1. Spirit Fanfics >
  2. My Mate - Jeon Jungkook ABO - shortfic >
  3. Beta

História My Mate - Jeon Jungkook ABO - shortfic - Capítulo 2


Escrita por: Minnie_yaa

Capítulo 2 - Beta


Ao final da resposta, o corpo de Moon se encontrava formigando da cabeça aos pés e, ao alfa levantar levemente o rosto para a olhar, ela pode ver certa luz cinza em seus olhos e sentir uma faísca nos seus. Não deu bola para isso, a final de contas, seu melhor amigo precisava de sua ajuda.

- Vamos subir para seu quarto, Hobi Oppa, eu cuido do seu machucado lá e você já fica descansando. - Ela o puxou para subir assim que Jin chegou com a caixinha de primeiros socorros. Ao passar pelo corredor dos quartos, já no andar de cima, pode sentir o aroma de Jungkook mais forte do que já se lembrou em toda sua vida e alguns rosnados vindos de seu quarto enquanto o barulho leve de algumas correntes também era ouvido. Novamente ela se sentiu arrepiar e pode jurar que ouviu a respiração do garoto perto de seu ouvido, mas ao virar-se não havia nada ali. Seguiu para o quarto de seu melhor amigo, ao lado do quarto do alfa, e o colocou deitado com o abdômen para cima, o mandando levantar a camisa e começando seu serviço. Não sabia de tudo, mas, se queria seguir com sua faculdade de medicina, deveria saber ao menos isso. Após terminar, levantou-se e se sentou ao lado do amigo o fazendo carinho nos cabelos e o vendo fechar seus pequenos olhinhos, logo dormindo.

Sem fazer barulho, a ômega levantou-se e foi ao guarda-roupa de Hoseok, pegando uma toalha e lhe roubando uma roupa emprestada para se trocar. Foi em direção ao banheiro dentro do quarto e logo retirou suas roupas, correndo para debaixo do chuveiro por conta do frio. A água quente a fez relaxar completamente e, sem que percebesse, liberar seu aroma.

- Não deveria fazer isso. Não tem dó de um pobre coitado como eu? - Ouviu a voz do alfa e abriu seus olhos rapidamente, cobrindo seu corpo com suas mãos. Mas ele não estava ali - Não se preocupe, não posso te ver, só você pode me ouvir por eu estar usando minha voz de alfa. Me desculpe, mas não pude me controlar, seu cheiro fez com que certa parte do meu corpo precise de atenção. Por que não vem aqui e me ajuda, hm? Prometo ser bonzinho com você, Moonie. - O alfa proferiu e, novamente, cada pelo no corpo da moça se arrepiou. Achando ser apenas um truque de sua cabeça, continuou seu banho, mesmo parecendo que o cheiro de Jungkook havia se aflorado mais ao ponto de invadir cômodos trancados da casa. Terminou seu banho e logo se vestiu para fugir do frio. Colocou uma calça moletom de seu amigo e um moletom que achou mais a seu gosto em meio a tantos. Não entendia porque sentia tanto frio, não podia ser só ela, certo? "Os outros também devem estar", pensou a garota.

Saiu do banheiro e encontrou seu amigo com as costas encostadas na cabeceira da cama mexendo no celular.

- Hobi, vamos comer? Eu ainda não tive meu lanche da tarde e já são- Olhou as horas em seu celular e continuou. - 19h, já está na hora de jantar! Minha barriguinha está roncando, ouça! - Correu para perto dele e o fez colocar a cabeça em sua barriga. - Ouviu? - Perguntou e ouviu a sua risada, logo o vendo levantar. Hobi tirou sua blusa, reclamando de calor e isso confundiu a cabeça da ômega, já que esta ainda sentia frio com toda aquela roupa quentinha.

Saíram do quarto e, ao passar pela porta do quarto ao lado, pode ouvir a voz novamente.

- Por que sente tanto frio? Sente-se mal? - Havia preocupação na voz dele, muita mesmo, então a ômega sussurrou baixinho que estava bem, o suficiente para que só o alfa, que prestava atenção em cada barulhinho possível, pudesse ouvir por prestar bastante atenção.

Desceu as escadas com seu melhor amigo, o frio só aumentando cada vez mais, e foram em direção à cozinha.

Fizeram dois sanduíches para cada um e comeram ali mesmo, enquanto Min se encolhia aos poucos de frio, com medo de seu amigo notar.

- Moon, por que está usando todas essas roupas? Eu estou quase derretendo! - Taehyung passou por ela na ilha da cozinha e pegou uma garrafa de água bem gelada da geladeira, ficando parado com ela aberta para pegar a brisa que vinha dela. Essa "brisa" fez com que a garota se escolhesse bruscamente e começasse a bater levemente os dentes por conta do frio. Aparentemente, nenhum dos dois notou.

