História My Neighbor. - Imagine Park Jimin. - Capítulo 6


Escrita por: e oppamochi

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan, Bts, Imagine, Park Jimin, Romance, Você
Visualizações 96
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Jennie: Oee tudo bem cm vocês ?

Nos desculpem a demora, por falta de tempo e de criatividade o capitulo so saiu hoje.

Muito obrigada @euomma que me ajudou no capítulo ❤

Enfim, Partiu mais um ?

Boa Leitura !

Capítulo 6 - Só eu, e ela.


Fanfic / Fanfiction My Neighbor. - Imagine Park Jimin. - Capítulo 6 - Só eu, e ela.

Pode me explicar onde estava? - Questionou Taehyung.

Sua voz de timbre rouco ecoava pela a minha cabeça, eu estava sem saída, realmente meu irmão sabia de algo, entretanto, eu não iria cavar minha própria cova , contando a verdade sobre onde eu estava, ou com quem eu estava.

- Bem, eu apenas sai para conhecer melhor o local. - Digo me virando de costas para o maior.

Nem mesmo conseguia mentir o encarando.

- Afinal, agora que moramos aqui, eu preciso me familiarizar. - Continuo justificando.

Eu esperava sua resposta angustiada, como se a qualquer momento ele pudesse jogar em mim a verdade, sobre o que eu estava fazendo tempos atrás.

No entanto, ele não imitia som algum, meu quarto permanecia em um silêncio sofrego , o qual era crucial para me atormentar, fazendo com que meus pensamentos me acusassem por ter mentido ao meu irmão, o único amigo que tenho nessa droga de cidade.

- E você o que faz aqui ? - Questiono quebrando o silêncio.

Desvio meu olhar para o garoto que se encontrava jogado sobre a cama, este que me encarava curioso por fim sacudiu a cabeça para os lados enquanto estalava a língua.

- Ya ! O que há com você, oppa ? - Fiz bico.

Aish, ele estava tão estranho. Eu o observava atenta , no entanto era quase impossivel o encarar por mais do que míseros segundos; seu olhar frio me questionava e eu temia por seu ato descomunal.

- Apenas não fique saindo por ai sozinha, tão tarde da noite. - Ditou calmo ao passar em meu lado. - Você é só uma garotinha ingênua.

Eu não havia o convencido com minhas respostas, isso era nítido; mas eu não me importava , pelo menos agora nada me importava.

Suspiro pesado ao sentir minhas costas se chocarem com o macio colchão da cama , eu estava exausta , mas provavelmente não conseguiria dormir bem.

Park Jimin me visitava por meio de lembranças, me recordando da noite maravilhosa que tivemos , a qual ele poderia me proporcionar mais vezes.

Contra vontade , me levanto da cama indo ao banheiro , após me despir deixo a água gélida do chuveiro cair sobre o meu corpo , as marcas que Jimin havia deixado, agora estavam ganhando um tom roxo.

Por fim desligo o registro me enrolando na confortável e macia toalha de cor bege; solto meus cabelos do coque desajeitado que antes o prendia, e vou em busca da pomada que eu havia ganhado.

Aplico devidamente sobre as marcas do meu corpo , o que após sentir uma ardência insuportável foi tornando as dores menos incomodas.

Me jogo na cama novamente e deixo com que o cansaço tomasse conta de mim, aos poucos acabo dormindo , entretanto , ainda conseguia sentir o cheiro inebriante de Park em minha pele. O que não tornava as coisas mais fáceis para mim.

[...]

Com o amanhecer veio as preocupações, o que antes para mim era so uma preocupação boba da parte de Taehyung, hoje se tornou em problemas grandes, problemas os quais eu não conseguirei me livrar tão cedo.

Já de manhã Taehyung me encarava sorrateiro , como se escondesse algo que para mim seria essencial descobrir. Ele estava misteriosamente silencioso demais, não só ele , como todos em casa; omma andava calada, preocupada e ansiosa, e eu apenas evitava manter contato com ambos.

Todos tinhamos segredos importantes, mas o que seria mais importante do que a familia para mudarmos tanto e nos distanciar.  

O dia passou lentamente, as horas pareciam minutos, o relógio velho na parede da sala me assombrava com o seu tedioso tic tac; e até então sem sinal de Park Jimin.

Aquele que antes aparecia em minha casa sem ao menos ser chamado , hoje nem mesmo apareceu para nós comprimentar, isso me preocupava.

Ele já havia pensado em mim hoje ?

Estaria com outra ?

Céus, estamos apenas nos divertindo, não é compromisso. 

Balancei minha cabeça em ritmo de negação, caminhando a passos grandes e desajeitados até a cozinha, onde ouvi a voz de minha mãe, e de meu irmão no quintal dos fundos. Franzindo o cenho, me aproximei da porta para me entrosar na conversa; qual essa me excluíam.

