1. Spirit Fanfics >
  2. My Model >
  3. Seu universo será colorido.

História My Model - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oii gente, esse capítulo demorou um pouco pela ideia, eu e a rafa tivemos essa ideia com pouco de dificuldade, espero que gostem desse capítulo e de outros.
Espero que gostem.
Amo vocês!
~lene

Capítulo 5 - Seu universo será colorido.


Fanfic / Fanfiction My Model - Capítulo 5 - Seu universo será colorido.

Só é preciso uma pessoa para te fazer feliz e mudar sua vida: você.


– Jimin Hyung, você pode pegar aquele frasco em cima da geladeira, por favor.– falou Jeon, balançando sua sopa.

– Eu não alcanço. – revirou os olhos.

– Sobe em cima da cadeira, eu não posso parar de mexer isso.

– Vamos fazer assim. – chegou na boca do fogo junto com Jeon. – Eu mexo e você pega.

– Solta esse celular. – olhou pro loiro.

– Eu não vou ficar mexendo, eu juro que vou pregar a atenção na sopa.

– Ok.

Jimin contou até três e eles trocaram de afazeres, Jimin tomou bastante cuidado em mexer a sopa e Jeon foi rapidamente pegar o frasco que estava em cima da geladeira.

– Precisa ficar mexendo assim?

– Sim, é pra não ficar dura o bastante.

– Eu não faço sopa assim, até porque você faz aquelas coisas "fitness" horríveis.

– Eu como isso todo dia, quero emagrecer.

– Você? Emagrecer? Quer sumir garoto. – bateu em seu ombro.

– Quero perder uns quilos, isso sim.

O loiro bufou e sentou em cima da bancada da cozinha, pegou uma maçã e deu uma mordida e ligou seu celular novamente.

– Estou no twitter e está nos trends "Jeongguk" o que será que estão falando?

– Eu já sei, "Jeon poderia ser um ator, ele tem um bom corpo e poderia até fazer filme pornô".– deu risada.

– Ator pornô? Acho bom, boa ideia.

– Não começa. – jogou água.

O mais novo deixou preparado a sopa e pediu a Jimin para cortar os legumes, foi ate seu quarto e tomou um banho bem gelado, descendo até a cozinha e indo até a garagem para sair com seu carro e buscar seus amigos em cada trabalho.

No caminho, Jeon estava seriamente pesando, nunca irá conseguir ter alguém, apenas ficou seis anos sem alguém para amar e tem seus pequenos sentimentos pela aquela pessoa que nunca conseguiria esquecer, todo dia e em todos momentos da sua vida seja interessante ou não passava aquelas pequenas coisas que sempre imaginava em sua pequena e útil cabeça.

Talvez seu psicólogo tinha certeza, tinha que arrumar alguém que o deixe feliz e não o decepcione como muitas pessoas já fizeram com si, Jeon tinha a mínima certeza que não seria tão fácil esquecer esses pequenos sentimentos que guardava por Minhyuk, mas também tina certeza que se esforçasse um pouco conseguiria parar de sentir esses sentimentos por Minhyuk.

Ele pensou, pensou, pensou e teve a grande ideia de que vai conseguir se apaixonar por outra pessoa, é óbvio que Jeon não era bobo e já tinha alguém em sua cabeça faz tempo, ele tinha uma pequena queda pela pessoa dês da infância, sempre venerava essa pessoa como se fosse um ídolo eterno, então, como sempre ele e essa pessoa tiveram uma pequena química, ele vai conseguir namorar alguém que caiba com si.

Chegou no trabalho do Yoongi, ele já estava fora da sua grande empresa conversando com algum de seus amigos, quando viu o grande carro preto deu adeus para seus amigos e foi em direção do mais novo, entrando no carro no caminho para casa, contando as coisas que aconteceu.

Jeon decidiu abrir a boca e pedir un pequeno concelho para seu amigo, mesmo ele não sabendo praticamente nada sobre vida amorosa, tinha que ajudar de alguma maneira seu melhor amigo.

– Hyung, sabe a pequena ideia que eu tive? Não queria exatamente que Minhyuk Hyung voltasse e eu continuar sem ninguém, queria aproveitar alguém, queria amar alguém.

– Jeongguk você está me dizendo que quer se apaixonar por alguém? Logo você que não prometeu pro Minhyuk que não vai se apaixonar por ninguém?

– O problema é que eu realmente não quero ficar preso a vida toda esperando o Minhyuk Hyung voltar e nunca voltar, talvez ele chegue e nem se quer lembre da minha existência.

– Sei que é difícil, mas eu também sei que você tenque se cuidar em decisão do amor, então faz isso, quem é o idiota?

– Mark Tuan. – Jeon ouviu as risadas de seu Hyung – O que? Do que você está rindo? Eu não contei nenhuma piada.

– Você vai namorar com o Mark? O garoto que pediu você em namoro quando éramos crianças e você recusou? Dizendo que era hétero? Se manca Jeon, se você chegar perto dele ele te mete a bica.

– Ele me ama.

– Sim, ele te ama, mas ele também te odeia, tenha consciência, ele pode brincar com seu coração assim como você fez com ele.

~

Os garotos chegaram em casa e se juntaram para conversar sobre a vida, como sempre fazem, sempre se reúnem e trocam idéias e concelhos um com os outros. Mas também não tinha como faltar deles beberem ou fumarem alguma coisa, eles eram o grupo mais conhecido em Seul e tinham sua postura de Bad Boys/Playboys bem grande, era sempre uma ou outra das meninas que ficavam em cima deles, sempre alguém querendo transar com eles.

– Porque invés de pegar o Mark não pega o Lucas?

– O Lucas já tem namorada, até aquele traidor tá em um relacionamento sério.

– Quem disse que eu pegaria o Lucas? Nem aqui e nem na China.

– Vai andando então, marrento. – falou Jimin dando risada.

– Eu preciso ir. – disse Sehun– Amanhã eu infelizmente trabalho.

