1. Spirit Fanfics >
  2. My Love Until The End >
  3. Confissão

História My Love Until The End - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Um cap um pouco mais grandinho, tentei caprichar mais nhee, vlw pelo 6 favoritoss!!

Capítulo 3 - Confissão


Fanfic / Fanfiction My Love Until The End - Capítulo 3 - Confissão

Pov Lauren

Cheguei em casa, cansada, esgotada, tudo de ruim, eu estava caindo aos pedaços, ver a pessoa que você ama e não poder beijar, sentir, tocar, é uma coisa horrível.

Eu não conseguia ver mais a minha camz, era outra pessoa, outra menina, outra mulher, a culpa não era dela eu sei disso, mais dói...dói ver quem você ama te tratar igual uma estranha..uma desconhecida.

Era nove e meia, quando cheguei em casa, eu resolvi pegar um táxi era mais prático, meu pai demoraria muito para chegar ao hospital, e ele era péssimo dirigindo de noite.

Abri a porta da frente devagar, Taylor e Chris já tinham ido dormir, minha mãe era rígida em questão de horários, eles estudavam de manhã também. Taylor tinha 14 anos, e Chris tinha 12, eu era a mais velha, Graças a Deus.

Chris sempre foi o mais correto da nossa família, já Taylor puxou a mim e a meu pai, nós somos uma família extremamente unida, e ainda bem, no começo foi difícil contar minha sexualidade para meus pais, mais a minha mãe.

Ela passou dias chorando, se perguntando aonde tinha errado, mais no fim deu tudo certo, e aqui estamos.

Eu achei que minha mãe nem iria perceber minha chegada, mais lá estava. Clara Jauregui sentada na poltrona preta em frente a porta com uma taça de vinho em mãos.

Fodeu

-Lauren, por quê você chegou tarde? - Minha mãe perguntou levantando da poltrona ficando em pé cruzando os braços

-Eu..eu estava no hospital mãe..

-Tem certeza Laur?

-Juro mãe, pode perguntar pro meu pai ou pros pais da Camila

-Acredito em você filha - Minha mãe disse, me dando um alívio em quanto eu corria para dar um abraço apertado nela.

Ela era meu porto seguro, a mulher da minha vida, na verdade a segunda mulher da minha vida, a primeira estava em um hospital com amnésia, ironia do destino não é?

Conversei um pouco com a minha mãe, expliquei tudo detalhe a detalhe, ela me deu alguns conselhos, eu estava exausta, eu subi para meu quarto, e entrei no banheiro.

A água quente descendo pela minha pele, parecia que um peso tinha saído de mim, sai do banheiro depois de um longo banho, coloquei meu pijama de seda que consistia em um short de algodão azul com listras brancas, e uma regata branca colada.

Eu queria dormir mais eu queria conversar com ela, só de ficar longe eu me sentia deslocada, eu me sentia péssima, David disse que Camila conseguia sair do hospital, para fazer passeios curtos e sem muito esforço.

Me veio uma ideia na cabeça com isso, peguei meu celular e mandei uma mensagem para ela.

 

''Camz, tive uma ideia topa?''

 

Em menos de 5 minutos ela respondeu, arrancando um sorriso do meu rosto. 

 

Minha Vida ❤️: ''Qualquer coisa só manda"

 

''O David te liberou um pouquinho, que tal a gente sair??''

 

Minha Vida ❤️: ''Hmmmm...pra onde você vai me sequestrar Jauregui?''

 

''Não seja besta, a gente mora em Los Angeles, no sul da Califórnia, com um letreiro de Hollywood e você acha que vou te sequestrar??

 

Estoy ofendida

 

''Minha Vida ❤️: ''Lo siento ángel, a dónde me llevarás?''

 

Maldita, até com amnésia ela sabe que me quebra com espanhol, maldita latina.

 

''Griffith Park amanhã, te pego as 14 hrs''

 

Minha Vida ❤️: ''Nem vai perguntar se eu aceito??''

 

''Eu sei que sim Camz ;)´´

 

Minha Vida ❤️: ''Você é insuportável as vezes sabia?''

 

''E você também não diga nada''

 

''Vou ter que desligar, acabei de tomar banho e estou exausta, e tem aula amanhã''

 

Minha Vida ❤️: ''Vai dormir Lolo, no parque você me conta como foi seu dia ok?''

 

''Ok Camz, boa noite durma bem!''

 

Minha Vida ❤️: ''Você também Lolo, buenas noches!!''

 

E eu dormi com um sorriso gigante, era ela, a minha latina, ela estava lá no fundo ainda..nada melhor leva-lá ao local do pedido...estava tudo correndo conforme meu plano..

