História My New Teacher - Imagine Jeongguk - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Park Jimin (Jimin)
Tags Amor Proibido, Incesto, Namjoon Bff, Padrasto
Visualizações 139
Palavras 1.144
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou!

Sei que demorei DEMAIS pra atualizar a fanfic, não só essa, mas todas as que eu tenho. Mas juro que agora eu voltei, e voltei com tudo!

Capítulo 5 - 4 - Beijoqueira


S/N estava nervosa com seu encontro, afinal, nunca estivera em nenhum antes. 

Suas mãos suavam como nunca, estava quase na hora de Namjoons buscar a mais nova em sua casa, eram 15:30. A garota estava vestindo uma saia preta, junto de uma bota da mesma coloração e uma camiseta de mangas compridas branca, também, uma jaqueta preta. 

Seu padrasto continuava na casa, estava sentado no sofá, mexendo no celular enquanto seu pai estava fazendo algumas ligações importantes do trabalho dele. 



— Obrigada! — falou S/N assim que Namjoon abriu a porta do carro, do banco do passageiro para a menina entrar. 

— Por nada, princesa. — O apelido fez com que um sorriso meio bobo se fizesse presente nos lábios da menina. 

— Então... O que queria me dizer — Diz meio envergonhada, olhando para suas mãos. 

— Vamos deixar isso pra depois, pode ser? 

A pequena apenas balança a cabeça positivamente. 

Após não muito tempo, o carro de Namjoon é estacionado em frente à uma cafeteria bem conhecida da cidade. S/N nunca havia ido lá, mas seu pai havia comentado comigo sobre as comidas e bebidas maravilhosas que eram vendidas ali. 

A porta do passageiro é aberta pelo maior, para que ela pudesse sair, e assim o fez.  

entraram no local em silêncio, na intenção de não chamar atenção das pessoas — que não eram muitas — que estavam ali. 

A mais nova um tanto surpresa pelo fato da cafeteria não estar lotada. Era uma cafeteria conhecida no centro da cidade, devia estar completamente cheia, a sua curiosidade a fez comentar esse fato com Namjoon, que logo respondeu. 

— Normalmente as pessoas não costumam vir aqui nos sábados à tarde, por isso sempre venho. Não gosto de lugares muito agitados. 

Apesar da explicação, não achou que fazia muito sentido as pessoas não comparecerem em uma cafeteria no fim de semana. 

O local não era lá muito grande, mas era aconchegante. Tocava uma música não conhecida pela garota em um tom não muito alto, mas alto o suficiente para agradar o ouvido de qualquer um e não atrapalhar as conversas dos clientes que lá estavam. 

Apenas duas mesas estavam ocupadas, então S/N e Namjoon optaram por sentar em uma mesa um tanto afastada das outras, essa mesa ficava no fundo da cafeteria. 

— Com licença! O que vão querer? — Uma moça com o avental das cores do símbolo da cafeteria aparece, a garçonete. 

 A menina passou olhar pelo cardápio e logo decidiu o que iria querer. 

— Eu vou querer um macchiato e uma torta red velvet, por favor. 

— E eu uma Torta de limão e um expresso, por favor! — Namjoon fez o seu pedido e em seguida a moça saiu, fazendo uma reverência primeiro. 



Os dois amigos ficaram bastante tempo na cafeteria, saíram de lá eram exatas 18:30, pois dali meia hora o estabelecimento fecharia, e eles não gostariam de ser expulsos de lá. 

Namjoon fez questão de levar S/N até a porta do seu apartamento, para ter certeza que a mesma chegaria lá em segurança. 

— Vai me contar o que é? — S/A diz, antes que entrasse em casa.

— Talvez eu esteja um pouco com medo da sua reação. — Ele solta uma risada baixa. 

— Só fala! — Ela insistiu um pouco. 

— Olha... Eu não sou bom com palavras mas eu preciso falar logo isso. Eu sei que a gente se conhece a pouco tempo, eu sei. — Ele faz uma pausa. — Mas eu não consigo controlar o que eu sinto, é tudo novo e estranho pra mim! 

A morena sabia o que estava por vir, sabia o que ele ia falar em seguida e o conselho do seu padrasto não pareceu tão absurdo nesse momento. 

beije-o

Os braços da mais nova entrelaçaram-se ao redor do pescoço de Namjoon — mesmo que com um pouco de dificuldade devido a diferença perceptível de altura que havia entre os dois —, a menina aproximou seu rosto do rosto do garoto, um tanto envergonhada. Seus olhos se fecharam quando sentiu Namjoon roçar seus lábios no dela, e em seguida, ambos os lábios estavam colados em um ósculo calmo, sem muita afobação. 

As mãos do mais velho se encontravam segurando a cintura de S/N firmemente, como se não pretendesse soltá-la tão cedo. 

Os lábios inexperientes de S/N se abriram um pouco, fazendo Namjoon entender que ela queria continuar com o beijo.

Ambas as línguas se entrelaçaram, intensificando aquele ósculo que antes era calmo e agora havia uma tensão pairando no ar. S/N permitiu-se que desse alguns passos pra trás, até sentir que Namjoon a pressionava minimamente contra a parede. 

A falta de ar se fez presente nos pulmões de S/A, que consequentemente separou o beijo devagar, a mesma recebeu alguns selares em seus lábios após o beijo. 

— Eu acho que eu preciso entrar agora... Obrigada por hoje, foi incrível. — Dá um sorriso e faz uma breve reverência ao mais velho. Abre a porta de casa, entrando ali. 

Assim que entra, acaba por se encostar na porta e seus dedos repousavam sobre seus lábios, relembrando o recente beijo que ela havia dado em seu melhor amigo. Ela não estava arrependida, longe disso, estava completamente feliz por ter tido coragem pra fazer tal ato, talvez, os conselhos do seu padrasto não sejam tão ruins. 

As luzes do seu apartamento estavam todas desligadas, apenas a luz da cozinha estava acesa e, por instinto, ela se direciona até lá, mas antes deixando sua bolsa sobre o sofá mais próximo. 

Ao chegar na cozinha, S/N se depara com seu padrasto sentado no banco, o que surpreendeu um pouco a garota. 

— Olá, beijoqueira — Ele ri. 

— Como você... 

— Olho mágico! Vi mais do que desejava ver. Parece que você aprendeu bem comigo. — Seu tom era uma mistura de ironia e sensualidade, era sempre assim. 

S/A se sentou sobre o balcão, segurando um pote cheio de biscoitos com gotas de chocolate, olhando incrédula pro jovem. 

— Você está louco? Falar sobre isso aqui em casa? — Ela sussurra, com medo que seu pai pudesse ouvir as coisas que o que ele falava. 

— Relaxa, seu pai não está em casa. Estamos sozinhos. — Ele girava aquele banco como se fosse uma criança. 

— Aonde ele foi? Quando volta? 

— Ele está em Mobile, ele teve que ir pra algumas reuniões, provavelmente voltará só daqui uma semana. — Ele parou de girar o banco para que pudesse responder a pergunta da menina em sua frente. 

— Calma... E você vai ficar aqui a semana toda? Você 'tá de brincadeira comigo. — Suspirou pesado, revirando seus olhos, levando um daqueles biscoitos até sua boca. 

— Claro que vou ficar. Tenho que garantir que uma beijoqueira que nem você não vá sair beijando qualquer um! — Um sorriso sacana se fez presente em seus lábios. 


Notas Finais


E ai? O que acharam? Falem o que eu posso melhorar, falem o que acham que vai acontecer... Amo vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...