1. Spirit Fanfics >
  2. My little killer 2 >
  3. Prólogo

História My little killer 2 - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Sorry, não me aguentei.... Juro que nos primeiros capítulos não vai haver nada revelador sobre a primeira parte...

Espero que gostem ❤️

Acho que já dá para notar que vai ser Kawaboru né? (EU AMO TANTO!!!) E sim, Gaara e Naruto irão aparecer, porém, não vai ter foco só neles.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction My little killer 2 - Capítulo 1 - Prólogo

Tédio, tudo o que a face do garoto exibia era puro tédio. Como se, estar ali fosse comparável a uma longa aula de álgebra. Porém, tal face, não condizia com seus olhos, focando em tudo e todos parecendo analisar cada defeito e qualidade de cada presente na sala.


O Uchiha mais velho Suspirou, enquanto esfregava o rosto. Parecia estar tendo um déjà vu, mas, havia algo de errado.


- Sinceramente... - O mais novo estalou a língua no céu da boca e bufou. - Me chamaram aqui para ficar olhando as caras pálidas de vocês?


- Sabaku versão dois ponto zero... - Obito murmurou consigo mesmo, logo franzindo o cenho e fingindo ser um crítico. - Mas, está com defeito, seja menos ignorante... Tem que ser mais ácido sabe? 


- Vá se foder! - O jovem rosnou irritado. - Sério, tenho mais o que fazer, falem logo!


- Não tenho saco! - Sasuke se ergueu, pronto para se retirar da sala.


- Fica Sasuke! - Itachi falou de maneira calma, até o momento estava apenas estudando o garoto, e chegou a uma conclusão bem óbvia, teriam de ir direto ao ponto. - Quanto você quer para rastrear, extrair e... Cuidar, deste problema?


Deslizou sob a mesa uma pasta, contendo todas as informações nescessária. O rapaz leu com calma, com um pequeno sorriso ladino no rosto, aparentava ter satisfação por seu trabalho.


Por fim, fechou-a de maneira brusca, assustando alguns dos presentes, e deslizou os olhos por todos antes de soltar uma risada nasal.


- Desculpa, erro meu. - Declarou sarcástico, vendo-os exibirem uma face confusa para si. - Posso levá-los até ele, porém, ele não vai ser muito útil. 


Declarou casualmente, dando de ombros, antes de erguer-se de sua cadeira e virar as costas para seus "anfitriões". Seu ponto mais forte sempre foi conseguir os melhores acordos e, alguém como Madara Uchiha, só havia um jeito de conquistar.


Não demorou muito para que o som de armas sendo empunhadas fosse ouvido. Estalou a língua no céu da boca, constatando o quão patéticos os Uchihas eram, e girou os calcanhares encarando cinco canos de pistolas apontados para si.


- Me matem e não terão a informação que precisam. - Rolou os olhos enquanto erguia as mãos em rendição. 


- Vamos arranjar outro, não se preocupe! - Sasuke rosnou exibindo um sorriso sádico. 


- Sasuke... - Madara Suspirou, baixando sua arma. - Você não entendeu...


- Não entendi o que?! - O moreno bufou, também baixando a pistola. - Ele é arrogante, podemos chamar Gaara ou...


- Cale a boca seu estúpido! - Obito chiou desferindo o tapa em sua nuca. - Não divulgue a identidade deles! 


- Estou no meio de um bando de idiotas... - O mais novo suspirou massageado o seio nasal, e focou-se novamente nos presentes. - Estão dispostos a pagar quanto pela informação?


- Depende. - Madara gesticulou para que retornassem a mesa. - Você irá nos contar para quem fez esse trabalho?


- Ah isso é muito simples. - O garoto deu de ombros. - Foi por uma garota sabe, o cara achou que podia agarrá-la, eu estava de mau humor... Aí, aconteceu!


- Chamem o Sabaku. - Obito cobriu o rosto com a mão enquanto meneava a cabeça em negativa. - Isso aí é um psicopata de... Desculpa, quantos anos você tem cria de Satã?


- Não sei, me diz você, demônio bastardo! - Retrucou torcendo o nariz em desgosto.


- Desculpa, mas eu vou matar essa criança! - Sasuke chiou novamente erguendo-se de sua cadeira


- Fica sentado aí! - Shisui bufou empurrando-o de volta. - Ninguém tem saco para suas frescuras!


- Então... - Madara Suspirou, sentindo-se mais velho do que nunca. - Me diz, pelo amor de kami, que ao menos arrancou alguma coisa desse idiota.


- Ah sim. - Deu de ombros. - Ele gritou bastante dizendo que... Hum, tinha um filho? Algo assim.


- Só isso? - Itachi questionou e cobriu o rosto ao ver o garoto ascentir. - Francamente, estamos perdidos, se esse garoto consegue acabar com um dos nossos assim...


- Já era hora de notarem... - O jovem Suspirou entediado. - Posso ir? 


- Que tal contratarmos ele? - Shisui questionou pensativo, vendo todos os presentes o sensurarem com o olhar, inclusive o garoto. - O que foi, ele pode ser, se não o mesmo, até acima do nível do Sabaku... Precisamos de pessoas competentes!


- Psicopatas contam nessa lista? - Obito murmurou cabisbaixo. - Não me sentiria seguro sabendo que esse louco trabalha comigo!


- Tá com medo diabinho? - O mais novo debochou mostrando os dentes em um sorriso nada amistoso.


- Aí tá' vendo? - Obito Choramingou. - Ele não é nem um pouco agradável!


- Precisamos de gente nova, Shisui está certo. - Itachi Ponderou, ignorando completamente o comportamento deplorável do primo. - Admitam, estamos velhos!


- Concordo... - Marada bufou. - E não podemos contar com os filhos do Sabaku.


- Estou cansado desse nome... - Sasuke resmungou. - Qual é, até parece que aquele cara era nossa "arma secreta"!


- Vou deixar os idosos discutirem! - O mais novo Suspirou, erguendo-se. - Caso queiram, sabem onde me encontrar.



                   


               

                 {.................}



O loiro estava decidido, odiava seu irmão. Quando o moreno ligou lhe chamando para ir ao cinema, acreditou que seria uma atividade familiar. Afinal, desde que Shinki entrara na faculdade e mudara-se para seu pequeno apartamento, o mais velho mal tinha tempo para si.


Por isso, o menor nem exitou em aceitar o pedido porém, fora ludibriado. Shinki também havia levado sua namorada, Yodo, e agora os dois estavam aos beijos no meio da sala escura, o que lhe deixava irritado.


- Isso é mulher maravilha, não cinquenta tons mais escuros! - Bufou apoiando o rosto na mão. 


- Shh... - Alguns dos espectadores reclamaram para si, e o loiro teve vontade de argumentar que o culpado não era ele.


O casal, por sua vez, nem mesmo notou o incômodo do mais novo. Este era o defeito de ambos, não notavam estás coisas. 


Rolou as orbes azuis, buscando entreter-se novamente com o filme. O que foi difícil, com os sons estalados. Perguntava-se qual era o problema dos mais velhos, porque não eram capazes de conter-se.






Notas Finais


Desculpem qualquer erro ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...