-Lauren, levanta você está atrasada - Minha mãe gritou pela milésima vez no pé da escada

-Hmm, já vou já vou - Meio que gemi meio que sussurrei, eu estava morrendo de sono

Me levantei com a maior cara de sono, eu estava dormindo mentalmente ainda, eu demorei para dormir, pensando e pensando, pensando na minha latina, pensando no futuro, no nosso futuro juntas.

Levantei da cama, e fui direto para o banheiro, tomei um banho rápido e gelado, apenas para acordar de verdade. Me enrolei na toalha roxa e fiz minha higiene matinal como de costume.

Sai do banheiro, com o cheiro de sabonete de uva invadindo minhas narinas, aquele sabonete era uma delícia, fui até meu closet procurar algo decente para usar.

Optei por pegar uma calça de couro preta cós/alta, uma blusa preta polo e uma blusa xadrez vermelha por cima.

Dobrei as mangas estava calor, e depois eu pegaria Camila para ir ao parque, coloquei um short jeans claro na mochila, já que eu teria que trocar quando fossemos ao parque.

Amarrei meu cabelo em um rabo de cavalo alto, estava calor, muito calor, fiz uma maquiagem básica focando nos meus olhos, realçando o verde deles.

Peguei meu All-Star vermelho e o coloquei, conferi se tudo que eu precisava para meu dia estava na mochila, coloquei ela nas costas e desci rumo a cozinha.

Quando cheguei na sala, estava todo mundo na cozinha, minha mãe estava no fogão fazendo bacon e ovos mexidos pelo cheiro no cômodo. Taylor e Chris já estavam comendo, meu pai bebericava um pouco de seu café em quanto lia seu famoso jornal.

-Bom dia Laur, já estou terminando seus ovos querida - Minha mãe disse em quanto me olhava pelo canto do olho

-Mãe, hoje eu vou para o parque, tudo bem pra você?

-Qual parque?

-Griffith Park, vou levar Camila, quero ver se ela lembra de alguma coisa

-Tudo bem filha, tome cuidado com ela, por favor - Minha mãe tratava Camila como uma deusa divina, eu gostava achava fofo a ligação que as duas tinham.

Sentei na mesa aonde minha família estava, deu um beijo estalado em cada um, e olhei pelo celular, curti alguns posts no Instagram, li e respondi algumas mensagens nada de mais.

Minha mãe colocou meu prato em cima da mesa a minha frente, eu dei um sorriso breve para ela, e tratei de comer, eu estava faminta, eu não estava comendo muito bem por tudo que estava acontecendo.

Terminei de comer, coloquei a louça suja na pia, subi rapidamente para o meu banheiro e escovei meus dentes.

Meu pai levava Chris e Taylor para a escola, em quanto eu ia com a Lola, no caso era minha moto, ela era perfeita, meu xodó, ganhei no meu aniversário de 16 anos, minha mãe só me deixou andar, quando ela viu que eu sabia, e tinha seguro na moto.

Sabe como é...mães

Subi em cima de Lola, e fui para a escola, seria um longo dia, mais um dia fora da minha rotina normal.

 

POV CAMILA

Depois do meu ''apagão'' David fez diversos exames comigo, eu saia de um e logo parava em outro, era ridículo, eu estava bem, parecia que eu estava morrendo, ou que faria uma cirurgia.

Minha mãe ficava falando na minha orelha, e aquilo já estava começando a me irritar, eu estava bem, foi um sonho, eu sei que foi, aquilo não podia ser uma lembrança...eu precisava saber.

-Mama, você pode dar meu celular - Perguntei para a minha mãe que estava mexendo em sua bolsa

-Claro Kaki, aqui está

-Obrigada mãe

Minha mãe me deu meu celular, eu o desbloqueei e procurei por um único contato, Dinah, ela estava no meu ''sonho/lembrança'' ela confirmaria comigo.

Confesso a ansiedade estava tomando conta de mim, eu estava nervosa, e se eu tivesse lembrado??

 

''Bom dia DJ, está ocupada?''

 

Ocupada, sai dessa, ela estava em meio a aula online, ela e Lauren eram da mesma sala, elas causavam horrores pelo que me falaram, duas inconsequentes.

 

DJ:''Bom dia Mila, bom... eu e Lauren estamos fazendo guerra de bolinha''

 

DJ: ''A professora Petterson grita muito, então não, não estou ocupada pode falar''

 

''Eu tive uma lembrança ontem a noite..''

 

DJ:''O QUÊ??? MEU DEUS CAMILA, EU VOU FALAR PRA LAUREN''

 

''DJ nãooooo, eu não sei se foi uma lembrança ou um sonho, te chamei por isso na verdade''

 

DJ:''O quê precisa Chancho??''

 

''Dinah, como a Lauren contou para você que gostava de mim ? E com quem mais ela falou?''

