História My Little Ballerina - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Chanbaek, Jikook, Jimin Uke, Jimin!bottom, Jimin!uke, Jungkook Seme, Jungkook!pauzudo, Jungkook!top, Kookmin, Markson, Namjin, Passivamin, Sra_jimin2, V-hope
Visualizações 3.311
Palavras 2.374
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEI, socorro depois de quase um mês kkkkkk
Eu 'tô berrando com esse +900 porque quando agradeçi no capítulo passado tínhamos apenas 793 e poxa, vocês a cada vez mais me fazem chorar. 908 é um número de favoritos que nunca pensei que ia alcançar nessa fic ou em qualquer outra. Obrigada por tudo amores ❤❤
Capítulo betado pela maravilhosa @DonaTeta <3

Capítulo 6 - Proposta


Fanfic / Fanfiction My Little Ballerina - Capítulo 6 - Proposta

Jeon estava irritado. Seus passos o guiavam para a sala de balé, a mão fechada em um punho deixava visível sua irritação. A cada passo pedia aos deuses para que seu baixinho não estivesse tão próximo a Yugyeom, Jungkook sabia que o seu “ex” amigo era uma boa pessoa e muito competitiva quando se tratava de alguém que ele gosta ou que possui algum afeto, como era com Jimin.

O moreno se lembrava bem como era na oitava série quando o Kim era um amor com o loiro; ele era um bobo, assim como Jungkook. O pobre Jimin sofria bullying e o Kim tentava a todo custo ajudá-lo, já por outro lado Jungkook adorava ver o Park irritadinho quando alguém mexia com ele e lógico que o moreno ficava irritado quando Yugyeom o defendia. E foi assim que Jungkook passou a prestar mais atenção do loiro.

Foram momentos dolorosos para Jimin e atordoantes para os dois jogadores de basquete, ambos não suportavam ver Jimin encolhido no cantinho da quadra chorando, era como se fosse com eles e mesmo que tentassem parar com aquilo, não conseguiam com todos aqueles alunos. E quando decidiram agir, já era mais que tarde. Jimin havia ido embora.

Quando Jungkook parou em frente a sala de balé, respirou fundo e entrou. Como esperado, Jungkook não foi notado pelo dois garotos que combinavam os passos, estes que Yugyeom estava louco para mostrar ao loiro.

Juntos começaram a se alongar e o Kim quase engasgou-se quando Jimin empinou o bumbum e tocou os pé, esperando que o outros copiasse seu movimento. Jungkook que olhava tudo atrás de umas cadeiras ficou irritado, Jimin não facilitava.

— Gyeomie, você não vai se alongar? — Jimin perguntou ainda curvado vendo-o sacudir a cabeça e copiar seus atos. Jungkook bufou revirando olhos ao que ouviu o apelido “carinhoso” dos lábios do Park.

— Isso dói muito. — Choramingou o Kim, o loiro ergueu-se novamente negando com a cabeça; como o moreno era um preguiçoso.

Jimin havia assistido o garoto dançar quando entraram na sala e claro que ficou encantado com o amor que ele dançava

— O que foi, Chim?

— A-Ah, eu só estav... Q-Quer dizer, v-você dança bem, sabe, e eu...

— Qual é, Jimin? Por que está gaguejando? Até parece que vai me pedir em namoro. — Jimin corou fortemente e sentando ao lado do Kim, esse que o olhava divertido. Jimin era adorável.

Jeon ainda escondido fez menção de se levantar mas abaixou-se novamente quando ouviu Yugyeom voltar a falar.

— Tô brincando, Minnie.

— Pare de falar asneiras, moleque! E-Eu queria saber se você gostaria de participar da apresentação de balé que vamos ter em breve, ninguém ainda decidiu nada... — Ouvindo a proposta de Jimin, Jungkook negou mesmo sabendo que a pergunta não era voltada para si e que sua negação jamais seria percebida pelos dois. — Se nã…

— Eu vou adorar participar, Jiminie! Ainda mais se for pra ficar pertinho de você... — Yugyeom passou o braço pelos ombros do Park e o puxou para si, teriam aproveitado mais do abraço desajeitado se não fosse pela voz rouca de Jungkook.

