História My neighbor - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags Abo, Alfa, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin Bottom, Jungkook Top, Ômega, Park Jimin
Visualizações 2.001
Palavras 2.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus pequeninos, tudo bem com vocês?
Então, estava aqui pensando lindamente em minha fanfic e santo cristo
BOA SORTE PARA VOCÊS PARA ATURAREM MEUS DRAMAS, RS.

Enfim, fiquem com o capítulo!

Capítulo 6 - Você é sensível, Jimin


Fanfic / Fanfiction My neighbor - Capítulo 6 - Você é sensível, Jimin

A face carrancuda do moreno ainda se mantinha estática, olhando para o rosto recheado por medo de Jimin. Suas mãos tremiam e a tez suava, deixando uma camada fina pelo líquido que saia de seus poros. Engoliu em seco mais uma vez. As sobrancelhas do amorenado se juntaram, tornando-se ainda mais zangado, amedrontador. O que havia feito de tão errado? Claro que, mesmo que não quisesse que algo que acontecesse com Jeon, não pode não ligar para aquela afronta com sua comida e o jeito com que Yang Mi o olhava, assim para com Chung Hee. Ela mereceu, mesmo que precisasse colocar em jogo o trabalho de Jungkook e essa glória ele não tiraria de si mesmo.

 

— Você sabe o que fez Park Jimin? — Os orbes castanhos do alfa agora tomavam um tom puro de amarelo queimado, vendo o lúpus nascer dentro do maior. O medo perseguiu ainda mais suas veias, deixando a sua respiração desregulada. O outro se aproximou gradativamente, saindo de seu lugar na cadeira e Park fez o mesmo, querendo se afastar da brutalidade na voz do de cabelos castanhos.

 

— Você sabe que ela fez bem por merecer! — Tentou proteger-se das investidas alheias, retrucando com a verdade que acreditava. Ele estava certo, não estava? Jungkook gargalhou sarcástico, sem humor algum. Foi aí que o ômega abandonou completamente sua sanidade e lágrimas de pavor já enchiam seus olhos escuros.  

 

Esta mulher é a filha do meu chefe. — Declarou enquanto chegava ainda mais perto do pequeno, o prensando contra a parede atrás de si, jogando ambas as mãos no concreto ao lado da cabeça do ruivo, ecoando o barulho estrondoso da pele contra os tijolos. — Meu emprego dependia disto e agora por sua culpa eu posso perder tudo o que construí aqui! — Os dentes de coelho não sorriam, apenas rangiam com ódio. O miúdo se encolheu no lugar sob a entonação furiosa. A face acarretava um verdadeiro psicopata. -— Você tem noção do quão grave isso pode ser?!   

 

— M-me desculpa... — Colocou as mãos curtas sobre os olhos, desejando que aquele pesadelo acabasse. — E-eu não sabia, eu só... — Foi interrompido por um bufar e decidiu que precisava ficar calado antes que o Jeon o atacasse.   

 

Mas não foi isso que ele fez.

 

Sentiu os braços calorosos e musculosos lhe envolvendo em um abraço demorado. O nariz alheio prendeu-se ao cabelo arruivado do outro, sentindo o cheiro doce que tanto gostava. As palmas pequeninas estavam sobre o peito do moreno, apertando ali como se precisasse de mais daquilo. O contato dos corpos ficava cada vez mais próximo e Jimin sentiu a necessidade de ter o mais alto por perto. Acabara de levar uma bronca do mesmo e agora estava recebendo carinho e não entendia por que, mas estava adorando aquilo, a proximidade e o calor que o derretia por dentro. Permitiu-se fechar os olhos e aproveitar cada segundo do abraço.

 

Não consigo ficar zangado com você, Jimin. — Revelou o maior enquanto deixava um beijo casto nos cabelos clarinhos. — Que droga, acho que estou apaixonado demais. — As bochechas gordinhas de Park tornavam-se rubras, em um tom de carmim, o coração pulou uma batida e jurava que morreria ouvindo aquelas declarações. — Me desculpe, não deveria ter levantado minha voz com você. — O amorenado sabia que naquela expressão de medo a culpa era sua e que a intenção do menor não era fazer mal algum, simplesmente estava fazendo algo pelo momento, por sentir raiva da loira que era definitivamente mau caráter.    

 

— M-mas você está prestes a perder seu emprego, você veio aqui somente para isto e eu... Coloquei tudo a prova. — Sentiu o aperto ficar ainda maior, acabando com o espaço vazio entre os torsos. Estava se sentindo tão triste por ter arruinado tudo, mal conseguiria ficar em pé se o alfa não estivesse o segurando.     

