1. Spirit Fanfics >
  2. My persona ( imagine Jimin) >
  3. Como um adolescente! Hot

História My persona ( imagine Jimin) - Capítulo 55



Notas do Autor


Desculpem o atraso, mas vamos ao que interessa. AVISOS IMPORTANTES.
1. Teremos muitas trocas de narração!
2. Muitas memórias.
3. Alguns cortes de clima.
4. PULEI ALGUNS HOTS! NÃO ME MATEM.
5. Compensarei nos próximos caps.
6. SÓ TEREMOS MAIS 6 CAPÍTULOS!
7. Tem pistas de oque poderá acontecer no capítulo seguite.
8. TÁ MUITO GRANDE '-'
Boa leitura.
Não esqueçam de ler as notas finais.

Capítulo 55 - Como um adolescente! Hot


Fanfic / Fanfiction My persona ( imagine Jimin) - Capítulo 55 - Como um adolescente! Hot

VOLTA PARA AS NOTAS DO AUTOR QUE VOCÊ NÃO LEU!


Luna on...

Kook- quer ir embora ?- pergunta perplexo.

- meu irmão foi preso, ela tá sozinha e me chamou pra morar com ela.

Kook- e a sua bolsa de estudos aqui?

- não vai fazer diferença.

Kook- e se seu irmão for solto ? A-a Moon Hye... vai deixar ela?- estava eufórico.- Seus sonhos.- fica de joelhos no sofá, me encarando desesperado.- sua vida, suas amigas seus...- o interrompo.

- Para kook! Essas coisas todas já não me prendem aqui!- disse alterada.

Kook- não me chama assim... - respira fundo.- se vai embora, não deveria ter deixado eu me aproximar de você ! Não deveria ter permitido ficar sempre junto e te querer perto, não deveria me dá apelidos carinhosos, nem deixar eu te beijar... - se aproxima.- se permitiu tudo isso... não deveria me deixar!...

- sinto muito!- olho para frente.- eu aceitei.- de relance o vejo sentar novamente e baixar a cabeça, com os cotovelos apoiados nos joelhos.- amanhã eu vou embora daqui !

Kook- hoje é sua última noite aqui? - pergunta sem me olhar, baixo e triste.

- sim...- me encostei no sofá.- minhas malas estão prontas.

Kook- porque me perguntou?

- não sei... - no fundo eu sei, no fundo eu não quero ir, e deixa-lo me atormenta a alma.- Dorme comigo hoje? - me encara normalmente, sem anormalidade ou surpresa.- só hoje...

Kook- eu... ok. - ele não iria aceitar.- ainda vamos jantar com os meninos? - muda o assunto.

- se ainda quiser !- concorda.- não  fica magoado comigo Jungkook, eu também preciso ser feliz, eu QUERO ser feliz, me entende ?

Kook- é bom saber disso...- sorrir de canto, me olha por alguns segundos e desvia o olhar para frente novamente.

Me senti mal, seu sorriso sumiu desde que falei que vou embora.

- Jungkook...

Kook- eu preciso ir em casa, pra me arrumar! - fica de pé.- as 19 horas venho te buscar!- disse sem sentimentos, não chegou a ser totalmente frio, mas foi o suficiente para me fazer lacrimejar e baixar a cabeça.

Dentro de alguns segundos, senti que estava sozinha, ergui minhas pernas pra cima do sofá e as abracei.

Jin on...

Jimin e s/n estão se arrumando, pensei que não iríamos mais sair de casa hoje, porém Jimin ainda insiste.

A senhora Park está no quarto, Namjoon saiu desde a confusão e não atende o celular, só que a Dara ligou escondida pra avisar que estão juntos e bem!

Tae sumiu mais uma vez, mas disse que encontra a gente no restaurante, Jungkook se trancou no quarto desde que chegou, Horseok também está se arrumando e aparentemente levará uma convidada e Yoong foi buscar a Moon Hye.

