computador há horas, amor. Tem que descansar.— após um estressante dia, eu estava na cama mas respondendo alguns e-mails. Senti Zayn ao meu lado e se ele falasse de novo que eu deveria descansar...— Laur, voc—

— Eu sei, Zayn! Se eu puder fazer isso rápido eu descanso.— eu não queria ser grossa. De verdade. Mas os assuntos das mensagens estavam me deixando fora do sério.

— Quer ser grossa comigo, tudo bem. Mas Nicholas te chamou três vezes para dar boa noite. Você ao menos ouviu?— ele desencostou completamente de mim.

Eu me dei conta bem ali. Desde quando perdi minha vida para o trabalho? Amo o Zayn, mas o que me deixou triste foi notar que Nicholas não tem toda minha atenção. Meu filho é minha única e maior prioridade.

Deixei o notebook de lado e sai do quarto, pensando em levar Nicholas para dormir comigo. Quando abri a porta do quarto dele, notei que ele estava fingindo que dormia. Me sentei ao lado dele e meu coração errou o compasso da batida, eu posso jurar que ele chorou.

— Ei...— chamei baixinho e fui subindo meus dedos pela barriga dele.

Embora cócega seja um sinal de pânico do cérebro e foi usada como tortura antigamente, eu não tinha outro meio de fazê-lo me olhar. E ele riu tão alto! Quase me assustei.

— Quer dormir comigo e com o papai?— perguntei e ele me olhou com uma cara bem séria.

— Não.— aquilo me pegou.— Quero dormir com você, aqui.

— Aqui?

— Aqui. Por favor, mamãe... você nunca dorme comigo...

Sabe quem passou a noite em uma cama infantil? Eu mesma. Ele acabou dormindo em cima de mim, não reclamei.

Eu preciso fazer alguma coisa...

Férias agora... será? Não... muito em cima...

Mas em dois meses talvez?

Isso. Posso aguentar mais dois meses.


Notas Finais


FDC EU SOU MTO A LAUREN RINDO DO NICO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
EU SEI EU SERIA UMA PÉSSIMA MÃE

COMO TÁ NO COMEÇO EU VOU PEDIR SIM: COMENTEM E FAVORITEM POIS VAI SER F O D A EU GARANTO!

E LEIAM THE CYCLE TBM NÉ! AGR VOU PANFLETAR AS DUAS SSKSKSKSKSKSKSKSKSKSK
https://www.spiritfanfiction.com/historia/the-cycle-tc--camren-18304582


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...