– Vamos todos embora juntos, será melhor pro Jeon descansar e limpar a casa.

– Ninguém vai me ajudar? Nem vou pedir ajuda porque sei que não vão me ajudar. – se levantou– Tchau. – foi até a porta e a abriu.

Quando todos seus amigos foram embora, Jeon lembrou de mandar uma pequena mensagem para Mark e marcar um pequeno encontro com ele, não era seu crush supremo– vulgo Minhyuk– mas era alguém muito respeitoso e gente boa.

Jeongguk:
Olá Mark Hyung! Podemos se ver de novo?

Mark:
Séria uma boa idéia! Você acha que o Minhyuk vai ligar?

Jeongguk:
Acho que não, ele já está a seis anos fora, não vai se importar nem um pouco.

Mark:
Ok, marcado.

Marcado!

Jeon, cansado se levantou a foi diretamente até o banheiro, tomando seu banho de sempre e indo até a cozinha, preparando seu chá preferido do jeito que sempre fez, cá estava ele, ansioso para mais uma de suas tentativas em conquistar alguém que talvez não sentia nada por ele.

Poderia muito gostar de uma menina ou namorar uma menina, mas Jeon não se sentia atraído por elas, ele não se considerava gay mas todos de seus amigos os chamavam ou falavam que ele tinha algum contato gay inexplicável.

Jeon não sabia como pentear seu cabelo e ficou meia hora decidindo o lado que o cabelo iria ficar, jogou pro lado direto, esquerdo, espalhou no meio, deixou como sempre e não teve nenhum resultado. Sua maior forma de deixar foi a de sempre, deixou como sempre quando saía, seja para qualquer lugar e saiu do banheiro com uma blusa rosa, uma calça jeans rasgada no joelho, seus óculos sem lente redondos, seu tênis preto e passou um pouco de batom em sua boca, um gloss simples com sabor de pêssego para quando beijar não estar com gosto ruim na boca. Pegou sua chave do carro e foi até a praça que Mark pediu.

Chegou lá e viu que o Mark já estava totalmente pronto, colocou uma calça jeans clara, um moletom marrom escuro sem nada e estava com um tênis branco bem simples. Jeon foi chegando perto do banco que Mark estava, mas o mais velho estava de costas e não viu que o moreno estava chegando, Jeon presenciou essa pequena oportunidade e deu um pequeno susto do mais velho.

– Que susto Jeon! – colocou a mão no peito, de uma forma dramática – Achava que você não viria!

– Eu até poderia fazer isso por conta da minha preguiça. – deu risada e o mais velho ficou sem entender – Mas é você né? E-Eu nunca faria isso.

– Eu entendo. – deu risada – Bom, vamos a minha cafeteira preferida?

– Ah sim! – Mark se levantou – Claro, vamos.

– Vamos até a Alice Table, sempre vou lá.

Alice Table.

– Ok, vamos.

Estavam perto da rua da grande e famosa cafeteria que todos conheciam lá, Jeon estava nervoso, bem ansioso porque não sabia realmente quem ele encontraria lá. Entrou na cafeteria e ouviu o pequeno sino apitar quando Mark abriu a porta feliz, conseguiu sentir o cheiro do pão saído do forno e o cheiro do café que da última vez chorou por lembrar de sua mãe. Sentou na mesinha mais confortável que já sentou em sua vida, certeza que eram cadeiras novas, as outras cadeiras eram de madeiras em um jeito meio marrom.

– São cadeiras novas! – se arrumou – As outras eram bastante duras, eu conversei com Taehyung sobre isso, eu ajudei ele a mudar.

– Você conhece o Taehyung? – sem querer gritou e o mais velho se assustou – Me desculpe, você conhece o Taehyung? – arrumou o tom de voz.

– Sim! Somos amigos a muito tempo, você também o conhece?

Pensou, conhecia mesmo Kim Taehyung? Não.

– Não, nunca o vi na vida.

– Ah sim! Não tinha entendido muito a surpresa por ter falado o nome do Taehyung, você deve conhecer vários Taehyung's não?

– Eu tenho um amigo chamado Taehyun, eu devo ter confundido com ele.

– Certeza! – deu risada – Ele é uma pessoa boa, posso te apresentar a ele?

"Ele é uma pessoa boa" Era mesmo o Taehyung?

O garçom– que dessa vez, graças a Deus não era Taehyung– foi até a mesa e perguntou os pedidos, Jeon pediu um bolo de cenoura com café bem forte, Mark pediu um pão na chapa com um chá, bem a cara dele.

– Vou chamar o Taehyung.

– N-Não por favor.

– Sim! Vocês vão se conhecer! – levantou a mão – Taehyung, vem cá.

Jeon viu pelo canto do olho Taehyung vindo de caminhos longos e com um grande sorriso no rosto, estava com um pano em seu braço e um avental preto, quando o mais velho foi chegando por passos rápidos perto da mesa Jeon foi se escondendo.

– Mark! Quando tempo. – deu as mãos.

– Sim, Taehyung eu estava contando as horas para conseguir alguém e vir comigo até aqui.

– Quem é seu acompanhante?

Jeon queria sumir! Como assim Taehyung não virá ele alí?

– Jeon Jeongguk.

– A-Ah, Jeongguk, prazer.

– Prazer em te conhecer. – o olhou sério – Você parece ser muito legal. – zombou.

– Eu sou legal apenas com aqueles que merecem, entende? – provocou.

– Como eu não conheci ele antes? – falou para Mark – Certeza que seríamos ótimos amigos.

– É realmente uma pena que não nós conhecemos né? Jeongguk é seu nome? – o mais novo concordou – Agora Mark, preciso pegar seus pedidos, até mais. – deu a última olhada em Jeon e se virou.

Era impossível, tudo isso era inacreditável, os dois acabaram de fingir que não se conheciam, se fizeram de idiotas, na verdade se conheciam a um mês atrás, como eles podem ser tão retardados desse jeito? Agora era só seguir, lentamente, seguindo.

