História My opposite; meanie - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Não revisei e estou com um bloqueio criativo horrível. Me desculpem qualquer coisa. ♡

Capítulo 4 - F o u r.


Era notável o nervosismo de Jeon diante a porta da sala. As mãos suavam frio e
cada vez mais parecia distante dali, em seus pensamentos. Kim, que estava ao lado dele, não interviu e não o apressou, apenas ficou ao lado dele, esperando qualquer reação do outro mas como viu que não iria dar certo, resolveu falar.

— Uma sala branca, um tapete, eu, você e a psicóloga. Exercícios como..o que você gosta de fazer, pode listar jogos e animes favoritos, o que pretende fazer no restante do verão e.. – Kim sorriu ao ver ele que o encarava, continuando. — Eu sei que está criando milhares de respostas, imaginando cada pergunta que será feita. Está tudo bem, apenas iremos conversar.

Jeon sentiu-se um pouco mais confiante, decidindo entrar naquela sala. Repetia para si mesmo que apenas seria uma conversa entre ele e Mingyu mas ainda estava nervoso e tenso, tinha medo dos olhos de Kim se transformarem em um olhar julgador e suas palavras saírem ácidas e não mais doces igual agora. Estava inseguro com seus gostos.

Ao entrar, a psicóloga já sorria, um tapete estava estirado no chão. Tentou retribuir o sorriso mas ainda não conseguia fazer ele soar tão natural, decidiu por fim, sentar na textura macia, de frente para o Kim, enquanto balançava as próprias pernas.

— Por quem começamos? Podemos começar falando de cada um. Fingimos que nós não se conhecemos.

— Eu posso começar, o Jeon talvez queria ver como funciona. – Kim encarou o outro, que apenas assentiu com a cabeça. — Certo.. meu nome é Kim Mingyu, eu tenho dezesseis anos, estou no..segundo ano do ensino médio..eu gosto de doces e..jogos on-line.

— Meu..nome é..Jeon Wonwoo – mordeu o próprio lábio inferior, pensando nas palavras que Mingyu tinha dito. — Eu tenho dezessete anos, estou no segundo ano do ensino médio por que eu perdi um ano..não repetindo..eu só..não conseguia ficar mais lá.

Mingyu e a psicóloga deram um sorrisinho, o mais novo até bateu palmas fracas. Respirou profundamente, logo arrumando os próprios cabelos para trás. Jeon ficou feliz com aquilo, estava conseguindo falar as coisas sem gaguejar.

A tarde foi boa, muitas vezes Jeon se perdia nas palavras e Kim o ajudava. O maior descobriu que Jeon tinha um gosto incrível para animes e jogos de vídeo game e falaram sobre seus planos para o fim do verão, claro que Mingyu incluiu Jeon mais uma vez.

— Você deveria me pedir desculpas por dizer que sorvete de morango é o melhor do napolitano, isso é praticamente uma ofensa, você sabia? – Kim fazia uma expressão séria mas sempre acabava rindo baixo. — Creme maior e melhor, todo mundo sabe disso.

— Eu sinto muito mesmo mas creme nem tem gosto.. – Jeon sussurrava as palavras para Kim, vendo uma risada fraca sair do mesmo em tom de negação, atento depois em olhar a movimentação dos carros.

Depois da consulta, foram comer sorvete e conversaram sobre coisas aleatórias - ou no caso, Mingyu dizia e apenas Jeon escutava, o de fios negros gostava de escutar o outro, parecia animado sempre ‐ e resolveram ir para a casa a pé, no caso, Kim levar o Jeon para casa a pé.

A noite estava estrelada, não era tão tarde, apenas umas sete e meia, Mingyu não se importava com isso mas sabia que Jeon se importava, gostava de estar em casa cedo e sem ter que preocupar a própria mãe. Kim respirou fundo ao chegar perto da casa, colocando as mãos no bolso.

— Então você vai descobrir seu diagnóstico daqui a três consultas? – Kim o olhou e Jeon assentiu positivamente com a cabeça. – Você vai ser encaminhado para o psiquiatra e vai continuar na clínica?

Novamente Jeon correspondeu, Kim apenas suspirou fundo. Parou na porta de Jeon, sentando ao lado dele nos degraus, engolindo a seco e puxando a manga do casaco.

