História My Little Pony: O Grupo Da Amizade Vol. 2 - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias My Little Pony
Personagens Personagens Originais, Princesa Celestia, Twilight Sparkle
Tags Ação, Aventura, Fanfic, Fantasia, Ficção, Magia, My Little Pony
Visualizações 5
Palavras 3.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Capítulo 7: A Batalha


Capítulo 7: A Batalha

-O que?! -Eu e o Gabriel falamos a mesma coisa ao mesmo tempo.

-Ok gente, admito, eu fiquei pensando em mim mesmo o tempo todo, ou quase o tempo todo... -Disse o Brendon.

A sua tentativa de tentar quitar aquela briga se tornou vaga e totalmente em forma de fantasia, na verdade, estávamos zangados demais para apenas um “desculpe-me” acabar solucionando tudo.

-Parabéns! -Falei usando todo o meu sarcasmo possível, logo em seguida o desfazendo. -Aprendeu até que enfim a ser sincero! Meus parabéns Brendon!

Logo ele voltou seus olhos para mim, com uma expressão de raiva, do tipo “tu quer morrer?”, retraindo-me um pouco, mesmo sem eu tirar meu olhar bastante irritado.

-Puta que paril! -Mesmo normalmente sendo um garoto bondoso, boa pinta e pacifico (pelo menos é o que eu sei desde a nossa infância) dava pra perceber que naquele momento ele definitivamente “perdeu a linha”, o que deixava eu e o Brendon um pouco... assustados. -Parem logo com essa briga infantil e-

-Gabriel, você não precisa ficar sempre dando broncas na gente pra pelo menos ter algum de confiança!! -Gritei, mesmo não querendo, porém, minha vontade falou mais alto do que a minha consciência.

-Eu não estou sendo agressivo somente pra me passar de corajoso! Acorda pra vida José! -Falou ele.

-Ah é?! Então é o que?! Porque você está sempre tão nervoso?! Pelo o que eu sei de você, você não costuma ser tão cabeça quente! -Por algum motivo eu não tive nenhum controle do que eu estava falando, como se algo estivesse me fazendo falar tudo o que eu tinha em mente sem pensar nas consequências.

Eu e o Brendon acabamos nos chocando quando vimos que ele teve uma mudança de humor repentina, mudando para um triste, como se tivesse perdido alguém, logo desviando seu olhar para o seu ombro esquerdo.

-Eu... eu não quero falar sobre isso. -

-Vai logo Gabriel! Diga logo! Nenhum de nós dois aguenta mais esse misterioso ódio que existe dentro de você! -Eu não quis falar aquilo, tinha visto como o Gabriel havia ficado chateado depois do que eu disse e queria parar, porém meu corpo não obedecia.

Era como se de alguma forma eu quisesse machucar os sentimentos dele contra a minha vontade.

-José, para. -Os olhos dele começaram a lacrimejar, demonstrando que ele já estava a ponto de chorar. Aquilo estava me machucando por dentro. Eu não tinha nenhum controle sobre o que eu falava.

-Para de mentir para a gente! Pelo menos dessa vez Gabriel!

-Para José! Para! -Ele voltou seus olhos para mim, já chorando.

-José o que foi que deu em voc... -Tentando me fazer parar, o Brendon encostou sua mão no meu ombro direito e levou um susto, chegando até a se arrepiar. -José, você tá... vo... caramba, você tá quente!

-Você não era assim Gabriel! Agora eu vejo que o meu melhor amigo de infância, no qual era o único no qual eu podia confiar acabou se tornando uma pessoa que eleva seu tom somente para conseguir domínio de alguém!

-VAI SE FERRAR JOSÉ! POR QUE VOCÊ TÁ FAZENDO ISSO?!! -Gabriel já formava um rio com suas lagrimas, soluçando. Por dentro eu fazia o mesmo, só que pior. Meu maior desejo era conseguir pegar algo próximo e me matar.

-José! -Gritou o Brendon, finalmente chamando a minha atenção.

-O QUE VOCÊ QUER BRENDON?!! -Gritei, voltando meu olhar para ele.

-Por que você está segurando esse livro na sua mão?! Apertando-o necessariamente!

Finalmente consigo voltar a ter controle do meu corpo, e logo desvio meu olhar para a minha mão esquerda, que estava segurando o livro de feitiços. Em choque, acabei o largando. Acabei dando um passo para trás, batendo de costas na parede, ainda sem tirar aquela expressão horrorizada. Quando o Gabriel finalmente voltou a si, viu o livro no chão, e percebeu o que para ele havia acontecido.