 

— Existem milhares de centros de advocacia, essa não é a mais famosa. Eu me ajeito no que for melhor para todos e não irá ter problema sair daquela empresa. Acidentes acontecem e eu jamais deixaria que aquela mulher fizesse algo de ruim para o meu bebê.  — Seu bebê? Um frio percorreu pela espinha do ômega com aquela simples frase, deixando seus poucos pelinhos do ruivo eriçados. O maior percebendo aquilo levou seus lábios até o pescoço desnudo do outro, deixando um selar delicado ali, ouvindo um suspiro de surpresa. — Está ficando tarde, você precisa descansar. — O gato comeu a língua de Jimin, o deixando desnorteado. Mesmo que precisasse ir, ele não queria sair de seu lugar, de seu aconchego, não queria sair dos braços de Jeon em hipótese alguma. — Eu te acompanho até a porta de sua casa. — O amorenado sorriu graciosamente, deixando expostos os dentes avantajados que o pequenino tanto adorava.    

 

Caminharam lentamente pela noite em passos curtos, chegando até a residência ao lado, moradia de Park. Assim que estavam na porta da mesma pararam e olharam-se intensamente, porém, o carinho presente se quer saia de ambos. O som das respirações tranquilas era só o que poderia ser ouvido dentre aquele vácuo gostoso que emitiam. O alfa mordeu o lábio inferior, desejando não abandonar o miúdo por mais uma vez. Queria sentir o cheiro do ruivinho um pouco mais, abraçá-lo um pouco mais. Sorriu de canto dos lábios em meio aos seus pensamentos e se aproximou, desviando as madeixas clarinhas da testa, enviando-as para trás de suas orelhas. Beijou a pele leitosa do local escolhido e voltou a seu posto, sentindo o coração acelerar só de ver a leve vermelhidão no rosto do ômega.

 

— Por favor, se cuide. — Disse segurando os dedinhos gordinhos de Jimin, olhando para os mesmos enquanto brincava com eles.  

 

— Jeon? — Capturou a atenção do mais alto com o chamado. — Eu acho que... Eu aceito o beijo de despedida. — Mesmo não olhando diretamente nos orbes escuros como a noite de Jungkook, pode ter certeza que demonstrava sinceridade quando exclamava o pedido indireto. Sorriu largo ao imaginar que finalmente poderia lhe tocar nos lábios com seus próprios. Seu peito brilhou em esperança e felicidade, erguendo sua destra e alcançando o queixo alheio, puxando seu rosto para si.  

 

Aproximou-se e novamente aquela sensação maravilhosa de suas respirações se tocando tomou conta de seu ser, tendo certeza de que aquele seria o melhor beijo de sua vida. Provar dos lábios grossos do pequenino era algo que almejava desde a primeira vez que colocou os olhos no outro.

A boca avançou e as pálpebras de Park se comprimiram para ficarem fechadas. Não percebeu quando finalmente estavam num ósculo calmo e delicioso. Primeiramente apenas trabalhavam em se acostumar com o toque, logo depois se abrindo e incentivando as línguas dentro das cavidades, quase desesperados para terem os músculos aveludados juntos, unidos em uma dança bonita. As salivas se encontravam e as mãos esguias e gélidas de Jeon trilharam para a cintura alheia, apertando o local para os corpos colarem. Já os cabelos escuros do maior eram maltratados pelos dígitos do ruivo, assim como a nuca que ficava vermelha por ser delineada com as unhas curtas do outro, deixando tudo ainda mais intenso.

O alfa chupou a língua do ruivinho com vontade, no mesmo momento prendendo entre os dentes o inferior alheio, procurando pelo ar que lhe faltava, ouvindo um gemido abafado do menor. Sorriu vencedor e deixou um último beijo estalado em seus lábios grossos, então passando a aproveitar-se da região de seu pescoço, descendo os selares molhados até parte do ombro de Jimin, deixando alguns chupões rápidos para que a tez ficasse marcada de um rosa forte.

 

J-Jungkook... — O ômega murmurava fraco enquanto a boca trabalhava no seu torso, manchando-lhe belamente com suas cores. Já o amorenado ficou encantado pelas lamúrias de prazer aos seus toques, o vendo estremecer sob sua língua. Aquilo foi um incentivo para continuar, assim trilhando com sua saliva um caminho até a clavícula do mais baixo.    

— Você tem um dom incrível de mexer com meu psicológico, Jimin. — Sorriu bobo enquanto movia seus lábios diretamente na superfície lisinha com cheiro adocicado, marcando mais algumas vezes ali. Aquilo atiçava seu lúpus, mesmo que o ômega não estivesse em seu cio, a vontade de puxar suas presas e marcá-lo era intensa. 

— E você continua com a mesma mania de não ter vergonha na cara. — Estapeou o braço musculoso de Jeon, o vendo rir baixinho contra seu corpo, deixando o local gélido, fazendo-o arrepiar.

Você é sensível Jimin, e eu adoro isso. — Voltou sua atenção para a boca carnuda, observando a vermelhidão extremamente visível nos mesmos, ainda com os olhos totalmente brilhantes de seu pequenino. Parecia mais feliz do que nunca e jamais imaginou que finalmente teria aquele momento. Esperou, mesmo que pouco, por sentir algo como estava sentindo.

