História My life - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Visualizações 8
Palavras 1.396
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Peço desculpas pelo sumiço...tive um mental breakdown sabem? Estes dias têm sido um sacrificio acordar e levantar-me. Acho que passou por uns tempos e sinto-me melhor mas sou instável na maior parte do tempo.
Por me sentir mal eu não conseguia fazer nada compreendem? Ainda por cima no trabalho descobri que andam a falar de mim ahah acham normal? I mean e nem faço nada de mal mas mesmo assim difamam-me.
Tirou-me as vontades de fazer o que seja.
Mas eu gosto muito de vocês e não conseguia ficar mais tempo longe então apresento-vos mais um capitulo da fanfic!
Espero que gostem e preparem os corações ahahah emoções fortes virão.

Capítulo 35 - Capitulo 34


Eu tentava tirar a todo o custo a música mas não conseguia, a música continuava a dar sem parar, o meu computador encravou. 

—Pára...simplesmente pára. -sussurrei enquanto punha as mãos nos ouvidos. 

Senti lágrimas escorrerem pela minha cara. Saí do quarto a correr e desci as escadas. 

—Angel sentes-te bem? -não consegui perceber mas continuei a correr.

Ignorei e corri em direção à praia, corri até me afastar o suficiente de tudo, o suficiente para me puder esconder sem ser achada. 

P.O.V Castiel on 

Eu estava a sair da cozinha quando vejo a Angel a descer as escadas a chorar.  

—Angel sentes-te bem? -perguntei preocupado com ela mas ela apenas ignorou e correu para fora de casa. 

Quis ir atrás dela mas provavelmente serei a última pessoa que ela queria ver, então subi as escadas para pedir ajuda ao velho. 

Assim que subi as escadas estava a vir um barulho super irritante do quarto que partilhava com a Angel então entrei e vi o computador dela. 

Peguei no computador, desbloqueei-o e desliguei a música. Olhei para os separadores abertos e abri o do email que era o primeiro que aparecia. 

Estava apenas um link aberto e carreguei nele que me levou à mesma música que ainda à bocado estava a dar. 

Abri o email de novo e tinha apenas o link da música. Só podia ser pegadinha…

Saí do quarto a correr e desci as escadas de 2 degraus em 2 e comecei a ir em direção à praia. 

Duvido que ela vá para o meio da rua com tanta gente sei que ela está escondida...mas onde? 

Corri o mais rápido que conseguia para a praia e quando lá cheguei olhei em volta. 

Comecei a ficar desesperado. Não a via em lugar nenhum. 

—PÁRA. -ouvi um grito, misturado com o choro e comecei a correr na direção onde ouvi o grito. 

Não sei por quanto tempo corri mas foi o suficiente para ver a silhueta da Angel o que me fez correr mais depressa ao seu encontro. 

P.O.V Castiel off 

P.O.V Angel on 

—PÁRA. -gritei com um único fio de voz mas de nada adiantou, aquela música ecoava na minha cabeça. -Pára...por favor...apenas pára. -sussurrava. 

Eu tapava com cada vez mais força os meus ouvidos numa tentativa de todo o barulho parar. 

—Pequena, está tudo bem. -uma voz disse, eu sei que reconhecia aquela voz, mas não percebia quem era, tinha o coração a mil, a minha mente estava a pensar no que acabara de acontecer, e não via ninguém por ter a vista demasiado turva. 

Limpei as lágrimas o suficiente para ver um quarto da cara do Castiel, o que me fez sentir em certa parte segura. 

—Não Castiel, não está tudo bem... -disse por um fio de voz. -Ele descobriu-me vou ter que ir embora. 

—Não não tens, ele não te descobriu. -disse ele à minha frente. -Se ele te tivesse descoberto já estaria aqui. Não se iria ocupar a mandar músicas para te assustar. 

—Ele tem que passar por muita segurança até vir para cá! -disse. 

—O mesmo se implica a um simples email. -retorquiu ele. 

—Não...ele sabe onde estou! -disse com a voz trémula. 

—Não sabe, se não ele já estaria aqui, sem perder tempo. -disse ele e neguei com a cabeça.

—Quero ir para casa... -disse enquanto me agarrava aos meus joelhos e afundava a cabeça entre eles. 

—Tu estás em casa, estás connosco. -disse ele a abraçar-me com força. 

—C-Castiel... -tentei dizer algo mais mas a minha voz desapareceu. 

—Está tudo bem... -disse ele enquanto me acariciava os cabelos. -Vai ficar tudo bem. 

Ele ficou ali comigo até eu me acalmar um pouco e não me largou por um segundo. 

—Anda… vamos para casa. -disse ele e continuei sentada no chão. 

Ele suspirou e pôs-me às costas dele e eu agarrei-o com força com medo de cair. 

Ele ficou a andar durante um tempo até que chegámos a casa. Ele pôs-me com cuidado no chão e fomos para dentro de casa. 

—Onde vocês andaram? -perguntou a Rosa. 

—Na praia. -disse e subi as escadas rapidamente. 