-José, ele tá enfeitiçado. -Falou o Gabriel, também com um olhar chocado.

-Espera. Esse livro me fez falar... isso? -Perguntei, tentando chegar um pouco mais perto, me desfazendo da expressão horrorizada no qual eu estava.

Antes que nós pudéssemos fazer mais alguma coisa, da janela do quarto entrou um changeling furioso que logo em seguida pulou em cima do Brendon, deitando-o no chão.

-Alguém me da uma forcinha aqui! -Disse ele, entanto se soltar..

Antes que o Gabriel fizesse alguma coisa, eu carreguei minha mágica e atirei no changeling, fazendo o ser empurrado devido a força, libertado o Brendon.

-Ok gente! Nós ainda temos uma chance de vencer essa batalha! Mas teremos que cooperar uns com os outros dessa vez, senão não vamos nem sequer sair desse hotel, entendido?! -Disse ele, determinado, enquanto pegava coisas no quarto que podiam nos ajudar.

Eu e o Gabriel ficamos nos olhando com uma cara do tipo de desconfiança, enquanto ele voltava um olhar ameaçador para nós dois. Logo depois de curtos segundos nós aceitamos, mas não por causa do olhar, na verdade por causa do fato de “Era isso ou morrer”.

Ok. Saímos do quarto. Pela visão do muro que tinha no corredor, dava pra ver a destruição que estava acontecendo. Pessoas correndo e algumas presas a algo que se assemelha a uma... parece uma espécie de gosma... grotenta...

Isso não tirou a nossa coragem, saímos correndo para fora em direção ao meu carro, atirando magicamente nos changelings que viam para cima da gente.

-Deixa que eu dirigo! -Falei, apoiando-me no meu carro.

-José você não tá em cond- Acabo cortando a frase do Brendon.

-Eu não estou pedindo! -Falei.

Eu já estava vendo que aquela treta iria durar mais do que eu quisesse que durasse. Sinceramente não estou necessariamente culpando ninguém. Nos três estávamos de cabeça quente com tudo isso que estava acontecendo, e eu... eu poderia ter ajudado, mas no final somente fiquei prestando atenção nesse maldito livro.

Eu estava pisando fundo no acelerador tentando chegar novamente para aonde aquele clube estava e pra falar a verdade, não tínhamos planos nenhum em mente. Quando de repente um changeling acaba pousando no capô do carro, tampando a nossa visão.

-José faz alguma coisa! -Gritou o Brendon.

-Eu tô tentando! –Falei em desespero.

Comecei a dar umas viradas bruscas na esperança dele perder o controle da direção e acabar comendo asfalto (desculpa, não resisti) e quando isso finalmente deu certo, acabei perdendo o controle e bati de lado com outro carro. Olhando para a janela do carro percebi que vários deles haviam nos cercado!

-José? -O Gabriel falou isso baixinho para mim. -Qual é o plano?

-Bem.. eu.. eu até tenho um mas.. -Respondi com meu coração a mil.

-Não vai dar. Ao menos que a gente tivesse algo pra nós proteger. -Disse o Gabriel.

-E nós temos. –Falei, me lembrando que eu conseguia criar uma... bolha mágica como escudo... -A minha magia.

-Você.. consegue criar um escudo? -Perguntou o Brendon, curioso porém ainda estático.

Eu acenei positivamente com a minha cabeça, o que chamou a atenção dos changelings, que lentamente vieram se aproximando para a gente.

-Então faz agora! -Falou o Gabriel, que logo estava se agitando no banco.

Eu respirei fundo e daí fui fazendo força para com que eu conseguisse formar um escudo rapidamente. Eu não estava conseguindo normalmente, daí em desespero acabei forçando ela a criar um escudo. Eu estava soando e a sensação era horrível. Era como se meu corpo inteiro estivesse sendo beliscado fortemente. Eu não estava aguentando a dor forçar minha magia e gritei, ainda sem desistir.

-José não força sua mágica não, se não estiver cons- -A frase do Gabriel foi interrompida quando eu finalmente consegui criar a bolha mágica.

-Agora! Saiam! -Gritei, ainda meio atordoado.

Saímos rapidamente do carro pela a direção no qual eu estava indo. Dentro daquela bolha nenhum changeling podia nos tocar. Aproveitamos isso e saímos correndo pelo asfalto seguindo pelo provável caminho. Eu ainda tinha que me esforçar pra manter aquele escudo funcionando enquanto eu corria, e o Gabriel e o Brendon me ajudaram a correr mais rápido.