O mesmo garçom que veio os atender entregou nossos pedidos e foi atender a outra mesa, Jeon e Mark conversaram bastante sobre a vida e se conheceram mais ainda, o mais novo gostou de conversar com o mais velho, achou bem divertido deu bastante risada com ele. Depois de algumas horas de uma boa conversa, tomaram um longo sorvete, Jeon levou Mark até sua casa e mostrou a mesma, a pedido do outro.

– Acho sua casa bem estilosa. – se jogou no sofá.

– Minha mãe que decorou.

– Você está com saudades da sua mãe, não?

– Talvez. – se sentou ao lado de Mark.

– Até agora não entendi o porquê desse encontro. – Jeon gelou.

Não tinha nenhuma ideia para perguntar se o mesmo tinha alguma relação amorosa ou se gostava de alguém. O medo era tão grande de decepcionar o mais velho com as palavras idiotas que o mesmo dava.

– V-Você tem algum relacionamento com alguém?

– Se você quer me beijar ou ficar comigo pode falar, eu super te entendo, também tenho um crush por você.

Jeon depois daquela resposta pegou o pescoço do mais velho e envolveu suas mãos atrás da mesma, chegando o pescoço perto da boca do mais novo, o beijo foi totalmente extenso, a boca de Mark ia ao lado esquerdo e a boca de Jeon ia pro lado direto. O beijo foi com um gosto de pêssego misturado com morango, por conta do gloss que o moreno tinha passado hoje mais cedo, foi uma intensidade de ansiedade da barriga de Jeon mas depois um conforto, era Mark e esse sabia respeitar muito bem o lado de todos seus famosos peguetes.

(In)felizmente o jeito que ele é levou o Mark até sua cama, a noite foi bastante estranha na parte de Jeon porque em seus seis anos não tinha mais transado com nenhum menino, eram só meninas para não demonstrar um filho "horrível" para sua mãe.

Amanheceu e o mais novo acordou ao lado de Mark naquela grande cama de casal, estranhou bastante ver o mais velho ali deitado ao seu lado, não era bastante acostumado com isso mas por enquanto tinha que se acostumar, iria fazer isso pelo resto de sua vida.

– Mark?

– Hm..?

– Vamos acorda, te espero lá em baixo. – se levantou indo pro banheiro.

Fez suas higienes matinais e foi fazer seu chá de sempre quando acorda, era o chá preferido do mesmo. Ouviu alguns passos pela escada e viu Mark com sua blusa da noite passada, não se arrependia de nada mas também odiava manter essa culpa de ir para cama com outra pessoa, na verdade ir para cama com alguém que a muito tempo não via.

– A noite de ontem foi boa?

– Sim, eu gostei.

– Que bom, vou no banheiro.

Graças a Deus que nenhum de seus amigos estavam em sua casa ou ouviram os gemidos finos de Mark, seria zoado por toda sua vida.

Preparou seu chá e se sentou no sofá, ligou a TV e começou a assitir o jornal do dia. Começou a pensar, Mark passará o dia em sua casa? Mas não o convidou, mas lembrou que queria ficar com ele para esquecer Minhyuk e ver o mundo de outra forma. Pegou seu celular e viu que não tinha nenhuma mensagem de seus amigos, apenas uma chamada perdida de Yoongi.

Tacou o celular pro outro lado do sofá e ouviu alguém batendo fortemente da porta, estranhou porque ninguém ia em sua casa em plena 7h da manhã. Foi até porta e viu no óculos que tinha na mesma e viu quem não queria ver, Kim Taehyung com um roupão, o que estava acontecendo?

– O que você quer?

– Por favor me ajuda, antes que ele me siga.

– Quem?

– Abre a porta Jeon, me ajuda.

– Não.

– Jeon, isso é sério, eu preciso de ajuda.

– Entra. – deu passagem para o mesmo, antes dele entrar Jeongguk visualizou se tinha alguém ou era mais alguma brincadeira com sua cara.

– O Mingyu, ele fez uma coisa que eu nunca iria imaginar...Sabe?– se sentou no sofá, tremendo.

– Do Mingyu eu não espero nada, fala o que foi?

– Eu estava deitado na minha cama e ouvi alguém entrar em casa, não dei importância achei que era o Baekhyun. Eu ouvi a porta do meu quarto sendo aberta e olhei pra ver quem era, mas não era ele, então eu fingi que estava dormindo, assim que eu fingi alguém deitou ao meu lado e foi tirando meu cobertor aos poucos, viu que eu estava pelado e apertou minha bunda, eu decidi reagir e dei um soco no rosto, vi que era o Mingyu e fiquei assutado, peguei meu roupão e sai correndo e ele veio atrás de mim, eu vim aqui porque é a casa mais perto.

– E o Baekhyun?

– A gente brigou na cafeteria ontem, então eu achei que era ele para se desculpar.

– Como eu posso acreditar em você?

– Eu não iria vir até sua casa de roupão igual um louco e todo mundo me olhando retorcido na rua, pensa. – falou sarcástico.

Colocou a mão entre os cabelos e andou de um lado pro outro na casa, estava pensando se isso realmente era verdade, até porque Mingyu já fez isso com muitos de seus modelos, a perspectiva dele estar certo era grande. Ouviu passos vindo da escada e não soube realmente o que fazer, sabia que Mark iria descobrir que as duas mentiras que os mesmos fizeram hoje mais cedo.

– Taehyung? O que você está fazendo aqui?

– Eu sabia que você estava aqui então vim te ver. – inventou uma desculpa esfarrapada.

– De roupão?

– É.

– "É"?– perguntou confuso – Vocês já se conhecem?

– Na Alice Table não se lembra de ontem?

– Como você sabe que o Jeongguk mora aqui?

– Olha Mark – Jeon se pronunciou – se você ficar assim desse jeito enchendo nosso saco acho melhor você sair por aquela porta. – perdeu sua paciência.

