História My Lady - Capítulo 9


Escrita por:

Visualizações 206
Palavras 2.068
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Capitulo 9


Adrian então acompanha Marinette até o quarto e quando chegam, ela se aproxima da cama de casal e começa a enrolar as cobertas junto com um dos travesseiro.

- mas o que é isso? O que você está fazendo?- pergunta Adrian surpreso.

- nós não vamos dormir juntos....- naquele momento ele ri com deboche.

- se você está pensando que eu vou dormir no chão ou em outro quarto, você está muito enganada, você está ficando cada vez mais petulante Marinette, eu devia lhe dar uns bons corretivos..- ele diz já afrouxando a gravata.

- tente para você ver o que te acontece, eu não sou como as outras mulheres que você está acostumado a lidar....

- porque me julga? Eu só tenho olhos para você my lady- Adrian diz baixo e olha sarcasticamente para Marinette. Ela pensa ouvir o que ouviu, mas como ele falou baixo o som ficou um pouco indecifrável. Ela apenas para por um instante de enrolar o edredom e olha para Adrian assustada- eu não vou dormir em outro lugar, só estou de avisando- ele termina de dizer para não dar evasão ao seu plano, aquela não era a hora de coloca-lo em ação.

-eu pensei que ouvi você dizendo.......ah, deixa pra lá, e não tem problema, eu não ia me dar ao trabalho de fazer você ficar longe de mim. Eu vou....- Marinette diz se aproximando da porta com a coberta e travesseiro nos braços, mas Adrian pega em seu biceps e a força parar.

- você não vai me fazer essa desfeita , ainda mais na casa dos seus pais- a expressão seria no rosto de Adrian mostrava sua raiva- o que eles vão pensar de nosso casamento?

- me solta, você está me machucando- ela puxa o biceps com força e ele solta- eles não vão pensar nada, talvez nem vão ficar sabendo. Mas o que interessa isso, eu não fico nesse quarto com você nem mais um minuto, agora me dê licença, porque eu vou dormir em outro quarto- ela diz e logo em seguida sai do cômodo.

“  o que o Adrian pensa que está fazendo? Quer me obrigar a dormir no mesmo quarto como se fossemos marido e mulher, que ridículo......”- Marinette pensa andando no corredor- “ quem diria que um dia eu ia estar falando assim com ele, a pessoa que eu pensei que seria o homem da minha vida. Acho que é isso que ao peixes pensam quando vêem a isca no anzol”- ela termina a reflexão já deitada na cama e com a lateral da face encostada no travesseiro.

No inicio da madrugada, Marinette acorda e sente vontade de comer alguma coisa. Ela não tinha jantado, então estava com fome. Não havia passado uma hora completa desde quando ela foi dormir, então seria dificil ter sono com a barriga roncando. Ela se descobre, se levanta, coloca o robe roxo por cima da camisola e sai do quarto. Ao chegar na entrada da cozinha, onde a vista se torna ampla do cômodo, ela têm um susto e arregala os olhos ao ver o marido aos beijos com uma escrava. 

A escrava estava sentada em cima da mesa e ele na maior sem-vergonhice com a mulata, beijando e tudo mais. No momento em que Marinette acende a luz, eles param e olham na direção. Marinette encarava Adrian atentamente. A face da escrava é tomada por um medo, ela salta da mesa e vai para o canto da cozinha, depois fica com a cabeça baixa.

- me desculpe sinhá, me desculpe- as mãos dela estavam trêmulas.

- fique tranquila Rania, eu não vou fazer nada com você...- Marinette falava sem tirar os olhos dos de Adrian. Havia um brilho de satisfação naqueles olhos verdes encantadores e dissimulados,  parece até que ele tinha gostado de Marinette o ter pegado no flagra.

- sinhá, me desculpe, o vosso marido me obrigou- era mentira, ela que se insinuou para Adrian primeiro. A jovem dupain-cheng sabia que nesse aspecto seu marido não precisava forçar escrava nenhuma.

- não minta Rania, o quê você fez foi muito  errado, poderia ser considerado como adultério, mas eu não vou castiga-la por isso, porque não se trata de meu verdadeiro marido- Marinette diz isso e depois se aproxima da mesa para pegar um pouco d'agua do galão de barro.

