1. Spirit Fanfics >
  2. My Pace >
  3. Ligando os pontos

História My Pace - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Helloooo! Como estão? Eu espero que bem...

Sim, hoje é segunda e sim eu deveria ter postado sábado, mas não deu... Sorry

Obrigada a todos que comentaram, colocaram na biblioteca, nas listas de leitura... Thanks

Sem mais delongas, bora lá!

Capítulo 23 - Ligando os pontos


Fanfic / Fanfiction My Pace - Capítulo 23 - Ligando os pontos

Fui ver os seguidores de Hyunjin, não achei Seungmin. Fui ver quem Hyunjin estava seguindo, não havia nem uma poeirinha de Seungmin.

Eles era alguma coisa um do outro, ou Hyunjin só viu alguém na rua e pediu pra essa pessoa tirar a foto?

Mas não seria muita coincidência? Os dois eram da mesma escola, passavam pela mesma rua? 

Para mim, era muita coincidência.

Resolvi entrar no Instagram do Kim. Vasculhei por entre as fotos, mas não achei nada.

Céus! Eles pareciam aqueles idols que estão namorando, mas que não possuem nem um momento fofo! 

Não que o relacionamento deles — seja qual for — fosse da minha conta, mas tipo, eu sabia que às vezes em algumas festas Hyunjin saía com algumas garotas, então, por quê ele e Seungmin supostamente foram comer num restaurante de casal? Será que eles possuíam um relacionamento aberto? Será que eles estavam tendo uma relação romântica? Por que eu estava fazendo essas perguntas a mim mesmo?

O celular em minhas mãos vibrou. Era Seo:

Changbin:

Oi [6:56 p.m]

 

Eu:

Oi [6:56 p.m]

 

Changbin:

Td? [6:56 p.m]

 

Eu:

Sim [6:56 p.m]

 

Eu: 

E você? [6:56 p.m]

 

Changbin:

Ok [6:56 p.m]

 

Eu realmente não havia entendido aquilo. Se ele estava bem, por que me mandava mensagem? Quero dizer, meus colegas só mandavam mensagem quando possuíam dúvidas, e eu não duvidaria se mandassem pra pedir consolo.

 

Changbin: 

Vc ñ acha que foi um pouco duro com Minho? [6:57 p.m]

 

Changbin:

Eu sou amigo dele há um bom tempo e ele já passou por muita coisa [6:57 p.m]

 

Changbin:

E tipo vc acabou de conhecer ele [6:57 p.m]

 

Eu:

Olha… Eu realmente não quis ser grosseiro, mas, você ouviu o que Minho falou? Eu concordo com você, não sei da história de Minho, e ele também não sabe a minha… [6:58 p.m]

 

Eu:

Então, por que não podemos deixar as coisas como elas estavam? Podemos fingir que nada aconteceu (?) [6:58 p.m]

 

Mordi meu lábio inferior. Changbin não respondia. Estava pronto pra deixar o celular de lado, mas então vi a tela do mesmo ligar.

 

Changbin:

Pra vc eh fácil falar isso, não foi vc q foi machucado com aquilo [7:00 p.m]

 

Eu:

Como assim? Minho não parecia tão triste, pra falar a verdade, ele ficou bravo, e pronto [7:00 p.m]

 

Changbin:

Pense um pouco Jisung [7:00 p.m]

 

Suspirei com aquilo. Eu só havia dito que Minho era mimadinho, que só ouvia o que queria ouvir, e não tinha tantos problemas, afinal, era riquinho.

Então, eu percebi meu problema. Changbin também vinha de uma família rica, talvez a sua infância tenha sido muito parecida com a de Minho.

Eu havia chamado Seo Changbin de "mimadinho", que "tem a vida fácil". Talvez, tivesse chamado Wooseok e Lisa também, mas eles não haviam se pronunciado.

Droga!

 

Eu: 

Changbin, desculpa [7:01 p.m]

 

Contudo, ele não leu. Talvez, uma parte do meu cérebro já soubesse disso, afinal, não me senti culpado por completo; já a outra parte do meu cérebro ainda tinha esperança que Changbin respondesse. E se eu tivesse o machucado demais? E se ele quisesse se afastar? 

Não… Eu não posso controlar o que as pessoas sentirão, ou deixarão de sentir. Às vezes eu gostaria de controlar, mas eu não posso. As pessoas não são robôs, e eu, muito menos, sou o criador, não tenho um controle que diz: "sinta raiva", "sinta alegria". Eu simplesmente não tenho. 