– Você quer que eu vá embora?

– Está surdo? Eu não aguento mais essas perguntas que não vale ao seu respeito, saia daqui por favor.

– Ok, vou tirar sua blusa. – fez cara de chateado.

– Não, vai com essa blusa, não uso mesmo.

O mais velho foi embora, Jeon realmente não sabia de quem cuidar. Ele queria ficar bastante com Mark, seria difícil parar de gostar de Minhyuk assim tão rápido.

Taehyung deveria ter essa chance? Ele queria ajudar o mais velho mas não confiava em si, poderia ser mais um daqueles bizarros planos que eles fazem para conseguir tudo que Jeongguk consegue. Confiava em Taehyung? Não, ele não era mais trouxa em saber que já foi enganando uma vez e será outra.

– Qual será a sua oportunidade de você ficar aqui por enquanto?

– Eu te ajudo na casa, a única coisa que sei fazer.

Jeon teve um ideia.

A condição de Taehyung para ficar aqui é ser seu modelo, já que, não vai querer ser um modelo de um cara que o assediou, uma das melhores coisas que poderá acontecer foi isso– não que Jeon deseja o mal para Taehyung– ele não poderá dizer não a isso.

– Ser meu modelo? – Taehyung rio.

– Piada?

– Então vai embora. – foi até a porta.

– Não Jeon! Eu te ajudo, vou ser seu modelo.

– Ótimo, troque de roupa, pode colocar uma roupa minha.

Já era tarde e depois daquela conversa não falaram mais nada um com o outro, era apenas informações, mais nada. Taehyung não pediu desculpas para Jeongguk e permaneceram "brigados" um com o outro. Não que Jeon queira que os dois fiquem brigados, odeia ficar brigado com os outros mas também não queria pedir desculpas a Taehyung, tudo seria em vão e perderia a matade das metas comprometidas que disse que faria sem pedir desculpas a Taehyung.

– Vamos ficar assim? Vamos ficar o dia todo juntos e não vamos se falar?– estavam sentados no sofá assistindo filme um longe do outro.

– Estou assistindo o filme.

– Que graça Jeon, eu estou falando sério, vamos ser pelo menos amigos?

– Quer saber. – pausou o filme – Já fomos amigos, você que me decepcionou.

– Considero isso como um sim.

– Tá bom.

Passaram a noite sem falar um com o outro. Na hora de dormir era bem óbvio que Jeon iria deixar o quarto de Jimin com Taehyung, eles nunca vão dividir um quarto um com outro, eles relativamente se odeiam e não passariam um dia sem brigar.

~

Jeon já estava acordado, ele acorda cedo por conta da rotina do trabalho, tinha se acostumado bastante acordar cedo e ir trabalhar, então assim começou a sua rotina de sempre acordar cedo e lembrar das manhãs do trabalho.

Fez suas higienes matinais e foi tomar seu chá de todas manhãs, sentou em frente a TV e ligou vendo os anunciados tediantes como sempre, ouviu o apito do chá pronto e foi até a pia pegar, se sentou em frente ao sofá novamente e continuou assistindo os mesmo anúncios.

– Já está acordado? – ouviu passos vindo da escada.

– Sim.

Não estava acostumado de acordar e ter alguém fazendo perguntas obviamente desnecessária e idiotas em seu ouvido, não queira ser ignorante mas tudo que Taehyung falava era um pouco sem sentido, claro que poderia puxar assunto mas também poderia ser um "bom dia" não um "já está acordado?".

– Bom dia.– disse o castanho.

– Bom dia.

Mais silêncio.

– Que escova eu uso?

– Escova com os dedos. – ouviu o outro bufar.

Silêncio.

– Quero tomar banho, que toalha eu uso? – voltou do banheiro.

– Tem secador lá no meu quarto.

– Você quer me ajudar?

– Se vira.

– Será que você poderia ajudar seu modelo? – entrou na frente da TV.

– Ah sim! Óbvio, pega a minha toalha, depois compro outra.

– Que nojo! Você não tem uma toalha reserva?

– Não, agora saía da minha frente.

– Uma toalha. – cruzou os braços.

– A minha ou a do Jimin.

– Esquece, não tomo banho. – saiu se frente da TV e subiu as escadas.

Jeongguk adorava provocar os outros, sejam aqueles que ele odeia eu aquelas pessoas que ele sente uma forte atração, Jeon não sentia atração nenhuma por Taehyung e sim raiva, então queria descontar está raiva provocando o mesmo.

Desligou a TV e subiu para o seu quarto, trocando de roupa e tomando um banho rápido. Saiu do quarto e deu de cara com Taehyung na beira do fogão fazendo o almoço, o mais velho sabia cozinhar? Afinal, ele queria mesmo estar alí?

– O que está fazendo?– entrou na cozinha.

– Não está vendo? Estou fazendo minha comida.

– Vai me deixa com fome?– Taehyung virou para trás.

– Se vira. – Jeon riu.

– Quem está te dando abrigo?

– Quer que eu saia? Quer mesmo não ter um modelo como esse?

– Ah – revirou os olhos – Fica então. Vou sair com meus amigos, até mais tarde.

Encontrou com seus amigos no mesmo lugar de sempre, na frente da casa que sempre é fechada, em uma rua sem saída aonde eles podem fazer as suas brincadeiras, sacanagens e podem usar drogas na hora que eles bem entenderem. Sempre iam no mesmo lugar porque foi alí que fizeram seu primeiro encontro como amigos, foi um mês de amizade, foi ali que eles festejaram como sempre seus anos de amizade, e era ali que sempre iam quando não tinham nada para fazer.

– Sábado, não tenho nada para fazer.

– Cara, já pensou em um dia entrar dentro dessa casa. – falou Yoongi, apontando para casa que sempre forá fechada e que não avia ninguém.

– Eu e o Jimin Hyung já tivemos uma ideia de entrar ai, mas ele quase furou o saco tentando entrar no portão. – riu tomando um gole de seu Soju.

