1. Spirit Fanfics >
  2. My little infinity - Min Yoong (BTS) >
  3. "Arrependida."

História My little infinity - Min Yoong (BTS) - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia meus lindos, como vocês estão?

Estou aqui não só para postar capítulo novo como também, para desejar-lhes uma excelente semana!!


Boa Leitura a todos (/^-^(^ ^*)/

Capítulo 14 - "Arrependida."


Fanfic / Fanfiction My little infinity - Min Yoong (BTS) - Capítulo 14 - "Arrependida."

Perante a minha escrivaninha, eu terminava de escrever minha carta de indicação para a faculdade. Algumas semanas se passaram desde o incidente no ginásio, para minha felicidade o meu joelho estava se recuperando rápido e logo poderei voltar a treinar normalmente. 

- " Citarei então uma frase que o grande poeta e dramaturgo William Shakespeare há muitos anos atrás falou:'Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.' - Em uma folha de papel eu escrevia o que em voz alta eu dizia. 

- Angie.. - Mamãe entreabriu a porta de meu quarto, sua voz soou como um sussurro. Ergui minha postura e virei minha cabeça para trás, a luz de meu quarto estava apagada, a única iluminação que lá havia era a de minha luminária. - Haru está aqui. - Depositei minha lapiseira em minha escrivaninha e gesticulei com a cabeça em negação, e antes que eu tivesse a chance de me pronunciar, a porta foi aberta por inteiro e a imagem de Haru surgiu diante de meus olhos. Seus longos cabelos negros caíam sob seus ombros e seu cenho estava cabisbaixo, em suas mãos havia uma embalagem amarelada. - Estarei lá embaixo caso precisem de alguma coisa. - Acendeu a luz de meu quarto e se retirou, suspirei derrotada e pendi minha cabeça para trás. A garota parecia hesitante e receosa, parada em minha porta ela fitava seus pés. 

- Não fique aí parada, entre. - Girei minha cadeira de couros amarelados ficando agora, de frente para ela. Com seus olhos arregalados ela adentrou em meu 'covil' e ficou plantada no meio de meus tapates aveludados, era notório e óbvio que ela tinha algo para me dizer, portanto, parecia hesitante demais para se pronunciar. - Por que não me enviou uma mensagem avisando que viria? - Apoiei meu cotovelo no braço de minha cadeira e levantei minhas sobrancelhas. 

- Me desculpe por ter sido tão ingênua e tola. - Ajoelhou-se a minha frente, arregalei meus olhos espantada. - Sei que não sou digna de seu perdão, mas você é minha melhor amiga e eu não poderia jamais viver sem você. Por favor, me perdoe por ter acreditado nas mentiras que Prissy disse sobre você e me desculpe por ter agido daquela forma aquele dia no ginásio. - Sua voz tornou-se escandalosa e chorosa. - Me desculpa Celine, por favor, volte a ser minha melhor amiga.. minha vida não faz sentido sem você. - Abriu sua boca e chorou de forma exagerada e escandalosa, minha expressão permanecia espantada. - Por favor, eu até te trouxe bolinhos da lua diretamente da doceria da minha tia. Demorou duas semanas para que eles chegassem da China, eu sei o quanto você gosta desses bolinhos e os comprei para simbolizar meu arrependimento.. - Entregou-me a embalagem amarelada, pisquei meus olhos várias vezes e sorri sem jeito. 

- Por favor, pare de chorar.. - Levantei-me, ela ergueu sua cabeça e enxugou suas lágrimas me encarando com uma expressão culpada. - Suas atitudes foram de grande chateação para mim, você me deixou enfurecida e aflita. - Falei. - Porém, eu jamais seria capaz de não te perdoar, você é minha única amiga e sem você eu não teria mais ninguém. - Novamente seus olhos tornaram-se marejados. - Eu te perdôo Haru, mas você terá que me prometer que jamais fará isso outra vez. Eu confio em você mais do quê tudo nesse mundo, e se um dia ocorrer de você repetir essas ações infantis e ridículas, que fique claro que eu não te darei outra chance. - Um bico se formou em seus lábios. - Até porquê, você tem ciência de suas ações. - Fechou seus olhos, permitindo que serenas e esguias lágrimas escorressem por suas bochechas redondas e rubras. - Agora levante-se, vamos comer esses bolinhos. - Peguei em suas mãos e a puxei, acabei não tendo forças o suficiente para levantá-la e a derrubei de bumbum no chão. Rimos do pequeno incidente e após cair sob meu tapete, acabei optando por me sentar no chão.