Pelo visto vou ficar segurando vela o jantar inteiro assim como Tae, Jungkook e a senhora Park.

Oque estou fazendo?

Estou procurando alguma roupa que não seja branca pra usar, as vezes parece que estou vestindo a mesma peça de roupa.

Na verdade estava procurando, parei quando Jungkook bateu na porta e me chamou.

- pode entrar !- respondi fechando as portas do guarda roupa.- já está pronto ?

Jungkook- é que ainda tenho que buscar a Luna...

- até você? - o jovem a minha frente arqueia a sobrancelha direita confuso.- parece que todos vão levar acompanhantes, menos eu.- rimos.- agora fala.- vou até a cômoda.- oque aconteceu?  Você só me procura quando quer conselhos ou ajuda com alguma coisa.- disse abrindo a primeira gaveta.

Jungkook- sério?- assinto.

- relaxa, eu gosto, você é como um filho e eu o amo muito, no que eu poder ajudar, eu irei! Pode dizer.

Jungkook- eu me apaixonei por uma garota...- inicia.- sei exatamente oque sinto, mas não sei como dizer! - pela distância da voz, ele havia sentado na cama. Continuei procurando a roupa.- Fiquei procurando a melhor maneira de demostrar, de deixar claro que ela pode contar comigo e que estou sendo puro e sincero quando ofereço minha companhia só que...- suspira e o olho.

Vi algo que dificilmente acontece, Jungkook de ombros caídos, cabeça baixa e triste.

Diferente do que pensei, ele realmente estava se sentindo perdido, só não imagino oque o deixou nesse estado.

Jungkook- agora ela vai embora!- continua, olha para frete e preciona os lábios tenso.

- a Luna ?- respira fundo.

Jungkook- é... vai morar no Brasil com a mãe. Nunca imaginei que sentiria algo tão ruim por causa de uma garota que não fosse minha irmã.

- e eu nunca imaginei te ouvir falando essas coisas dessa maneira! - trocamos breves sorrisos.

Jungkook- ela ainda está muito abalada com tudo oque aconteceu, não importa oque eu faça para deixá-la feliz, não é aqui que a felicidade dela está; é no Brasil, entende? Ela disse que precisa ir! Para o próprio bem!- tenta fingir um sorriso- e eu quero que ela seja feliz, pelo menos uma vez!- diz a última parte aparentemente se referindo ao passado da garota.

- então deixe-a ir!

Jungkook- deixarei...- sua voz saiu por um fio, repleta de dor e eu quase não consegui ouvir.

- Mas deixe-a ir sabendo dos seus sentimentos, sabendo do quanto ela é importante pra você e o quão feliz e diferente você se tente quando estão juntos!- disse tudo em alto e bom tom, queria colocar na cabeça dele que é importante que ela saiba de tudo.- deixe-a ir... sabendo que você a ama !- a última parte eu disse baixo, calmo e de forma incentivadora.

Jungkook parecia surpreso com minhas palavras, o mais importe foi que senti que havia escolhido as certas. O Garoto sorriu triste e esperançoso, ele soube a importância de falar dos próprios sentimentos.

E eu também.

Jungkook- obrigada...- me abraçou e aos poucos aqueceu o abraços, retribui sentindo meus olhos arderem e meu peito doer.- eu juro que vou falar !- Fiquei sem palavras.

Separamos o abraço, nos encaramos e o mais novo sorriu grato, tentei retribuir mas não consegui.

O vi sair animado pela porta e sentei na beirada da cama lembrando da última conversa que tive com Mark.

Lembranças on...

Mark- eu não costumo desistir fácil do que quero...- diz incomodado.- mas você está realmente dificultando as coisas! Porque não admite oque sente, Jin?

- quando vai entender que está investindo na pessoa errada, olha a minha idade para sua, garoto! Eu agradeceria se parasse de me procurar e fosse curtir sua juventude, você domina bem e tem vários garotos da sua idade que gostariam de ter você como dominador!

