História My Omma - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jikook, Namjin, Vhope
Visualizações 123
Palavras 3.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá..
Estou com vergonha de voltar aqui depois de tanto tempo, mas vou exclarecer o que aconteceu..

Bom, eu me trato com uma psicóloga desde que tinha 6 anos.. por causa de um problema que eu tinha, fiquei alguns anos sem me consultar.. Até que esse ano, eu tive um ataque de fobia (eu tenho tripofobia, fobia de lugar público e de largatixa) e então eu mesma pedi para minha mãe falar para a Cris (minha psicóloga), para que ela voltasse a me consultar..
Já faz alguns meses que me consulto e a algumas semanas ela fez uma terapia diferente e disse que eu tenho depressão.. Não hora eu neguei e disse que era impossível(até porqu eu não imaginava uma coisa assim), mas ela foi descrevendo coisas que pessoas com depressão sentem e eu me vi na descrição dela, e gente eu chorei, chorei muito.
Depois de um tempo ela disse que tenho que tomar remédio, e eu não queria isso, eu queria ser "normal"...

Depois de ter esse choque de informações minha cabeça pifou, eu comecei a ficar distraida e perder a concentração muito fácil (coisa que não acontecia).. Eu não conseguia ler e muito menos escrever..
Todos os dias entrava no Word, lia e re-lia o que já havia escrito, mas nada me vinha na mente para continuar.. sofri com esse bloqueio por alguns meses e ainda estou no bloqueio, mas me forcei como pude para completar esse capítulo, então me perdoem pela demora 😸

Ah! E além desse meus problemas, ainda tem minha escola, - acho que já falei, mas eu estudo integral - e ela está bem puxada, tenho que me desdobrar pra fazer tudo..
Mas eu prometo que irei tentar sair desse bloqueio e tentar voltar a escrever como antes..
Não posso prometer um capítulo daqui alguns dias, mas prometo que sairá o próximo capítulo..
Não penso em desistir

Obrigada pela compreenção de você..
Saibam que são você que ainda me dão forças para continuar

Capítulo 9 - A tão esperada conversa.


Fanfic / Fanfiction My Omma - Capítulo 9 - A tão esperada conversa.

Pov. Jungkook

Já havia se passado uma semana desde o dia em que Jimin tinha passado mal e ido ao hospital, e fazia uma semana que ele me ignorava e fugia de mim. Bom, não era bem uma fuga, ele apenas dizia que não era hora e que depois nós conversaríamos. Se fiquei decepcionado? Claro, mas não posso obrigá-lo a falar comigo, prefiro esperar o tempo dele e quando estiver pronto Jimin virá até mim e assim poderemos nos resolver.

— Appa, a gente não ia sair hoje? Todos juntos?  — Meu filho pergunta, enquanto se senta ao meu lado.

— Íamos sim, mas não sei se seu Omma quer sair — Explico e Jihoon me olha curioso — Qualquer coisa, saímos só nós dois.

— Porque o Omma não iria querer sair com a gente? — Pergunta-me curioso e apenas murmuro um "Não sei" — Vou ir perguntar para o Omma se ele não quer sair com a gente. Já vou Appa, não saía daí.

— Não irei sair, prometo Capitão — Falo rindo, fazendo uma continência e vejo Jihoon sair correndo pelas escadas rindo. Escuto meu celular tocar, nem olho direito que era e já atendo.                                     

        - Ligação on - 

 — Alô. 

— Oi Jungkook, sou eu. — Fala Yoongi, porque está me ligando? — Liguei para dizer que eu já fiz o exame de paternidade, amanhã sai o resultado. Mesmo que eu já saiba que dará negativo.

— Como tem tanta certeza?

— Jungkook, para eu engravidar aquela louca, só tem dois motivos: Ou a camisinha estava furada ou eu estava drogado.

— Suga você é muito malvado — Exclamo rindo.

— Não sou malvado, sou apenas realista... Nossa, faz um bom tempo que não usa esse apelido.

— Pois é, faz tempo mesmo. Mas não se preocupe, vou voltar a te chamar de Suga, ou seria melhor Suguinha?

— Aish, só me faltava essa, não se esqueça que sou seu Hyung...  E como você está?

— Estou bem, Jihoon foi perguntar para o Jimin se ele quer sair com a gente.

— Você ainda acha que ele está bravo? — Suga pergunta e quando iria responder, escuto um barulho e me assusto.

— Suga, te ligo mais tarde para conversarmos melhor.

— Beleza, depois nos falamos.                

       - Ligação Off - 

 Desligo o celular, levanto-me do sofá e olho para todos os lados da sala, procurando de onde teria saído aquele barulho.