- E como está seu joelho? - Perguntou-me enquanto comia um pedaço do bolinho. 

- Muito melhor, veja. - Mostrei-lhe meu band aid da Hello Kitty, um sorriso adorável surgiu em seu rosto. 

- Que fofinho Celine! - Exclamou entusiasmada. - Uá, e de quem é esse anel que está no seu dedo? - Arqueou suas sobrancelhas. 

- Do Jin. - Encarei o objeto que estava em meu indicador. - Ele acabou esquecendo comigo no dia que fui para a enfermaria. - Respondi-lhe, uma expressão travessa surgiu em sua face. - O quê é? - Ri. 

- Como assim você ganhou um anel de um garoto e não me contou? - Semicerrou seus olhos e riu de forma maliciosa, pus uma mecha de cabelo atrás da orelha. - Me diga, ele é bonitão? - Abriu um sorriso enorme. 

- Ele têm a aparência de um galã de dorama. - Haru soltou gritos hestéricos e agudos, eu ri. 

- E vocês estão saindo? - Acertou-me com uma cotovelada. 

- Nós nos falamos duas vezes apenas. - Falei. - E eu não o vejo como uma paixão ou paquera, apenas o acho extremamente bonito. Então, não há motivos para querer sair com ele. - Ela me olhou indignada. 

- O QUÊ? - Apoiou suas mãos em minhas pernas e aproximou seu rosto do meu. - Motivos para você querer sair com ele são inúmeros, só de você tê-lo comparado com um galã de dorama já o o suficiente para afirmar que, há sim um pouco de interesse nele. - Seus olhos brilhantes faziam com quê eu recusasse para trás. - Mentaliza a seguinte cena, vocês saem juntos num encontro super romântico, a céu aberto e abaixo de inúmeras estrelas vocês caminham de mãos dadas e a todo momento esbarram seus ombros propositalmente, mas se desculpam como se fosse um acidente. - Ajoelhou-se a minha frente e segurou em minhas mãos. - Se divertem no parque e ele ganha uma pelúcia no jogo de tiro ao alvo para você. Então, finalmente vocês vão embora e ele te leva para a casa, e quando você estiver prestes a descer, ele te puxa novamente e te beija suavemente como uma rápida e calorosa despedida e diz num sussurro "Tenha uma boa noite, Celine." - Se perdeu em sua própria imaginação e suspirou demasiadamente com um sorriso bobo nos lábios, fiz uma expressão enojada. 

- Aí Haru, não seja ridícula. - Revirei meus olhos. - Somos apenas amigos, não há nada entre nós dois. - Ela bufou. 

- Pare de ser boba Celine, um menino gato desses no seu pé e você se recusando a chamá-lo para sair. - Olhou-me repreensiva, ri nasalmente.

- Haru, o fato de eu conversar com um garoto não significa que eu tenha que imediatamente começar a namorá-lo. - Peguei um bolinho. - Amizade entre homem e mulher existe também. - Ela revirou seus olhos. 

- Então que seja uma amizade colorida. - Cruzou seus braços, arqueei minhas sobrancelhas.

- O quê é 'amizade colorida'? - Fiz aspas com minhas mãos, ela me olhou perplexa. 

