História My Little BadBoy - Capítulo 56


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Alfa, Beta, Chanbaek, Exo, Híbrido, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Ômega, Sulay, Xiuchen
Visualizações 153
Palavras 1.898
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeee :3

Capítulo 56 - Fifty six


— Nós estamos namorando!

O curto momento de silêncio fora quebrado pelo rosnado de Hoseok, os olhos caíram sobre o menor. Estava sendo segurado por Seunghyun e Seojun, ele avançaria nos ômegas? Seojun não deixaria o amigo encostar um dedo no irmão, se caso isso viesse à tona Seojun bateria em Hoseok, e ambos eram lúpus.

— O quê você disse? Namorando? Você não pode fazer isso comigo Taehyung!

— Por que não posso? Você machuca meu coração e ainda quer que eu fique me corroendo nos cantos? Eu não sou mais uma criancinha de cinco anos Hoseok, eu sou um híbrido de gato de quase dez anos, eu sinto tudo mais rápido que os lobos. Eu sinto mais dor que vocês, e você liga pra isso? Claro que não, se ligasse não tinha começado a namorar a Seunghyun noona.

— Calma... Eu e Hoseok não estamos namorando.

A alfa falou fazendo Hoseok abaixar a cabeça cabeça com vergonha. JongIn não acreditava no que tinha acabado de ouvir, seu filho fazendo algo assim? Ah, ele não deixaria barato, ele estava com raiva e sabia que seu ômega estava sentindo isso. Kyungsoo apenas observava tudo, ele sabia que isso poderia acontecer, ele não queria se meter pois queria que seus filhotes fossem fortes para sobreviver no mundo lá fora.

— Como assim? Vocês não estavam namorando? Hoseok falou que estavam.

Dessa vez quem falou fora Seoon, Taehyung encarava o alfa com os olhos cheios de mágoa, porque ele tinha lhe ferido à tal ponto?

— Não, Hoseok apena se aproximou de mim porque... — a garota parou e olhou para o alfa.

Ela não sabia se poderia falar algo assim, Hoseok tinha dito ser algo pessoal. O alfa olhou para ela e acentiu levemente dando sinal para que a mesma falasse.

— Por que uns garotos da escola souberam que Hoseok e Taehyung eram almas gêmeas e... — ela respirou fundo como se aquilo também lhe afetasse muito — Um deles gostava de Taehyung e ameaçou Hoseok. Fizeram Hoseok fazer tudo isso com Taehyung para que podessem se aproximar e machucar o Tae.

A alfa terminou de falar, todos olhavam perplexos para o alfa a sua frente. Não o julgavam, ele estava tentando proteger o ômega. Taehyung não conseguiu se convencer, ele não acreditava naquilo.

— Como vou saber se isso não é uma mentira? Como saberei se não estão realmente namorando?

— Porra! Taehyung você não é tão idiota assim, não percebeu como Minjae se aproximou rapidamente quando Hoseok te ignorava!?

Minseok até repreenderia a filha mas ele não se achava nesse direito todo, até porque era difícil ver sua pequena alfa usando esse tipo de linguajar, isso ela puxara a sí. Só xingava quando a raiva subia.

Taehyung olhou para a alfa com um olhar ofendido pela mesmo ter lhe direcionado palavras tão rudes, ele queria acreditar mais estava difícil até porque Hoseok não abrira a boca e nem mesmo olhava para sí. Aquilo fazia seu coração se machucar mais, os olhos ardiam por tentar segurar as lágrimas.

— Hoseok... Isso é verdade?

O alfa levantou a cabeça lentamente mostrando à todos o porque de não ter abrido sua boca ou levantado o olhar. Ele chorava. Aquilo fez com que a barreira de Taehyung desmoronasse em segundos o fazendo correr até o alfa e o abraçar forte, fazendo todos se sentirem um pouco aliviados. Os adultos até poderiam ter entrado em toda essa confusão, mas eles não entraram por saber que seus filhos tinham um gênio forte e conseguiriam se resolver, assim como eles mesmos se resolveram no passado. JongIn ainda conversaría com o filho, porém, com calma e compreensão. Kyungsoo suspirou aliviado ao sentir a calma, tanto sua como do alfa, se apossarem de seu corpo.