 

DJ:''Bom Chancho, pelo que eu lembre, foi no corredor, a gente tava no intervalo, ela falou pra mim e pra Ally''

 

''DJ...eu lembrei mesmo''

 

DJ:''Eu vou falar com a Lauren Camila''

 

''DJ, por favor não, eu quero contar, ela vai me levar ao parque, porfavorzinho não conta pliss''

 

DJ:''Tudo bem, a professora Petterson chamou a diretora fodeu''

 

''kkkkkkk fica quieta e não bagunça viu, te amo, vou tomar meu café da manhã''

 

DJ:''Sim senhora, também te amo Chancho''

 

Eu tive uma lembrança, agora tudo estava tão claro..eu lembrei, eu lembrei, o David disse para não forçar, mais eu queria tanto lembrar, lembrar do meu primeiro beijo com a Lauren..

Lembrar do friozinho que eu devo ter sentido, lembrar de como foi nossa primeira vez, eu nem sabia se já tinha rolado, lembrar de tudo.

Era tudo tão esquisito para mim, eu me sentia perdida, deslocada, faltava minha metade, e eu sabia que a minha metade era a Jauregui..sempre foi.

Eu queria vê-lá dizer que eu preciso dela...que eu quero ela apenas ela...ah Lauren se você soubesse amor...se você soubesse.

-Mãe..

-Sim Kaki?

-Eu tive uma lembrança mama

-Meu deus Camila, isso é maravilhoso - Minha mãe afirmou em lágrimas me abraçando - Me conta filhinha, você lembrou do que?

-Eu estava na escola mama, eu vi Lauren, Dinah e Ally, a Lauren admitia que gostava de mim, e depois disso eu acordei

-Filha, eu não acredito estou tão feliz por você, eu vou chamar o David, espere aqui 

Minha mãe saiu do quarto, mais feliz que eu...eu queria lembrar de outra coisa, eu queria lembrar de várias outras coisas, é como se tudo tivesse sido apagado, eu não lembro dos meus primeiros passos.

Primeiras palavras, meu primeiro amor, nada. Eu queria saber, saber por quê eu, em meio a tantas coisas e pessoas, talvez tinha que ser..talvez era para consertar algo quebrado, algo que estava no fim e acabaria.

Mais o que, a última pessoa que estive foi com Lauren, a amnésia foi por estresse, será que eu briguei com Lauren? Ou algo parecido...tantas perguntas e poucas respostas. 

Cada dia eu sentia um vazio, eu queria algo que me preenchesse, mais eu nem sabia o quê queria, ou melhor...quem eu queria.

Era tão engraçado não é? Eu tinha perdido toda minha memória, mais eu tinha uma conexão com ela, uma conexão que não acabou, quando se ama dizem que nada os separa, talvez seja isso talvez sim.

Passei o dia entediada vendo vídeos na internet, parecia que o tempo não passava nunca, eu estava ansiosa queria vê-lá de novo. Admirar ela, sentir ela, eu me sentia segura, me sentia feliz com ela, sentia que podia tudo e mais um pouco com aquela menina de olhos verdes.

Os olhos que me hipnotizaram quando a vi chorando por causa do coma, quando a vi pela ''primeira'' vez, quando conversei, quando ela me beijou na bochecha pela ''primeira'' vez.

Sentir e sentir de novo...saber que ela é real e que eu não estou em um pesadelo sem fim.

Ouvi a porta ser aberta, eu não vi quem era, eu estava imersa em meus pensamentos, imersa, completamente...imersa.

-Camila? - Uma voz familiar ecoou pelo quarto, era David -Lauren está na recepção ela veio te buscar

Meu coração disparou, senti um formigamento nas mãos, ela estava lá, ela veio, eu a veria daqui a pouco.

-David..eu posso levantar?

-Claro Mila - David deu uma risada, era uma risada gostosa -Eu te ajudo

Ele se aproximou, tirou o lençol que me cobria, minha mãe todo dia trazia novas roupas para mim, ela já sabia do meu pequeno passeio com Lauren.

Tinha um bota cano curto no chão do lado direito, eu estava com um vestido soltinho florido, era perfeito, estava um calor infernal em L.A naquele dia.

Me levantei, coloquei minhas botas, eu já estava treinando, quando se fica em coma, meio que você esquece de como se anda, peguei um batom e um lápis preto da minha bolsa, e passei, só pra não parecer morta mesmo.

Prendi meu cabelo em um rabo de cavalo alto bonitinho, eu não via a hora de ver ela, parecia que eu estava caminhando para o altar de tão nervosa que eu estava, muito nervosa no caso.

David abriu a porta para mim, com um sorriso no rosto, eu sai do quarto buscando ela, tentando achar, eu não lembrava muito do hospital, sempre que eu tentava minha cabeça dava um nó gigantesco.

Ela estava lá, um short jeans, camisa polo e uma blusa xadrez por cima, tão linda, suspirei baixinho sem nem perceber, ela não tinha me visto ainda.

