História My Little HOT History - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail, Sword Art Online
Personagens Gray Fullbuster, Kirigaya Kazuto, Personagens Originais, Yui, Yuuki Asuna
Visualizações 31
Palavras 1.402
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nem demorei tanto assim...
Rsrs

Capítulo 7 - Mago de Gelo


Fanfic / Fanfiction My Little HOT History - Capítulo 7 - Mago de Gelo

Pisquei mais uma vez, não podia ser. Estremeci e ele percebeu, instantaneamente corei, tentei olhar em outra direção mas os olhos atentos do Mago de Gelo acompanhavam cada uma de minhas ações, me provando que aquilo certamente não era um sonho. Tentei beslicar a mim mesma, esse não seria meu primeiro sonho com o Mago de Gelo, longe disso...Me surpreendi ao perceber que não era mesmo um sonho.

Ele permanecia ali, aparentando estar calmo e céus como ele estava lindo, todo perfeitinho ali na porta do meu quarto, pera aí, o que ele tava fazendo ali?!

Perdi o foco assim que ele bagunçou ainda mais seus cabelos pretos, os olhos escuros não me olhavam mais e agora estavam direcionados ao chão, acho que ele também tá sem graça. Juro que tentei manter o foco, mas tudo que eu pensava era como O Mago de Gelo mudou nesses anos.

Aaaa, o que ele tava fazendo ali hein? Tenho certeza que isso é um sonho.

Finalmente consegui olha-lo com uma expressão mais calma e tive pulso firme para esse olhar ser indiferente.

-Quem é  você? - Joguei as palavras no fogo como quem joga carvão.

Nem sei por quê fiz isso...

Ele semicerrou os olhos e arqueou uma sobrancelha. Sim, eu estava falando sério. Como diz aquele velho ditado: pagarás de doido e ganharás o mundo.

Ele me empurrou de leve para dentro do quarto e entrou também, com um olhar sério e aparentemente aborrecido.

Huh, se irritou foi? Espero que ele passe muita, mas muuuita raiva, pra compensar a raiva que passei nesses dois anos.

- Vai ficar nessa? - Perguntou direto, se encostando em uma parede do outro lado do quarto e me olhando.

Era como se ele quisesse delimitar uma distância segura entre a gente.

Fechei a porta do meu quarto e o olhei com os braços cruzados. Eu não iria baixar a guarda.

- Não sei do que você tá falando...- Respondi com o olhar mais convincente que pude. Eu não acho nada legal brincar com os sentimentos de alguém por dois anos, agora eu vou brincar com os dele por pelo menos dois minutos.

O Mago de Gelo contraiu o maxilar.

- Sai dessa Yui. - Disse baixo,mas o tom era de ordem mesmo.

Suspirei, como se não fizesse a mínima idéia do que ele tava falando.

Ele respirou fundo e disse:

- Já que é o que você quer...- Sorriu de canto quando terminou de falar, arfei com aquele sorriso. - Eu sou Gray, seu...Priminho.

Disse o termo priminho com sarcasmo ao ver meus olhos se arregalarem.

Não, não, N- ã- o. Isso não pode tá acontecendo, não mesmo, pus a mão no peito por falta de ar.

Eu olhava pra Gray incrédula e ele estava lá exibindo sua calma e frieza. Eu não acredito que eu e Gray somos primos, como isso foi acontecer? Como o mundo pode ser tão pequeno assim?!

Respirei fundo, eu não estava calma nem capaz de continuar com joguinhos, mas continuei.

- Entendi. - Respondi séria e aquilo pareceu surpreender Gray. Ok, quando ele me conheceu eu era só uma menininha que sempre se jogava de cabeça ao sentimento, agora que ele percebeu que eu criei um certo tipo de maturidade deve está frustrado por não ter mais tanta influência, isso mesmo.

De repente a expressão de Gray se suavizou e  ele me lançou um sorriso honesto.

- Você não precisa fingir comigo Yui...- Falou baixinho, aquilo realmente mexeu comigo, sempre que eu dizia pra o Gray que conseguia ser eu mesma com ele, ele respondia isso.

Mas agora eu precisava...

- Certo Gray. - Respondi, seca. Parece que o jogo virou não é mesmo?

- Olha, você não precisa me perdoar pelo que fiz...Eu não me perdoaria também... - Ele desencostou da parede e começou a andar em minha direção. Isso era perigoso, o cortei.

- Não precisa de discurso, tá perdoado. - Disse-lhe e ele arregalou os olhos. Eu olhei para o chão, não seria nada saudável o que eu enfrentaria nessa viagem.

- Sério? - Gray perguntou com um daqueles sorrisos de tirar o fôlego.