— Me desculpa, eu não queria te machucar. Eu queria seu bem, eu... eu...

— Tá tudo bem Yeobo, eu ainda amo você.

Os olhos de Hoseok brilharam como nunca antes, suas pressas lutaram para sair. Mas ele não iria marcar o ômega, tudo tinha seu tempo. O abraço se tornou coletivo em segundos. Eles eram uma família, poderiam brigar várias vezes mas no final tudo se resolveria, tudo voltava como antes.

[....]

No quarto, Kris e Tao estavam deitados olhando para o teto. Yifan queria conversar mas Tao estava quase dormindo, como a marca transmitia tudo o ômega sentou na cama e encarou o alfa.

— Eu sei que quer falar algo Fan.

— É que... Essa história do Hoseok e do Taehyung me lembraram uma coisa.

— Lembrou da gente e seu pai não foi?

— Sim.

Logo as lembranças vieram à tona, as brigas que tiveram somente para despistar o pai de Kris – que ele pensava ser ruim naquele tempo – as quase separações, xingamentos, tapas. Aquilo tudo era o disfarce que acharam para o pai de Kris não tentar algo com Tao, eles não deixariam algo assim acontecer. Lembraram do primeiro beijo, da briga na cantina onde ambos viraram lobos e ficaram se esfregando um no outro, a marca, os cios e agora o primeiro, e único, filhote. Kris se sentia o chinês mais abençoado que existia nesse mundo, Deus fez Tao como presente para ele, não tinha outra explicação para estarem juntos e se amarem tanto, viviam os dias como se fossem únicos. Eram um belo casal, a felicidade de Tao preenchia Kris, assim como a sua preenchia o ômega, o filhote veio na melhor hora possível, estavam no ápice do amor e com Lucas vindo tudo ficariam melhor. O filhote ainda não nasceu mas já era amado por seus pais, teria tudo do bom e do melhor, eles eram ricos, com suas próprias mãos conseguiram continuar tendo uma ótima renda e poderiam ser chamados de ricos.

— Eu te amo tanto Tao, eu não sei como seria minha vida sem você. Eu não consigo me imaginar com outra pessoa, é estranho, diferente. Se eu não tivesse lutado por ti eu teria sido um covarde e egoísta.

— Eu agradeço todo dia por você ter lutado pelo nosso amor, mesmo tendo toda aquela dificuldade. Eu não seria nada sem você, provavelmente teria sido prometido a outro alfa, ou uma alfa. Eu te amo tanto Fan, você é meu tudo.

O beijo cheio de carinho fora iniciado, as mãos de Kris apertavam os lados da face alheia, as línguas brigavam uma com a outra mas sem malícia alguma, o beijo dra puro. O amor exalava no ar, eles se amavam e isso era inegável, até mesmo quem não os conheciam via de longe que eles não viviam um sem o outro, e que se eles não estivessem juntos seria estranho. Quando o beijo findou as testas foram encostadas, e se encarando, ambos os lábios carregavam um lindo sorriso.

[....]

Baekhyun estava na sala brincando com os gêmeos, eles eram muitos fofos. Não tinha como não serem filhos dele, sim ele era muito ganancioso e convencido quando se tratava dos filhos. Chanyeol gravava tudo no celular, adorava gravar suas três – agora quatro – preciosidades, ele postaria no Instagram, única rede social onde podia se “comunicar” com as suas antigas – nem tanto– fãs. O vídeo fora postado com a legenda “Olhando assim nem parece que está carregando mais uma preciosidade”, em segundos o celular começou a vibrar desesperadamente, os comentários e as curtidas iam aumentando a cada piscada, vários fã-clubes repostando a foto e marcando o casal.

— Chanyeol! Você postou outro vídeo não foi?

Baekhyun tinha seu celular em suas mãos e olhava cada comentário na foto do alfa. Várias fãs loucas os chamando de fofos, outros comentários eram de pessoas que não gostavam deles – eles ignoravam.