— Jihoon já está ficando tarde, se não sairmos agora não vamos encontrar o parque legal aberto.

— Já estou indo Appa — Escuto Jihoon gritar e me sento novamente no sofá esperando meu filho descer. Alguns minutos depois Jihoon desce já arrumado e me olha sorrindo.

— Como estou Appa? — Pergunta dando um giro em volta de si mesmo e sorrio com sua ação.

— Está deslumbrante — Falo e ele vem até mim me abraçando forte — Só tem um probleminha — Exclamo, Jihoon se desprende de mim e me olha interessado — Eu vou ficar com ciúmes de ver as pessoas te olhando.

— Aish Appa, eu nem 'tô tão bonito assim... Sem contar que o senhor tem que ter ciúmes apenas do Omma — Diz olhando para os lados — Falando no Omma, onde ele está? 

— Ele não estava com você? — Pergunto e ele nega.

— Não, ele disse que aceitava sair com a gente e depois veio aqui para baixo, disse que iria falar com o senhor.

— Tem certeza disso? — Lhe pergunto e ele assente — Mas eu não o vi — Falo pensativo, e logo me lembro do barulho que escutei e ligo os pontos.

— Appa? Está me ouvindo?

— Ah? Claro.

— Não parecia... Eu estava falando para que nós fôssemos procurar o Omma.

— Ah claro, vamos sim. Jihoon saiu na frente, quase correndo em direção a cozinha, enquanto eu estava em seu encalço ainda pensando se o barulho que havia escutado teria mesmo sido Jimin.

Chegamos na cozinha e logo Jihoon fala "Omma" em um alto e bom som, correndo e pulando no colo do ruivinho que estava bebendo um suco.

— Opa, cuidado pequeno — Jimin fala deixando o copo de lado, colocando a mão nas costas de Jihoon — O que aconteceu para estar tão eufórico?

— É que quando eu desci você não estava me espelando, eu fiquei peucupado.

— Ficou preocupado comigo?

— Sim — Fala assentindo com a cabeça várias vezes 

— Você aceitou ir com a gente? — Pergunto para Jimin e ele apenas me olha rapidamente confirmando com a cabeça — Bom então vamos logo, antes que feche o parque.

— Vamos no parque Appa? — Jihoon pergunta estendendo seus braços para que eu o pegasse.  

— Sim, eu acho que seria mais legal, o que o meu menino acha?

— Eu gostei muito Appa — Jihoon fala e se vira para Jimin, ainda em meu colo — Omma você gostou da idéia?

— Claro, gostei muito — Exclama deixando um beijo na testa de Jihoon.

— Então vamos.

Fomos até a garagem, e decidir por usar o meu carro menos chamativo. Um Toyota RAV4 branco, que só usava para sair com Jihoon.Abro a porta de trás do carro e coloco meu filho na cadeirinha, prendendo bem seu cinto. Fecho a porta traseira, para logo abrir a do passageiro aonde Jimin iria, ele somente me olha surpreso entrando no carro, ainda sem dizer uma só palavra.

Já no carro, liguei o rádio, coloquei em uma estação onde tocava uma música de uma banda qualquer, Jihoon ao ouvir a música começou sua cantoria de forma desajeitada e errando algumas palavras, enquanto Jimin apenas olhava as paisagens pela janela do carro.

— Appa, aumenta o volume dessa música — Jihoon pede — Eu gosto muito dela.

Aumento o volume como meu filho havia pedido e me concentro na estrada, até que ouço uma voz diferente de Jihoon cantarolar algumas partes da musica que estava tocando. Viro-me e vejo um Jimin animado, murmurando a música, sem nem perceber — Inconscientemente — sorrio com esse gesto e aproveito sua brecha para cantar a música também. Cantava a canção tão empolgado que nem percebi que havia subido o tom de voz, estava me divertindo

— Fazia muito tempo que não cantava tão abertamente, sempre cantei apenas para Jihoon e para Jiwon quando namorávamos. 

 Jihoon tinha razão — Ouço Jimin falar e me viro rapidamente para olhá-lo.

— Razão sobre o que? — Pergunto, voltando a olhar para a estrada.

— Você canta muito bem — Olho para o loiro ao meu lado surpreso, e ele somente sorri sincero — Sua voz é linda, estou encantado.

Meu coração parou uma batida quando ouvi o que Jimin havia dito, não estava acreditando no que tinha escutado. Jimin além de me elogiar, sorriu pra mim. Ah! Seu sorriso é tão lindo, eu poderia ficar horas e mais horas vendo-o sorrir.

