História My Only Love. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Blackpink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Rosé
Visualizações 5
Palavras 1.786
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


tá ai mais um

Capítulo 4 - Only Told The Moon.


Fanfic / Fanfiction My Only Love. - Capítulo 4 - Only Told The Moon.


Pov Lisa

Depois de termos comido tudo o eu tinha pedido, eu tinha escovado os dentes e estava na varanda do quarto esperando Jennie voltar do banheiro. A vista daquele quarto era definitivamente maravilhosa. As luzes nos postes iluminando cada detalhe daquela bela cidade, ao fundo a Torre Eiffel enfeitava tudo, linda e radiante. Me dei conta de que Jennie estava voltando quando ouvi uma música baixinha começa a tocar dentro do quarto, Kehlani - Honey. A melodia daquela música era maravilhosa, suspirei e sorri mordendo o lábio quando ouvi os passos dela atrás de mim, o que me fez virar para olha-la. Ela se concentrou na vista assim como eu, seus cabelos bagunçados pela forte vento que bateu, ela cruzou os braços e encolheu os ombros, dando uma leve risadinha.

- Está com frio? - Jennie fez um biquinho lindo e afirmou com a cabeça. Antes mesmo de eu pensar em chama-la ela já veio me abraçando se aconchegando em mim. Ri baixinho rodeando seu corpo com os braços. - Folgada.

Ficamos em silêncio um bom tempo, só apreciando o vendo que batia, a lua nos iluminando lá em cima, linda. Eu estava com frio mas aquilo não me incomodou, aquele momento era mais importante do que qualquer coisa. A melodia da música no envolvendo naquela nosssa bolha de sempre.

"All the pretty girls in the world.

But i'm in this space with you.

Colored out the line"

(Todas as garotas bonitas no mundo.)

(Mas eu estou aqui com você.)

(Colorindo fora da linha.)

Jennia cantou a letra da música baixinho quase como um sussurro. Levantou o rosto para mim e eu fiz o mesmo, nossos olhares se encontraram e eu quase me joguei daquela varanda. Ela estava quente, pude sentir quando ela tocou minha bochecha, deslizando uma mecha de cabelo para trás de minha orelha. Meus olhos estavam perdidos nos seus, minha boca salivando, eu mal sabia o que fazer com as minhas mãos. Eu não estava esperando por aquilo, ela não tinha aquele direito. Suas mãos trêmulas me mostravam que ela estava tão nervosa quanto eu.

"I came to find, my fire was fate with you.

Heartache would stay with you.

Fly great escapes with you."

(Eu vim encontrar, meu fogo foi o destino com você.)

(Minha mágoa ficaria com você.)

(Dar grandes fulgas com você.)

Em questão de segundos, sua mão estava entre meus de cabelos, agarrando as mechas livres perto da minha nunca. Seperei os lábios para suspirar, eu sempre imaginei que Jennie tivesse uma pegada gostosa, mas todo e qualquer adjetivo era pouco pro que ela estava fazendo comigo naquele momento.

- Jennie...

Sussurrei com o pouco de razão que me restava. Subi minhas mãos por seus braços.

- Por favor, Lisa, não diz nada.

Foi tudo o que eu ouvi antes de sentir aqueles lábios sob os meus. A sensação foi enlouquecedoura, uma corrente elétrica sacudiu meu corpo. Acho que morri trinta vezes quando Jennie deslizou sua língua quente e atrevida para dentro da minha boca. Ah! Santo Deus! Separei os lábios e levei as mãos até seu pescoço quando ela puxou meu cabelo.

Quer saber qual é a sensação de beijar Kim Jennie? Nem eu sabia descrever. Havia esperado tanto por aquele momento que eu a tinha ali na minha frente, uma mão maltratando meus cabelos enquanto a outra acariciava timidamente a carne de minha cintura, sua língua deslizando deliciosamente contra a minha, seu cheiro em todos os cantos me deixando completamente tonta. Eu estava louca. Havia beijado poucas pessoas em toda a minha vida e posso afirmar com toda a certeza que ninguém beijava como Jennie. Quando o ar de nossos pulmões foi mais forte e nos forçou a nos separar, Jennie encerrou nosso beijo com uma mordidinha em meu lábio inferior. Encarei seus olhos e eles estavam escuros, nunca os vi daquele jeito. Acho a música ainda tocava, eu nem me ligava em mais nada, apenas nela na minha frente. Sorri encostando nossas testas.

- Você acabou mesmo de fazer isso?

Perguntei com as mãos perdidas em seus cabelos cheirosos. Era bom demais para ser verdade. Seu coração batendo desesperado contra o meu peito, o meu não muito atrás.

- Vamos voltar para o quarto. - Sua voz era pura rouquidão. Tremi dos pés a cabeça. - Por favor, vem.

Abri os olhos para encara-la.

- O que foi? Você ficou chateada pelo que acabou de acontecer ou coisa do tipo?

Perguntei receosa e ela segurou meu rosto entre as suas mãos.

- Não, eu nunca me senti melhor que isso antes, Laliz. - Sorri levando minhas mãos para cima das suas. - Eu quero entrar, eu quero beijar sua boca novamente, mas lá dentro, só eu e você. - Fechei os olhos para ouvi-la, tudo aquilo estava me deixando insana.- Por favor, vamos, eu não posso esperar mais.

E tinha como negar? Tinha como negar alguma coisa para a dona do par de olhos mais lindo de todo o mundo? Eu daria e faria qualquer coisa por ela. A abracei com força antes de segurar em sua mão e puxa-la para dentro do quarto. Esquecendo do mundo lá fora, era apenas eu e ela.

