História My New Step-dad - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Padrasto, Romance, Yes Daddy
Visualizações 17
Palavras 1.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction My New Step-dad - Capítulo 2 - Capítulo 2

                       *Alec*

...Noite de sexta...

O telefone de casa toca, e eu sei que é o porteiro que chama. Eles São os únicos com o número. Graças a porra ela está aqui antes de precisar me ausentar estar com a mente tranquila para o meu jantar de negócios. Eu, pelo menos, Quero mostrar a ela o lugar antes que tenha que ir, mas eu pensei que o porteiro iria apenas dar-lhe a chave. Eu não conheço a menina, mas não quero que ela fique sozinha Quando eu chegar aqui pela primeira vez. passo fazer algum tipo de esforço, Mas pensei que ela estivesse aqui a horas.

- Frank. - Eu digo, sabendo que é ele. Ele estava no saguão quando cheguei em casa, e me informou que ela ainda não tinha pego a chave. 

- Boa noite, Sr. Archer, a Srta. Sullivan está aqui para vê-lo. - Bem merda, eu poderia ate recebe-la se a filha de Debra não chegasse aqui a qualquer momento. Holly Sullivan é filha de um dos maiores clientes da empresa e estava bem ciente de que meu casamento foi apenas uma conveniência. Em várias ocasiões ela me deixou saber que adoraria estar na minha cama.

Eu tinha brincado com a ideia anos atrás. Ela era quente e exótica, olhando com cabelo escuro longo e as pernas ainda mais longas. Mas, eu decidi não seguir adiante. Agora que eu estava solteiro, juntamente com esse sentimento de não sentir o corpo de uma mulher contra o meu em anos, eu estava começando a repensar as coisas. Ela seria discreta meu objetivo é mútuo, apenas sexo.

- Por favor,  mande a Srta. Sullivan subir. - Eu digo a Frank antes de desligar, agarrando o meu paletó, o largo nas costas da minha cadeira e desligo o meu computador. Imaginei que Holly queria me encontrar no jantar com o seu pai, mas eu acho que houve uma mudança de planos.

Olhando no espelho, eu ajusto a minha gravata. Talvez Holly e eu poderíamos voltar para o seu apartamento após o jantar. Foda-se, eu não tenho nenhum preservativo, mas Aposto que ela tem. Holly anda atrás de sexo e é apenas o que eu preciso. Talvez eu pudesse foder o estresse fora do meu sistema.

Eu faço o meu caminho até o elevador espero ela chegar. Eu possuo todo andar superior do edifício, mas eu realmente posso precisar obter um novo lugar. Debra e eu adquirimos um grande lugar para começar, tivemos o nosso próprio espaço e não ficamos no caminho do outro. Agora exatamente grande apenas para mim.

Quando a porta se abre, Holly vem andando balançando os quadris direto em minha direção. Seus altos clicam no chão de mármore, e vejo a portas deslizarem se fechando atrás dela. Seus longos cabelos cor de chocolate estão empilhados em sua cabeça, expondo seus ombros nus. O vestido vermelho que ela está usando é colado a ela como uma segunda pele e mostra suas longas pernas. Elas são feitas para olhar, ainda mais porque ela esta usando o tipo de sapatos femininos que os homens gostam de fode-las com eles.

- Você finalmente vai aceitar a minha oferta? Temos dez minutos antes de precisarmos sair, e eu aposto que poderia fazer você gozar antes disso. - Diz ela, indo direto ao ponto.

Holly nunca foi de rodeios. Ela sabia que eu nunca aceitaria a sua oferta por respeito a Debra, mas agora as coisas mudaram. Ela envolveu seus braços em volta do meu pescoço, seus saltos são tão altos que ela está quase ao nivel dos olhos. É impressionante, sendo que minha altura é 1,93m.

- É assim?  - Eu provoco, puxando-a para mais perto e olhando em seus olhos castanhos escuros. Seu perfume e prostituta enche meus pulmões, mas meu corpo não parece reagir. Talvez tenha sido pelo tempo que estive sem sexo, meu pau não se lembra da sensação de ter uma mulher tão perto. Eu estou dando-lhe a luz verde, mas ele nem sequer se move.

- Sim. - Ela sussurra contra a minha boca, mas antes que os meus lábios toquem os seus o elevador deslizam e se abrem, revelando algo que faz o meu pau mole, finalmente, crescer com necessidade. Ele preciona duro contra o meu zíper e de repente começa a doer. Se essa é a pequena Sophie, eu estou totalmente fodido.

Eu nunca vi algo parecer tão perfeito e puro antes. Ela é a perfeição. Todo o meu corpo ganhou vida como um soco no meu sistema. 

- Holly, se me der licença, eu preciso de um minuto. - Digo, indo para longe. Antes de eu dar um passo, virome ao redor e tento ajustar-me porque o meu pau duro é obsceno nesta calça. Holly me dá um sorriso sensual e um aumento de sobrancelha, mas não explico que meu pau está duro não por sua causa, mas sim por causa da minha enteada. Eu prefiro-a deixar pensar deste modo.

Foda-se, o que está errado comigo? Eu olhei para Sophie e ja fiquei com total tesão. Contenha-se, Alec.