- Feche a geladeira, Otário! - Dessa vez a voz não veio só para si e sim em forma de grito, e que grito. Taehyung fechou a geladeira com tanta rapidez quando o ouviu que o barulho assustou Hoseok. - Min não está bem, peguem minhas roupas de frio e deem a ela, agora! - Outro grito. Taehyung a olhou e saiu correndo em direção ao quarto de seu alfa enquanto Hoseok foi em sua direção para ver se a garota estava machucada de algum jeito. Mas não, não tinha nenhum machucado aparente, apenas a pele fria como gelo. Taehyung desceu as escadas junto de um Yoongi cheio de casacos nos braços.

- Não consigo usar tudo isso. Me deem só um e um cobertor, por favor. - Disse a garota, vendo que dessa vez seus dentes começaram a bater fracamente, sem ninguém perceber. A garota tomou o moletom que achou ser o mais quente da mão de Yoongi, o vestiu e abraçou seu próprio corpo vendo que a nova peça não havia à esquentado. Hoseok, vendo o estado de sua amiga, a abraçou e, ainda assim, começaram a subir as escadas. Ela amava o abraço de seu amigo, mas não a estava esquentando. Não acreditou quando, ao passar pela porta do alfa, sentiu um breve alívio do frio. Pensou ser coisa de sua cabeça então somente correu para o outro quarto e se jogou na cama de seu amigo, se embrulhando com todos os cobertores que tinham ali. Um leve, mas gratificante, alívio à percorreu ao se embrulhar dos pés ao pescoço. Ficou ali, na esperança de passar, e sentiu Hobi a abraçando, permitindo-se dormir para que o frio passasse.

 

 

- Hobi... - A garota chamava baixinho, com o queixo batendo sem parar e sentindo cada molécula de seu corpo congelando. - Hobi. - Dessa vez o mais velho acordou e a viu tremendo a sua frente. O garoto se desesperou, não sabia o que fazer enquanto sua amiga continuava falando baixinho que estava frio, muito frio.

- Traga-a aqui, eu posso esquentá-la! Não a vou machucar, sou incapaz. Traga ela aqui, vamos, andem, antes que eu mesmo vá. - Ninguém se mexeu, os outros cinco meninos já estava a porta do quarto de Hoseok, todos preocupados com o estado da garota, mas nenhum com coragem de levá-la ao alfa. - Eu avisei.

Um grande estrondo foi ouvido, seguido de outros três e logo após a porta ao lado foi arrombada por dentro.

Jungkook entrou exasperado no quarto de seu beta e correu em direção a pálida garota que tremia de frio. Os três meninos tentaram ir segurá-lo com medo de ele a fazer algum mal e, nesse ato, receberam um rosnado que machucava suas pobres orelhinhas sensíveis. Isso significava que Jungkook e seu lobo estavam presentes, ambos desejando a mesma coisa. Jeon subiu na cama e começou a tirar todos aqueles tecidos que cobriam a ômega a sua frente, enquanto ela aos poucos fechava os olhinhos pequenos.

- Saiam do quarto. - O alfa disse.

- O que? Por que? – Alguns dois presentes perguntaram, em uníssono.

- Não vou deixar que vejam minha ômega usando apenas roupas íntimas. Saiam antes que eu os tire! - Todos, mesmo receosos, saíram do quarto enquanto ele continuava a tirar as roupas dela com pressa. Assim que ela estava somente de sutiã e alguma cueca que deve ter pego de Hoseok, o garoto tirou todas suas roupas e ficou apenas de cueca também.

Ele a abraçou, abraçou-a como se não houvesse amanhã e ela agradeceu aos céus por isso. Era quente, era aconchegante, era o que ela precisava. Ainda batia o queixo, mas bem menos que antes. O garoto se deitou na cama junto a ela, abraçando todo seu pequeno corpo. Ele estava no cio, o mais difícil que pensou ter, mas seu lobo não quis nada mais do que abraçar aquela ômega até depois do nascer do Sol.

- Obrigada, Jeongguk, você salvou minha vida. - Min disse baixinho, se aconchegante cada vez mais e mais no peitoral do mais velho.

- Não me agradeça, meu anjo. Farei isso até o último dia da minha vida. - Ele a olhou no fundo dos olhos novamente, como sempre, vendo sentido ao ouvir seu lobo gritar mais uma vez "companheira". O que o alfa não sabia era que a loba de Min havia, naquele exato momento, gritado "companheiro" e que o cinza nos olhos do garoto era visto na mesma proporção em que ele via o dourado nos olhos da ômega.

Paixão. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...