Olhava para seu relógio impacientemente, a mania da mesma de bater a perna toda vez que estava ansiosa, tudo nela era tão arquitetado, tão perfeito..

Ela se virou lentamente, parecia que estava tudo em câmera lenta, seus olhos verdes, que agora estavam sendo mesclados com azul tempestade cruzaram com os meus castanhos.

Senti um arrepio tomar conta de mim, minhas pernas estavam bambas, ela estava lá, o mesmo frio na barriga de sempre, o mesmo coração acelerado, era ela. Ela estava lá, Lauren Jauregui estava lá.

-Oi - Ela sibilou com os lábios

-Oi - Fiz a mesma coisa que ela, ela deu um sorriso, aquele sorriso que me desmanchava

Ela deu passos apressados para frente, eu? Eu estava imóvel, esperando apenas ela chegar mais perto, a cada passo mais meu coração batia, aquela garota me faria ter um infarto uma hora ou outra.

-Pronta para seu vigésimo passeio comigo ? - Perguntou em um tom brincalhão

-Sempre Lolo 

A abracei, era tão bom estar em seus braços, a agarrei pelo pescoço, circulando meus braços pelo seu pescoço, em quanto ela me abraçava pela cintura, senti ela inalar o cheiro do meu cabelo, cereja, minha mãe me obrigava a usar aquele.

-Vamos Camz.

O parque não ficava muito longe, ainda mais com a Lola, confesso eu tinha inveja daquela moto, Lauren me disse que eu sempre fui assim, eu não tinha contado da lembrança e muito menos que eu sabia sobre eu e ela, que nós duas ''estávamos'' namorando.

Nem consigo pensar o quanto ela deve ter sofrido, todo esse tempo, e o quanto ela sofre vendo a namorada tratá-lá mesmo sem querer como uma estranha.

A única coisa boa daquela máquina mortífera que ela chamava de Lola, era que eu podia ficar agarradinha com ela, o corpo de Lauren emitia um calor natural, eu nem sabia que isso existia.

Chegamos ao parque, ela me ajudou a descer da moto me segurando pela cintura, a preocupação que ela tinha comigo era tão evidente.

As crianças correndo pelo verde do parque, os casais se amando, os cachorros correndo, o parque tinha uma energia tão boa tão feliz. Eu estava feliz de estar lá, e com ela claro.

Caminhávamos lado a lado, conversando sobre banalidades, ela me contou sobre seu dia na escola, contou das broncas, das ocorrências que tinha tomado. Ela realmente era bagunceira em sala de aula era nítido.

Minhas mãos tremiam, eu senti o ar faltar, como eu diria aquilo, como eu falaria que sei do nosso relacionamento, eu associei tudo, as conversas com ela foram as únicas apagadas, o resto estava lá por que justo com ela apagaram? Era óbvio sim.

-Lauren - A chamei pelo nome, vi sua cara assutada e suas sobrancelhas franzidas

-Sim..?

-Ontem a noite, eu estava pensando, e tive um apagão sim eu desmaiei

-O que? Camz você tá bem?!?!

-Laur deixa eu continuar...eu tive uma lembrança, eu lembrei quando você disse para a Ally e Dinah que gostava de mim, aquele dia eu estava no corredor espreitando e te ouvi..

Lauren me abraçou com força, eu achei que ela ia brigar comigo por não contar na hora, mais ela me abraçou, chorou e muito, ela soluçava baixinho, era um anjo.

-Camz, isso é incrível eu nem posso acreditar - Falou com a voz embargada, toda embolada

-Tem mais uma coisa que eu não falei ainda

-Fala Camz

-Eu já sei...eu sei sobre nós, sobre eu e você..

Lauren arregalou os olhos, ela parecia assustada na verdade ela estava, ela tampou sua boca com as mãos, ela estava sem reação, eu já sabia que ela ia ficar assim.

-Como você sabe Camila? - Foi a ''primeira vez'' que eu a vi séria e foi a ''primeira'' vez que ela me chamou apenas de Camila

-Eu associei, Lauren no fundo eu sinto isso que nós temos, eu sinto o mesmo frio na barriga, o coração disparado - Coloquei sua mão aonde localizava meu coração -Está vendo? Ele está assim por estar perto de você, por estar conversando com você, por te olhar, pensar em você - Lauren estava imóvel seus olhos olhavam fixos para meus olhos - Lauren Jauregui, o amor que eu sinto por você permanece em mim, sempre permaneceu.

Colei nossas testas, nossas respirações se misturando, Lauren e eu fechamos os olhos ao mesmo tempo, aproveitando o momento..

Sim...eu amava ela, era questão de tempo apenas, para eu lembrar..lembrar que Lauren Jauregui era minha!!


Notas Finais


Escrevi esse cap inteiro com a música: Say Something recomendo d++++++


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...