Depois de tantos anos na seca, esperando amar alguém de forma real sendo recíproco, não poderia deixar a oportunidade passar.

— Eu queria muito poder ficar aqui com você a noite toda, mesmo que for pra ver o brilho das estrelas refletido nos seus olhos, ou apenas te beijar por mais uma vez. Mas creio que o senhor esquentadinho não irá gostar de minha audácia. — Levantou ambas as mãos em sinal de rendição, fitando Park cruzar os braços e estampar um bico em seu rosto, logo mordendo o inferior por puro instinto. Jungkook se abeirou do ruivinho e passou seu dedo sob a superfície de seus lábios, o fazendo soltar de seus dentes, aproveitando-se e judiando dos mesmos com os seus próprios, puxando para seu contato. Jimin corou violentamente e a respiração travou consigo. — Só eu posso morde-lo. — A voz rouca de alfa se fez presente e o de cabelos arruivados sentiu a onda de prazer percorrer por todo o seu corpo apenas com a imposição alheia.

Um voto de silêncio foi feito em meio à escuridão, onde deu espaço para que o amorenado seguisse seu caminho para a residência de numero cento e quarenta e sete. Por mais que quisesse ficar ali, inúmeras e incontáveis horas junto do menor, o acariciando e mostrando que poderia ser alguém melhor, totalmente ao contrario do que se passava na cabeça do miúdo sobre si, diante das situações daquela semana tão agita. Porém, saberia que não poderia ir rápido demais para não assustá-lo. O dia seguinte seria agitado e deveria ter estômago para enfrentar uma batalha árdua e Park deveria ser na mesma medida.

Jeon Junggukie! — A forma manhosa de como Jimin lhe chamava fez com que soltasse uma risada despercebida antes de virar novamente para sua direção. — Segure. — Disse enviando um beijo aéreo, sorrindo envergonhado em seguida. O Jeon mais velho fez questão de estender suas mãos ao vento, mesmo sabendo que não havia nada ali, segurando o selar invisível e direcionando a sua própria boca.

Ambos voltaram para suas casas em um repleto silencio, porém, com os corações turbinados e a mente em turbilhões de pensamentos sobre como gostaram de ter a presença um do outro, tanto nos abraços fortes como no beijo tão gostoso. Tudo se movia devagar, mesmo tendo alguns passos para trás, havia trinta mais pela frente. Teriam de chegar à um destino e era isso o que queriam de fato.

 

(...)

 

— Eu já disse a você pai! Aquele ômega desgraçado tem que morrer! Não viu o que fez comigo?! Graças a ele meu vestido caríssimo está manchado de laranja. Olha meu cabelo! — Yang Mi tentava ao máximo expressar seu ódio sobre Jimin para seu pai, que este estava ficando cada vez mais irritado com as reclamações, massageando a têmpora de forma frenética. — Vai ficar aí parado sem fazer nada?! — A loira bateu na mesa em protesto. — Seu novo empregado, Jeon Jungkook, se quer fez algo para me ajudar. Eu o quero fora desta empresa! — Escandalizou enquanto buscava por algo para secar e retirar o cheiro quase podre da fruta em suas madeixas claras.

A mulher se quer admitiu para o pai que tinha uma quedinha (ou talvez tivesse se jogado de um precipício sem pára-quedas) pelo alfa, querendo ficar com ele no final e tirar umas lasquinhas do corpo gostoso que este possuía consigo. Afinal, passar os cios sozinha, uma moça de negócios e extremamente rica não seria nada justo, não? Mas afinal, agora não media esforços para odiar ambos os dois homens que encontrara naquela noite.

— Se quer tanto que eu faça algo, Yang Mi, eu farei de tudo para que você possa ficar confortável da situação, sim? Agora pare de me encher o saco. — Ditou severo enquanto acendia um cigarro com seu isqueiro polido em ouro.

— Eu quero isso agora! Inferno! — Gritou mais uma vez, jogando sua bolsa no chão, quase quebrando tudo que lhe vinha pela frente. O chefe bufou, colocando-se em seu lugar e soprando a fumaça para fora da boca.

— Certamente, minha cara filha. — Fechou os olhos antes de tomar a perfeita decisão. — Então eles estarão fora do que chamamos de grande Busan, querida.


Notas Finais


IIIIIH MAIS TRETAS.

1° Para quem tinha certeza de que o Jimin não ia sofrer com Jungkook pelo que ele fez: Acertou na mosca.
2° Que beijo foi esse Brasil?
3° Que porras vai acontecer?
4° Acho que nunca contei em que cidade eles estavam mesmo, então, para contar, seria a cidade natal de ambos, Busan.
5° Parece que alguém vai ter que se mudar novamente.

Apenas deixando o segredo no ar.

HIHIHI

Comente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...