P.O.V Castiel on 

—Castiel, está tudo bem com ela? -perguntou a Rosa. 

—Sim, agora está tudo bem. -disse. 

—Ok, nós vamos fazer o jantar, quer dizer eu e o Leigh, depois nós chamamos todos. -disse ela e assenti com a cabeça. 

Subi as escadas e fui andando até ao meu quarto. 

Entrei no quarto assim que cheguei à porta e vi a Angel deitada na cama de barriga para baixo. 

Fui em direção a ela e ajoelhei-me a ele e comecei a acariciar-lhe os cabelos. 

Se soubesses o quanto te amo my little Angel. -pensei. –Não consigo nem explicar como isto acontceu.

—Pequena... -murmurei e senti-a a mexer-se. 

P.O.V Castiel off 

P.O.V Angel on 

Deitei-me de barriga para baixo assim que cheguei à minha cama. 

Viktor, o que esperas que faça. -pensei. –O que vai na tua mente. 

Abri os olhos e mexi-me de maneira a levantar-me e sentei-me na cama. 

—Estás melhor? -perguntou o Castiel o qual só reparei agora que estava no quarto. 

—Não, quer dizer sim, quer dizer acho que sim. -disse meio atrapalhada. -O-Obrigada por te preocupares. 

Ele assentiu com a cabeça e começou a mexer no telemóvel. 

Peguei numa roupa e fui para o banheiro onde tomei um duche rápido. 

Vesti a roupa, saí do banheiro e sentei-me na cama. 

—Hoje vamos para a praia ver o fogo de artifício, vens certo?-O Castiel perguntou. 

—Não sei, se calhar sim. -disse e levantei-me indo para a varanda do quarto. 

Fiquei a olhar para o horizonte quando me sinto ser abraçada por trás e senti o perfume do Castiel. 

—C-Castiel... -disse e ele virou-me. 

—Ouve, sinto muito por tudo. -disse ele. -Sinto muito, de verdade, de certo modo a Ashley está ligada ao meu passado, e eu não conseguia largar-me dela apesar de não ter o mesmo sentimento que ela tem por mim. -disse ele. 

—Castiel.... -ia dizendo mas ele interrompe-me. 

—Eu sei que agi mal contigo...eu sei que talvez não me vais perdoar por te ter magoado, mas não aguentava mais um único dia sem te puder dizer que sinto muito por tudo. -disse e eu sorri. 

Sorri porque agora, neste momento o rapaz que eu gosto está a pedir-me desculpas por tudo o que aconteceu. 

Abracei-o com força e ele a mim e ficámos assim um bom tempo. 

—Castiel...de que forma a Ashley está ligada ao teu passado? -perguntei assim que nos largámos. -E que passado é esse? 

Ele não respondeu nada ficou em silêncio e olhou para o céu...Aquele silêncio queria dizer que não era da minha conta então mudei logo de assunto. 

—Bem, eu quero ir ver os fogos de artifício. -disse. -Estou mesmo entusiasmada!  

Ele sorriu para mim e eu para ele e entrámos no quarto. 

A Rosa entretanto chamou-nos para jantar e descemos todos as escadas a correr. 

Sentámo-nos à mesa e começámos a comer. 

—Rosa, Leigh, isto está delicioso. -disse a sorrir. 

—Agradece ao Leigh. -disse a Rosa a rir. -Eu não fiz quase nada. 

O Leigh agradeceu com um sorriso e continuámos a comer. No final eu e o Lys ficámos a arrumar a cozinha pois sorteámos quem iriam ser os sortudos a arrumar tudo. 

No meio da arrumação, enquanto lavava os pratos mandei-lhe com espuma à cara o que o fez saltar de susto e fazer-me cair no chão de tanto rir. 

Acho que o óbvio foi que se implantou ali uma guerra de espuma que só teve fim quando não havia mais espuma entre nós. 

—Ai Lys, limpas tu agora. -disse eu a rir. 

—Nem penses, tu começaste agora limpas tu. -disse ele a rir também. 

—Pedra, papel, tesoura? -disse e ele assentiu com a cabeça. 

No final quem ficou a limpar tudo fui eu claro, mas o Lys ajudou-me como cavalheiro que é e terminamos de limpar tudo. 

—Nunca mais luto com espuma contigo. -disse a subir as escadas com ele. 

—Concordo. -disse ele a rir. -Desarrumas tudo. 

—Eu? -disse. -Nem penses, tu é que desarrumaste tudo! 

Ele riu e foi em direção ao quarto. 

—Já nos vemos então. -disse ele e entrou no quarto e eu fui para o meu quarto. 

Pus um vestido de praia e umas sandálias e saí do quarto. 

Esperei que todos terminassem de se arranjar e quando isso aconteceu fomos em direção à praia.

Continua…


Notas Finais


Foi isso gente! Espero que tenham gostado e irei posta amanhã o proximo capitulo! Tenho tudo pronto para postar ehehe
Um beijo e um abraços amores <3 titia gosta muito de vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...