1. Spirit Fanfics >
  2. My Other Half: 7 Days >
  3. Dia 1

História My Other Half: 7 Days - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Dia 1


[De Manhã...]

Não é a sala de interrogatório do hoaklin, então eu acho que... É assim que o teste começa. Bom, a bússola só para quando alguém morre, então tenho que procurar por pessoas. Mas como eu vou me defender? não sei. Saio do local onde estou, que é numa casa, não é a minha, eu achei isso muito estranho, vou até a sacada do segundo andar e vejo que não tem ninguém na rua, literalmente ninguém. Resolvo sair de lá e desço as escadas, saio pra rua e fico observando a rua vazia, aquilo estava me assustando. Contínuo observando até que escuto uma voz e me assusto na hora.

– Ei! Bem óbvio que você também esteja no teste, meu nome é Josh — ele se aproxima

– Eu sou Noah, é bom ver você! — digo e ele sorri

– Sim, também. Espero que a gente consiga ressuscitar. O que me leva a fazer isso... — ele diz, pega uma arma que estava na cintura dele e aponta pra mim.

– Ei, que merda é essa? tá me assaltando? — pergunto e levanto as mãos em forma de rendição

– É, isso não é certo, mas, estou apenas tentando ter uma conversa honesta. — ele diz

– Você é maluco — digo

– Você conhece as regras do jogo, todos tem uma missão diferente. Qual é a sua missão e o seu equipamento? — ele pergunto e dou risada – Agora, me diz!

– Eu posso dizer pelo jeito que você está agindo qual é a sua missão. — respondo

– Certo, agora eu tô interessado. Vamos ver o que você tem a dizer — ele diz

– Você tem que matar alguém específico — digo

– E o que te faz pensa isso? — ele pergunta

– Senão você não teria razão pra apontar essa arma na minha cara e me ameaçar. — respondo

– Uma ameaça é apenas uma ameaça. — ele diz

– Só porque você precisa sair e matar pessoas, não quer dizer que todos tem que fazer o mesmo que você. — falo

– O que te faz pensar que eu tenho que matar alguém específico? — ele pergunta

– Você estava me fazendo perguntas. — respondo

– Mano, isso é incrível, tenho que admitir: você é bom. Eu sabia que tinha gostado de você. Certo e errado. — ele diz e ergo uma sobrancelha

– Você tá brincando comigo, né? — pergunto indignado

– Não, claro que não, eu estou impressionado. Eu até diria que estou orgulhoso de você. Tudo bem, acabou essa conversa. Me diga qual é a sua missão. — ele diz ainda apontando a arma

– Eu preciso chegar a um local... — digo

– Então você tem que seguir algum coisa! — ele fala

– Eeh... me dá só um minuto... — digo me afastando

– Eu não falei pra parar com essa merda? me fala logo ou eu... — ele fala e depois para, ele ficou em silêncio até que resolveu falar novamente – É isso aí! Era isso que estava esperando!

– Do que está falando! Enlouqueceu? — pergunto

Um cara aparece atrás dele com uma arma.

– Josh, filho da puta! sou eu Harry. Agora que eu te achei, eu vou te matar. — Harry diz, Josh logo atira nele e o mesmo cai de joelhos no chão – Que merda como v-você... — ele se deita no chão e segundos depois ele para de se mexer.

– Desgraçado, aliás desculpa por ter visto isso. Eu ia dizer que essa era sua chance de fugir. — ele diz e nego com a cabeça.

– Eu estaria tão morto quanto ele se tentasse fazer algo. — respondo

– Legal, eu gosto de como você pensa. Normalmente, quando uma pessoa atira ou alguém morre, você fica apavorado... mas você não ficou! — ele diz num tom surpreso

– Talvez porque tem muita coisa acontecendo? — pergunto irônico

– Mas quem diabos é você? — Ele pergunta

– Apenas um cara que quer viver novamente. — respondo

– Nossa, você é frio... — ele diz e sorrio

Olho pra minha bússola e vejo que ela parou de girar e agora está aprontando. Josh percebe e resolve comentar.