Saio do meu transe quando ouço o carro atrás de mim buzinar, percebo então que estava parado na estrada do parque.

Pego o ticket do estacionamento do parque e logo estaciono na vaga, Jimin sai do carro antes mesmo de eu tê-lo desligado, e vai até a porta de trás soltando o cinto de Jihoon e tirando ele da cadeirinha. Saio do carro em seguida, pegando em uma das mãos de Jihoon andando até o caixa do parque.                               

         ~ Algumas horas depois ~

Já havíamos entrando em quase todos os brinquedos do parque, e mesmo ofegante e cansado seguia meu filho em cada passo. Paramos eu um pequeno restaurante de comida caseira e nos sentamos em uma das últimas mesas do estabelecimento, um tanto longe dos outros clientes.

Jihoon logo saio correndo para o espaço onde tinha alguns escorregadores e balanços, brincando com as outras crianças. Aproveitei a brecha que meu filho me dera e olhei Jimin profundamente, esperando que ele entendesse meu olhar.

— Podemos conversar? — Pergunto, com receio de que sua resposta fosse negativa.

— Podemos sim — O ruivo responde de cabeça baixa.

— Vou começar a contar minha história... — Respiro fundo, Jimin me olhava profundamente, me deixando envergonhado — Vou contar tudo, e se você se perder no meio da história me pergunte, não me importo de repetir — Jimin assente corado, e aproveita que eu estava me preparando para a história que logo viria, ele se vira na cadeira e olha pra onde Jihoon brincava, comprovando que ele ainda estava no mesmo lugar.

— Eu tinha 17 anos quando conheci Jiwon, eu era o tipo de adolescente rebelde naquela época — Comecei a história tendo a total atenção do ruivinho — Fiquei encantado de primeira, mas eu não queria e nem admitia que na verdade estava apaixonado por Jiwon e que era obviamente gay. Mas o tempo passou e eu já não consegui mais me enganar. Eu machuquei muito o Omma de meu filho Jimin, eu o tratei muito mal antes de perceber que o amava de verdade — Suspirei e vi Jimin sorrir, me incentivando a continuar a história — Até a minha mãe sabia e concordava Jimin, menos eu mesmo. Eu sofri tanto, eu chorei tanto por não ter percebido antes.

— Imagino o quanto você sofreu — Jimin fala segurando minha mão por cima da mesa, fazendo círculos e desenhos pela palma de minha mão.

— E eu sofri Jimin, sofri muito, mas Jiwon sofreu mais. Eu conseguia ver em seus olhos o quanto minha indiferença o fazia mal, o quanto minhas palavras ruins o feriram, mas naquele momento eu não me importava, só queria mostrar para todos que não era como ele. 

"Mas eu errei muito Jimin, eu fui muito burro e fiz o homem que mais amei sofrer — Jimin me olho triste, quase chorando. Inverto nossas mãos e comecei a fazer carinho da mesma forma que ele fazia antes — Depois de um longo tempo, acredito que foi uns 2 ou 3 anos, eu percebi minha burrada e corri atrás de Jiwon. Confesso que foi bastante humilhante e naquele instante, ajoelhado na frente dele eu percebi que sofreria muito, mas eu não me importava com mais nada, apenas o queria comigo, poder abraçá-lo sem ninguém criticar, beijar sua boca e dizer várias e várias vezes que o amava”.

— Namjoon me disse que ele te fez muito mal — Exclama puxando sua mão devagar, percebo que essa ação era por causa do garçom que estava passando por nossa mesa.

— E é verdade, Jiwon foi uma das pessoas que eu mais amei na vida... Mas também foi a pessoa que me arruinou, que deixou à maior e mais dolorosa ferida em meu coração.

