História My Love - Capítulo 1


Escrita por: e _Lullaby

Postado
Categorias BtoB
Personagens Eunkwang, Ilhoon, Minhyuk, Sungjae
Tags Btob, Gysfic, Gysurso, Ilhoon, Iljae, Lyublyu, Menção Minkwang, Projeto!debut, Sungjae
Visualizações 83
Palavras 1.809
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shonen-Ai, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, esse é meu debut no projeto, estou muito feliz, amo fazer parte e espero que vocês gostem da minha Oneshot.
Deem amor a todas as histórias do projeto.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Amor


Desde muito pequeno, aprendemos a amar de formas diferentes. Quando eu era criança por exemplo, tinha muito ciúmes de meus brinquedos, e isso quer dizer que, de certa forma, eu os amava muito e não queria que quebrassem. Mamãe sempre me dizia que se eu cuidasse muito de uma coisa, eu nunca a perderia, então sigo com o mesmo pensamento. Eu cresci, mas desde que ame algo, cuido com muita vontade, e levarei esse sentimento para sempre comigo.

Quando a gente é criança, lidar com as coisas é muito mais fácil. A gente tem o primeiro amor de colégio, e comigo não foi diferente. Eu gostava de uma garotinha e ela era fofinha, tinha vontade de apertá-la nas bochechas, mas ela gostava do meu amigo, e eu nem posso culpá-la. Depois desse fato, eu não quis mais me apaixonar por ninguém. Naquele dia, chorei tanto que poderia encher o Rio Han. E então prometi que só iria me focar nos estudos. Poxa, naquela época eu me senti deixado de lado, agora dou risada, afinal, não posso mandar no meu coração, ninguém pode! Não é?

Foi então que, algum tempo depois, conheci a música, e isso se tornou minha prioridade número um. É claro, depois da minha família. Entrar na Dongshin Universit e estudar música foi como uma conquista sem tamanho. Fiz um teste para entrar na JYP mas fui eliminado na fase final e não passei. Contudo, conheci a Cube entertainment, passei no teste e foi assim que entrei e debutei no BTOB.

E a partir daí começa a história, o porquê de tudo o que eu estou falando para vocês. Quando a gente ama alguém, não importa quem ou o que seja, você só vai amar aquela pessoa mais do que você pode controlar. Meu convívio com os rapazes é tão bom que realmente somos uma família. E por eu ser o mais novo, sou muito mimado, não sempre, mas eles pegam leve comigo. É claro que sempre rolam umas piadinhas, afinal, eu sou mais alto que eles.

IIhoon entra nessa história, pois por muito tempo, eu o amei muito mais do que poderia amar alguém. Quando você convive com homens, você acaba ficando blindado das piadinhas, leva tudo na esportiva, toma até mesmo banho com eles. Oras, é a coisa mais normal do mundo! Mas com IIhoon era diferente. A minha timidez triplicou e ia para um patamar muito mais elevado. Minha distração ficou mais evidente e eu tentei me afastar, mas não era uma coisa que eu conseguia esconder, eu estava amando IIhoon e não podia contar a ninguém.

Passei a não gostar de tomar banho com os outros rapazes. Quando assistia a filmes de terror, me controlava ao máximo para não abraçar nenhum deles, — por culpa da minha mania — tentava ficar na minha, e sofri calado por um ano. Meu amor pelas Melodys redobrou. Passei a ir ao shopping, comprar coisas para me distrair. Nas minhas folgas, ia pescar com meu pai e praticar snowboard com minha irmã, mas não ficava de jeito nenhum no dormitório, tudo para não me frustrar ainda mais.

E depois de tanto tempo fugindo do meu próprio sentimento, eu fui prensado na parede — de modo figurado — por IIhoon. Ele veio até mim, me questionou e falou tudo o que pensava.

Dois anos atrás.

— Sungjae, o que eu fiz para você se afastar? — ele perguntou e por alguns minutos eu fitei o chão para não olhá-lo nos olhos — Me diz, eu não aguento mais você convivendo bem com os outros e comigo não.