*Pov Jennie*

Santo Deus! Enfim havia criado coragem e assumir tudo aquilo. Talvez tudo o que Rosé nos disse tenha enfim me alertado para alguma coisa. Como é que eu pude esperar tanto para fazer aquilo? Quanto tempo eu perdi criando medo ao invés de me jogar de cabeça em tudo o que sempre senti. Passei todos aqueles meses tentando fugir das minhas certezas, correndo o mais longe o possível do que sentia por aquela garota e tudo em questão de segundos foi por água baixo. Eu tinha certeza que não tinha coisa melhor do que se entregar de alma para Lalisa.

Quando entramos no quarto e eu fechei a porta de vidro. Lisa se sentou na grande cama que tinha em nosso quarto, e prontamente, engatinhei observando cada detalhe dela naquele baby doll de ceda preto. A magresa de Lisa nunca me incomodou, muito pelo contrário, eu a achava extremamente sexy e linda daquele jeito magro. Por muito tempo, ela sofreu o pão que o diabo amassou nas mãos de tantos hates por seu corpo. Diziam que ela era magra demais, anoréxica, ou coisas até piores. Nós três tentávamos fazer de tudo pra que ela não ligasse para aquilo, mas eu sabia que no fundo a afetava. Tudo em seu corpo me encantava, desde seu cabelo a ponta dos pés. A pele branquinha quase leitosa, os cabelos jogados por sua clavícula saliente, a forma como sua franjinha acinzentada caia por seu rosto. Eu já comentei o quanto amava aquela franja? Eu estava mesmo completamente apaixonada.

Suspirei me sentando sobre seu colo, apoiando uma perna de cada lado e juntando nossos lábios. Eu não tinha mais paciência para nada, eu só queria saber de beija-la como todo o fervor. Lisa segurou em meus cabelos perto da nuca, e com a mão livre levou a mesma para dentro da minha blusa, tocando minha cintura e apertou bem devagar. Sua língua deslizando deliciosamente contra a minha me fazendo suspirar toda vez que ela passava as unhas pela minha cintura. Mordi seu lábio inferior o chupando em seguida quando o ar nos faltou, acariciando sua nuca com meus polegares, analisando cada detalhe seu. A boca vermelha, os cabelos bagunçados, um sorriso nos lábios, o nariz fininho. Puta merda Jennie, onde estava quando deixou tudo isso ir para longe de você? Perguntei a mim mesma enquanto a admirava.

- Sua boca me deixou sem juízo. - Ela era tão fodidamente má que colocou a pontinha da língua para fora, me fazendo chupa-la com gosto. - É quase frenesi.

- Se me permite dizer uma coisa, Ruby Jane. - Ela praticamente sussurrou enquanto eu me concentrava em dar beijos por seu rosto, deixando um selinho em seus lábios. - Não pare me beijar.

- Era por isso que eu tinha tanto medo de te beijar.

Disse enquanto a empurrava gentilmente pelos ombros para que deitasse e assim fez, me ajeitei melhor sobre seu quadril, suas mãos deslizando pelas minhas coxas numa leve carícia. Me curvei e deixei um beijo na ponta de seu nariz, me apoiando em meu braço ao lado de sua cabeça.

- Porque?

Perguntou olhando nos meus olhos. Eles brilhavam de uma forma maravilhosa, eu achava linda a forma como o castanho dos olhos dela mudava. Sua mão que estava em minha coxa, agora estava entre meus cabelos, naquela pegada que nem eu sabia descrever do quão gostosa era.

- Porque eu sabia que o dia que isso acontecesse, não íamos mais ter volta.

- E você quer voltar? Porque se sim a gente vai e...

- Não! - Voltar para onde? Voltar para um mundo onde eu não sabia o quanto era bom beijar aquela boca? Voltar a não sentir seu corpo formigando e seu coração batendo a mil só por sentir ela tocar você? Não mesmo. - Não, nunca Laliz.

Ela sorriu toda derretida, aquele sorriso dengoso que eu bem conhecia. Lili se ajeitou na cama, me dando um espaço melhor e assim fiz, meus cabelos caindo ao lado criando uma cortina. Ela fechou os olhos respirando fundo, seu coração batendo desesperado contra o meu peito, sorri a admirando mais um momento só aquela noite, me apaixonando pela milésima vez.

- Você é linda, Lisa. - Eu disse sentido-me estranhamente perdida, não na minha cabeça, mas nela. Laliz abriu os olhos calmamente, ela sorriu mordendo o lábio enquanto acariciava meu rosto. Nos olhamos nos olhos por longos segundos, nos acariciando, nos sentindo. Talvez eu não tivesse que dizer nada, mas eu queria tanto dizer tudo a ela. - Eu sinto vontade de lhe dizer isso o tempo todo e é tão novo... Faz com que eu me sinta uma completa idiota, e eu nunca gostei tanto de me sentir uma idiota.

Ela riu sem graça, eu ri basicamente encantada. Suas bochechas coraram violentamente de uma forma adorável, fazendo meu coração acelerar, linda.

- Não me lembro de ter escutado isso de outro alguém alguma vez, além dos nossos fãs. Isso faz de você a primeira em muitas coisas. - O sorriso que ela deu fez eu praticamente me derreter naquela cama. - Vem aqui.

Antes de eu raciocinar, ela pareceu entender meu pedido silencioso e colou nossos lábios, não me dando tempo pra falar. Eu sempre tive a certeza de que sempre fui completamente apaixonada por Lisa, mas não sabia que podia considerar aquele momento como o mais verdadeiro que já vivi em vinte e três anos, e eu não queria que voltasse.






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...