História My Old Passion - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Dove Cameron, Justin Bieber
Personagens Dove Cameron, Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 29
Palavras 2.574
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, aqui vem a segunda temporada.
A capa não é oficial essa, mas eu estava querendo postar e foi essa pq sim, quero que vc aproveitem a segunda temporada e avisando que essa temporada vai ter entre 10 a 20 capítulos apenas.
E é isso bjs.

Capítulo 1 - New Waters


Fanfic / Fanfiction My Old Passion - Capítulo 1 - New Waters

Oito anos depois, 2 de Fevereiro, 10:45, Inglaterra, Londres.

P.O.V.'s Lizzy Johasson

- Senhorita, Meg disse que espera a senhora em casa,  que odeia ficar sozinha com o Jace. - Fala Lúcia, a minha maquiadora.

Fechei o roupão de ceda preta, e pedi para Luke me liberar, fui até ela.

- Já estou indo para casa.- Falei indo até o camarim e vestindo minhas roupas e calçando os sapatos.

Desci o prédio de elevador e peguei meu carro, fui passando pelas lindas ruas de Londres, que durante os anos não mudou nada.
Hoje em dia tenho 26 anos, e sou uma modelo muito disputada no mundo todo, ainda moro com meu pai porquê ele insiste que vai morrer de solidão, Luíz casou e tem a pequeno Adam de apenas quatro anos, o qual recebeu o nome em homenagem ao meu pai adotivo. Cheguei na enorme mansão que mais parece um palácio e deixei o carro na garagem, já entrando e vendo dois rajados de cabelos extremamente loiros correndo até mim. Os dois pularam em cima de mim, me distribuindo beijinhos e carinhos, eles são crianças muito carinhosas e meigas.

- MAMÃE! - Gritam Megan e Jace juntos.

Fiquei de joelhos largando minha bolsa no chão.

- Estavam com saudades da mamãe?

- Sim! - Gritam os dois juntos.

- O que andaram fazendo? - Olhei para os meus pequenos.

- Estavamos planejando nosso aniversário! - Fala Meg.

Meus filhos são gêmeos, com uma única diferença em questão de características, o gênero claro e os olhos, Jace tem os meus olhos, Meg tem os dele,tem os olhos, o jeito e o modo de falar.
Eles já vão completar oito anos, só daqui alguns meses, eles completam ano em outubro, mas essas crianças são agitadas, meu deus, como o tempo passa rápido.
O telefone da sala tocou e eu ignorei, me levantando e pegando as mãozinhas deles, os levei até a sala de jantar, onde Margarida servia a comida já, eles devem ter pedido.

- Senhorita, olá, está linda como sempre. - Falou.

- Obrigada, Margarida.

Ouvi meu pai me chamar, fui até ele pensando em tudo que vivi estes anos.
Eu terminei a faculdade de moda, no meu parto quase morri  por ser gravidez de risco, e eu soube dele, do Bieber. Ele se tornou um cantor internacional, muito bem falado. Nunca escutei uma música se quer dele, hoje em dia tenho contato apenas com Aiden, que tem sua filhinha de cinco anos, Suzanne, Evie e Chris – perdoei eles depois de dois anos.–, que se casaram e tem três filhos, Rajá de seis anos, Kimberly de quatro e Cloe de um ano apenas , Madison, não tive o que perdoar ela, não sabia de nada tanto quanto eu , que hoje é uma jogadora de futebol, joga para o Barcelona na seleção feminina, está solteira, Caitlin virou uma exploradora, arqueologia, está sozinha aproveitando e descobrindo coisas novas, e claro, Carlos, que se casou com Emma, ele é advogado e tem apenas uma garotinha, Suzy. Além deles nenhum, eu também mudei, para a nova coleção cortei meus cabelos, que agora são curtos, meu corpo é mais formado e bonito, pois faço academia e tenho nutricionista, tudo para manter o corpo em forma. Pois preciso mander a compostura.

- Oi, pai?