— Eu estarei lá também. — Chamando a atenção dos dois, Jeon se aproximou e pegou uma das mão do loiro para levantá-lo, o que foi bem sucedido — Na primeira fila.

— Eu havia esquecido, tenho que encontrar o Jinyoung na aula de química. — Todo desajeitado, o moreno se despediu de Jimin e saiu da sala.

O loiro cruzou os braços espremendo os olhinhos, formando nos lábios um biquinho já que estava irritado com o maior. Jungkook sempre teve essa implicância com o Kim e Jimin já havia percebido isso quando estudavam juntos no fundamental, mas a diferença era que, Jungkook não era próximo de si e o outro queria ser íntimo até demais. O baixinho odiava  lembrar-se do quanto sofreu nas mãos nojentas dos alunos, e pouco sabia ele que muitas dessas pessoas passavam o mesmo nas mãos de Jungkook. Ele sempre o defendeu mesmo estando longe.

— Por que fez isso com ele? Ele é uma pessoa legal, e já foi seu melhor amigo, Jungkook-ah! — Resmungou. Jungkook não resistiu aquela fofura que era Park Jimin com as bochechas infladas e com manha, mesmo que estivesse resmungando.

O abraçou. Trazendo para si o corpinho pequeno do loiro e selando docemente a bochecha coradinha do menor enquanto o mesmo abraçava o tronco do outro.

Jungkook sabia o quanto era bobo, muito bobo por agir daquela maneira ciumenta com Yugyeom, mas não podia dar bobeira e perdê-lo, não mesmo.

— Só estou cuidado do que é meu. — Respondeu dando de ombros e tocou o rostinho de Jimin para selar os lábios carnudos, o que estava se tornado um vício.

— Você vai no meu quarto hoje? — Perguntou logo se arrependendo quando viu o sorriso malicioso do maior, e logo tratou-se de terminar de falar. — Digo, você vai passar lá hoje? Mesmo que não tenha nada para me entreg...

— Uhum, irei sempre que puder. — Jungkook sorriu ao que o menor mordeu o lábio, porém logo o sentiu se afastar quando ouviu gritos do jogadores de basquete que passavam no corredor, por sorte ambos sequer foram notados — O que foi?

— É melhor você ir. — O moreno bufou.

Quantas vezes era preciso dizer que não se importava com o que as pessoas iriam pensar, já havia perdido tempo demais sendo um fracote e vendo-o sofrer, era difícil fazer Jimin entender isso?

Jeon não queria mais viver na sombra do pai. O Park notou a face cansada e triste do maior, mesmo quando Jungkook virou o rosto olhando para qualquer lugar que não fosse o rostinho do loiro.

Um suspiro audível saiu dos lábios carnudos, Jimin pareceu se render a vontade louca de beijar os lábios finos de Jeon, o que surpreendeu ambos. Segurando o rosto delicadamente entre as mãos fofinhas, Jimin iniciou um beijo calmo, cheio de saudades como se as bocas não tivesse se chocado na noite passada.

O moreno inclinava o corpo apertando a cintura de Jimin e o puxando para si, colando devidamente os corpos e chupando a língua que tanto dançava sobre a sua. As mãos nada inocentes do moreno escorregaram até as nádegas cheinhas, apertando-as com vontade ambas partes, se deliciando do gemido fraquinho que o loiro soltou entre o beijo necessitado.

— Alguém joga um balde de água gelada neles, por favor? — Taehyung falou abrindo a porta, assustando o casal. O Kim estava ao lado de Baekhyun e Mark desde que o moreno havia entrado na sala de balé, além de que ouviram toda a conversa. — Não acham melhor deixar para se engolir no quarto do Jimin?

— Taehyung-ah não diga isso ou o Jimin vai explodir de tanta ver… — O Byun se calou quando sua fala foi interrompida por um branquelo e jogador de basquete, Min Yoongi.

— Jungkook eu preciso da sua ajuda urgentemente... — O garoto estava ofegante pela corrida, pôs as mãos sobre o joelhos para descansar, mesmo que não tivesse corrido muito.