- como assim sinhá?- a escrava levanta a cabeça surpresa.

- saia daqui escrava, saia, anda- retruca o sinhosinho Agreste com voz grossa e ordenativa, rania sai correndo da cozinha- você não aprende mesmo, não é? Para todos os fins somos casados, você deveria no mínimo castigar essa escrava....

- pelo que eu sei, não deve ter sido só culpa dela, senhor meu marido- falando irônica- quando um não quer, dois não brigam, se você tivesse um pingo de caráter e respeitasse pelo menos a ideia de que eu sou sua esposa, isso não teria acontecido, então porque eu vou castigar apenas ela, se o erro foi dos dois?- ela falava na maior calma, colocando agua no copo

- você está querendo me comparar a escravos? Isso eu não vou admitir Marinette...- ele diz com face séria e se aproxima dela.

- se você der mais um passo eu vou gritar e vou acordar os meus pais, e depois vou contar tudo para eles.- Adrian para de se aproximar.

- escuta, isso não vai ficar assim, você ainda mantém essa pose de ameaça sobre nosso casamento, mas um dia a sua coroa vai cair...

- o que você está querendo dizer com isso Adrian? Que um dia eu vou ir correndo para os seus braços impossibilitando a anulação de nosso casamento depois?- ela ri com deboche- pode ficar tranquilo, porque eu já sei as estratégias que você está tentando jogar nesse seu jogo sujo.

- ah, é mesmo? Então me diga quais são.....

- você está tentando de tudo para me fazer ter ciúmes, está querendo dormir no mesmo quarto que eu, arrumando desculpinhas esfarrapadas para ver se eu caio nessa sua fala mansa. Há alguns dias atrás, ouvi algumas escravas cochichando coisas estupidas de como você é viril nos momentos íntimos, e elas nem teve a decência de esconder isso de mim....

- isso é porque você não as castiga, pensa que escravos são que nem a gente.....

- não, isso é porque você não tem caráter, não tem respeito nenhum, e está tentando de tudo para me fazer consumar esse casamento. Ah, é lógico, é mais fácil para você me ter ao seu lado, submissa, eu sou filha de um conde, não é? Para você as unicas coisas que importam são o dinheiro, a aparência e os prazeres da carne. Eu abomino isso Adrian, eu abomino. Essas coisas só me fazem ficar mais longe de você, será que você não entende?- ela enche os olhos de lagrimas e não aguenta, começa a chorar.

- você deveria fazer o papel de minha esposa, deveria.....- ele para de falar e depois respira fundo, não tinha as palavras certas para defender sua razão, porque esta era suja.

 Adrian queria que Marinette fosse submissa, fosse sua esposa, que não o culpasse pelas traições. Na verdade, ele só queria ter um casamento como a maioria dos homens tinham naquela época, com uma esposa bonita e culta em casa, lhe servindo de enfeite honroso perante a sociedade, enquanto nos seus deletes diversas escravas e mulheres livres de conduta duvidosa. Marinette não aceitava aquilo, porque ela jamais foi conivente com coisas erradas, não era porque os outros homens praticavam que o seu teria que praticar. Para ela o amor tornava a conduta de qualquer pessoa correta. O respeito e a fidelidade andam juntos com o amor, e se faltar um deles, é porque nunca houve nenhum. Então era por isso que ela mantinha firme o pensamento de que Adrian não lhe amava de nenhuma forma. Mas naquele instante, a pausa na fala dele e a não ousadia de continuar defendendo uma ideia sem cabimento o fez refletir um pouco. Talvez Marinette não estivesse completamente errada sobre seu casamento, talvez a sociedade estivesse precipitada em aceitar a ideia de que o amor e o desrespeito pudessem conviver juntos.

Adrian saiu da cozinha sem dizer mais nada. Marinette só ouviu os passos da bota dele tocarem o chão. Ela estava sentada na mesa, com as duas mãos postas no rosto e chorando. Havia um amargo em seu coração que a abundancia de lagrimas poderia tirar. Ela pensou em acordar Alya para falar a respeito, mas não.ia frustra-la também, não queria ver a amiga preocupada.