"Casei-me com Jiwon depois de um ano de namoro, Namjoon tentou me impedir falando que ele me destruiria, mas não dei ouvidos ao que ele dizia, sempre achei que meu irmão mais velho queria meu lugar, ciúmes bobo, eu sei, mas como disse antes eu era rebelde e até mesmo um tanto imaturo. Depois de um ano e meio de casados Jiwon engravida, ah! Jimin foi a melhor notícia que podia ter tido, mas meu ex-marido foi contra, disse que era muito novo e que não queria ter de se responsabilizar por uma criança. Fiquei desolado, era o que eu mais queria, um filho, fruto do amor entre mim e o homem da minha vida, mas ele queria tirar, eu não queria permitir, era uma vida, a vida do meu bebê, do meu filho — Já não conseguia me segurar, lágrimas saíam em abundância enquanto contava minha história triste, para o ruivo que mesmo eu não querendo admitir estava roubando meu coração para si cada vez mais — Uma semana depois de descobrirmos a gravidez, Jiwon ainda não tirava a idéia de abortar, demorei um bom tempo para fazê-lo concordar em não tirar a vida preciosa que ele carregava. Eu achei que ele tinha aceitado Jimin, e de verdade achei que ele faria aquilo por amor, mas eu estava enganado. 9 meses se passaram, o dia do nascimento de meu filho estava cada vez mais próximo, e eu estava tão feliz e ao mesmo tempo tão nervoso que não tive coragem de entrar na sala de cirurgia com Jiwon, fiquei esperando na recepção do hospital com uma agonia horrível, até que me avisaram que meu anjinho tinha vindo ao mundo. Eu chorei Jimin, chorei até perceber que estava desidratado. Pedi para ver meu filho e meu esposo, porém me disseram que a cirurgia tinha sido complicada e que era melhor eu voltar outro dia, claro que fiquei irritado, queria ver meu filho, mas preferi seguir a ordem da médica e fui para casa descansar. Errei feio nesse dia, e nunca irei me perdoar por isso".

— O que aconteceu Jungkook? — Jimin me pergunta afoito.

— No dia seguinte acordei bem cedo, para poder ir ao hospital ver os amores de minha vida, mas quando desci as escadas tive uma surpresa... Minha mãe se encontrava sentada no meu sofá com um bebê em seus braços, fiquei desconfiado e perguntei quem era o bebê. Meu mundo caiu, quando ela respirou fundo e disse que aquele serzinho que ela segurava é meu filho — Respirei fundo, aproveitando para sorver um pouco mais do vinho que havíamos pedido — Deve estar se perguntando, o porque de eu ter ficado surpreso e ter dito que meu mundo havia caído, mas foi naquele momento Jimin, vendo minha mãe me olhar triste com meu filho no colo,  que percebi o que tinha acontecido. Jiwon havia fugido com o dinheiro que eu deixava em nossa conta conjunta para alguma emergência, foi o pior dia da minha vida, descobri que meu marido tinha fugido com nosso dinheiro e deixado nosso filho para um ser desengonçado cuidar. No fundo Jimin, eu sei que Jiwon fez isso para me fazer sofrer da mesma forma que o tinha feito, não fico bravo nem ressentido por ele ter me deixado, na verdade sinto pena dele, porque por uma atitude impensada e para me fazer sofrer, ele não conhece e nem convive com a única coisa que deu certo entre nós dois. Aquele menininho de cabelos negros e olhos grandes que foi a minha esperança, o meu raio de luz. 

— Estou emocionado e ao mesmo tempo muito bravo com seu marido, se eu visse ele tenho certeza que sairia no tapa  — O ruivinho fala com um biquinho chateado nos lábios.

— Ex-marido Jiminie, não fique bravo com ele, isso foi há muito tempo, já não me importo mais. E muito menos saia no tapa com ele, Jiwon não merece ter suas lindas mãos passando por seu corpo, mesmo que seja para machucar — Pude ver Jimin ficar corado, quase da cor de uma tomate, porém mesmo com vergonha ele sorri. Ah! Como seu sorriso é lindo.

— Você me contou toda a história, mas uma coisa não se encaixa — Exclama olhando para o alto, acho que está pensando em algo.

— E o que seria essa coisa que não se encaixa? — Pergunto.

— Como sou tão parecido com seu ex-marido e por qual motivo sua mãe teria para me escolher para se casar com você? Até porque ela poderia ter escolhido alguém muito mais bonito e que não fosse parecido com seu ex-marido.

— Sinceramente não sei por que minha mãe te encolheu, tenho certeza que não foi só pela aparência e saiba que você é muito bonito, então não se menospreze — Jimin cora novamente pelo elogio, sorrio e continuo: — Também não sei por que és tão parecido com ele, mas tenha certeza que é apenas na aparência, pois suas personalidades são completamente diferentes e é claro que você é muito mais bonito.

— Que mentira Jeon Jungkook, eu vi aquele álbum, Jiwon é três vezes mais bonito que eu — O ruivinho exclama abaixando a cabeça.

— Já disse para não se menosprezar — Levo minha mão para seu rosto acariciando e me deliciando com seu sorriso.

— Posso te fazer uma pergunta?

— Claro que pode — Respondo tirando minha mão de seu rosto.

— O que você disse para Jihoon sobre seu Omma? — Engulo em seco, surpreso com sua pergunta.

