1. Spirit Fanfics >
  2. My only reason >
  3. The new job.

História My only reason - Capítulo 2


Escrita por: vminmovie

Notas do Autor


espero que gostem. <3

Capítulo 2 - The new job.


Jeon estava em sua suíte. O mesmo tinha terminado de tomar o seu banho quente e secava o seu cabelo com uma toalha, enquanto observava a tulipa no jarro onde a tinha colocado.

Nayeon entrou no quarto sem ao menos bater na porta. O rapaz se assustou.

─Nayeon? Eu poderia está sem roupa, sabia?

─ Eu já te vi sem roupa e isso não importa, precisamos conversar. A mesma senta na cama de Jeon.

─ Sobre hoje? Disse se aproximando de Nayeon.

─ Sim. Jeon você só faz isso quando está triste? O que aconteceu?

─ E-eu me lembrei deles . . . ─ Abaixou a cabeça tristonho.

─ Oh Jungkookie . . . ─ Acariciou o ombro do rapaz.

─ Você acha que algum dia eu poderei superar a morte deles . . . ?

─ É claro que sim, as memórias não desaparecem tão facilmente, eu sei. Mas tente fixar os momentos bons que você teve com eles, sabe? Somente as coisas boas . . .

─ Eu irei tentar, Nayeon. E-Eu preciso fazer isso . . .

─ Sim, e se tiver dificuldade conte comigo, okay? eu estou ao seu lado, hoje e sempre, para tudo que precisar, você sabe disso, não sabe?

Jeon se aproximou mais ainda de Nayeon e segurou as mãos da mesma com um sorriso no rosto.

─ Eu sei e eu sou muito grata por tê-la comigo.

Nayeon abraçou o primo fortemente, sentindo os batimentos cardíacos do mesmo em seu peito.

─ Eu te amo.

─ Eu te amo mais.

─ Vá descansar. ─ beija a testa da prima.

─ Eu irei, espero que também descanse, Jeon.

─ Até amanhã !

─ Até.

No dia seguinte Jeon acordou bem cedo. Ele pretendia voltar ao bar, mas não para beber e sim para agradecer aos dois jovens que tinham o levado no hospital na noite passada. Ele tomou um leve banho, vestiu calças jeans rasgadas com uma camiseta branca, tomou um breve café da manhã e jogou a chave pela brecha da porta, para que Nayeon pudesse ir trabalhar mais tarde. Jeong já não se encontrava em casa, já que estava sempre muito ocupada.

                               X

O garoto caminhava calmamente, ele não aparentava estar com pressa. O bar não era muito longe dali.

Quando ele chegou no lugar, tudo estava muito calmo e sereno. Algumas pessoas tomavam cervejas e conversam empolgadas. De relance ele avistou um dos garotos que o tinha ajudado. O mesmo trabalhava tranquilamente. Jeon se aproximou dele.

─ Olá, bom dia.

─ Bom dia, deseja alguma coi-- . . . ─ Aquele mesmo rapaz parou por um instante de falar e analisou o rosto de Jeon.

─ Espera um pouco. Eu te conheço de algum lugar.

─ Eu também. Prazer, me chamo Jeon Jungkook. Você me ajudou ontem, junto com aquele outro rapaz dos cabelos alaranjados . . . Aliás onde ele está?

─ Ah sim ! Meu nome é Kim Taehyung e bem aquele garoto dos cabelos alaranjados se chama Park Jimin e . . . ele foi demitido.

Jeon se afastou para trás assustado.

─ Foi por causa de mim? Não era pra vocês sairem do trabalho para me levar no hospital ontem !

─ Não foi por causa de você, relaxa. O Jimin se meteu em outras encrencas.

─ Encrencas? Ele parece ser um rapaz bem educado e comportado.

─ Mas ele é. O Patrão que é maluco.

─ Ah sim . . . Eu só vim agradecer por ontem. Foi um prazer conhecê-lo Taehyung.