— O que houve?

— O Chanyeol... E o Shownu... Vestiário.

— Porra...

Jungkook saiu correndo da sala indo diretamente para o vestiário.

Ah, o Park não podia se meter em mais encrenca, do contrário isso o levaria para fora do time. Shownu e Chanyeol tinha uma rixa desde que o primeiro citado havia beijado Baekhyun como presente de aniversário.

Pobre Shownu, apanhara de Chanyeol na frente de muitos convidados e daí pra frente viviam brigando.

Por sorte quando chegou no vestiário ambos estavam afastados e machucados apenas no rosto, Jungkook suspirou aliviado e quase caiu quando o pequeno Byun lhe empurrou e foi até o namorado.

— Tá tudo bem, Channie? Ele te machucou em outro lugar? — O ruivo negou tomando a mão do namorado preocupado e sorriu para Shownu, esse que tocava seu queixo doído.

— Espero que tenha entendido o recado, Shownu. Se chegar perto do Baekhyun irá ficar sem os dentes. — Jungkook quis rir mas ficou evitou para mais confusões não surgir, seu pai o mataria.

— Temos treino agora, vamos pro ginásio. — Falou o capitão e Shownu riu debochado.

— Agora quer falar de treinos, Jungkook? O capitão que sequer sabe liderar um time e que foge para estar se esfregando com qualquer um... Acho que seu pai gostaria de saber.

Então após suas palavras venenosas, Shownu saiu rindo baixinho dando de ombros. Ah, eles teriam muito problema com aquele garoto.

 

[...]

 

— Você não me contou o que aconteceu com você e Hoseok na sua casa Tae, não acha que deve abrir o bico? — Mark o olhou malicioso juntamente a Jimin.

— Não aconteceu nada, ok?

— Como não? Vocês estavam sozinhos... — Kim riu negando e suas bochechas ganharam um rubor facilmente ao se lembrar de quando seu irmão os interrompeu.

Hoseok estava muito perto, seus lábios se roçaram fazendo ambos fecharem os olhos e os corações acelerarem. Talvez um beijo surgiria delicadamente, contudo a porta foi aberta os assustando.

— O que vocês estão fazendo? — Prontamente Hoseok se afastou ficando mais constrangido que o Kim mais novo, que olhava envergonhado para o irmão.

 

— Não, o Soo estava lá. — Resmungou. — Aish! O Hobi vai ficar com vergonha sempre que me ver.

— Pelo menos você sabe que o beijo iria ser recíproco e o que você sente também.

— Não sei de nada! — Taehyung saiu da sala com o nariz empinado e resmungando baixinho o quanto era tolo.

— Por que eles dificultam tanto? — Tuan olhou para Jimin que se alongava.

 

[...]

 

Jimin sorriu abertamente quando avistou Seokjin parado em frente a escola. O mais velho estava encostado no carro comendo, quando lhe viu junto a seus amigos, acenou chamando-o. O Park correu, estava tão feliz por ver seu irmão que não mediu forças para abraçá-lo e acariciar a barriga alheia.

Os irmãos passaram a tarde juntos na casa do mais velho, com a chegada de Namjoon contando que Sr. Park havia o recontratado, céus, Jin chorou como um bebê  manhoso. E sobrou para Namjoon consolá-lo carinhosamente em sua cama e beijá-lo até que se acalmasse e que dormisse com o carinho que fazia em sua barriga. Por fim levou o loiro para casa alegando que seria perigoso ir sozinho já que estava tarde.

 

[...]

 

Seus passos eram leves e curtos, os saltos baixinhos para não causar barulhos contra o piso do quarto, seus braços soltos lhe ajudavam a dar impulsos para os pulinhos. O sorriso radiante que brotava em seus lábios aquecia o coração mole de Jungkook, esse que era escondido pelas cortinas da janela do quarto do loiro, o coração do moreno saltava junto com os pulinhos de Jimin.