Mark- é isso que quer que eu faça?- pergunta decidido.- que procure alguém da minha idade?

- É o melhor a se fazer!

Mark- deveria ser menos covarde com o que sente.- por fim saiu de casa e eu nunca mais o vi.

Lembranças of...

Eu o deixei ir, sem que soubesse dos meus sentimentos, o privei dos meus toques, carinhos e tudo.

O privei do meu amor.

Por culpa do ego, do medo e do preconceito com a diferença de idade.

Por isso minha próprias palavras me atingiram tão brutalmente, como balas, elas atravessaram meu peito queimado e fazendo um grande estrago, me fez chorar !

- Oque eu fiz?...

Faz muito tempo que não recebo nenhuma de suas ligações ou mensagens irritantes, que não o pego me seguindo ou sou surpreendido com sua presença que mesmo eu negando, me fazia feliz.

Sequei as duas únicas lágrimas que rolaram, peguei minha toalha e fui para o banheiro tomar banho, no final de tudo, acabei vestindo as mesma roupas brancas de sempre, meu ânimo sumil, sobre tudo oque reinou foi a necessidade incontrolável de vê-lo e dizer que tudo oque eu disse era mentira, e que eu precisava dele, de seus toques e seu jeito mesclado com um dominador safado e um bobo apaixonado imbecil!

Eu precisava admitir que querendo ou não, ter Mark vai além do meu maior libido!

.

.

.

Horseok on...

Conheci Jennie enquanto s/n ensaiava meu grupo, ela sempre ia assistir e olhava tudo com muita admiração.

Cheguei a pensar que todo aquele encanto que ela sentia, fosse por não saber dançar, porém, ela dança e dança muito bem!

A gente conversou muito e com o passar dos meses acabamos nos envolvendo, sim, estamos namorando! Alguns na casa já estão sabendo, mas só hoje iremos oficializar para a minha família; e muito em breve para a família dela.

Faz alguns minutos que estou na frente da sua casa a sua espera, ela disse que não demoraria, estou tão ansioso.

A porta de sua residência foi aberta, me revelando uma Jennie totalmente linda e radiante, a garota usava um vestido de textura firme na cor amarela aparentemente de couro e um tênis na mesma cor.

Jennie não é dona de um corpo vulgar, porém esse vestido amarelo não muito justo e que deixava amostra metade de suas coxas me deixou louco.

Seu cabelo estava preso em um rabo de cavalo e seu melhor detalhe era o sorriso que carregava em sua face.

A menina fechou rapidamente a porta e correu até o carro logo o adentrando.

Jennie- oii!- entra, fecha a porta e inclina o corpo em minha direção para unir nossos lábios.

Sorri por sua empolgação.

- você está muito linda!- disse sorrindo e dei partida no veículo.

Jennie- obrigada! Você também está!

- eram seus pais na janela ?- me olha sorrindo.

Jennie- eles querem saber quem conseguiu me conquistar?

- eu consegui?

Jennie- nem precisou se esforçar! - rimos.

Namjoon on...

Minha cabeça está doendo, pensei em tantas coisas que chega a parecer mentira.

Talvez s/n tivesse me chamado do irmão por nós termos uma boa relação, ou porque eu realmente sou, mas se for esse o caso, porque não me contou antes?

Dara- Para com isso...- a olho confuso, ela havia acabado de sair do banho.- você está fazendo de novo!- se refere ao meu comportamento diferente, eu acho.

- desculpa...

Dara- você não tem porque se desculpar !

- nem sei porque eu vim te preocupar, sendo que poderia ir para o meu apartamento.

Dara- você sabe sim !- senta ao meu lado ainda de toalha.- não quero que fique pensando em coisas que te machucam, não quer mesmo me contar? Vai te fazer bem desabafar um pouco.- põe a mão sobre a minha.