─ O prazer é todo meu. Volte sempre.

Jeon saiu do local um tanto confuso e pensativo. Que encrencas aquele lindo garoto dos cabelos alaranjados se meteria?

                               X

Jimin estava sentado numa calçada em frente a padaria. O mesmo estava de cabeça baixa, provavelmente chorando.

Ele não conseguia acreditar que tinha sido demetido por um motivo tão idiota. Ele não sabia nem ao menos o que fazer. Aquele emprego era o seu sustento de vida. Não queria voltar para casa, pois Min Yoongi iria perguntar o motivo pelo choro e tristeza e conserteza ele bateria boca com o patrão de Jimin. Agora ex - patrão.

Muitas pessoas passavam por ali, umas sentiam pena no rapaz e outras riam.

Uns minutos depois uma bela mulher parou ao lado e acariciou o cabelo de Jimin, era Nayeon, mas ele não sabia disso.

─ O que aconteceu moço? Porque está chorando? Ela sentou ao lado de Jimin na calçada.

O ruivo olhou atentamente para a mesma ao seu lado, enxugou as lágrimas e disse:

─ E - eu fui demetido do meu trabalho, era o meu único sustento, sabe?

─ Eu entendo, querido.

A garota abraçou Jimin e ele retribuiu o abraço, por mais que fosse de alguém que ele não conhecia. O rapaz não estaria recusando apoio emocional ali.

─ Qual o seu nome?

─ Jimin . . . Park Jimin.

─ Bom, prazer Jimin. Me chamo Nayeon e eu sou a solução dos seus problemas.

Park olhou para a garota um tanto confuso e ao mesmo tempo cheio de esperança.

─ Solução dos meus problemas?

─ Sim. Não precisa chorar mais. Você pode trabalhar no meu apartamento, onde eu moro com a minha tia e o meu primo !

─ C-como assim?

─ Você precisa de um emprego, certo? E lá em casa a gente precisa de alguém para limpar e organizar. A gente te pagaria muito bem, pode ter certeza. O que acha?

─ Eu aceito !

Jimin nem ao menos pensou como seria trabalhar na casa de Nayeon e nem em outras possiblidades. Ele estava tão desesperado por um emprego que não conseguiu recusar.

─ Que bom, isso é ótimo. O que você acha de almoçarmos juntos para nos conhecermos melhor? Um almoço de conhecidos, para que possamos virar amigos ! Disse empolgada em meio a vários sorrisos.

─ Eu adoraria, mas eu estou sem dinheiro.

─ Que isso? Eu pago pra você !

─ Não por favor ! Eu não quero incômoda-la.

─ Isso não é um incômodo, vai ser legal !!

─ E-eu . . .

─ Por favor, eu gostaria muito de conhecê-lo melhor !

─ Tudo bem.

─ Eba ! Vamos ! Meu carro está logo ali.

Nayeon dirigiu até um restaurante, não muito longe dali.

Ela e Jimin adentraram o lugar. Depois que fizeram o pedido, Nayeon começou a puxar assunto com o rapaz.

─ Então Jimin, quantos anos você têm?

─ Eu tenho 25 anos.

─ Oh. Você mora aqui mesmo em Busan?

─ Sim, eu moro aqui com um amigo meu.

─ Que legal. Olha você já pode começar a trabalhar amanhã. Eu irei conversar com a minha tia, e não se preocupe, ela concorda de boa. Além do mais, você iria ser uma ótima companhia para o meu primo.

─ Ele é uma criança?

─ Não, ele é adulto. Têm 23 anos.

─ Ah sim.

─ Ele não curte sair muito de casa, então fica a maioria do tempo lá.

─ Entendo . . .

─ Mas ele não será um incômodo pra você. Ele é um bom rapaz.

Jimin assentiu com a cabeça.

Alguns instantes depois a comida chegou e ambos comiam e conversavam mais ainda.


Notas Finais


me desculpem pelo capítulo pequeno, irei tentar escrever maiores. : (


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...