1. Spirit Fanfics >
  2. My old brother >
  3. De mal, a pior

História My old brother - Capítulo 6



Notas do Autor


me perdoem o capa do capítulo; ficou bem estranha ;-;
@_Fanfikshooen aqui

Capítulo 6 - De mal, a pior


Fanfic / Fanfiction My old brother - Capítulo 6 - De mal, a pior

P.O.V. Max

Aquele lugar era bastante tenebroso. Me parecia aquela floresta em que eu perseguia Jason para mata-lo, mas falhei, mais uma vez.

De repente, me vejo deitado naquela mesma terra molhada, onde eu estava correndo há algumas horas.

Então, ouço uma voz feminina me chamando, e diria que era até encantadora.

— Quem é? — Pergunto confuso.

Me levanto imediatamente para ver do que se tratava.

— Quem é? Estou fazendo uma pergunta; responda! — Mandei me irritando.

Olho ao meu redor, mas não vejo ninguém.

De repente, a minha visão começou a ficar embaçada, e tudo ficou escuro. A escuridão ia se formando, deixando tudo aquilo escuro e mais tenebroso ainda. A única coisa que eu conseguia ver era a aparição de alguma coisa ou pessoa, que parecia ser uma mulher.

Tudo fica escuro, e adormeço novamente.

Sonho off.

— AAAAAH! — acordei ao som do meu próprio grito.

De alguma forma, eu estava deitado na minha cama, coberto pelo meu edredom, e aquele suor estava escorrendo pelo meu rosto, devido ao meu sonho, ou pelo calor que aquele lugar estava.

Me descubro, levanto da cama, vou até a porta e saio do meu quarto.

A única coisa que me vinha na cabeça eram: quem era aquela mulher que estava no meu sonho? E como eu fui parar na cama, se eu estava na varanda?

Há alguma coisa errada nisso tudo, e eu tenho certeza que alguém está por trás disso.

(Cozinha)

Chego na cozinho, vou até a geladeira, e de lá, tiro uma garrafa de vodca.

Vou até a mesa e sento, com um copo na mão e garrafa na outro.

Após encher o copo, bebo tudo no mesmo instante.

Ouço alguns passos vindo do meu quarto, então me viro assustado.

— Quem é? — Pergunto, e ninguém responde. — Já chega. — Sussurrei, já farto de toda essa palhaçada.

Vou até o meu quarto, abro a porta e não vejo ninguém, apenas o céu estrelado do lado de fora, pois havia esquecido de fechar a minha janela.

Entro no meu quarto, e por incrível que pareça, estava mais que assustado. Qualquer um ficaria assim se estivesse no meu lugar, não é mesmo?

Chego na janela, e a fecho.

Tudo estava tranquilo, até ver o reflexo de XXX na janela.

Me viro imediatamente, e ela já não estava mais lá.

Vou até a porta, a fecho, me estiro na cama e adormeço.

A única coisa do que eu precisava agora, era relaxar.

P.O.V. Autor

No dia seguinte...

Max estava indo até o hospital, para ver como estava o irmão.

Max não estava indo de carro, pois o veículo estava na oficina.

O sol estava bastante intenso, e atingia Max por completo, enquanto várias gotas de suor caíam sobre o seu corpo, o deixando um pouco molhado.

Max de repente para em frente a casa de Jason, e fica encarando por cerca de 8 segundos, com bastante ódio.

Max estava se segurando para não invadir aquela casa e matar todos que estavam ali, principalmente o Jason.

Jason estava observando da janela de seu quarto o modo que Max estava parado, encarando a sua casa.

Max, repentinamente, olha para Jason como um psicopata, e o rapaz logo se esconde, tentando sair da vista de Max.

Max desisti, e vai embora.

Não havia graça ficar parado ali e ficar imaginando como seria se matasse Jason.

Max necessitava ver o sangue de Jason escorrendo sobre o seu rosto, enquanto havia uma faca enterrada na profundidade do corpo do rapaz. Max só conseguia imaginar esse momento acontecer, e ficava ansioso para essa hora chegar.

Hospital.

Ao chegar no local, Max foi em direção ao quarto de Billy, e nem se importava se iriam barra-lo ou não.

(Sala 08)

Max chegou no quarto do irmão, e o encontrou dormindo feito um anjo. Max deu um sorriso satisfeito, mas também carregava a culpa em suas costas, por ter causado tudo isso.

Max vai se aproximando de Billy lentamente, até chegar nele, e ficar parado ao lado dele, na direita.

Max não pôde resistir ao ver o irmão. Max precisava, pelo menos, tocar o rosto de Billy.

Max começou a fazer cafuné no irmão, mas isso durou por pouco tempo.

Max foi aproximando o seu rosto ao de Billy lentamente, e antes que às suas bocas pudessem se encostar, formando um beijo, Billy acorda e impediu o ato do irmão mais velho.

Max afastou o seu rosto e ficou um pouco bravo.

— Você não pode me evitar para sempre. — falou Max, inconformado.

— Eu te odeio. Você deveria ser preso. — falou Billy com remorso do irmão.

— Se eu ser preso, com quem você irá ficar? Jason? — Max questionou, e Billy se calou. — Billy, eu só quero o seu bem, mas parece que você não quer, né! Aquele cara não é confiável. Ele só quer te foder e depois ir embora, como se nada tivesse acontecido.

— Está falando isso só por causa daquilo que aconteceu com você. — Billy mencionou sobre o relacionamento passado de Max, que não deu muito certo.

Max o olhou feio um psicopata, e falou:

— Billy, isso não importa. A vida é minha e quem cuida dela sou eu.

— Então por quê você não me deixa em paz? Vai fazer o que você faz sempre; seduz uma garota, transa com ela, larga ela e depois me usa como se fosse um objetivo?! — Billy botou tudo para fora, e agora quem se calou foi Max.

Max se retirou do quarto impaciente, pois se ficasse por mais tempo, iria fazer algo que iria se arrepender depois, seriamente.

Rua.

Já estava anoitecendo, e Max estava andando por algum lugar perto de sua casa, sem rumo algum.

Max de repente parou em frente a uma casa de prostituição, e ficou interessado.

— Eu preciso me destruir um pouco. — falou a si mesma, e foi até lá, enquanto tirava várias notas de 100 de sua carteira.

A noite seria longa e bastante excitante.


Notas Finais


espero que tenham gostado, guys.

me perdoem qualquer erro.

até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...