1. Spirit Fanfics >
  2. My only reason >
  3. Boyfriends?

História My only reason - Capítulo 9


Escrita por: vminmovie

Notas do Autor


olá pessoal ! esse capítulo não está grande e nem bom . . :/ ele já estava pronto a algum tempo, mas eu queria melhorá - lo . . . e não consegui, me perdoem ! estou com bloqueio criativo terrível, prometo trazer um capítulo melhor na próxima vez. <3

Capítulo 9 - Boyfriends?


Fanfic / Fanfiction My only reason - Capítulo 9 - Boyfriends?

Jeon estava na varanda de seu quarto observando a rua um tanto entediado. Nayeon invade o local e se posiciona ao lado dele com os braços cruzados e com uma feição séria.

─ O que foi?
Jeon pergunta ainda focado na rua.

─ Você não pode ficar ai de bobeira.

─ Hum, o que você quer que eu faça?
Revirou os olhos enjoado.

─ Quero que você arrume um emprego.

─ Simples assim? Indagou.

Jeon encarou Nayeon com uma feição um tanto irônica.

─ Exatamente.

─ Como vou conseguir um emprego do nada?

─ Você sabe qual era o lugar onde o Jimin trabalhava?

─ Sei, era é um bar.

─ Procura emprego lá, conserteza sobrou vaga, já que o Jimin foi demetido.

─ Mas se a vaga estiver ocupada?

─ Você só vai descobrir se for até lá.
Disse sorrindo ao sair do quarto deixando Jeon sozinho.

                                  { . . . }

Jimin acordara desnorteado no dia seguinte, desceu as escadas de pijama, cambaleando um pouco.

Com dificuldade tentou encontrar pelos seus pais, mas aparentemente eles não estavam em casa.
Correu em direção a cozinha, avistando Wooyoung preparando algo.

─ Wooyoung?
Chamou pelo o mais novo esfregando o olhos.

─ Oh Bonjour !
Disse cumprimentando o ruivo.

─ Bonjour ! Onde os meus pais estão?

─ A senhora Park foi acompanhar o seu pai numa consulta médica.

─ O que? Porque ela não me chamou para ir junto? Indagou nervoso.

─ Ela preferiu não te chamar, porque é uma consulta rápida, apenas vão conferir a saúde do Senhor Park.

Jimin apenas ouviu aquilo e permaneceu em silêncio.

─ Ei . . . não precisa ficar com medo, está tudo bem. Porque não senta? Eu preparei o café da manhã.

Park hesitou por um momento, mas mesmo assim se sentou à mesa junto com Wooyoung.

─ P - Porque a mamãe me evita de tentar ajudá - la?
O ruivo abaixou a cabeça desanimado.

─ Eu acho que ela não quer que você se preocupe tanto com o seu pai, sabe? A senhora Park comentou comigo que se arrependeu de ter feito você sair da Coreia.

─ Ela não me quer por perto?!

─ Não é isso Jimin . . . ela só não queria atrapalhar a sua vida.

─ Mas ela e o papai nunca serão um incômodo para mim ! Eu saria de qualquer lugar do mundo só para vê - los . . .

Wooyoung acariciou os cabelos alaranjados do mesmo.

─ E isso é ótimo, é fácil de notar o quanto você os ama.

─ Obrigado Wooyoung.

─ Agora coma um pouco, sim? Eu tenho que ir agora, já já eles chegam.

─ Tudo bem, até mais.

Park ficou alguns minutos olhando para um ponto fixo na mesa até decidir de fato comer.

─ Eu deveria ligar para o Jungkook . . .
Pensou.

Rapidamente o rapaz se levanta da mesa procurando o seu celular.

─ Aqui está !
Exclamou alegre.

O aparelho estava debaixo de algumas almofadas jogado no sofá.
Não demorou muito para discar o número de Jeon e Park ficou realmente feliz ao ouvir a voz do mais novo na outra linha.

─ Jimin?
Jeon perguntou curioso.

─ Jungkook !! ─ Exclamou um tanto alegre.