– É claro, esses portões com essas merdas são infernais.

Sempre que saiam juntos também juntavam tudo que tinham, não eram menores de idade e podiam fazer tudo que bem entender, mas não podia beber ou fumar na frente de milhares de pessoas, séria um sério perigo, o povo realmente veria Jeon com outros olhos e postar informações na internet totalmente certas.

Eles ficaram conversando sobre a vida o tempo que resta até ficarem ao menos chapados ou cansarem de ficar lá, Jeongguk não tomou muita bebida alcoólica e apenas fumou um cigarro, que se chegasse em casa e ficasse doido com Taehyung alí era bem a cara dele em pedir uma noite de transa ou desculpar Taehyung sem querer saindo de sua boca.

Foi até sua casa e jogou suas coisas espalhadas, subiu até seu quarto e trocou de roupa colocando sua roupa mais confortável, descalço, foi até a sala e pegou seu celular, pedindo em seu aplicativo de comida sua comida preferida Bingsu que sempre comprava quando não comia sua sopa favorita.

– Porque chegou tão tarde?

– Isso não te interessa. – desligou o celular e jogou no sofá.

– O que você vai comer. – se sentou no sofá.

– Pedi uma comida pela internet, o que você comeu?

– Um legume.

A conversa sempre era básica, eles perguntavam coisas sem nexo e a necessidade de não ter ignorância no meio da conversa era bastante grande, sempre tinham respostas bem dadas que os mesmo nunca de chatearam, já estavam acostumados mesmo por pouco tempo de conversa e do moreno ter o mais velho em sua casa. Como era jovem e praticamente sempre saía com seus amigos até baladas ou faziam as mesma coisa de sempre, era totalmente desnecessário.

Eles fazem a mesma coisa de todos os dias, ficam na frente da TV e assistem séries ou filmes, ou um deles dormem e passam o dia todo trancados no quarto. Eles não se falavam, não se comunicavam, não faziam nada de divertido, até porque Jeon odeia fazer coisas com as pessoas que ele mais detesta, ele não parece ser ignorante porque simplesmente responde as perguntas de Taehyung mas também não quer dar um de arrogante e deixar seu modelo sem resposta.

Agora estavam sentados no sofá assistindo uma série que o Taehyung não queria assitir por já ter assistido, essa seria sua quarta vez assistindo a mesma série. Eles estavam sentados como sempre, Jeongguk na ponta esquerda do sofá e Taehyung na ponta direita, totalmente distantes de qualquer contado.

– Eu tô no tédio, por favor vamos ter uma conversa civilizada e nos entendermos.

– Tá, eu ja te disse que você fez uma coisa de errado em me fazer acreditar nesse papo totalmente furado de sermos amigos depois daquilo que eu te disse, só não quero que esse final horrível que você quer ter seja literalmente seguido.

– Então você está me dizendo que não quer me perdoar?

– Você descobriu isso agora? – levantou a. sobrancelha.

– Eu só queria falar com você sem você ser ignorante.

– Eu não consigo ficar sem ser ignorante com gente que odeio. – Taehyung bufou.

– Posso trocar de série?

– Não, tá cego não esta vendo que estou assistindo?

– Eu poderia ir até a casa do Mark não até a sua.

– Mark não estava em casa mesmo. – riu.

– Eu sei a senha do apartamento dele? Se fosse para ficar assim nem passaria em minha cabeça seu nome, eu certamente achava que você poderia me ajudar de alguma forma, nem que fosse apenas uma moradia ou caso de empatia. Cara eu fui assediado pela pessoa que me deu casa e comida, eu não tenho mãe e nem pai como você tem, eu não tenho irmãos para conversar igual talvez você tenha, eu não tenho uma família, eu só tinha um pai, talvez esse pai tenha sido a minha família. Minha família me abandonou pelo meu sonho e eu nunca pude ter um abraço orgulhoso maternal, tenha empatia e ajude os outros que não tem as mesmas condições que você já teve, tenta pelo menos ver como seria você no meu lugar enquanto quer ser ignorante. Todos os dias eu choro no banho ou fico triste por não ter ninguém na minha família, sabe o que é isso? Não você não sabe. – se levantou do sofá – Desculpa estar incomodando sua residência, prometo que saio amanhã de manhã. – subiu as escadas.

Jeon não se sentia culpado, muito menos com dó, poderia ter um pouco de empatia mas com Taehyung não deveria nem ter solicitado a sua casa, desperdiçou um cara que realmente vale a pena para Kim Taehyung, um mestre fracassado de drama.

Focado em sua série começou a escutar barulhos vindo do andar de cima, não sabia se era um fantasma ou o Taehyung fazendo seus exercícios de sempre. Pausou a série e subiu, entrou no quarto que supostamente era de Jimin mas estava doando para Taehyung, viu o mesmo sentado da cama com as mãos nos olhos, em sua perna estava a foto de sua família toda, e literalmente um corte grande do lado de um senhor, que tinha uma personalidade forte, do lado desse senhor tinha uma mulher, uma mulher séria e com um sorriso bem falso.

Aquilo levemente foi dando um grande arrependimento, ele não sabia o limite que tinha causado, não sabia o que estava fazendo, acabou de chatear uma pessoa de acordo com seu toque familiar, não poderiam dar risada daquilo e sim ser gentil e ajudar. Foi chegando perto da cama e sentou, posicionando suas mãos nas costas do mesmo.

– Me desculpa, eu não queria te chatear.