- já me sinto bem, sua companhia me trás paz...- trocamos breves sorrisos, porém o meu logo sumil assim que senti minha consciência pesada.

Dara- oque foi ?- pergunta preocupada.

- vai se trocar, tem algo que preciso te contar!- reluta por alguns segundos e então assente.

Dara- tudo bem...- Dara levanta e caminha até o guarda roupa pegando algumas peças e volta para o banheiro.

Deitei e novamente voltei a sentir minha cabeça borbulhar de tantos pensamentos.

Dara é uma mulher maravilhosa, não posso esconder nada dela, meus planos são lindos e todos envolvem seu sorriso, sua felicidade e seu bem-estar!

Mas para isso, sinto que preciso contar quem sou !

O senhor Kim pode ser meu pai ?

É estranho pensar dessa forma, a vida dele é tão perfeita, ele não parece ter tido algo com minha mãe e até onde sei meu pai morreu antes que eu nascesse.

Ele é rico! Porque não me assumiria? Sera que minha mãe foi amante dele ?

Claro que não! Como posso pensar isso dela?

Suspiro com tais pensamentos.

Devo ter me equivocado, talvez s/n só tenha dito aquilo para não discutir mais com Jimin...

Escuto Dara sair do banheiro e a procuro com o olhar, poderia até dizer que a garota estava tentando me provocar, se não estivesse tão distraída indo até a penteadeira.

Seus cabelos já não estavam tão molhados e no lugar da toalha, agora tinha um conjunto de dormir extremamente curto, vale destacar que a blusinha marcava bem os seios medianos dela.

Tenho que controlar minha mente e deixar de ser pervertido.

Dara- não me olhe assim !- diz me encarando pelo espelho, sua expressão facial era acusativa e divertida ao mesmo tempo. Sorri de canto sem saber oque dizer e passei as mãos na nuca um pouco envergonhado.- primeiro me encara como se eu fosse sua presa...- põe a escova de cabelo sobre o móvel e começa a caminhar ao local onde me encontro.- agora fica fofo e tímido...- rir, coloca delicadamente os cabelos atrás dos ombro e engatinha sobre a cama para se aninhar em meu colo.- oque faço com você, em...?- Sua voz baixa e melodiosa me deixa calmo, mantive meu braço em sua cintura (de baixo do copo dela.) E a outra levei para seu rosto, começando a brincar com seus lábios macios e frios.

- me aceita como seu único companheiro... - sorriu soprado transmitindo doçura.

Seu sorriso tem o poder de me deixar bobo, de me acalmar e me transformar novamente em um verdadeiro adolescente apaixonado.

Respirei fundo e me arrumei em uma posição que impedia a menor de ver meu rosto, meu sorriso aos poucos foi se desfazendo: Eu realmente quero falar sobre isso? E se ela ficar com medo?

Dara- depois das primeiras palavras... as outras simplesmente fluem.

- mas, eu não sei como iniciar.- respondi de forma humorada.- não sei como vai reagir.

Dara- acredite, irei me comportar!- sorriu.

Estou exatamente naquele momento em que sabemos oque dizer, mas não sabemos como!

- já tive 4 namoradas, 3 delas me deixaram com o passar do tempo, a primeira, se apaixonou por outro garoto.- Dara me ouve em silêncio, talvez percebendo o quão difícil estava sendo falar daquilo.- meio que superei rápido, a segunda, fez a mesma coisa, só que antes de terminar comigo, ela já se envolvia com o outro cara ! Não é que ser trocado seja...- não encontro a palavra certa.- entende oque estou tentando dizer? - me responde com um "uhrun".- é que foram duas vezes seguidas...

Dara- e a terceira ?- sorri soprado.

- foi no início da faculdade. Eu era o melhor entre todos os alunos, não pense que estou tentando me gabar.- rimos.- mas, ela queria apenas se aproveitar desse detalhe, a melhor parte vem agora... ela me traía!