- Você não sabe o quê é amizade colorida? - Neguei com minha cabeça, ela suspirou alto e jogou seu corpo para trás, caindo em meu tapete. - Céus, como você pode ser tão ingênua? - De forma dramática, pôs sua mão em sua testa e fechou seus olhos. Ajoelhei-me ao seu lado e a encarei desentendida. - O quê eu quis dizer Celine, foi o seguinte: Sejam amigos, portanto, que vocês tenham liberdade para fazer qualquer coisa. Desde o simples beijo, até o rala e rola. - Explicou-me, arregalei meus olhos abismada. 

- JAMAIS. - Exclamei espantosa. - Que coisa mais imoral e perversa Haru, eu jamais faria isso com alguém. - Neguei com minhas mãos e recuei para trás até que minhas costas relassem em minha cama. A morena rolou no chão de tanto rir, abracei meus joelhos e suspirei pesadamente. 

- Um dia você terá que beijar alguém Celine, e espero que isso esteja próximo de acontecer. - Engatinhou até mim. - Espero que seja o Jin quem tire seu bv. - Um sorriso perverso surgiu em seu rosto, arregalei meus olhos e a empurrei com meus pés. 

- Pare de falar tantas bobagens. - Gritei, ela riu tanto ao ponto de grunhir feito um pequeno porquinho. 


[ ... ] 

- Você acha que rosa ficaria melhor? - Haru perguntou-me mostrando-me uma foto de um casaco de pelagens rosa pastel. 

- Haru, você ficará bonita em qualquer uma dessas cores. - Falei de forma sincera, ela sorriu abertamente. 

- Estou tão ansiosa, minha prima virá da Espanha para me visitar e eu quero causar uma boa impressão. - Remexeu-se eufórica, estávamos agora nos retirando do auditório. Alguns minutos atrás tivemos uma palestra sobre prevenção de DST ( Doenças Sexualmente Transmissíveis) e gravidez na adolescência, foram longos e entediantes minutos trancafiados nesta sala fechada e abafada. 

- Como ela se chama mesmo? - Terminei de ajeitar meus livros em meus braços, Haru pegou sua garrafa de água e seu estojo. 

- Tiffany. - Respondeu-me com um sorriso no rosto, balancei minha cabeça em concordância. Descemos juntas para o térreo, onde muitos alunos se encontravam reunidos no pátio. Sons de falações e vozes inundavam o local, tornando tudo muito barulhento e agitado. Nos sentamos na mesma mesa de sempre, apoiei meu rosto em minhas mãos e soltei um curto suspiro. As portas do refeitório foram abertas novamente e desta vez, o time de basquete entrou, todos pareciam empolgados e eufóricos. Trajados estavam com o uniforme do time estes que estavam aparentemente suados, meus olhos decaíram sob o rapaz de cabelos acastanhados e orbes negras que com uma toalha enxugava seus cabelos, suas bochechas encontravam-se ruborizadas e diferentemente de seus companheiros, um semblante sério estava estampado em sua face. Desviei meu olhar para Haru, esta que parecia ter perdido seu fôlego no exato instante em que Yoongi pisou seus pés no refeitório, e se eu dissesse a vocês que quase não notei sua presença seria uma grande inverdade. Yoongi têm uma áurea que esbanja superioridade, todos pareciam parar o quê faziam no exato instante em que ele constasse presença em quaisquer ambiente que fosse, era como se todos tornassem-se submissos de sua essência duvidosamente cativante e libertina. 

- Eu queria encher aquele pescoço de beijos... - Umedeceu seus lábios com sua língua, a morena acompanhava o acastanhado com seus olhos. 

- Você é tão depravada.. - A garota riu. 

- Dizem que beijá-lo é como conseguir um passe livre para o inferno. - Seu olhar estava centrado na mesa onde os rapazes se reuniam. - Porque você sente seu corpo queimar como se ele estivesse sendo incendiado.. - Com um olhar duvidoso desviei minha atenção para a mesa onde ele se sentava. - Queria ser incendiada pelas chamas do corpo dele.. - Franzi meu cenho. 

- Haru, desde quando você se tornou tão imoral? - Cruzei meus braços. 