– Não é isso, eu realmente soltei coisas que estavam presas em minha garganta a muito tempo. Eu tenho essa personalidade incrível mas na verdade não tenho nenhum amigo que goste de mim, odeiam minha risada, meu sorriso, meu modo de estar feliz, meu jeito de ajudar as pessoas, só me vêem como modelo, um modelo bom que não tem seus altos e baixos. Eu só tenho o Baekhyun e o Soobin como amigos, os outros me odeiam. Jin, sabe o Jin? – concordou – Ele me odeia por ser quem eu sou, ele acha que eu sou uma pessoa boa que não tem sentimentos, eu me sinto ruim em saber disso, eu carrego uma grande culpa nas costas, sempre tentando ser aquela pessoa que eu nunca foi, sempre tentando ser o "eu" que nunca existiu. Quando aquilo aconteceu comigo eu achei que poderia contar com você, mesmo sendo um idiota você me ajudou bastante naquele discurso do prêmio, você me fez ver que não tem limites a aquelas pessoas que são sonhadoras.

– Eu passei dos limites em achar você um idiota, só que até aqui eu não entendi o porquê que você fez isso.

– Mingyu me disse que se eu fizesse isso eu poderia dar justiça ao meu pai e conhecer minha mãe, ele me ameaçou dizendo que se eu não fizesse contaria a todos aqueles repórteres que eu sou gay, que sou uma vergonha a todos. Eu queria ver minha mãe, queria dar justiça ao meu pai, bem óbvio, e não queria ser uma vergonha a minha família, tudo bem ser gay, não é um crime, eu continuo sendo um ser humano normal, mas não quero que ninguém me bata, que ninguém me olhe com nojo...Quando eu estiver ao lado da pessoa que eu realmente vou amar, eu posso ser agredido, posso receber olhares retorcidos mas de mãos dadas com aquela pessoa que merece estar do meu lado, eu espero a pessoa certa chegar para ser eternamente feliz.

– Eu entendo isso, você será feliz aqui, mesmo não sendo do jeito que você quiser. Posso ser fofo? – concordou – Tá...Seu universo será colorido. – deram risada – Me dá um abraço.

Jeon tinha ficado feliz, não sabia o que o mais velho tinha passado, não sabia a vida inteira do mais velho e reclamou do mesmo jeito, isso foi um erro, um grande erro, deveria conhecer o mais velho para depois dizer as coisas que pensa.

O abraço foi um misto de desculpas e um de obrigado. Depois do abraço os dois descerem e começaram a preparar o jantar, Jeon não perguntou a pessoa que estava rasgada na foto pois tinha certeza que séria um pouco invasivo, não queria deixar ele mais triste e perder a confiança do mesmo.

Na cozinha eles também não se falaram.

Até parecia que continuaram brigados, mas eles riam de casa situação, como: Jeon colocar pimenta na boca achando que era pó de suco de morango, Taehyung achar que pimentão era um doce, quebrar um copo que não era de Jeon, era de uma moça que sempre ia limpar a casa. Sim, eles se divertiram juntos e Jeon não queria que isso acabasse, menso sendo bizarisse não mesmo.

Desse vez, eles não foram assitir série, eles foram jogar jogo de mesa do porão de. Jeongguk. Aquilo pode parecer exagero mas Jeon tinha uma mesa de ping-pong e outra de sinuca, jogava quando estava sem nada para fazer ou estava com seus amigos, aquilo tirou eles do tédio e fizerem eles se divertiram muito mais. Subiram novamente e se jogaram no sofá, cansados.

– Eu me culpo muito por não ter dado uma simples chance para você.

– Todos nós merecemos um segunda chance, não? Eu também me odiaria se fosse você. – riu. – Você está com cheiro de suor. – tampou o nariz.

– Ganhar de você é fácil, só suei correndo atrás de você, você roubou.

– Eu só bati na bola porque já estava 10x3.

– Da próxima eu deixo você ganhar.

– Vai nessa. – bateu no ombro do mais novo – Vou no banheiro.

Jeon gosta de Taehyung, gosta bastante, mas nunca viu o mais velho por segundos olhos, nunca viu ele em uma maneira pervertida. Ele acha Taehyung bem atraente, gente boa, bonito, elegante, mas nunca pensou em gostar ou namorar ele, até que namorar não seria uma boa ideia, não quer se relacionar com ninguém por enquanto, quer continuar como sempre, apaixonado por Minhyuk.

Amanhã era dia de Praia, todos os meses dias 9 eram dias de praia, quando eles não conseguiam eles iam para piscina do prédio e outra dia iam até a praia, sempre fora assim.

– Você quer ir na praia com a gente? – disse Jeongguk, tomando um gole de seu chá.

– Com quem?

– Jimin Hyung, Hoseok Hyung, Sehun Hyung, Suho Hyung, Taehyun e Yoongi Hyung.

– Também quero ser chamado de Hyung.

– Ok Hyung, tem certeza que não quer ir?

– Sim tenho. – se levantou pegando as coisas de cima da mesa levando direto a pia – Aproveito e faço o almoço.

– Ok, se você quiser mudar de ideia te levo. – se levantou da mesa – Vou montar minhas coisas, já volto.

Seus amigos já tinham chegado em casa e nessa hora Taehyung já deve está praticamente no final do almoço, pegou sua bolsa e levou até a sala, recebendo olhares confusos de seus amigos se perguntando do porque Taehyung estar aqui.

– Já estão preparados? – tentou mudar de assunto.

– Sim...O que ele está fazendo aqui? – Jimin cochichou no ouvido de Jeon.

– Ele precisava de ajuda, então eu apertei isso. – falou da mesma do outro.

– Você perdôo ele?

– Foi no calor do momento, depois eu conto tudo, agora vamos parar de falar assim? Ele pode perceber.

– Ok, vamos. – se pronunciou pela primeira vez Hoseok.

– Sim. Taehyung já estou indo, se precisar de alguma coisa e só me ligar. – Jimin o olhou confuso – Até mais tarde. – olhou duvidoso para o loiro.