Dara- estou com medo que continue falando, desabafar é ótimo e posso garantir até que é o início da cura da alma, mas você tem que se sentir confortável!- me encara me dando a visão de seu rosto.- você se sente confortável para fazer isso comigo ?

- eu estou !- disse sem sombra de dúvidas.- Você tem esse dom!- trocamos breves sorrisos até que sua cabeça repousa novamente em meu peito.- paguei papel de otário para toda a faculdade. Fiquei revoltado, claro do meu geito... se antes eu queria boas notas, agora eu queria ótimas, fiquei bem mais vaidoso e quiz fazer amizade com os populares, comecei a frequentar festas e enfim...

Dara- construiu uma falsa identidade ?

- Sim.

Dara- tá... você disse quatro namoradas, e a quarta?

- a quarta era linda, não me refiro a estrutura física, que também não era nada ruim, mas no comportamento, sabe? Gentil, carinhosa, atenciosa... FORTE e muito guerreira.- a culpa se faz presente.- mas eu não me importei com isso!

Dara- brincou com ela ?! Igual como fizeram com você?

- foi bem pior. Tivemos relações sexuais e depois a ignorei, ela ficou triste e foi visível, mas também ignorei esse fato.

Flexes on...

Bia - Namjoon. - me chamou decidida, oque me fez olha-la um pouco assustado.- eu preciso te contar algo.

- diz então!- respondi com desdém enquanto os jovens com que eu conversava antes ficaram sérios.

Bia- É sério Kim Namjoon, nos precisamos conversar!- foi rude.

- veio dizer que está grávida e eu sou o pai ?- sorri com deboche.

Bia- se fosse... o que faria ?

- com certeza esse filho não seria meu, quem garante que depois de mim  você não teria ficado com mais ninguém? - meu sorriso sumil quando  seus olhos marejaram.

Bia - certo. - sua voz estava tão carregada de magoa quanto seu olhar, porém me lançou um sorriso gentil.

Flexes off...

Suspiro com peso na consciência.

- um dia ela passou mal no refeitório e eu fui ajudar. Talvez eu tenha me aproveitado da oportunidade para tentar concertar minha burrada.

Dara- conseguiu ?...

Flexes on...

Durante os 5 dos 15 minutos De intervalos estava concentrado em olhar para Bia, seu comportamento me intrigava e suas atitudes também.

Dois dias haviam se passado desde meu ato de moleque e ela me tratava  como se nada tivesse acontecido entre a gente, talvez se vingando.

Estávamos a duas mesas de distância, nem sei ao certo sobre oque os garotos estavam conversando, mas sei que tem haver com os conteúdos vistos mais cedo.

Algo diferente estava acontecendo, Bia baixou a cabeça sobre o braço em cima da mesa três vezes seguidas, na quarta vez demorou um pouco mais para levantar o rosto e quando o fez, os fios de cabelos cabelos extremamente loiros caíram sobre sua face.

Tão rápido quanto alguém que prática esportes e tão atrapalhada quanto alguém que está tonto. Foi assim que ela correu em direção aos banheiros, sem que eu percebesse já a seguia na mesma velocidade para tentar alcança-la.

Quando cheguei ao meu destino a encontrei vomitando.

Não tive reação, afinal, oque eu mais temia parecia estar se confirmando!

Quando olhou para o espelho logo me encontrou.

Bia- kim? Oque faz aqui?- baixa rapidamente a cabeça para lavar o rosto.

- E-eu vi você passando mal e... fiquei preocupado!

Bia- já estou bem !- sorrir.

Seu rosto voltava a coloração normal seus lábios recebiam de volta a cor rosada.

- Bia... esse filho que está esperando é meu ?- a ideia de ser pai não me assustava, oque me assustava era minha falta de responsabilidade.

Bia- Sabe Kim... eu sei muitas coisas sobre você, por isso mesmo não acho que mereça que eu te esconda nada... mas fique sabendo que nunca quis nada seu!- meu coração batia tão violento dentro do peito.- é seu sim! Mas quem cuidará dele sou eu !