Meu pai ficou um coroa bonitão, hoje tem 46 anos. Seus cabelos brancos o deixam bonito, ele já teve várias paqueras durante os anos, mas nunca se casou, sei que ele ainda ama minha mãe. Aliás, já encontrei ela, a três anos atrás, está bem de vida, uma nova família, e fico feliz por ela, saiu da vida das drogas.

- É Evie, ao telefone. - Falou me entregando o mesmo.

- Obrigada. - Falei pegando o telefone.

Ele concordou e beijou minha testa me deixando sozinha com o telefone sem fio de gancho na mão, me sentei no sofá branco com madeira branca pintada de dourado.

- Lizzy? - Sua voz apareceu.

Todos se acostumaram com meu nome ao longo dos tempos, e o Scarlett foi esquecido, mas não o Carter.

- Evie, oi!

- Graças a deus, quase não te pego em casa. - Suspirpu 

Rir porquê é verdade, tinha de segunda, quinta e domingo eu trabalho, e nos outros dias eu deixo meus filhos na escola e vou trabalhar no tempo livre, também sou estilista, eu que fiz a última coleção de inverno. Então quando meus pequenos chegam eu passo o resto do dia com eles, ou brincando em um quarto que tem na mansão inteiramente para eles brincarem, meu pai que fez, é um quarto enorme com todos os brinquedos que você pode imaginar. Ou então, eu vou sair com eles, me divertir em um parque, algo do tipo.

- Desculpa Evie, e porquê o motivo da ligação? - Perguntei, cruzei as pernas, vendo meu salto preto, estou cansada, passei o dia em pé na sessão de fotos.

- Você sabe que amanhã é aniversário da Cloe de dois anos né? Pois é, você, Meg e Jace vão vim.

- Sempre mandona, mas eu não sei, talvez eu vá.

- Talvez não, Scarlett, já faz malditos oito anos que não te vejo, por favor, vem.

- Evie, Scarlett não.

- Desculpa, mas então, você vem?

- Ele vai, né? - Rir, ele está sempre presente em todos os aniversários.

- Sim, desculpa, quase todo mundo vai vim, eu pedi para Chris não os convidar, mas você sabe como ele é.

- Certo, tudo bem, eu vou, agora mesmo vou pedir para comprarem as passagens.

- Mande Louise vim também!!

- Vou conversar com ele.

- Ok, tchau, obrigada amiga.

- Tchau.

- Ah, Lizzy... Eu te amo, desculpa, desculpa mesmo.

E a ligação caiu, sempre que ela fala comigo ela pede desculpas, tem vezes que eu acordo no meio da noite com uma ligação sua chorando me pedindo perdão, assim sei que ela realmente se arrepende.
Procurei pelas crianças, mas elas já tinham ido para seus quartos, então subi as escadas e fui para o escritório de meu pai, bati na porta e entrei, me sentei a sua frente.

- E então? - Perguntou-me.

- Ela perguntou se queríamos ir para Nova Iorque. - Falei.

É onde eles moram atualmente.

- Você quer ir?

- Faz tempo que não a vejo, que não as vejo, Caitlin, Madison... Evie. - Falei.

- Vou comprar as passagens.

- Vai comigo?

- Sim. - Sorriu, fazendo surgir os pés de galinhas nos olhos.

- Certo, vou arrumar nossas malas. - Falei.

Pedi para Margarida arrumar a malas dos meus filhos, uma mala pequena, com roupas para uma semana no máximo, arrumei a minha e a de meu pai.

Quando vi já estava dentro do avião, voando para Nova Iorque. Tinha ligado para a escola das crianças e quando elas chegarem de viajem vão pegar a matéria.

{...}

- Mãe essa casa é bonita. - Fala Jace.

- É um apartamento, e é temporária, agora vão dormir, hoje a tarde temos um aniversário para ir.

- Ok mãe. - Meus filhos são tão obedientes.

Margarida que veio junto os levou para o quarto do hotel que estamos, me joguei no sofá cansada, puxando o zíper dourado da bota de frio branca para baixo.

- Ele vai está lá não é? - Pergunta meu pai.

- Quem? - Pergunto tirando o salto e esticando os pés, tinha me acostumado aos saltos.