-Tem certeza que é por aqui?! -Questionou o Brendon.

-Quem se importa! Só corre! -Disse o Gabriel.

Passaram se 2 minutos correndo, já estávamos ficando exaustos, foi quando eu olhei para frente e já consegui enxergar o que se parecia com um... Castelo? Era no mesmo lugar que estava o clube! Como... ela fez o... magicamente?...

-Alí! Já estou vendo um.. castelo?! -Falei, confuso.

-Aquilo não estava ali antes! Tá na localização do clube! -Disse o Gabriel.

-Como ela conseguiu construir um castelo tão rapidamente durante essas poucas horas que saímos?! -Falou o Brendon.

-Gente! –Eu já estava gemendo de dor enquanto ainda tentava manter o escudo funcionando. – Eu não vou conseguir resistir por muito tempo!

-Ok, vamos sair daqui! -Falou o Gabriel.

-E teremos que ser... bem rápidos. -Disse o Brendon, que estava olhando pra trás.

Nós dois nos viramos para trás e vimos um exército vindo pra gente e nos pormos a correr disparadamente.

Foi quando logo depois eu não resisti e o escudo acabou se desfazendo, e eu caí de joelhos no chão.

-Ai, droga! -Reclamei.

-José, se apoia em mim! -Falou o Brendon.

Logo segurei no braço do Brendon e me levantei, ainda com dificuldade.

-Obrigado Brendon! -Respondi.

Olhamos para o exército vindo para a gente, e decidimos que não teríamos opção a não ser lutar contra eles. O castelo estava á quatro quarteirões daqui.

Logo fomos elevando nossos poderes até chegarem no limite e quando já estavam próximos, nos preparamos e atiramos magicamente contra eles.

Logo vieram outros de outras direções, e atiramos contra eles também. Era uma batalha épica e ainda nem conseguíamos acreditar que... estávamos com vantagem... sério.

Estávamos cercados por três carros, e nossas posições formavam um triângulo se for parar pra pensar. Um defendendo as costas do outro, e retraindo os changelings pra longe. Nem parece que acabaram de se xingar à horas atrás!

Ok, parece sim, mas só um pouco. Não somos “Os Vingadores” que possuem uma relação mais instável do que um computador nas minhas mãos.

Eles estavam cada vez vindo mais rapidamente, e alguns vieram até mesmo trotando no chão pra cima da gente. Logo tivemos que cuidar dos que viam voando e os que vinham correndo. Alguns até chegavam perto da gente e nos tocavam, mas ainda sim ou um de nós libertava o amigo ou ele mesmo se libertava. Quando a horda parece pareceu diminuir, nos aproveitamos esse momento e saímos correndo para o próximo quarteirão enquanto ao mesmo tempo íamos atirando no que vinha na nossa direção, dos lados. Quando de repente nossa frente acabou sendo barrada por changelings furiosos.

Estávamos dispostos a enfrentar esses, e confesso que... sabe aquelas poses de super heróis? Então, eu sei lá porque fizemos a mesma coisa... enquanto o Brendon disse:

-Pelo jeito vamos ter que pegar bem pesado aqui!

Foi algo vergonhoso agora, mas na hora isso nos deixou ainda mais confiantes. Logo eles foram voando na nossa direção, o que nos deixou um tanto quanto... ainda assim avançamos também, elevando nossos poderes e atirando contra eles. Eram muitos para somente ficar atirando, e nós três percebemos que teríamos que não só atirar, como também iríamos ter que meter a porrada.

Um veio para cima do Brendon, que logo se defendeu segurando as patas dele e dando um forte chute, logo em seguida usando sua magia para afasta-lo pelas chamas. O Gabriel fez algo parecido, só que na base dos socos e chutes mesmo, e eu... bem, pra falar a verdade eu nunca tinha aprendido a lutar corpo-a-corpo contra ninguém, tanto que nas minhas aulas de boxe eu nunca tinha ido bem, seja por causa de eu ter uma força bem fraca ou por eu ter défice de atenção!

Quando um changeling avançou pra cima de mim correndo eu entrei em choque e me joguei pro lado, batendo minha cabeça na porta de um carro. Rapidamente me levantei e tentei sair correndo, mas logo fui pego por ele, que estava em cima de mim. Eu tentava de todo o jeito me soltar, mas ele era mais forte que eu! Eu até tentei pegar confiança e fazer força para tirar ele de cima de mim usando meus braços, mas não conseguia. Quem me tirou daquela situação foi o Brendon, que colocou fogo no rabo dele e se pôs a correr.