- Não é questão de ser imoral. - Olhou-me. - Eu apenas tenho meus fetiches... assim como qualquer outra adolescente. - Arqueei minhas sobrancelhas. - Talvez um dia você me entenda, ou talvez o Jin te ajude a me entender.. - Soou maliciosa.

- Haru, você calada é um poeta. - Ela riu de forma exagerada. 


[ ... ] 

Sentadas estávamos na mesa, e a cada segundo que se passava o refeitório tornava-se mais cheio. Haru relatava-me que sua prima era fluente em 5 línguas, o que era de fato invejável. Dentre as diversidades de línguas existentes, as únicas na qual eu dominei foram: Inglês, Francês e minha língua nativa, Coreano. Sendo no total, 3 línguas, estas que consigo falar fluentemente. 

- Provavelmente iremos ao shopping.. - Um sorriso radiante estava estampado em seu rosto. Espantei-me no instante em quê Jeongguk e mais 5 rapazes pararam próximos de nossa mesa, alguns nos olhavam de forma vaga e outros sorriam convencidos. 

- Demos nossa mesa para o clube de dança.. - Jeongguk falou com um sorriso descontente em seus lábios. - Poderíamos nos sentar aqui? - Creio que minha resposta não teria significância alguma para eles, já que sentaram-se na mesa sem obterem qualquer sílaba vinda de minha parte. Com sorrisos largos em seus rostos eles se ajeitavam nos bancos. Jin sentou-se ao meu lado, recuei um pouco para que não ficassemos tão próximos. Ergui meu cenho, Haru invadiu meu campo de visão, sua face estava tão avermelhada quanto o sangue fresco que banhava  suas veias, ela encarava fixamente sua caixinha de suco e indiscretamente respirava de forma acelerada. Desviei meus olhos para o lado e diante deles estava o causador de tudo isso, era ele, Yoongi o grande amor da vida de Haru. Com seus braços cruzados ele fitava os telhados brasilit acima de nós, de onde eu estava era possível se ver hematomas e pequeninos arranhados avermelhados em seu pescoço, sua pele quase tão clara quanto os raios lunares fora marcada com círculos abstratos que obtinham a coloração aroxeada. Hematomas avermelhados seguiam um pequeno traço desde seu pescoço até seu maxilar, voltei meu olhar para suas mãos e notei que suas unhas eram tão curtas que mal existiam em seus dedos, o que indicava que o causador daqueles pequenos hematomas e arranhados, não era ele.  

- Ela é muito bonita. - Voltei minha atenção para a conversa que os rapazes estavam tendo. 

- E gostosa...- Hoseok suspirou. 

- De quem vocês estão falando? - TaeHyung os questinou.

- Kinako Hinode. - Jimin revirou seus olhos. - Não sei como podem achá-la tão interessante. A única coisa que vejo nela é falsidade e fingimento. - Passou as mãos em seus cabelos róseos.

- De quê isso importa? - Yoongi pronunciou-se. - O fato de ela ter curvas esguias e avantajadas já anula esses meros defeitos... - Umedeceu seus lábios com a língua e um sorriso malicioso surgiu no canto de seus lábios. Procurei com meus olhos a pessoa de quem eles falavam e encontrei uma garota, seu físico era bem definido e seus seios eram notoriamente avantajados. Ela tinha cabelos curtos na altura das bochechas, estes tinham a coloração vinho. Kinako Hinode? Quem é ela?

- Curvas esguias e avantajadas? - Resmunguei mais para mim do quê para eles, com meu cenho franzido eu tentava compreender o quê ele quis dizer. 

- O Suga estava se referindo aos seio.. - TaeHyung acertou um tapa na cabeça de Jimin, este que o encarou furioso. - Qual é a sua cara? - Massageou a área atingida. 

- Não escute o Suga, ele não sabe o quê fala. - Riu sem jeito. - Não vejo nada demais naquela garota, para mim ela é igual a todas as outras. - Apoiou suas mãos na mesa. - Na minha opinião, as garotas fenotipicamente magras e esbeltas são muito mais atraentes. Porque elas têm muito mais coisas a oferecer, além do corpo. - TaeHyung encarou-me brevemente e no mesmo segundo desviou seu olhar, parecendo envergonhado. Arqueei minhas sobrancelhas. 