Passados alguns minutos, Marinette voltou para seu quarto. Ela estava frustrada e se sentindo triste. No fundo, ela se magoou com a nova traição de Adrian . Havia momentos em que Marinette realmente queria abandonar todo seu orgulho, sua convicção de vida para se jogar aos braços dele e enfim consumar o casamento. As vezes Marinette chegava a pensar que talvez se ela fizesse aquilo, ele iria lhe respeitar como esposa, ia abandonar as atitudes devassas e se tornar o homem que ela sempre sonhou, mas logo em seguida vinha a razão dizendo que Marinette não iria bastar para Adrian. Homens como ele jamais se sentiriam satisfeitos com apenas uma mulher. Adrian não tinha o coração adaptado para isso, não havia amor dentro de seu casamento, então o mais facil e menos dolorido seria aceitar a ideia de que estava tudo perdido entre eles e continuar se mantendo firme até a anulação do casamento.

“ está tudo perdido entre nós Adrian Agreste, seus olhos não me convencem mais, eu abandono neste momento todo sentimento que infelizmente eu ainda tenho por você....”- Marinette pensava em pé sobre a janela aberta, olhando o céu estrelado. O seu olhar tinha um brilho triste.

De repente, ela ouve um barulho e se aproxima mais da janela. Marinette tem um susto ao se deparar com Cat Noir escalando o muro e entrando em seu quarto.

- Noir? O que você está fazendo aqui?- ela diz se afastando assustada. Ele termina de pular a janela.

- eu não consigo parar de pensar na senhora, eu vim aqui vê-la outra vez.

- o que? Cat Noir eu entendo, mas eu sou casada, se alguem te pega dentro do meu quarto, eu estou frita- diz assustada.

-não precisa se incomodar comigo, eu garanto que a senhora não vai se arrepender e eu só vou fazer o que a senhora desejar- ele se aproxima de Marinette. Ela sente um arrepio  e o coração acelerar.

Como era possivel os gestos dele ser tão parecidos com os de Adrian?- Marinette pensa, um pouco hesitante em se afastar. Havia em Cat Noir algo que a atraia com a mesma intensidade com que Adrian a atraia antes de suas traições.

- Cat Noir, eu não posso....- suas testas se encostam, seus labios ficam quase proximos. Ele pega as duas mãos de Marinette e ergue na altura de seu tórax..

- my lady, o que você fez comigo, eu estou perdendo a minha razão....- ele solta as duas mãos dela e em seguida a envolve pela cintura e pela nuca, e o beijo acontece entre os dois.

Eles caminham até a cama e se deitam. Marinette já não conseguia resistir, tudo em Cat Noir lhe lembrava Adrian, exceto a ternura que seus beijos expressavam. Ela, já tomada por sentimentos desconhecidos, concede ao rapaz de fantasia sua primeira noite de amor.

No outro dia, Marinette acorda com os raios do sol entrando no quarto e incidindo sobre seu rosto. A. Janela ficou aberta. Marinette olha para o lado e Cat Noir não estava mais lá, uma flor amarela repousava em seu lado da cama. Ela sorri, pega a flor e cheira com gosto. Foi a melhor noite de sua vida, Marimette se sentia realizada e todo amargo de seu coração havia desaparecido.

- Noir, o que você me fez fazer?- ela diz a si mesma e sorri, deslizando a flor pelo seu rosto.

Logo alguem bate na porta e a chama.

- sinhá Marinette, desculpe incomoda-la, mas o vosso marido pediu para eu chamá-la.....- a escrava diz.

Ela arregala os olhos, só naquele momento  se dá conta do que fez. Marinette havia traído Adrian......sera?....sim ou não.....eles ainda eram casados no papel e isso ia contra todos os seus princípios . O coração da jovem angustiada é tomado por um mister de desespero e arrependimento.


Notas Finais


Ola pessoal
Muito obg a todos vcs por favoritarem a fic e comentarem, estou feliz.
Mais um capitulo e espero que gostem
Gosteria muito que vc expressassem suas opiniões através dos comentarios, vou amar ler eles, muito obg 💋💋💋😍😍😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...