Todos entraram no carro e forma direto a praia, eles não tinham a praia toda para si mas sim, eles tinham um espaço especial para todos os dias de praia. Eles passavam o dia todo só mandando ou fazendo coisas bizarras que todos jovens que não aproveitaram a adolescência fazem. Hoje para Jeongguk era um dia muito especial menso sendo igual aos outros, ele poderia ficar até noite na praia sem ter medo de ficar até tarde e não ter desposição para acordar cedo de manhã. A coisa que Jeon estava com um ponto de interrogação era o olhar que Jimin o dava quando estavam em casa, o moreno tinha certeza que Jimin detestava a ideia de ter Taehyung, se duvidar do loiro ele pode até parar de frequentar a casa do mesmo, parar de usar a mesma cama e para de usar o banheiro. Só não sabia Jeon o porquê de tanta raiva.

– Porque você se deu a sua casa para Taehyung? – tocou no assunto novamente, eles estavam sentados um do lado do outro na areia.

– Eu estava em minha casa e chegou o Taehyung dizendo que o Mingyu o assediou.

– Como? – Yoongi ficou surpreso – Não devemos ficar surpresos de nada que vier sobre Mingyu né?

– Esse Mingyu é mesmo perigoso. – falou Taehyun.

– Ele acredita em Taehyung depois daquilo tudo.

– Que nada, eu juro que conversei com Taehyung e sei do passado dele, devia saber da história para dele para depois julgarmos.

– Concordo.

– Tá mas, vocês não desconfiam disso?

– Até porque ele está aqui.

– Que? – olharam para direção que Hoseok apontou pela cabeça. Ele estava conversando com um menino de cabelos bem pretos e escuros. Ele estava brincando com a areia com o pé enquanto conversava timidamente com Soobin, o que ele está fazendo ali?

– Ele sabia que era aqui que a gente estava?

– Se ele soubesse já estaria aqui com a gente, quem é esse garoto ao lado?

– Soobin?

– Como?

– Nada.

Sempre que não fazia nada Jeongguk disparava um olhar curioso para a dubla que estava a pouco metros de distância, sua vontade era cortar o nome do castanho e pedir pra que ele ficar junto com seus amigos, ele parece ter uma conversa bem interessante com esses amigos, seria uma boa chegar nele e começar a conversar. Não, Jeon não podia chegar nele e dar uma de intrometido, queria ser ao menos educado, a vontade estar batendo e ele quer, mas não quer, quer, mas não quer, o que quer que seja não estava aguentando, gostava de ficar com Taehyung e amava ouvir aquela calmante risada que fazia ele ficar totalmente pleno em qualquer hora que seja.

Se levantou limpando sua traseira e foi chegado perto dos dois, quanto mais chegava perto ficará nervoso para reação do mesmo.

– Taehyung? – tocou no ombro do castanho.

– Jeongguk! Você está nessa praia!

– Sim, eu sempre venho aqui com meus amigos. Esse é o...??

– Soobin. – o outro se agachou de uma forma educada.

– Você sempre vem aqui?

– Não sempre, só venho aqui para tirar fotos, gosto bastante de tirar fotos, me considero um fotógrafo.

– Ele tira fotos excelentes, se você duvidar ele pode deixar essa carreira de modelo e ser um fotógrafo.

– Eu já disse Soobin, mesmo que minha mãe não queira me ver por seguir um sonho "bobo" – fez aspas e revirou os olhos – Eu contínuo sendo aquela mesma pessoa, eu não vou desistir só para ver alguém ficar feliz em meu lugar.

– Ok, retire o que eu disse.

– Vocês vão fica aqui até quando?

– Acho melhor eu ir. – falou Soobin – Meu pai deve estar precisando de uma ajuda, você sabe Taehyung Hyung que meu pai é um desastre. Foi um prazer te conhecer....?

– Ah! Jeongguk. – acenou para o moreno que fez o mesmo gesto.

– Você vai ficar aqui?

– Acho melhor eu ir indo, Jimin está me esmurrando com os olhos. – olhou para o loiro que estava com uma feição um tanto raivosa.

– Eu sei, parece que ele odeia alguém.

– Sim. – ficaram em silêncio.

– Se você quiser pode ficar, mais tarde iremos fazer uma brincadeira chamada beijo ou tapa.

– Eu já vi várias pessoas fazendo isso, como se brinca?

– Bom, irá ter uma garrafa de Sujo girando, a ponta da garrafa e a pessoa que vai beijar ou bater e a "bunda" da garrafa e a pessoa que irá receber isso, a sugestão do beijo ou o tapa será escolhido pelos seus amigos, o beijo não pode ser um selinho e o tapa não pode ser um soco, a pessoa que mais receber os tapas terá que pagar um desafio. Um integrante do grupo que foi beijado por todos escolherá a pessoa que beijou bem, essa pessoa que beijou bem irá para cama com a pessoa que escolheu, caso a pessoa não queira você também irá pagar um desafio.

– Uau, mas eu estou vendo so seus amigos ali... Não terá nenhuma menina?

– Não, nós mesmos que inventamos essa brincadeira e começamos a espalhar por aí, como no Tik Tok. Você topa? – levantou a sombrancelha – Devemos beber para brincadeira dar certo.

– Eu topo.

Eles ficaram a tarde em baixo de uma casinha de côco que tinha faz pouco tempo, era bem óbvio que de primeira seu melhor amigos Jimin não tinha gostado nem um pouco da ideia, ele odiava tanto Taehyung que deixava o castanho fora de várias brincadeiras, isso era muito mal para Jeon mas sempre que acontecia isso o moreno dizia que tudo ia ficar bem, algum dia Jimin tinha que aceitar Taehyung naquele pequeno grupo de amigos.

Já estavam bastantes bêbados e juravam que podiam ver o pôr-do-sol da maneira mais coerente de uma pessoa bêbada, se juntaram em uma rodinha em baixo da casa de côco e começaram a brincadeira. Jimin girou a primeira vez da garrafa e parou em Hoseok e Taehyung, aquela adrenalina foi subindo no corpo de Jeon e graças em pode sentir a pressão de ver seu amigos beijando o primeiro homem de suas vidas. Hoseok fazia, Taehyung recebia.

– Beijo ou tapa? – disse o avermelhado.

– Tapa! – gritou Jimin.