- Concordo, garotas assim chamam muito mais a minha atenção do quê qualquer outra. - Jin aproximou-se minimamente de mim, ocasionando o toque de nossos joelhos. O tecido gélido e áspero de suas calças raspavam em minha pele nua, causando-me arrepios. Olhou-me de soslaio, com um sorriso mínimo formado em seus lábios. Abaixei minha cabeça intrigada, por que tenho a leve impressão de quê eles estão se referindo a mim? 

- Por que não pulam as cerimônias e confessam de uma vez que é da Celine que estão falando? - Jimin cruzou seus braços e levantou uma de suas sobrancelhas, Jeongguk neste exato instante parou de mastigar e os encarou. 

- O quê? - Jeongguk falou com seu semblante sério. - Do quê você está falando, Jimin-shi? - Semicerrou seus olhos.

- A Celine está sendo disputada por dois gostosões enquanto eu estou aqui, apenas existindo.. - Haru suspirou a apoiou seu rosto em suas mãos, TaeHyung fitava agora seus joelhos, seu rosto estava tão colérico quanto o moletom que ele vestia. 

- Não diga tolices Haru, não tem ninguém sendo disputada aqui. - Rebati austera.

- Veja só, a caretinha está sendo disputada. - Yoongi riu. - A que nível de desespero vocês chegaram, para disputarem entre si, ela? - Apontou para mim com um sorriso debochado no rosto. 

- Ninguém está disputando nada aqui. - Jin falou. - Celine não é um objeto para ser disputado, diferentemente de você Suga, eu respeito as garotas. - Seu tom era rude e sério, virei-me para ele surpreendida por sua fala. O Jin é tão cavalheiresco e gentil. - E pare com todo esse fingimento, falar esse tipo de coisa só deixa ainda mais evidente sua fascina por ela. Você só é orgulhoso demais para admitir que se interessou por uma garota que não tem má conduta. - Yoongi o encarava fixamente, seu semblante estava inexpressivo e todos na mesa estavam em completo silêncio. 

- Como você mesmo disse Jin, nós não somos iguais. - Apoiou suas mãos na mesa. - Garotas como Celine não fazem o meu tipo, não me leve a mal. - Virou-se para mim. - Mas eu gosto do quê é errado, e você.. é certinha demais.. - Ri soprado. 

- Saiba que há reprocidade nisso. - Falei. - A única coisa que não há, é interesse por sua pessoa. Não me leve a mal.. - Apoiei-me na mesa. - Mas você é o tipo de pessoa que eu mais repudio. E mesmo que no mundo só existisse você como opção, eu optaria por ficar só eternamente, do quê ter que escolhe-lo. - Um sorriso convencido surgiu em seu rosto, ao colocar uma mecha de cabelo atrás de minha orelha inclinei-me para frente e apoiei meus braços na mesa. Encarei-o por um breve instante e não pude evitar que um sorriso convencido crescesse no canto de meus lábios, nossas ambições eram tão evidentes quanto nossa rivalidade. Min Yoongi, um rapaz de aparência ridiculamente fenomenal, este que é tão arrogante e estúpido quanto um velho senhor. Dentre todos os rapazes estupidamente insuportáveis que frequentam este colégio, o único na qual eu poderia odiar, era ele. Basta olhá-lo por segundos apenas, para que encontrem uma infinidade de motivos e justificativas para tê-lo como um oponente. O primeiro motivo seria: Aquele maldito sorriso sarcasticamente debochado, não há coisa que mais me tire a paciência do quê ver aquele sorriso sádico crescer em seu rosto, a vontade que tenho é de arrancá-lo de seu rosto insuportavelmente atraente e arremessá-lo no núcleo da terra, onde nem se ele passasse anos cavando, o encontraria. 









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...