- Uhum...- Respondi e o sorriso se alargou mais, senti vontade de chorar, mas não iria. - Família serve pra Isso, né?

Assim que terminei de dizer a última frase ele fechou a cara e ficou parado no meio do quarto, não consegui ver sua expressão, mas não devia ser das melhores.

-Ah. - Ele constatou, mais para si próprio do que pra mim. - Família...Saquei.

Afirmei que sim com a cabeça e disse baixo:

- É... 

Gray me olhou de um jeito furioso, pera...Furioso não, sedento e descontrolado, talvez.

Ele se aproximou, recuei. O que Gray estava fazendo?

-Família...- Repetiu novamente enquanto se aproximava e eu recuava.

- Sim Gray, somos familiares. - Respondi desesperada por a falta de espaço, me desesperei ainda mais quando encostei em uma parede. 

- Desde quando familiares tem a vontade de foder um ao outro, Yui? - Falou cada palavra com um sorriso de canto, nesse momento eu já estava suando frio.

- Interessante, mas eu não tô entendendo aonde você quer chegar. - Respondi claramente afetada pelas palavras dele, apesar de minha resposta, meu corpo reagia de forma diferente.

Ele me olhou nos olhos e desviei o olhar.

- Você vai ver onde eu quero chegar..- Respondeu no meu pé de ouvido e me arrepiei toda.

Aí ele fez o que nunca deveria ter feito, meu Deus como ele não devia ter feito aquilo, porque no momento que Gray encostou a boca no meu pescoço eu perdi o controle.

Pus a mão na nuca dele e fiquei alisando aqueles cabelos, tão suaves quanto os beijos que ele dava no meu pescoço. Arfei novamente e ele sorriu por isso.

- Não, eu não quero ver aonde você quer chegar... - Disse com a última brecha de controle que me restava, sussurrando cada palavra. Gray parou com os beijos e meu corpo se contraiu, ah não, não para não.

- Não quer? - Perguntou com olhos de garoto carente, cai na dele.

- Eu quero... - Sussurrei.

- Quanto você quer? -Perguntou voltando a beijar meu pescoço, minha voz vacilou.

- Muito. - Respondi fechando os olhos, Gray puxou minha cintura com desespero, como se não aguentasse mais e me beijou, inferno, tinha esquecido como o beijo de Gray era bom.

Não tinha nada de romântico naquele beijo, era pura intensidade e pura putaria, porque enquanto eu arranhava suas costas ele segurava minha bunda e passava a mão pela minha coxa, nos dois estávamos imparaveis já.

Não queríamos parar.

Não iríamos parar.

Se não fosse por um barulho de porta abrindo, amaldiçoou a mim mesma por não ter trancado, mas aí me dei conta da realidade. O que eu tava fazendo me pegando com meu primo?! Desde quando eu era tão descontrolada assim? Eu não era assim? Eu tenho controle dos meus sentimentos! 

Empurrei Gray de leve e ao olhar para porta eu vi minha mãe e uma garota loira ao lado, a garota loira me olhava com ódio misturado com surpresa, minha mãe me olhava meio feliz por mim meio chateada. Minha mãe sempre quis que eu me descontrolasse e deixasse um pouco de ser certinha.

- Eu não acredito nisso Gray. - A menina falou com a voz chorosa, Gray a olhava como se tivesse visto um fantasma.

Afinal, quem era ela?

- Lucy, eu... - Gray tentou se explicar, mas a garota loira não deixou.

- Você o que?! - Ela gritou com ele e ele ficou calado.

- Lucy...Calma. -Minha mãe pôs a mão no ombro dela e ela começou a chorar.

- Ele disse-me que não sentia mais nada por a sua filha Sra.Asuna. - A loira falou baixo enquanto olhava para minha mãe com uma dor imensa.

O sentimento de culpa me consumiu,Gray é comprometido? Puta que pariu.

- Foi uma recaída Lucy... - Gray disse e fiquei boquiaberta, era isso que nós éramos? Uma recaída?! E eu era uma destruidora de lares?

- Não acredito em você! - Berrou e saiu correndo do quarto, minha mãe foi atrás e Gray ia também, mas percebeu que eu estava no quarto. 

- Yui...

Nem o olhei nos olhos.

- Sai Gray, sai. - Falei baixinho, meus olhos já davam sinais de que iriam chorar e eu não ia chorar na frente dele.

- Olha...

Ele ia falar algo, mas o interrompi.

- Vai atrás da sua namorada! E para de me dar explicações! Não somos nada,além de primos! - Gritei e ele pareceu magoado, me arrependi por isso, mas não podia me deixar afetar.

Gray surpreendeu a nós dois ao me obedecer e deixar a porta fechada assim que saiu,foi bom, porque assim que ele saiu eu cai no choro.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...