– Beijo. – berrou Taehyun.

Assim todos da roda começaram a torcer por beijo, assim foi feito. Hoseok foi chegando perto de Taehyung e selou seus lábios ao pouco, assim que selou Taehyung puxou o pescoço do outro dando passagem a língua, aquilo não estava se tornando um beijo simples mas sim um beijo de língua, os dois estavam super concentrados até que Yoongi parou a concentração.

– Chega! Agora vamos para próxima rodada.

A garrafa girou mais uma vez e parou em Jeongguk e Taehyung.

Jeongguk vai beijar Taehyung.

Aquilo só poderá ser brincadeira.

Ele estava rindo por fora mas estava com medo por dentro.

– Beijo ou tapa?

– Beijo! – berrou Hoseok na mesma hora.

Assim todos começaram a gritar "Beija" em sintonia, Jeongguk estava com um frio na espinha, mas tinha um felicidade o contagiando dentro de si. Jeon foi devagar até Taehyung e destruiu um selinho bem fraco, seus amigos reclamaram com assobios e Jimin apenas comparecia com os braços interligados na perna. Jeongguk foi chegando perto e encostou seu dedo pequeno da borda do rosto de Taehyung, colocando a mão nas bochechas que agora estavam ardentes pelos gritos dos amigos. O beijo estava se aprofundando mais ainda, tinha gosto de Sujo misturado com suco de manga, era bem claro que Jeongguk e Taehyung não iriam se lembrar do beijo no dia seguinte, estavam bêbados e não sabiam de nada sou iam se recordar de nada que irá acontecer.

~

Jeon acordou com a mesma ressaca de sempre, sua cabeça estava doendo e ele estava vendo tudo rodar, tinha bebido muito e não sabia o que tinha feito no dia anterior, só se lembrou do beijo que tinha dado em Taehyung na brincadeira "Beijo ou tapa"

O beijo.

Ele tinha esquecido, poderia lembra a Taehyung perguntando como ele se sentiu no beijo? Ou seria estranho falar disso em uma hora meio desastrosa? Poderia falar que o álcool não tinha passado e tinha soltado coisas obscenas, aliás, porque estava tão preocupado? Ele não vai se lembrar, disso Jeon tinha bastante certeza.

Desceu as escadas e viu Taehyung preparando o café da manhã em silêncio, será que o mesmo estava bravo consigo? Era tantas perguntas que Jeon não conseguia focar em tomar o seu remédio e parar com essa ressaca dos infernos.

– O que está fazendo?

– Estou fazendo o café, até agora preparei um cupcake que tem gosto de chocolate. – sorriu com o seu sorriso quadrado e charmoso. Jeon por uma hora se perdeu naquele sorriso e lentamente foi sorrindo junto, deixando mais ainda que estava vidrado nele, fazendo suas íris explodirem e sua pupila dilatar lentamente. – É você? – saiu de seu transe.

– Vim buscar remédio de ressaca, você já tomou o seu?

– Felizmente eu não tenho.

– Como? – ficou chocado – Você não tem ressaca?

– Sim, isso para mim de começo não era muito normal, até que acabou ficando.

Não apenas tinha ficado chocado mas entusiasmado, não sabia que existia gente que por sua sorte não teria ressaca, queria bastante ter essas sorte do que acordar todos os dias, levantar da cama e ficar tonto e com uma grande dor de cabeça.

– Você pelo menos lembra de alguma coisa?

– Ah sim, lembro que beijei Hoseok, você e também lembro que Jimin e Hoseok foram pra cama.

– É óbvio que disso você lembra perfeitamente. – deu risada.

– Como assim?

– Você lembra do seu beijo com o Hoseok. – sentou na mesa e partiu seu pão, raivoso.

– Tá mas, idai?

– Você mal conhece Hoseok, como pode ter aceitado beijar ele? – jogou a faca em cima da mesa.

– Você não disse que eu poderia recusar ou não o beijo.

– Sim, você pode.

– Qual é a sua? Eu também te beijei ok? – colocou a geleia em cima da mesa.

– Esse é o problema, você me conhece.

– Você está insinuando que só porque eu te conheço eu posso te beijar?

– Você tem namorado.

– É, mas estamos separados por tempo intermediário.

– Eu estou tomando conta de você, eu tenho que ficar de olho em tudo que você faz, eu quis ter essa responsabilidade e estou tomando perfeitamente.

– Eu tomo conta da minha própria vida, se eu quisesse transar som Hoseok eu transaria, você quer tomar conta de mim porque quer, em nenhum momento eu te pedi para cuidar de mim como se fosse um bebê.

Eu quero tomar conta de você, mesmo que você não queria ser cuidado por mim, você será, eu me preocupo com você depois daquilo.

– Não me trate como uma criança!

– Então não aja como uma. – Taehyung subiu as escadas resmungando palavrões.

Estavam brigando por uma coisa idiota.

Estavam perdendo o seu entendimento por uma coisa errada.

Jeon estava errado.

Ele não conseguiu segurar a língua grande do incômodo que teve quando viu Hoseok chegar perto de Taehyung, estava totalmente errado em achar que Taehyung não podia ficar com quem quisesse, ele estava livre e sim, podia muito bem beijar a pessoa que quer, porque até Jeongguk ele beijou. Estava errado em achar que Taehyung não podia se virar sozinho, ele estava errado, estava errado em tudo e queria só ajudar, não piorar. Mas para Jeon ele estava certo, ele estava certo que deveria tomar essas perspectivas em achar que Taehyung não poderia se virar sozinho, mesmo conhecendo Hoseok não saberia até a aonde ele poderia chegar quando estava bêbado.

Não se arrependia de ter dado esse sermão de aprendizado em Taehyung.

Não espere por uma crise para descobrir o que é importante em sua vida.


Notas Finais


Desculpe qualquer erro primeiramente!
Espero que tenham gostado desse capítulo e de mais outros.
Obrigada a você que está lendo!
~rafa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...