- Justin. - Escutar seu nome me fez sentir toda aquela raiva novamente, pode ser besteira, já sou uma adulta, formada, de classe, e aquilo foi no colegial, mas ainda me dói.

- Acho que sim, o porquê da importância?

- Nenhuma, vou dormir, te amo princesa. - Ele beijou minha cabeça como sempre faz e se levantou.

Suspirei e fechei os olhos cansada.

Estados Unidos, Nova Iorque, 3 de Fevereiro, 8:21 AM

- Mamãe! Mamãe! Acorda, a tia Evie ligou! - Acordei com Meg me balançando.

Sorri e a abracei fazendo cócegas, ela riu com sua risada gostosa.

- Bom dia meu amor, o que sua tia queria?

- Disse que a festa vai ser o dia todo e começa as dez. - Falou.

- E você decidiu acorda a mamãe as...- olhei o relógio do meu celular - oito?

- Sim! Assim você fica mais linda do que já é. - Eu amo ela demais.

- Já tomou banho pequena?

- Não, assim que acordei vim aqui.

- Quer tomar banho comigo!? - Ela sorriu pulando da cama e já tirando a roupa, rir quando não conseguia tirar a blusa, ela ficou presa.

A ajudei e comecei a encher a banheira, conosco entrando quando encheu. Brincamos um pouco e depois me vesti indo para seu quarto a vestir.
Coloquei o vestidinho azul turquesa lindo que eu fiz para ela, ele não tem manga e é fechado, com um bordado em um azul mais escuro nas pontas e uma fita na cintura que tem um laço atrás, é um pouquinho rodado, coloquei as sapatilhas azul petróleo e arrumei seus cabelos, o deixando com seu liso natural, com cachos leves apenas nas pontas, ela sorriu e nos mostrou o espelho.

- Estamos lindas! - Falou sorrindo.

Estou com um vestido colado curto, de manga longa fechado, ele é preto e deixa minhas curvas lindas, meu cabelo curto está solto naturalmente e tem uma maquiagem escura nos meus olhos, e um batom vermelho marcando bem minha boca, com saltos altos no pé preto para fim.
Fui para a sala onde meu pai e Jace conversavam, com Jace no seu colo, com uma até o joelho com a lavagem clara, com uns desenhos irados, sua camiseta é de uma série que ele gosta, Friends (sim ele gosta de séries), e com uma jaqueta jeans por cima, no maior estilo ele, com um sapatinho branco no pé, seu cabelo loiro em um topetinho de lado, isso me lembrou o Bieber. Depois de um tempo me conformei que ele sempre estaria presente na minha vida, e eu gostei, porque são meus filhos, sangues do meu sangue. Meu pai está bonito também, com uma calça jeans escura, uma blusa branca com cinza e preto dentro e um blazer por cima, e tênis preto no pé, ele tem um físico ótimo ainda.

- Vamos? - Ele perguntou.

- Sim.

Fomos para o carro e coloquei meus filhos atrás, arrumando o cinto de segurança, fui na frente com o meu pai, ele sabia onde era a casa deles, já fora lá, porquê eu pedi para lhes deixar presentes todos esses anos pessoalmente, sim eu era uma covarde.
A casa deles é muito grande, Evie se formou em moda, é estilista, da VS (Victoria Secrets), e Christian é dono de uma grande empresas de computação. Entramos nos limites do terreno e estacionamos, sua casa tem um grande gramado. Desci do carro e tirei as crianças, com elas pegando os presentes que eu já tinha comprado faz tempo, ia mandar por correio, como todos os anos.
A casa estava movimentada, e só fui encontrar Evie na área da piscina, onde tem uma decoração linda de branco e azul, com o cheiro da carne na brasa no ar. Ela se virou e me viu, deu o sorriso mais lindo, está com seus cabelos negros já batendo embaixo da sua cintura, continua uma bela mulher, com o corpo mais delineado ainda, a criança de cabelos negros nos seus braços com uma vestidinho branco bate palmas, ela entrega a filha nos braços de Chris, que ficou paralisado ao me ver, ele continua linda, seu rosto liso de garoto permanece, só está com tatuagens agora. Ela veio até mim em seus saltos azuis e me abraçou forte.

