História My one-sided Love - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Itazura Na Kiss
Tags Dorama, Romance
Visualizações 23
Palavras 819
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sim, só mais um. Amanhã não poderei postar então hoje serão dois.

Capítulo 4 - Rules To Be Followed


Fanfic / Fanfiction My one-sided Love - Capítulo 4 - Rules To Be Followed

Assenti com a cabeça, ela se levantou e eu a segui, subimos a escada e fomos para um corredor, paramos em frente a uma porta.

Quando abri a porta do quarto, parecia que eu estava sonhando, as paredes tinham tons de rosa claro, e tinha alguns porta-retratos brancos pendurados ainda sem fotos. Tinha uma cama linda no meio, cheia de travesseiros de tons diferentes de rosa e branco. Parecia um quarto de princesa.

A mulher se sentou na cama e eu fiz o mesmo, ela segurou minhas mãos e falou olhando para os meus olhos.

_ Sabe Kotoko, eu sempre quis ter uma filha, porém como você viu eu sou obrigada a aturar três rabugentos. Espero nos dar muito bem, podemos fazer compras juntas, e várias coisas legais, o que você acha? _ Ela me olhou empolgada.

_ É  claro! Faremos isso com toda certeza. _ Eu nunca tive uma mãe presente, minha mãe morreu quando eu tinha cinco anos, então não me lembro muito dela, só consigo imagina-la por causa das fotos que papai tem conosco. Herdei a maioria das coisas dela. Nunca tive a oportunidade de ter aqueles vestidinhos ou um quarto rosa só pra mim, porque meu pai não tinha muitas condições, e porque ele nem saberia como fazer isso, até porque ele é um homem.

_ Você tem fotos de quando você era pequena?

_ Sim eu devo ter algumas aqui comigo. _ Falei pegando meu álbum de fotos de dentro da mala.

Enquanto ela folheava as páginas ela falava " Você se parece muito com a sua mãe!" " Como você era linda!" " Que coisinha mais fofa"

_ Agora é a minha vez, vou te mostrar uma coisa mas mantenha segredo. _ Ela falou pegando um álbum que parecia ser de fotos também.

Ela entregou na minha mão e eu comecei a olhar.

_ Que gracinha essa menininha, que é? _ Perguntei inocentemente.

_ É o Min Kwan _ Ela riu.

_ Como assim?_ Perguntei assustada.

_ Lembra que eu disse que eu sempre quis ter uma menina? Quando eu estava grávida eu jurava que seria uma menininha, então comprei várias roupas de menina, e eu não pude joga-las fora, pois tinham custado bastante dinheiro, então criei o Kwan até os três anos de idade como se fosse uma menina. Até hoje ele detesta quando falamos sobre esse assunto, ele pensa que eu joguei essas fotos no lixo, porém eu sempre as guardei. Aqui, pegue esta para você! _ Ela arrancou uma das fotos e me entregou, nela estava o MinMin com um vestidinho vermelho rodado, com dois rabinhos de cavalo nas laterais do cabelo.

_ Aqui estão suas malas! _ Min Kwan nos interrompeu.

A mãe se levantou escondendo o álbum atrás das costas, e falou olhando para o filho.

_ Ajude-a com as malas. Ela deve estar cansada. _ E fechou a porta do quarto nos deixando sozinhos.

_ Você não precisa me ajudar. _ Resmunguei.

_ Vou estabelecer umas regras, então preste bem atenção. Na escola não abra a sua boca sobre nós estarmos morando debaixo do mesmo teto, não fale comigo, e mesmo aqui nesta casa, não me incomode, aja como se eu não estivesse aqui.

_ E por que eu sairia por ai falando que eu moro com você? É deprimente _ Droga...

_ Fale isso por você! _ Ele disse rindo ironicamente. _ Bom, se não precisa da minha ajuda estou indo. _ Ele abriu a porta do quarto e a fechou, saindo do meu novo aposento.

Aonde foi que eu vim me meter? Por que é que tinha que ser justo ele o filho do amigo do meu pai? Com tantos seres humanos nesse mundo... Justo ele? Já não basta eu ter passado por aquela humilhação, e agora isso? Eu mereço mesmo...

(...)

_ Bom dia! Dormiu bem? _ A tia me perguntou.

_ Sim! _ Respondi olhando para mesa, nela estavam os dois filhos, MinMin estava tomando café e lendo um jornal, e o mais novo estava comendo uns biscoitos e lendo um livrinho (Até nisso eles se parecem) Papai provavelmente já deve estar trabalhando.

_ Sente-se. _ A tia colocou uma bandeja de biscoitos para mim. _ Aqui está sua lancheira.

_ Não precisava ter se incomodado! Obrigada. _ Falei sendo educada.

Min Kwan se levantou rapidamente e falou para mãe.

_ Já estou indo, tchau mãe. _ E foi em direção a porta.

_ Por que está indo tão cedo filho? Leve a Kotoko com você, ela ainda não sabe o caminho. Siga-o Kotoko! _ Ela olhou para mim.

Me apressei, peguei a lancheira e sai correndo.

_ Ei me espere! _ Gritei para Kwan, e acabei esbarrando nele quando ele simplesmente parou de andar.

_ Mantenha pelo menos três metros longe de mim, não quero que ninguém desconfie, e se lembre do que conversamos ontem.

_ Sim senhor! _ Revirei os olhos.


Notas Finais


Parei aqui só pra te deixar curioso(a), espero que continue acompanhando, tem muitas coisas para acontecer ainda. <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...