Park se deita no sofá mexendo as pernas um tanto feliz.

─ Porque ligou? Aconteceu alguma coisa?

─ Não aconteceu nada, eu só estava com saudades de ouvir a sua voz . . .
Disse com a voz abafada nas almofadas.

Jeon soltou uma risada feliz.
─ Eu também estava com saudades de ouvir a sua . . . e olha que eu não estava com saudades só disso.

Jimin sentiu a suas bochechas esquentarem ao escutar aquelas palavras tão doces sendo proferidas pelo moreno.

─ Ah Jungkookie ! Eu quero muito te ver . . .
Disse choroso.

─ Eu também, Jimin -ssi . . . Quando vamos nos ver?

─ Eu espero que logo, irei ficar alguns meses por aqui . . . mas eu irei voltar, sim?

─ Tudo bem, eu esperarei por você ! não importa quanto tempo demore.

─ Quando você menos esperar estaremos juntos de novo . . .

─ Apenas nós dois !

Ambos riem bobos de amor.

─ Jimin, me desculpe, mas eu tenho que desligar agora, tenho uma coisa para fazer . . .

─ Tudo bem, Jungkook. Podemos nos falar mais tarde?

─ Sim ! Claro.

─ Então, até mais! manda um abraço pra Nayeon por mim.

─ Eu irei mandar, tchau !

E assim a ligação foi encerrada.

                                   { . . . }

Jeon tomou uma ducha quente e vestiu roupas apresentáveis, secou o seu cabelo e o penteou como de costume, enquanto encarava o seu próprio reflexo no espelho.

─ Eu deveria me arrumar desta forma?

Se observou atentamente.

─ Sim, eu deveria.

Passou um perfume forte e saiu de casa decidido ir de fato aquele bar, á procura de um emprego.
Quando chegara no local ele estava um tanto lotado e movimentando. O moreno procurou pelo o gerente um pouco nervoso.
Uma das garçonetes lhe orientou aonde era a sala onde o dono dali se encontrava e até lá ele foi.
Jeon deu algumas batidinhas na porta esperando por uma resposta e ficou aliviado ao ouvir um " Pode entrar " da figura ao outro lado.

Ele abriu a porta timidamente.

─ Boa tarde, senhor . . .

─ Boa tarde, o que lhe traz até aqui?
O mais velho fitou o seu olhar concentrado em Jeon.

─ Emprego. Alguns meses atrás, eu fiquei sabendo que o senhor demitiu um de seus garços e eu gostaria de saber se sobrou alguma vaga . . . ?

─ Oh, sim. Sobrou vaga, rapaz . . . mas eu não posso simplesmente te contratar antes de me garantir que você tem algum tipo de experiência.

─ Eu nunca trabalhei antes, mas posso garantir que consigo fazer isso, senhor !

─ Tudo bem, rapaz. Te darei uma semana de teste, se você se sair bem até lá . . . a vaga será sua.

─ Oh, obrigado !

─ Está dispensado.

Jeon não conseguiu evitar de soltar um leve sorriso ao se despedir do gerente, saindo da sala.

Ele ia passando pela porta de saída quando uma voz curiosa chamou pelo o seu nome.

─ Jungkook?
O rapaz se virou para olhar quem era e logo reconheceu a figura à sua frente.

─ Taehyung ! Você ainda se lembra de mim?!

─ Bro, Você se lembra 𝑑𝑒 𝑚𝑖𝑚. Porque eu não me lembraria de você?!

Jeon sorriu cumprimentando Taehyung alegremente.

─ O que faz aqui? Veio tomar algumas bebidas?

─ Não, vim à procura de um emprego.

─ Oh, sério?
Disse surpreso.

─ Sim, irei tentar ficar com a vaga que o Jimin tinha antes . . . O senhor gerente me deu uma semana de teste.
Hesitou um pouco.

─ Uau, isso é incrível. Espero que você consiga a vaga, será um prazer trabalhar com você.

─ Eu também espero, Taehyung . . .
Jeon levou a sua mãe até o peito, massageando o local.