– Uma bússola? eu pensei que fosse o celular de alguém. Ah entendi, você precisa seguir aonde a bússola aponta. — ele diz

– Foi o que eu disse... — respondo

– É, eu sei. — ele diz – Mas o ponteiro parou de girar, parece que você tem algumas condições, deixa eu tentar descobrir o que está acontecendo aqui. — ele pensa um pouco, ele olha pro corpo no chão e depois pra bússola.  – Já entendi, sabia que estava certo sobre você, nós somos iguais! — ele diz

– Do que está falando?! — pergunto

– Alguém tem que morrer pra essa bússola funcionar, né? — ele pergunta

...

– Acho que isso foi um sim! Eu vou dizer o meu: Eu tenho que encontrar e matar o meu inimigo de quando eu estava vivo. Mas como eu não lembro de nada, fica difícil de saber quem é. — ele diz

– Então você tem que sentir se é a pessoa que você está procurando? — pergunto

– Quase isso, mas de qualquer forma, não acho que é você. Não sei por que, mas eu gosto de você, eu sinto que te conheço. — ele diz

– Você com certeza sabe como chegar até mim, eu quase quis matar você alí mesmo. — digo rindo

– Ei, Noah. Que tal se trabalharmos juntos? pensa nisso, eu tenho que matar alguém, você tem precisa de alguém pra morrer... e aí? — ele pergunta

– Eeh... é difícil dizer não a isso. — respondo e ele sorri

– O que me diz, parceiros? — ele estende a mão

– E como eu vou saber se você vai atirar em mim, ou não? — pergunto

– Relaxa, eu não posso atirar em você mesmo... Vendo como você está calmo num local de assassinato, eu diria que na vida real somos iguais. Quer saber, seja lá o que você decidir, eu vou te seguir mesmo. — ele diz e ergo uma sobrancelha

– O que? está se emocionando idiota estúpido? — pergunto

– wow mal-humorado, gostei disso. Acho que nós vamos se divertir muito. — ele sorri

– Tanto faz, acho que eu não tenho nada a perder... — digo

Apertamos as mãos até que somos distraídos com um barulho.

– Ei! espera aí — Josh diz olhando pra uma mulher atrás de um arbusto

Ela grita assustada e sai correndo.

– Não tão rápido! — Josh diz e olha pra mim – Não fica parado, corre atrás dela!

– Deixa eu adivinhar, ela é sua próxima vítima. — digo

– Ela com certeza ouviu a sua missão! De qualquer forma, vá atrás dela, eu vou voltar. — ele diz

[Mais tarde...]

Chego num beco escuro e começo a procurar a garota. Encontro ela e a mesma levanta as mãos em rendição.

– Por favor, não me mate... — ela diz e corre novamente

– Droga! Pra onde ela foi? Noah, você viu pra onde ela foi? — Josh pergunta

Avisto a perna da garota que estava escondida.

– Ei Josh, ela está alí! — cochicho pra ele

Ele vai até ela e aponta a arma.

– Não, por favor! — ela implora

– Heyoon, não é? — Josh pergunta – Estou com medo da sua mente, acho que tive uma idéia. Ei, Noah. O que quer que eu faça com ela?

– Eeh... Apenas deixe ela ir. — respondo

– Então tá, vamos deixar ela ir. — ele diz e abaixa a arma – só desta vez, agora vaza.

– Então eu posso só ir? — ela pergunta com uma voz trêmula

– Eu disse vaza, caralho! — ele aumenta o tom de voz e ela sai correndo – As coisas estão indo bem, esse jogo está ficando mais interessante.

– Jogo? isso é algum tipo de caça pra você? — pergunto

– Quero dizer, não mais. Por hoje. — ele responde

– Que merda? você só mata se tiver vontade? — pergunto

– Caralho, você está fazendo parecer que eu faço tudo isso por diversão. — ele diz

– Só porque você está me tratando como um idiota. Tenho certeza que não matou ela por alguma razão! — digo

– Eu amei esse seu jeito de ficar se intrometendo na minha vida! Mas é só isso que eu vou te dizer, se divirta tentando adivinhar. — ele diz irônico

– Você é tão irritante. — falo revirando os olhos

– E quanto a sua bússola? não vai seguir ela? — ele diz

– Acho que está tentando mudar de assunto. — respondo

– Tá, vamos embora! — ele diz se virando e indo



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...