-José, você tem que aprender a lutar sem ser usando sua magia. -Falou ele, enquanto me ajudava a levantar.

-Obrigado, mas... -Agradeci e comecei a falar, em uma reação de chateação. -Eu nem sequer tenho o mínimo de força pra uma luta corpo-a-corpo.

-Faz o seguinte, se conseguimos vencer essa batalha, vai em uma academia lá de São Paulo que eu tinha...

Nesse momento eu acabei me desconcentrando do que ele estava falando e entrei em uma espécie de hipnose, observando ao meu redor, como se tudo estivesse claro para mim. De repente sinto um arrepio na minha cabeça e logo depois em seguida, consigo voltar a consciência.

-José! Tá me escutando?!! -O Gabriel estava na minha frente, me chamando.

-O.. o que?! O que aconteceu?! -Perguntei confuso, olhando ao redor. -Cadê o Brendon?!

-Ele foi cuidar de um dos lados da avenida! Tinham sobreviventes por aqui! –Respondeu ele.

-Droga! Só ele não vai conseguir! Gabriel, eu tenho um plano! -Falei.

-José, o que que foi ag-

-Gabriel! Você e o Brendon cuidem de salvar quem ainda estiver fugindo! Eu me encarregarei de afastar os changelings, irei ir voando! –Por alguma razão eu acabei sendo tomado por uma confiança e determinação instantânea! Eu sabia exatamente o que eu tinha que fazer e como fazer!

-O.. Ok. -Respondeu ele ainda confuso.

-Agora vai! -Disse isso enquanto liberava as minhas asas e logo depois sai voando.

Vários changelings estavam vindo a minha direção, e do nada fui tomado por uma raiva instantânea, e fui voando atirando neles. Alguns até me agarravam, mas logo eu me soltava com um ataque do meu cotovelo!

Eu estava com vantagem, minha magia estava em fúria, eu derrotava eles em um piscar de olhos, seja magicamente ou até mesmo corpo-a-corpo! Um dos changelings estava voando, fugindo pra longe, mas eu logo o agarrei magicamente pelo rabo e o lancei pra longe (corporalmente seria bem mais difícil no momento).

Quando as ordas do lugar aonde eu estava pareciam ter cessado, eu desci para o chão, exausto. Logo após eu conseguir um pouco de fôlego, me virei para trás, da direção que eu havia vindo. Esperei para pegar mais fôlego e parti de volta para a avenida, voando, estava preocupado com o Gabriel e o Brendon. Chegando lá, fui pela mesma direção no qual aparentemente eles tinham ido.

Estava estranho demais. Não havia quase nada de changelings ao redor. Foi quando eu virei em uma rua a esquerda e eu os achei, mas não do jeito que eu esperava...

12 minutos antes...

 

Mini P.O.V Gabriel

A orda dos changelings parecia estar acabando, mas ainda assim haviam muitos ainda na batalha. Eu e o Brendon reunimos os sobreviventes que encontramos no caminho e fomos nos esconder em um beco próximo de aonde estávamos.

-Ok pessoal! Vocês tem que achar um lugar para se esconder, não podem ficar por aqui! -Falou o Brendon.

-E o que você nos sugere? -Disse um senhor.

O Brendon olhou ao redor procurando algo, mas eu o ajudei a concluir.

-Nessa rua depois do beco tem uma estação do metrô subterrânea! Entrem lá e fechem as portas, quando isso acabar eu aviso vocês de alguma maneira que vocês podem sair. -Falei.

E eu e o Brendon os guiamos até lá.

Mini P.O.V Brendon

Depois de entrarem na estação, eu e o Gabriel voltamos a superfície.

-Tá pronto pra outra horda? –Falei.

Nessa hora eu percebi que o Gabriel estava novamente com uma cara emburrada, olhando pro lado oposto do meu, necessariamente pra esquerda. Isso me deixou irritado novamente e eu não resisti.

-Gabriel, será que dá pra esquecer essa briga pelo menos por um momento? -Falei. -Desculpa tá bom?!

-Cara, você não percebeu que eu preciso de tempo? Não adianta disfarçar, nos três ainda estamos bravos uns com os outros. Ainda preciso de um tempo, entendeu? -Falou ele, voltando seus olhos pra mim.