─ Não é difícil, você apenas precisa anotar os pedidos dos clientes e trazê - los para mim.

─ Hum, se você diz . . . riu fraco. ─ Enfim eu vou indo, volto amanhã bem cedo !

─ Até amanhã e não precisa vim tão arrumado, você vai ficar literalmente o tempo todo de avental.

─ Oh, eu me arrumei bastante pra passar uma boa impressão, mas acho que exagerei . . .
Jeon sorriu envergonhado.

─ Tudo bem, cara.
Riu da expressão do moreno.

                                 { . . . }

─ Você não deveria me ligar assim do nada !
Resmungava Yoongi ao celular.

Jimin riu nasalado, não perdeu tempo e decidiu ligar para o melhor amigo, assim que encerara a ligação com Jeon.

─ Mas de qualquer forma você atendeu, né? Retrucou.

─ É, eu atendi. Mas tenho certeza que você ligou primeiro para o Jungkook, do que para mim !
Tinha um tom de ironia em sua voz.

─ Sim, eu de fato liguei. Está com ciúmes agora?

─ Estou, sim. Eu te conheço a mais tempo !

─ Own que fofo ! Eu deveria gravar essa ligação, só para deixar salvo você com ciúmes de mim.

─ Você é maravilhosamente irritante.

─ Isso foi um elogio?
Jimin retrucou caindo mais ainda em risadas.

─ Entenda como quiser.

─ Yoongi eu --
Park estava prestes a falar algo, mas seus pais finalmente aparecerem em casa e ele se pôs a falar com eles.

─ E - eu te ligo depois !

Jimin desliga o celular em um súbito e o deixa de lado para abraçar os seus progenitores.

─ Mãe ! Pai ! Como foi a consulta?

─ Ah filho, foi tudo bem. Nós demoramos mais do que imaginávamos.

O ruivo sentiu uma certa insegurança na voz da mãe, mas prefiriu ignorar aquilo . . . por mais que no fundo estivesse preocupado.

─ Pai, como se sente?
Park acaricia o ombro do mais velho com um sorriso singelo no rosto.

─ Eu estou bem, filho. Só me sinto cansado, vou me deitar.
Ele retribuiu o sorriso um pouco fraco, saindo dali naquele mesmo instante.

─ Pode voltar a falar no celular, filho. Irei preparar a comida.

─ Quer ajuda? Eu posso ajudá - la.

─ Eu posso fazer isso sozinha, você pode lavar a louça mais tarde.

─ Tudo bem . . .

O ruivo pega o seu celular, que até então estava no jogado no sofá, e sobe as escadas indo em direção ao seu quarto.
Se lembrou de Jeon ao observar aquela tulipa e sentiu a necessidade de ligar para o moreno novamente.

A ligação foi atendida rapidamente como de costume, mas Jeon no outro lado da linha estava em completo silêncio.

─ Jungkook? Você está aí?
Park chamou baixinho ouvindo a agitação do rapaz.

─ O - oi . . . Jimin ! Me desculpe, eu estou com uma dor de cabeça terrível. Não consigo me levantar da cama !

─ Dor de cabeça? Aconteceu algo com você? Te bateram? Arrumou briga?
Jimin soou um tanto nervoso.

─ Não, Ji . . . Eu bebi muito e droga ! eu tenho que ir "trabalhar" amanhã.
Resmungou bravo.

─ Oh, Jungkookie ! Você é maluco por acaso?

─ E - u juro que tentei não resistir, mas aquela bebida gritava pelo o meu nome !

─ O que? Você está blefando !

─ É sério Ji . .  Ela dizia "Jungkookie me beba !"

O ruivo não conseguiu segurar a risada. Ele gostava do jeito fofo e engraçado de Jeon.

─ Jungkookie ! Você está bêbado? Eu me apaixonei por um cachaceiro?!

─ Não ! E - eu não estou bêbado ! Só estou sobre efeito de bebidas acoólotras !
Disse com a voz manhosa contrariando Jimin o tempo todo.

