História My Lover - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Jaehyun, Johnny, Mark, Taeyong
Tags Amigos, Amor Jovem, Ciumes, Kpop, Romance, Universitários
Visualizações 10
Palavras 998
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Só uma coisa. Estou trabalhando duro. Irei dar uma pausa nas fics. Preciso fazer revisão em todas.
Boa leitura

Capítulo 1 - One shot


- Hey Johnny. Me espera. – andei um pouco mais rápida para alcançar o americano.

- Já estava indo sem você. – ele falou assim que cheguei ao seu lado. – O que estava fazendo?

- Terminado de pegar um livro, falei pra você que passaria na biblioteca. – expliquei ao cara que há um ano atrás era meu namorado.

Caminhamos até uma cafeteria próximo ao campus da faculdade, onde quase sempre vou com os meninos. – Entramos no estabelecimento, nos sentamos na parte de trás onde dava a vista para os outros campus. – Não demorou Jaehyun chegar junto com sua tropa, isso incluí o caçula do grupo, Mark:

- Oi nonna. Vai comprar alguma coisa para mim hoje? – Mark sentou bem ao meu lado.

- Hoje quem irá pagar é o Johnny. – indiquei o hyung dele. – Podemos conversa?

Todos os três me olharam sério. Eles fizeram algo e eu não gostei nem um pouco da brincadeira. Até Winwin que é o palhaço do grupo achou aquilo ofensivo demais. – Cruzei meus braços na frente do peito esperando a explicação:

- Eu já pedi desculpas. – Mark levantou as mãos quando falou.

- Só quero saber porque fizeram isso? – se eu contar o que eles fizeram, vocês entenderiam o motivo.

- Foi só um brincadeira. Taeyong hyung deveria ser mais flexível. – Jae falou formando um bico no final da frase.

- Ele ficou chateado. Depois deu ataque de fúria. Vocês foram cruéis. – informei a eles dois.

- Calma aí Jagi... Desculpa. – Johnny se desculpou quando lancei um olhar mortal pra ele. – Não foi tão ruim assim, aquele cabelo dele já estava feio mesmo.

- Colocar tinta preta no creme de massagem dele não é solução. E se ele estava daquele jeito é porque ele queria. Vocês como meus amigos deveria entender. – depois de uns minutos olhando eles, Mark veio trazendo nossos cafés. – Obrigada.

Ficamos em silêncio até um dos dois terem a decência de pedir desculpas ou assumir o erro:

- Desculpa. Nós erramos, somos péssimos amigos. – Jae foi o primeiro a falar.

- Eu assumo o erro. Fui eu que tive a ideia de fazer aquilo. Irei comprar a tinta pra ele descolorir de novo o cabelo. Eu só queria ter certeza de que ele irá cuidar bem de você. – Johnny baixou a cabeça.

- E como o hyung iria saber disso? – Mark fez a pergunta, depois de beber seu café.

- Caso ele tentasse nos afastar. - Jae respondeu. – Desculpa mesmo “S/N”. Isso, não irá mais acontecer.

- Ótimo. – ficamos conversando coisas aleatórias.

Passou da hora de eu ir me encontrar com o Taeyong e nem sms recebi dele. – Os meninos cochichava e eu não estava estendendo nada:

- O que vocês tanto veem. – perguntei procurando algo interessante para ver.

- Tem um cara estranho ali, - Mark indicou com a cabeça ainda bebendo seu café. – Ele não para de olhar pra cá.

Olhei o rapaz do outro lado e realmente ele é estranho. Seu cabelo preto, roupa preta me lembra do:

- My god! – Johnny me olhou espantando. – Tenho que ir. Combinei de sair com o Taeyong hoje.

- Tá bom. – Johnny falou sorrindo. – Me liga quando chegar em casa?

- Ligo sim. – me despedi deles com um beijo no rosto. – Não deixem o Mark comer muito doce. – avisei apontando para o grande cupcake que em segundos estaria na barriga daquele ser.

- Tchau nonna.

Saí do estabelecimento e fui até o ponto de ônibus, eu sei que me atrasei, mas eu não poderia ir embora sem deixar aqueles meninos saírem sem me pedirem desculpas. Senti alguém me observando, me virei para olhar as árvores e vi o rapaz estranho atrás de mim. – Em segundos ele me agarrou e beijou meu pescoço:

- Que susto! – esmurrei os ombros do Taeyong por essa atitude. – Que Droga Taeyong!

- Desculpa. – ele passou a mão pelo local que havia apanhado. – O que fazia com o Johnny? – do nada ele ficou sério.

- Estávamos esclarecendo umas coisas da aula e consegui um pedido de desculpas. Aliás.... – passei a mão pelos fios de cabelo dele. – Está lindo desta cor.

- Obrigada e não mude de assunto. – ele segurou meu pulso. – Ele é seu EX, não sou muito fã dessa intimidade de vocês.

Olhei meu ônibus vindo e já fui fazendo sinal pra ele parar. Taeyong notou que teria que ficar sem minhas explicações naquele momento e acabou cedendo. – Me sentei perto da porta já que iriamos descer há duas paradas a frente:

- Foi no salão pintar? – ele largou o celular e me encarou sorrindo.

- Sim. – ele passou seu braço por cima do meu ombro aproximando o rosto bem mais perto do meu. – Quero meu beijo. – ele virou o rosto e inflou a bochecha.

Sorri da sua atitude e beijei. - Depois me encarou olhando meus olhos e veio as poucos até sentir nosso lábios juntos, se depender dele, começamos a nos agarrar aqui mesmo, mas como sou tímida, parti o beijo quando o ônibus parou e subiu umas garotas de colegial. – Elas passaram olhando muito pra Taeyong que se distraiu com meu chaveiro do cubo mágico.

Bati na perna dele avisando que iríamos descer, ele olhou para as meninas e sorriu distraído sem sabe o que elas tanto olhava. – Devo admitir que meu namorado é bem lerdo ás vezes, ele segurou minha mão e assim descemos. Peguei o caminho para ir até uma rua onde o namorado da minha amiga trabalha na loja da família. – Conhecem o Ten? Pois bem, o Tae não suporta ele:

- Oh! – ele apontou para uma loja onde sua amiga trabalha. – Vou lá falar com ela. Vai estar onde? – ele já tinha soltado minha mão.

- Vou na loja do Ten. – informei apontando para o local.

- Então vamos. – ele voltou a segurar minha mão.

- Pensei que fosse falar com a Joy. – ele negou.

- Não deixo minha namorada sozinha com aquele tailandês. – ele retrucou.

Devo ressaltar que meu namorado com ciúmes é tão fofo, quanto Ten fazendo aegyo.


Notas Finais


Não esquecem de dar apoio.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...