Respiro profundamente, e mantenho o meu corpo sobre o controle o melhor que posso. eu volto para o elevador caminho até onde ela está de pé. ela tem olhos azuis idênticos aos de Debra e isso me choca, pois eles não parecem tristes. eu nunca percebi que Debra possui esse olhar, até agora, eu os comparo com as safiras brilhantes e felizes de Sophie. é estranho como ela me deu desarma com apenas um olhar. Ela é pequena, em torno de 1,60m, e tem muitas curvas, o tamanho perfeito para preencher minhas mãos. seu corpo parece de uma mulher madura, e não é o que se espera de um corpo de uma garota de dezessete anos de idade. ela está usando calça jeans e um top que não faz nada para esconder seus seios cheios. seus longos, ondulados, cabelos loiros caindo pelas costas e fazem com que seu olhar pareça como  se ela tivesse sido recém-fodida. Jesus Cristo, essa menina é uma bomba. 

Em meus pensamentos, por um lado estou fantasiando sobre o que eu quero fazer com ela e o seu pequeno corpo sexy, e, por outro, estou em conflito sobre como eu não deveria estar tendo esses pensamentos. suas pernas são grossas, me dão água na boca só de pensar em como eu poderia afundar meus dentes no interior de suas coxas. Eu posso sentir meu coração batendo a pulsação de meu pau, e tento me concentrar em nada, mas minhas fantasias proibidas.

- Por favor, desculpe-me, eu estava esperando que você visse mais cedo. - Digo em um tom cortante. Eu não tinha a intenção que o nosso primeiro encontro pudesse ser assim, e é um pouco embaraçoso para ela por estar corada. Sua pele é tão leitosa e pura, o menor rubor faz seu olhar tão inocente. Meu Deus, ela parece intocável. 

Meu pau pulsa com o pensamento, mas eu o dissipo imediatamente. Ela É a minha responsabilidade por uma semana. Eu posso fazer isso.

- Deixe-me mostrar-lhe ao redor. Eu tenho um compromisso hoje a noite e preciso sair.

Ela acena levemente com a cabeça e me segue por todo lugar. ela parece tímida e quieta, O que é bom para mim. eu tenho um pensamento fugaz de alguém tirando proveito de sua inocência, e eu percebi que ela nunca esteve sozinha fora dos internatos. ela esteve na França, voltou para América, além de sair do internato isso deve ter virado sua cabeça para baixo.

Balança a cabeça para banir a minha preocupação. Este não é o meu problema. eu estou ajudando-a a obter um novo lugar e então estamos acabados. ela está sozinha.

- Este foi o quarto de sua mãe. - Eu digo, e paro por um momento para deixa-la olhar ao redor. - Você é bem vinda para fazer o que bem entender com essas coisas, então sinta-se livre para percorrer e escolher o que você deseja manter. Vou doar qualquer coisa que você não queira. - Ela olha para mim particularmente, mas eu continuo caminhando.  - Aquele é o meu quarto, lá em baixo no final do corredor. - Eu digo apontando - E o seu é bem aqui. - Nós paramos na frente de sua porta e eu a abro.

Ela deu passos lentos atrás de mim, e fico com um pouco de doce perfume madressilva. eu respiro profundamente e fecho os olhos. A palpitação no meu pau volta.

Quando eu abro meus olhos, eu vejo-a olhando para mim, depois de volta para o chão. ela parece tão submissa, e eu tenho a subta vontade de coloca-lá de joelhos.

- Sim, bem, esse é o seu quarto. - Eu digo novamente e limpo a minha garganta. Que porra à de errado comigo? Ela é apenas uma maldita jovem para estar fazendo isso em meu corpo  

Eu realmente preciso transar.

- Obrigada, Sr. Archer. - Ela sussurra, e eu percebo que está é a primeira vez que ela falou. A voz dela é suave, me pergunto o quão duro poderia fale-la gritar meu nome. Eu quero ouvi-la dizer isso agora.

- Alec. Por favor, me chame de Alec. Acho que podemos passar certas formalidades, especialmente enquanto você estiver morrando aqui.

- Obrigada,  Alec.

- Seja bem vindo. Sinta-se livre para fazer oque quiser em casa. Eu estou fora esta noite, e provavelmente não vou ve-la pela manhã. Vou deixar um recado para a minha empregada, Lily, ajuda-lá se você precisar de alguma coisa. Ela vai estar aqui na parte da tarde.

Ela olha em volta de seu quarto novamente e, em seguida, olha para mim. ela acena e caminha em direção a sua cama, colocando a bolsa sobre ela.

Eu seguro a maçaneta da porta e, em seguida, me viro bruscamente. tenho que sair desse lugar. Eu entro no corredor. Quando chego ao elevador, onde Holly esta esperando, eu pego em sua mão e puxo em direção ao elevador.

- Está tudo bem? - Pergunta ela, com um olhar preocupado no rosto. 

- Vou explicar mais tarde. Não queremos nos atrasar para o jantar. 

Honestamente,  não tenho ideia de como explicar que eu quero foder a minha enteada. 


Notas Finais


Então como ta ficando a história?? ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...