─ É a mesma coisa !!
Retrucou.

─ Não é não !

─ Tudo bem, Jungkookie ! Não é a mesma coisa. Riu.

─ Jimin . . .
Chamou pelo o outro sussurrando baixinho.

─ Sim?

─ Por favor, Seja o meu namorado.

─ O - o que . . . ?

Jungkook não conseguia ver, mas Jimin carregava em seu rosto uma expressão surpresa.

─ Namore comigo.

─ J - Jungkook . . .

𝑀𝑒𝑢 𝐷𝑒𝑢𝑠, 𝐽𝑒𝑜𝑛 𝐽𝑢𝑛𝑔𝑘𝑜𝑜𝑘 ! 𝑉𝑜𝑐𝑒̂ 𝑒𝑠𝑡𝑎́ 𝑚𝑒 𝑝𝑒𝑑𝑖𝑛𝑑𝑜 𝑒𝑚 𝑛𝑎𝑚𝑜𝑟𝑜 𝑏𝑒̂𝑏𝑎𝑑𝑜?!

─ Jimin, eu sei que você pode estar pensando em algo do tipo " Como ele pode jogar isso na lata? " Mas eu estou fazendo uma pergunta sincera . . . Eu gosto de você ! Penso em ti o tempo todo !

─ Você realmente está falando sério? Eu também gosto de você . . .
Park parecia ainda não acreditar.

─ Eu estou ! Eu nunca brincaria com isso . . . Me desculpe pedir isso assim do nada, mas eu prometo preparar algo mais bonitinho para nós dois, assim que você voltar para cá. Nós podemos usar anéis de sapinhos ! O que acha?

Jimin se pegou um bobo sorrindo, ele nunca pensara que Jungkook se declararia para ele desta forma, mas ainda temia que o rapaz estivesse falando isso por estar bêbado.

─ Sim, Jungkookie. Eu aceito ser o seu namorado.

─ Oh, você realmente aceitou ! Achei que iria me dar um bolo . . . Olha, eu quero ser um bom namorado para você ! Caramba . . . queria ter você comigo agora, para te encher de beijinhos !
Disse em um tom apaixonado em meio a pequenos risos.

─ Por Deus, Jeon ! Você está me deixando envergonhado . . .
Riu bobinho.

─ Eu ainda não terminei ! Queria acariciar o seu cabelo alaranjado, queria ter você em meu colo, queria beijar o seus lábios rosados . . .

─ Queria fazer tudo isso com você também e muito mais . . .
Park disse malicioso, esperando pela a resposta do outro.

─ Oh . . . Jimin, eu estava aqui falando todo fofo e você . . .

─ Me desculpa ! Riu. ─ Eu não pude evitar ! Você é um gostoso.

─ Oh Céus ! Agora quem está envergonhado sou eu ! Mas vamos fazer isso, sim.

─ Esperarei ansioso por isso.

Jeon assentiu falando logo em seguida:
─ Jimin, por favor canta alguma coisa, minha dor de cabeça só irá passar se eu ouvir a sua voz angelical . . .

─ Hum, O que eu poderia cantar para você?
Disse se aconchegando em sua cama.

─ Uma canção de ninar !
Exclamou em um tom alegre.

─ É sério?

─ Sim, eu amo cações de ninar.

─ Tudo bem . . . Vamos ver.
Park se mexeu inquieto tentando lembrar de alguma canção.

─ Oh, Já sei ! é uma canção que minha mãe cantava para mim.

O ruivo começou a cantarolar baixinho ouvindo a respiração calma de Jeon que até então estava um bocado ofegante.

─ Sua voz me faz querer dormir . . .

─ Então durma ! você precisa descansar.

─ Promete me ligar depois?
Jeon perguntou com manha como se a ligação de Jimin fosse tudo que fizesse o fizesse continuar vivo.

─ Prometo, amor !

𝐸𝑙𝑒 𝑚𝑒 𝑐𝘩𝑎𝑚𝑜𝑢 𝑑𝑒 𝐴𝑚𝑜𝑟?!!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...