— Eu na verdade nunca toquei muito no assunto, depois que Jiwon me deixou com meu filho recém nascido para criar sozinho eu entrei em uma depressão, sorte que não foi uma pesada e por isso consegui sair da profunda escuridão que estava, por esse motivo não gostava de entrar no assunto Jiwon, então minha mãe que sempre mostrava para Jihoon fotos de seu "Omma", ela dizia que ele estava bem longe, em um lugar bonito. Me doía muito ouvir Jihoon perguntar sobre seu Omma, mas sempre que ele fazia me dava uma crise e eu não sabia o que responder. Ela me ajudou muito nessa época, agradeço muito por ela ter falado com ele e explicado tudo.

— Jungkook, eu não sou o Jiwon — Jimin exclama seco.

—Acredita que Namjoon me falou a mesma coisa? — Digo dando uma risada para amenizar o clima — Jimin eu nunca pensei que você fosse o Jiwon, nem mesmo quando te vi pela primeira.

— Está dizendo que quando me viu não pensou que fosse ele? — Pergunta curioso.

— Não Jimin, pelo contrário. Na primeira vez que te vi já te achei lindo, e não foi porque você parece minimamente com o Jiwon, mas sim porque sua forma de falar, de ser e da forma linda como você ficou corado naquele dia. E naquele momento percebi que você na verdade não tem nada de parecido com Jiwon.

— Vamos ter um relacionamento? — Jimin pergunta na lata, me fazendo engasgar com o vinho que estava tomando.

— Sim — Respondo também na lata, vendo Jimin corar — Já te falei que gosto de você e que podemos sim nos apaixonar e começar a amar um ao outro. Sei que não podemos os rápido demais, e sei que tenho que ter paciência, mas uma coisa que tenho certeza é que gosto de você.

— Oh! Isso é inesperado, gosto de você também Jungkook, mas ao contrário do que você acha, não sei se vamos mesmo ficar juntos. Sinceramente por enquanto quero pensar só no Jihoon.

— Tudo bem, entendo isso e não vou contestar nada do que me disse, mas espero que pense com carinho em um relacionamento que possamos ter daqui um tempo — Jimin ouvia tudo em silêncio — Eu quero que Jihoon te chame de “Omma” verdadeiramente. Quero que você seja o “Omma” dele oficialmente.

— Eu vou pensar Jungkook, eu juro — Sorrio ao ver Jihoon correr em nossa direção, chegando na mesa e pulando no colo de Jimin.

— Omma, achei um amiguinho — Exclama animado.

— Sério? — Ele assente freneticamente — Isso é ótimo, como é o nome de seu amiguinho?

— Ah Omma, eu esqueci de perguntar. E agora como que vamos nos falar depois?

— O meu amor, não fique triste vocês ainda vão se encontrar — Falo bagunçando os cabelos de meu filho, que ainda estava no colo de seu Omma.

— Mas papai… — Jihoon murmura triste — Eu quero saber o nome dele. Só que ele já foi embora. 

— Bom, pelo menos agora você sabe que deve perguntar o nome de seus amiguinhos — Jimin fala arrumando os cabelos de Jihoon que eu havia bagunçado. 

— É Omma, não vou mais me esquecer de perguntar os nomes dos meus novos amiguinhos — Jimin sorri, dando um beijo na bochecha de Jihoon.

— Eu sei que esse nosso dia está bom, mas precisamos voltar pra casa — Falo, vendo Jihoon e Jimin resmungar um “ah, queremos ficar mais” — Eu também queria ficar mais tempo, mas não podemos. Eu ainda tenho alguns documentos do trabalho para ler e assinar.

— O Appa trabalha muito — Meu filho exclama, cruzando seus bracinhos em frente ao peito — A impresa tá’ robando meu Appa. Não gosto da impresa — Fala bravo ainda com seus braços cruzados.

— Não fique bravo meu amor, vou tentar não me ausentar tanto — Digo, puxando o mais novo para meu colo — Eu prometo que a partir de agora vou passar mais tempo com vocês — Olho para Jimin, que sorria com nossa interação.

— Tudo bem Appa, mas você vai ter que sair bastante comigo e com o Omma, para compensar — Fala dando alguns pulinhos em meu colo — Ah, e vai ter que comprar sorvete pra mim.

— Tá vendo Jimin, esse pestinha só me usa — Exclamo fazendo consquinha em Jihoon, ele ria, e fazia eu e Jimin ir também. 

 É acho que agora tudo vai se encaixar, vou poder voltar a sorrir e minha vida mais alegre. Jimin me mostrar cada vez mais que sua entrada repentina em minha vida, está fazendo um bem danado.

Continua...        


Notas Finais


Bom, foi isso..
Espero que tenham gostado 😙

Perdoem os erros 😃
Comentem que me deixa feliz.
Beijos de luz, até o próximo..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...