— Não iremos falar sobre isso agora. Não estamos na clínica. – Mingyu deu um sorriso, entregando um papel a ele. — No papel tem meu número e um livro que eu gostaria que pelo menos pudesse ler um pouco dele, é meu favorito.

Jeon tentou abrir o papel porém foi impedido por Kim, o olhando enquanto negava com a cabeça, se levantando e ficando na frente dele, sorrindo em seguida.

— Precisa ver no seu quarto, ainda estou aqui! – deu uma risada baixa, coçando um dos olhos. — Bom, eu vou indo, me chame se precisar.

Kim se despediu com um singelo abraço, o que pareceu uma eternidade para Jeon. Os braços do maior eram acolhedores e quentinhos, gostava do abraço de Kim por motivos dele sempre colocar o rosto em seu ombro, quase chegando em seu pescoço, causava sensações boas, era reconfortante.

Jeon entrou em casa com as bochechas coradinhas, trancando a porta atrás de si, apertando o papel com a mão livre. A mãe do menor não estava em casa e isso era até bom, gostava de ficar sozinho mas não que sua mãe o irritava, apenas gostava.

Ao fechar a porta do quarto, foi diretamente até sua varanda, sentando-se no chão e se encolhendo no cantinho, pegando o papel e abrindo, um pouco ansioso do que estava escrito, sabia que Kim parecia uma caixinha de surpresas, a própria psicológa comentou sobre.

"se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz.."
Primeiro item da lista de Jeon:
Ler Pequeno Príncipe antes do verão acabar.


Embaixo tinha o número de Kim, ele não sabia como iria conseguir o livro mas sabia que talvez tivesse na biblioteca perto de casa. Diversas perguntas passavam por sua cabeça, por que Mingyu queria que ele fosse ler e se deveria chamar o de fios castanhos.


A noite estava linda, sentia-se como se ela ficava cada vez mais linda a cada dia. Conseguia ver as estrelinhas, o céu em seus tons escuros, talvez Jeon quisesse desenhar o céu, talvez tivesse começando a se interessar por astronomia. Não sabia.


Durante a manhã, Jeon estava animado e indo para a biblioteca, não tinha falado com Mingyu no telefone sobre o livro, apenas estava curioso com a história e queria ler o mais rápido possível, notou que estava saindo mais e até sua mãe notou, aquilo realmente estava o ajudando. Aquilo seria o  Kim.

O sininho soou quando entrou na biblioteca, cumprimentou a senhorinha e foi quase correndo para a algumas prateleiras dali, eram diversos livros, tanto sobre histórias encantadas e tanto sobre a história do próprio país, sobre seus antepassados.

As horas se passavam e o de fios negros ainda estava sentado no chão do local, tinha dois livros de astronomia em seu colo enquanto o livro recomendado estava em mãos. Acabou por se distrair e começar a ler ali mesmo, esquecendo até que alguém o chamava, bem perto de si.

— Terra chamando garoto de cabelos bonitos e um sorriso lindo também. – Jeon levantou o rosto e encarou um garoto que parecia familiar e até que lembrou, era o que tinha ajudado com os bolos, lembrava do crachá dele e de seu rosto: Wen Junhui. — Não sabia que ficava na biblioteca.

— Trabalha..aqui também..? – Não queria parecer invasivo mas estava curioso por ele ainda estar usando o crachá fora de seu ambiente de trabalho e quando o chinês notou o olhar do outro ali, retirou rapidamente.

— Esqueci de tirar. Eu vim procurar uns livros para minha irmã e acabei vendo você, esqueci de perguntar seu nome, estava tão apressado naquele dia. – Deu um sorrisinho ao ouvir o outro falar bem baixo "Jeon Wonwoo", assentindo. — É um prazer, Jeon. Se vemos por aí então.

Naquele momento, Jeon sentiu as bochechas esquentarem com aquele garoto falando de si, os elogios o deixaram daquela forma, apertou os livros contra si e resolveu por alugar rapidamente, querendo se esconder no próprio quarto. E mais uma vez, Jeon adormeceu em sua varanda, só que dessa vez acompanhado com livros e bolinhos.


Notas Finais


Eu já estava pensando em desistir dela, não sei o que fazer ainda. Se detalho mais sobre a vida do Jeon com o Kim no verão ou apenas pulo o tempo para o fim dele. Onde eles iriam ingressar em um colegial. Desculpem mesmo. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...