Eu não consigo controlar os outros. A minha terapeuta já falou sobre isso, ela sempre diz: "Jisung, entenda, controlar o que as outras pessoas sentirão está fora do seu controle, elas não são marionetes, e você não é um titereiro. Se você colocar 20 pessoas em uma sala, e dar a sua opinião, essas 20 pessoas pensarão de uma forma diferente, e não está no seu controle ditar o que cada uma precisa sentir ou pensar. Você pensa de uma forma, e elas de outra. Se elas sentirão raiva, elas que lidem com isso, não você".

Deixei meu celular de canto. Meu cérebro parecia prestes a explodir. Queria saber o que rolava entre Hyunjin e Seungmin, queria saber o que havia acontecido na infância de Minho. 

O tempo passou rápido, e quando eu percebi já estava arrumando as minhas coisas para dormir.

Ouvi três batidas na porta, e então ela ser aberta.

— Jisung, eu posso entrar? — mamãe indagou.

Assenti.

Nos sentamos na cama, e ela logo começou a falar.

— O pai de Hyunjae disse que não precisaremos pagar a conta do hospital, se você tivesse batido um pouco mais nele, Hyunjae estaria com o nariz quebrado.

Mordi meu lábio inferior.

— Jisung, você não bateu nele só por causa de Lia, não é? 

Fiquei em silêncio.

— Você pode me contar?

— Eu só estava com raiva — respondi.

— Mas não era só com raiva dele, você é um garoto querido, não iria fazer isso, mas fez, agora, eu preciso saber.

— Desculpa… — murmurei quase chorando. — Eu 'tava com tanta raiva de Hyunjae, de Felix, e de Dongjae…

Mamãe pareceu ficar nervosa ao meu lado. 

— De Dongjae? 

— É… — concordei. — Mãe, eu sou tão dispensável assim? — olhei-a nos olhos.

A expressão confusa se transformou em uma de surpresa.

Tão de repente ela me abraçou.


 

°°°


 

Nunca planejei receber bilhetes, mas agora, que recebia não achava completamente ruim.

Contudo, eu não tinha recebido. Nem o de hoje, e do dia anterior. Não estava chorando de tristeza, só queria saber o que tinha acontecido para essa pessoa não me mandar mais os bilhetes.

O sinal tocou, e eu logo desci.

A mesa não estava silenciosa por causa de Wooseok e Lisa, o que era bom, afinal nenhum silêncio constrangedor pairava no ar.

Mordi meu lábio inferior. Seungmin e Hyunjin… O que eles tinham? 

Então lembrei de quando Seungmin falou que iria encontrar um amigo em uma cafeteria.

E antes, no caminho, ele havia falado sobre gostar de alguém romanticamente.

Será que? Não, não podia ser! 

Talvez ele estivesse indo encontrar outro alguém, como Jeongin!

Mas por que eu ainda tinha o pressentimento de que ainda havia alguma coisa errada?

De repente tive alguns flashbacks. Jeongin indo a lanchonete e eu falando aquele bordão; o carro com caveira no estacionamento da cafeteria; Jeongin entrando nesse mesmo; quando vi pela janela do meu quarto dois garotos, eu achava que os mesmos fossem Changbin e Hyunjin, mas o garoto mais baixo era Jeongin e o outro Hwang… 

— Han? Terra chamando Han Jisung! — Wooseok cantarolou.

Levantei a minha cabeça.

— ComoéocarrodeHyunjin?! — exclamei.

Jung fez uma careta.

— Peraí, o que?

— Hyunjin. Carro. Como é? — resumi em palavras.

— Ele tem uma caveira no espelho retrovisor, e… 

Aquilo já bastava. 

— E-eu preciso ir… — olhei para os lados, e no exato momento vi Kim Seungmin passar.

Levantei daquela mesa, e então saí correndo. 

Repentinamente um garoto parou na minha frente.

— Hannie! 

Olhei para Juyeon.

— Oi, eu preciso ir… — tentei ir para o lado, mas o Lee se meteu na minha frente. 

— Hannie, estava pensando se… O que você 'tá fazendo? — ele perguntou no exato momento que eu tentava ir para outro lado.

— Eu tenho que… 

O sinal do recreio pôde ser ouvido. 


Notas Finais


Oi novamente

Até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...