— Não está acontecendo nada — menti, finalmente o olhando seriamente — Você está vendo coisa onde não tem.

— Não é essa a impressão que estou tendo. Você não chega mais perto de mim! O que eu te fiz para você estar assim? — falou se exaltando — Você não percebe que está me fazendo mal?

— Do que você está falando? — perguntei, achando aquela conversa mais estranha que o normal — Porque estou lhe fazendo mal?

— Eu amo você Sungjae, será que você não percebe? — ele falou com todas as palavras e eu travei no lugar, o olhando assustado, afinal, jamais imaginei que ele fosse me falar algo do tipo — Eu amo você e não aguento mais guardar esse sentimento. Eu não consigo te olhar e não poder te abraçar ou ficar perto de você —  ele se distanciou e logo sentou no sofá sem nem ao menos me olhar — Eu vou entender se você quiser se afastar.

Eu o olhei e minha surpresa ao saber que era recíproco me deixou tão aliviado e leve ao mesmo tempo que percebi que novamente minha vida estava fazendo sentido. Nós dois sentíamos a mesma coisa e nada nem ninguém poderia nos impedir. Ele agora definitivamente era — e eu poderia chamar de — meu amor. Voltei a olhá-lo e ele estava tão bonito aos meus olhos que eu somente sorri antes de lhe responder.

— E o quão louco eu seria? —  me aproximei dele e me agachei em sua frente, olhando em seus olhos — Eu não seria louco de me afastar de você Ilhoon, pelo simples fato de amar você como nunca amei alguém na vida.

— V-você realmente sente isso? — ele questionou, me abraçando de modo desengonçado.

—  Sim! Eu o amo muito, há um bom tempo. Não é um sentimento que eu posso negar. Eu guardei tanto por achar que você nunca poderia me corresponder.

— Eu pensava exatamente igual e quando você se afast…

Não pude deixá-lo terminar e por impulso, o beijei, de um modo carinhoso. Foi um simples selar, mas as borboletas em meu estômago estavam em festa e meu coração batia acelerado. Nada poderia impedir aquele momento. Foi então que eu entendi que aquele amor que eu sentia pelos meus brinquedos quando ainda criança e pela minha coleguinha de classe eram quase nulos perto do amor que eu estava sentindo por Ilhoon.

Nosso beijo foi se aprofundando ao passo que nossas bocas se conheciam. Era uma sensação gostosa, eu me sentia nas nuvens. Nossas línguas travaram uma batalha interna e era mais excitante que o normal. Nos afastamos somente por conta da falta de ar, e pelo fato de que os membros haviam chegado logo em seguida. Depois disso não tocamos no assunto próximo aos rapazes, mas prometemos por olhares que iremos repetir a dose muitas outras vezes.

(...)

Atualidade.

— Amor, quando vamos contar que estamos juntos? —  perguntei ainda deitado em seu peito nu — Você não acha que deveríamos falar?

— Você quer isso? — me fitou assim que levantei para o olhar, depositando um selar em meus lábios — Não seria arriscado demais?

— Mais arriscado do que eles nos pegarem nus na cama?  — lancei um olhar divertido — Acho que eles não ligariam, afinal, eles nos amam, não é? Acho que vão nos aceitar.

— Não sei Sungjae, mas se é essa a sua vontade, vamos conversar com eles assim que voltarem para casa.

Estamos juntos há dois anos, ninguém além de nós e nossos pais sabem de nosso relacionamento, nunca nos abrimos com os rapazes por medo. Sempre que podíamos ficar juntos, aproveitávamos. Na maior parte do tempo era quando estamos sozinhos, claro, não deixamos nada transparecer. Pelo menos até agora nenhum deles nos perguntou.

— Será que dá tempo de repetir a dose? — perguntou, me puxando para mais perto de si.

— Temos que arrumar o dormitório, prometemos a eles, por isso ficamos, e temos que fazer isso antes que eles voltem —   falei desanimado, queria mesmo era ficar ali nos braços quentinhos de meu namorado.