Abri a porta de maneira rápida, qual fez a mesma ecoar um rangido forte, denunciando sua velhice, e falta de óleo em algumas partes. Por outro lado, mostrou-me a feição de ambos a minha frente assustados, quais se recomporam segundos depois, olhando para mim como se mantessem segredos.

Minimamente os observei, pedaço por pedaço, expressão por expressão. 

Omma sabia que era uma ótima observadora, e havia puxado essa dadiva de meu pai, o que dificultava passar algo despercebido sobre mim.

-Do que estavam falando?- Questionei cruzando meus braços.

-Na... Na-nada.- Kim disparou nervoso, engolindo em seco.

-Vocês se entregam sozinhos olhando um para a cara do outro, assim, assustados.- Rebati fuzilando minha mãe, qual era a única calada.

-E que problema há em ter segredos com meu filho?- Respondeu a mais velha enfim.

-Desde quando precisam de segredos? Ainda mais me excluindo assim?- Sorri nasal.

-S/n, não fale bobagens!- Respondeu em alto e bom som ela.

Francamente.

-Se não há nada, por quê esta gritando?

Praticamente havia a apertado sobre a parede, e antes mesmo que me respondesse, Taehyung puxou-me pelo braço para dentro da casa, onde so me largou quando chegamos a sala.

-O que deu em você falar assim?- Intimidou.

-Desculpa, mas alguem que vive de segredos não tem direito de pedir explicação.

Batendo os pés, subi degrau por degrau, demonstrando a tamanha irritação que sentia por toda aquela situação. Fechei a porta de meu quarto, a trancando necessariamente três vezes, para impedir que entrem de qualquer forma em minha privacidade. Sentia como se estivesse sendo traída, como se dentro de mim, o pequeno elo entre me acalmar e a discórdia, era travado, tentando decidir quem tomaria a redia da situação.

Sentei-me sobre a cama pensando em apenas Park, qual poderia aliviar meu estresse de toda essa palhaçada. Suspirando, peguei meu celular sobre a cama, olhando em nossa última conversa qual apenas visualizou minha mensagem; porem, sem respostas.

Irritadiça, estalei minha lingua jogando o aparelho para longe de mim, encarando o grande teto a cima. Era o que poderia fazer, embora tentasse tramar inúmeros planos e armadilhas, para descobrir seja lá o que for que os traiçoeiros estavam tramando.

Eu mereço.

[...]

Em um estalar de dedos, quando acordei, a única coisa que me iluminava era a luz da lua. Olhei para os lados perdida, sentindo a dor em meu corpo pela ma posição que havia ficado por tanto tempo. Levantei-me, caminhando até a janela com o celular em mãos; e mais uma vez, sem mensagens de Park. 

Então, resolvo mandar.

"Onde está? Preciso desestressar!!"

|21:58|

Coloquei o celular em meu bolso, abrindo a porta de maneira silenciosa para não ser pega, descendo para o andar debaixo. Haviam vozes conhecidas por mim na grande sala, e as acompanhei até ver onde davam.

-Ô, entre.- Riu soprado minha mãe.

Meu irmão permanecia parado ao seu lado, com um pequeno sorrindo forçado em seus lábios, observando aquele que entraste  em nossa casa.

-Taehyung, como está?

A voz se impregnou em meus ouvidos, deixando-me atônita a qualquer explicação que o fez estar aqui. De certa forma, me sentia traída, e ao menos poderia dizer algo, já que, sexo casual não me levava ao ponto de o questionar algo. Entretanto, que diabos está fazendo em minha casa sem me consultar? Ou melhor, apenas com minha mãe, levando  em consideração a obrigação obvia estampada no rosto de meu irmão.

-Querida, acordou?- Perguntou a mulher, olhando para mim de maneira sensata.

-Há, sim.- Dei de ombros.- Marcaram alguma coisa para hoje, e esqueceram de me avisar?- Questionei diretamente para Park.

-Sua mãe queria conhecer a região, então a convidei para jantarmos fora hoje.- Sorriu dócil a ela.

Mordi meu lábio inferior, batucando os pés sobre o chão. Olhei para a mesma que corava instantâneamente, sem conseguir me olhar por um longo tempo.

-Sem nós dois, omma?- Afrontei.

-Sim, vocês já estão numa boa idade de se cuidarem sozinhos.- Respondeu firme.

-Sera só vocês dois?- Ri debochada, alternando o olhar entre os mais velhos a minha frente.

-Sim, só eu, e ela.


Notas Finais


Comentem, favoritem;
Nos deixem saber se vocês gostaram
Até o próximo <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...