A roupa que o menor usava — vulgo uma camisa laranja e um shorts — deixava as coxas definidas de fora, vez ou outra jogava o cabelo que para trás para que não ficasse caídos em seus olhinho que sorria, a música suave que fazia o corpo ficar mais leve e o embalo maravilhoso que o tirava dos mundo. Jimin estava tão alheio.

Jungkook não reclamaria nunca de ter aquela visão dos deus dançando calmamente, ele queria o baixinho dançasse para si. Quando se apaixonara por Jimin temia que o mesmo não o quisesse por perto, nossa, Jungkook enlouqueceria.

Entrou no quarto e escorou-se na janela ainda observando a obra prima que era Park Jimin dançando com aquela expressão tão suave... E quando o baixinho abriu os olhos, assustou-se ao ver o moreno olhando-o intensamente. Seus pés se esbarraram fazendo-o tropeçar e cair sobre o peito Jungkook, que o segurou firme pela cintura como se soubesse que tudo aquilo iria acontecer.

— Você veio! — Olhos pequeninos brilharam quando entraram em contato com os negros do Jeon, o abraçou como se sua vida dependesse daquele abraço.

Park Jimin era um poço de bipolaridade assim quando começou a ter sentimentos pelo mais velho na época do ensino fundamental, só de pensar nisso suas bochechas ruborizaram, ao que Jungkook beijou cada uma.

— Você e sua mania de se jogar sobre mim, me diga o porquê de não vir quando se trata de você pequeno? — Infeliz. Jungkook adorava vê-lo constrangido e sem palavras perante a ele.

O moreno riu ao ver que o baixinho havia ficado sem fala, por tanto o puxou para cama deitando com ele. Era tão bom ter Jimin por perto, colocado ao seu corpo encolhido enquanto brincava com os botões da sua camisa. Jungkook ergueu o queixo do Park para capturar os lábios que tanto era viciado. Um gemido de satisfação veio do loiro, brincou com seus cabelos entre os dedos; Jeon o trouxe para seu colo e deixou seu corpo ficasse entre as coxas grossas enquanto seu membro era acariciado pelo rebolar tímido do mais novo. Jimin era tão sensível aos seus toques que Jungkook podia ficar facilmente duro só com os seus gemidos manhosos.

Jungkook largou a boquinha carnuda do menor e desceu o beijo para o pescoço branquinho, provando do local sem pensar duas vezes, fazendo Jimin tombar a cabeça para o lado lhe dando o livre acesso.

— Kook-ah... — O Park gemeu baixinho quando sua pele era sugada pelo dono dos dentes de coelho, e Jungkook não parou por aí. Apertou a cintura fina para que desse mais intensidade nas reboladas, que passaram a ser mais rápidas. — Jungkook-ah tem algo embaixo de mim vibrando.

— O quê? — Jungkook o olhou confuso e mais uma vez sentiu algo vibrar no seu bolso, Jimin riu baixinho deitando-se totalmente sobre o corpo de Jungkook e esse pegou o celular que tanto vibrava. O corpo de Jungkook ficou tenso ao que viu a mensagem no celular de seu pai pedindo para que atendesse a porcaria do celular e então Jungkook ligou de volta para o pai.

— Jungkook, onde você está? — O Homem reclamou assim que atendeu a ligação, o mais novo apenas deu de ombros acariciando os fios de Jimin. — Espero que já esteja vindo pra casa ou vai deixar seu amigo esperando por mais horas?

— Que amigo pai? — Franziu o cenho e beijou a testa de um Jimin sonolento.

— O  Shownu filho. O garoto tá aqui a mais de quinze minutos lhe esperando, disse que vocês tem um trabalho para fazer. — Talvez nesse momento o coração de Jungkook tivesse parado por segundos quando ouviu o nome da pessoa que lhe ameaçou mais cedo. — Espero que venha logo filho, enquanto isso vou conversar com ele e oferecer um lanche. Chegue em menos de dez minutos.

 


Notas Finais


O capítulo foi bem confusinho sim, já que contribui para o próximo kkkkkkk
Peço desculpas pelos erros.
Irei responder os comentários tão amorzinhos do capítulo anterior, chorei com alguns 😭❤❤
Obrigada por tudo bebês e até o próximo capítulo, beijos ❤😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...