— Então vamos tomar um banho e arrumamos depois.

Ao entrar para tomarmos banho, algumas mãos bobas e beijos foram trocados. Demoramos um pouco mais do que o esperado, mas assim que saímos, nos arrumamos e então começamos a ajeitar nosso apartamento, limpando tudo o que tinha que ser limpo, deixando nosso dormitório impecável, e logo após sentamos no sofá um pouquinho longe, esperamos os outros chegarem.

— Chegamos — Minhyuk disse assim que abriu a porta. Estava apenas com Eunkwang, os outros meninos ainda não tinham aparecido  — Os outros não voltaram, com certeza foram aproveitar já que temos mais um dia de folga. Nós voltamos porque queremos conversar com vocês.

Nessa hora meu corpo gelou, eu arregalei meus olhos e logo olhei para Ilhoon que tinha a mesma expressão que eu. Tudo passou pela minha cabeça como um filminho, até o fato de que eles sabiam sobre nós e agora iriam nos colocar contra a parede, nos forçando a contar a verdade para eles. Minhyuk sentou no outro sofá e Eunkwang fez o mesmo, se aproximando mais um do outro, ambos sorridentes.

— Vocês estão namorando, não é? — Min olhou para mim e eu me virei para Ilhoon novamente, vendo-o assentir — Eu já desconfiava — falou sorrindo — Olha, eu não estou chateado com vocês por isso, sei que devem ter motivos para esconderem, medo talvez.

— Sim, foi exatamente isso — me pronunciei — Tínhamos decidido que iríamos contar para vocês hoje mesmo.

— Achamos que vocês nunca iriam nos aceitar.

— E porque nós não aceitaríamos? — Eunkwang questionou com um tom baixo em sua voz — Acham mesmo que nós não vamos aceitar vocês dois quando nós também somos um casal?

— O-oque? — fiquei boquiaberto com a declaração, sorrindo feito um bobo  — Vocês estão falando sério? Vocês também estão namorando?

— Sim! É uma coisa que queríamos contar muito antes, mas por medo, assim como vocês, nunca falamos nada. Eu observava o modo como vocês ficavam — Eun disse e eu percebi que nossos olhares não negavam nada — E era exatamente como o nosso, então não demorou muito para saber que vocês estavam em um relacionamento. Vocês não escondem muito bem.

— Ufa — soltei o ar que nem eu mesmo sabia que estava segurando — Eu estou tão leve agora que sinto que vou flutuar. Amor, eu disse que isso iria nos deixar aliviados.

— Falou — Ilhoon sorriu e me abraçou — Há quanto tempo vocês estão juntos? E qual o nosso problema de não conseguir esconder e eu nunca suspeitar de vocês?

— Estamos juntos há um ano e meio! Não ficávamos nos evitando quando estávamos perto de vocês, ao contrário de vocês que não ficavam muito perto, foi fácil fácil sabe. Então conversei com Eunkwang e vocês acabaram de confirmar nossa suspeita agora mesmo.

— Ah! Entendi — sorri novamente.

— Até que enfim vocês contaram. Meu Deus! Já estava na hora — Peniel e os outros entraram na sala e nós quatro nos entreolhamos, assustados — Era tão óbvio quanto nossas músicas românticas.

Acabamos gargalhando juntos e eu me senti muito mais leve após contar. O amor é assim, nos leva a um patamar de felicidade sem tamanho. Eu amo Ilhoon de uma forma inexplicável, amo as pessoas que me rodeiam e as melodys, que nem eu mesmo sei colocar em palavras.

Então, se você ama uma pessoa, diga à ela, conte tudo o que você sente. Nós não somos nada sem uma pessoa especial em nossas vidas.

Por isso ame, viva e seja feliz.


Notas Finais


É isso espero que tenham gostado.
Betagem foi feita pela linda @diazepam e a capa pela @pcyniceskit obrigada amores <3
Beijinho e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...