-Se você não fosse tão cabeça quente tenho certeza que nós-

-E se você não fosse tão relaxado talvez nós tivéssemos alguma chance! -Claramente eu havia o deixado bem irritado.

-Relaxado?! Me diga, quando a gente precisou de um motorista de fuga e o José ficou desmaiado quem teve a iniciativa de dirigir o maldito carro?! –Gritei, furioso.

Nós começamos a discutir de novo. Aquilo estava longe de acabar com certeza, só que dessa vez a coisa piorou, até demais!

-Ok Brendon! Quer uma briga?! Então vamos ter uma briga! -Falou ele, que logo em seguida de palma aberta direcionou sua mão ao chão.

Aquilo significava que ele estava elevando seus poderes para me atacar. Sem perder tempo eu abri minhas asas o mais forte que eu pudesse e dei um pulo pra trás, em sinônimo de ameaça.

-Como quiser raposinha! -Falei, já elevando meus poderes ao máximo.

Quando eu falei isso por algum motivo ele regrediu, acalmou seu poder e ficou estático, de cabeça pra baixo. Nessa eu também cessei meus poderes e fiquei em silêncio, com uma cara de dó. Pois é, eu fiz essa cara.

-Gabriel?

-M.. me desculpe. Não sei o que deu em mim. -Falou ele.

-Cara, se tiver alguma coisa que estiver te incomodando pode falar. Eu não vou te julgar, em eu nem o José. –Eu não queria falar, mas aquela frase escapou da minha boca.

-Eu.. não sei. Você.. entenderia? –Ele olhou pra um com um olhar sentimental.

-Sim cara. Fala logo. Eu juro, você vai se sentir melhor quando você desabafar. –Falei.

Ele hesitou por um momento, mas pegou coragem e voltou a falar.

-Bem.. a verdade é que.. é que eu.. bem...

Antes que ele pudesse falar eu vi de fundo uma horda dos changelings vindo na nossa direção.

-Gabriel! Cuidado! -Gritei.

-O que?! -Imediatamente ele se virou pra trás e viu os changelings vindo em nossa direção. Imediatamente nós nos preparamos para ataca-los! Logo quando chegaram perto demos tudo de si para os afastar, atirando com tudo contra eles!

Quando estávamos tomando posse da situação do céu desceu um changeling maior e mais magro que os outros.

-Gabriel! Olha alí! -Chamei a atenção dele.

Nós dois observamos aquela coisa descer em nossa direção.

-Se preparar que agora vai ser difícil! –Falei.

-Estou pronto! -Respondeu ele. -Espera! Aquela é...

-Ah não... –Falei, quando vi de perto quem realmente era...

Agora...

P.O.V José

Eu tive que me esconder no muro de um prédio para ela e seus súditos não me verem. Aproveitei alguns momentos para dar rápidas olhadas para o local. O Gabriel e o Brendon estavam presos pelos braços e pernas naquela gosma verde que eu tinha visto antes. Eles estavam tentando de todo o jeito se libertarem, mas não conseguiam de jeito nenhum!

-Olha o que temos aqui! Pensei ter insinuado que vocês se comportarem horas atrás! -Daqui dava pra ouvir a voz dela.

-Grr! -O Gabriel ainda tenta se soltar dali -É mas a gente é teimoso, sabe?

Sem querer acabei dando uma risadinha muito involuntária.

-Sei, e cadê o seu outro amiguinho? -Perguntou a Chrysalis.

O corpo da minha amiga já acabou se transformando de vez em um changeling em horas. Na minha cabeça eu já sabia que isso dificultaria a gente de derrotar ela...

Os elementos! Agora que eu me lembrei que eu estou carregando na minha mochila os elementos! Essa é a nossa chance de derrota-la! Eu preciso chegar até o Gabriel e o Brendon e dar os respectivos elementos pra eles, mas perto dos changelings não terei a menor chance! Droga!

Eu abri certamente minha mochila pra checar, e de fato estavam lá, logo em seguida a fechei.

Voltei a olhar para aonde eles estavam.

-E agora?! O que você vai fazer com a gente?! Nós matar?! -Questionou furiosamente o Brendon.

-Matar vocês?! Claro que não hahahahaha! Seria uma injustiça matar integrantes da sua espécie sem nenhum tipo de defesa! Na verdade, tenho algo ainda melhor... -Respondeu ela, sarcasticamente.

Logo os changelings acorrentaram os dois, e os levaram para dentro do castelo, que por sinal estava rodeado por outros changelings guardas.

Bom, agora de fato não temos a menor chance.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...