— Assim você mata as exo-l's.

— Aigoo! Não faz mau um videozinho Baekkie.

O mais alto fez um bico, este que logo foi mordido e beijado por Baekhyun. De longe eles eram o casal mais infantil dentre os outros, apesar se serem o terceiro casal mais novo, – eram um pouco mais velhos que JongIn e Kyungsoo – eles tinham três lindos filhos, dois ali e uma junto de Krystal na faculdade de dança e canto. Chanyeol amava Baekhyun com todas as suas forças, e era recíproco, eram marcados, moravam juntos de seus melhores amigos, tinham seus filhos e sobrinhos perto. O que mais poderiam querer? A vida deles eram perfeita, tudo em ordem e união. Nada os separaria, eles fizeram uma promessa onde morariam juntos na mesma casa até a velhice vencer eles e os olhos fecharem de vez. Eles sabiam que uma hora ou outra os filhos sairiam de casa, viveriam suas vidas, aquilo seria novo para os pais, mas eles teriam que seguir suas próprias vidas longe dos filhos.

[....]

Naquela noite Minseok e Yixing tiveram a pior noticia de suas vidas. Sua mãe falecera. O baque da realidade fora pior do que o da morte de seu pai, eles sabiam que sua mãe morreria por causa da marca. Mas não esperavam ser assim de repente depois de um ano sem o pai ali, mas infelizmente nem tudo é eterno como sonhamos.

Pessoas morrem e nascem à cada segundo, filhos perdendo pais, maridos perdendo esposas, crianças perdendo seus animais. Todos morrem um dia, e infelizmente o dia da sra. Zhang chegara deixando pra trás dois filhos completamente sozinhos e com os corações quebrados com sua ida, os netos choraram sobre o caixão ainda aberto da senhora, Yixing não sabia como falaria da mãe para o neto. Ela estava tão animada para conhece-lo. Minseok não sabia como se auto consolar nesse momento, as lágrimas grossas partiam suas bochechas caindo no chão, a dor que sentia afetava seu alfa e Jongdae sabia que tinha que respeitar o ômega o cunhado. O alfa não pensou duas vezes antes de abraçar o ômega baixinho, o menor soluçava em seus braços e se perguntava o por que de sua mãe ter partido tão cedo, Yixing abraçava Junmyeon com força se segurando para não chorar.

Naquela madrugada sra. Zhang fora enterrada ao lado de seu alfa, nem na morte eles seriam separados, todos ali deixaram rosas sobre os túmulos do casal, Baekhyun fora até o túmulo de seus pais e chorou mais um vez de saudade. Os dois casais estavam enterrados próximos, Chanyeol estava sentado num banco de frente para os túmulos vendo as costas de Minseok tremer dos soluços, ele sabia que os seus progenitores estavam velhos e não teriam muito tempo para todos já estarem no céu os olhando de lá. Sua mãe estava muito doente, sr. Oh, seu pai ômega, tentava cuidar da esposa mas a cada vez que parecia melhor a doença voltava com mais força, e isso fazia seu pai alfa sentir as dores da mulher, a marca ligava os três. Ele já deu várias quantias de dinheiro para os três se cuidarem mas nada resolvia, o coração do Park estava se despedaçando ao ver cada um dos mais velhos irem embora. E o pior era que a marca trazia esse carma, se um morrer primeiro o outro sentiria muita falta, a marca doeria e ele morreria, literalmente, de saudade. Ele não queria que nenhum dos amigos ali sentissem isso, nem seu amado, mas não poderia evitar algo natural, ele não tinha muito o que fazer apenas viver cada dia como se fosse o único.

Ao voltarem para casa, os irmãos já dormiam, as crianças também. Chanyeol levou o corpo adormecido de Baekhyun para o quarto o despindo e vestindo um pijama no corpo pequeno, logo depois se trocou, deitou na cama abraçando o ômega e falando vários eu te amo, para o pequeno adormecido, até os olhos se fecharem pelo cansaço.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...