- Meu deus, como eu estava com saudades!

- Está quebrando minhas costelas! - Gritei.

- Relaxa Aiden tá bem ali, ele é médico!

Rimos e ela abraçou cada uma das crianças, logo depois abraçando meu pai, e pegando os presentes, Christian veio até mim e me abraçou, peguei Cloe nos braços, ela é uma criança linda, e tem os olhos de Christian.
A devolvi e meus filhos começaram a correr com os filhos dos meus amigos, Kim e Rajá. Meu pai ficou falando com Christian, me aproximei de uma mesa onde a conversa parecia ser boa.
Caitlin abriu a boca surpresa e levantou rápido, ela está com a pele bronzeada e os cabelos lisos longos, me abraçou forte e firme.

- Sua vadia!

- Saudades também. - Rir, estava mesmo com saudades.

Madison me viu, com os cabelos medianos e com o corpo mais formado, parece ter ganhado massa corporal, me abraçou.

- Meu deus, você tá uma gata! - Falou.

- Olha para você, pegava de jeito.

Aiden levantou e abriu os braços, me joguei em seus braços com ele me rodando.

- Oi, médico.

- Oi, modelo.

Rimos juntos, ele me apresentou sua mulher, é a mesma de quando era adolescente, e sua filha Suzanne, que é a coisinha mais fofa, ela é muito tímida, então quando fui falar com ela, ficou balançando as perninhas e me olhando com a cabeça baixa. Conversamos sobre tudo que aconteceu na nossa vida. Mais pessoa foram chegando, Leah, irmã de Aiden, chega com seu noivo e me abraça forte. Quase todos de antigamente estão ali, todos que me fizeram sofrer, a maioria, alguns nem falaram comigo, mas tudo bem, aquele lugar se tornou uma creche. Ryan e Chaz também chegaram, deixando Mad e Cait incomodadas. Falei com os dois educadamente. Um segurança de Chris veio falar com Evie e eu escutei, a mídia quase toda do país estava lá fora, perguntando sobre todos aqui, principalmente de mim, que vim de Londres.
Todas as pessoas aqui se tornaram bem sucedidas, quer dizer, a maioria, não encontrei Thomas, e descobri que ele tinha virado morador de rua, fiquei com pena, nunca mais o viram, tinha se afundado nas drogas.

- Começaram a festa sem o rei das festas, isso deveria ser proibido. - Quando escutei aquela voz eu fiquei paralisada, não de medo, nem felicidade.

Um ódio antigo dentro de mim veio a tona, minhas mãos se fecharam com força ao redor da cadeira, minhas amigas perceberam e pegaram na minha mão.
Todos falaram com ele, e o único lugar vago era na minha frente.

- Essa moça aqui que não falou comigo ainda. - Falou, ele deu a volta na mesa e paralisou. - Scarlett?

- Oi, Justin.

- É você mesma?

- Não, é um ilusão da sua cabeça.

Ele estava malhado, com muitas tatuagens, agora os dois braços cobertos de tatuagens, seu cabelo no mesmo topete de sempre, com um moletom rosa clarinho com rasgos, uma calça comprida branca e com a boca aberta.

- Acho melhor você sentar, parece está prestes a cair. - Falei-lhe, ele sentou e continuava a me olhar.

- Mamãe, Jace não quer me deixar brincar! - Chega Meg.

Todos nos olhavam calados.

- Fale para ele que estou o mandando deixar.

Ela saiu correndo.

- Fazem oito anos... Mãe? Você... - Ele pareceu confudo.

- Sim? Eu estou aqui, Lizzy Johasson.

- Gente vem, vamos comer! - Chama Christian.

Me levantei o deixando paralisado no seu lugar, só sei que todo o ódio que tinha deixado de lado durante esses anos voltaram a tona em segundos, apenas com sua voz rouca.

Que os jogos comecem, e nesse mínimo tempo que vou o suporta sou eu quem vai comandar o jogo dessa vez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...