- Bia.- não permite que eu fale.

Bia - e não, eu não fiquei com ninguém além de você porque a última vez que me envolvi com alguém além de você tem mais de um ano. - disse calma.

- me desculpa por isso...

Bia - claro!- baixou a cabeça.- mas não chegue perto do meu filho! Tenta passar por mim porém peço que pare.

- eu não quero que meu filho cresça sem pai como eu cresci!

Bia - Kim...- fica pensativa.

- eu queria te magoar sim, eu queria que sentisse oque eu senti, mas eu já aprendi que não compensa, que você não merece e que fui imaturo.-  disse rápido.- Bia... - suspiro sem palavras.- Não me afasta dessa criança...

Bia- todos aqui conhecem a sua história, todos sabem de suas decepções amorosas, mas eu Kim. Eu não tive culpa de nada ! Você me usou e depois me humilhou, fez pior do que elas...- quebra o contato para alinhar os fios soltos.- Vou pra casa, não estou em condições de assistir aula.

- Deixa eu te levar? - fui o mais sincero que consegui.

Flexes off...

Dara- você tem um filho ?- pergunta surpresa.

- tenho.- sorri.

Dara- nossa. E como é? - me senti confuso com sua pergunta, Dara sentou na cama me olhando ansiosa.

- Oque?

Dara- o lance de ter um filho...- gesticula com as mãos.

- desde quando você usa o termo lance ?- gargalha alto.

Dara- não muda de assunto, quantos anos ele tem ?- concentra.

Sentei na cama, me sentindo ansioso em falar do meu filho.

- ele tem 5 anos e...- sorri bobo.- se chama Kim Nanjoon!

Dara- que fofuuuuh!- ela realmente estáva empolgada com a novidade.- e como é a relação de vocês? Ele te presentea com desenhos no dia dos pais? A moça te trata bem ?

- bem, eu acompanhei toda a gestação e a auxíliei em todos os sentidos, tantos financeiros como emocionais. Nos tornamos grandes amigos no fim e o pequeno Kim até que entende bem o fato de não ter os pais biológicos, juntos na mesma casa.- baixei a cabeça e comecei a brincar com meus dedos. - quando o segurei no colo a primeira vez tive tanto medo.- confessei.- era tão pequeno, tão frágil. Nossa relação e repleta de cumplicidade, sou sempre o primeiro a saber das coisas, isso me deixa orgulhoso e feliz!- levanto meu rosto sorrindo, porém com os olhos repletos de lágrimas, é a primeira vez que exponho meus sentimentos. Minha psicóloga também estava emocionada. - e eu recebo cartinhas dele já vaicompletar três anos ! Eu amo meu filho !

Dara- isso é muito lindo Nam...- Junta suas mãos entrelaçando os próprios dedos e faz uma espécie de apoio entre o rosto e o ombro.

Seus olhos brilharam tanto quanto seu sorriso transmitia luz.

- Dara... - fico sério sendo acompanhado por ela.- Eu precisava te contar tudo para finalmente me sentir avontade.- assente.- Depois de tudo o que te contei, você ainda aceita ser minha namorada ?- não pude decifrar sua expressão.

A morena mais uma vez colocou seus cabelos compridos para trás e começou a engatinhar até mim.

Manhosa de mais!

MANHOSA DE MAIS!

Sorriu. Finalmente sorriu, no entanto permaneçi perdindo, que sorriso era aquele?

Após ficar com uma perna de cada lado do meu quadril, ficou me encarando.

Nervoso, anseio pela resposta, enquanto isso, ela brinca de mudar as formas se me olhar.

Brilho, muito brilho, agora ela me admirava colocando um sorriso doce no rosto, suas mãos delicadas tocaram meu rosto e seu polegar acariciou meus lábios.

Dara- me beija Nam...- pediu após fechar os olhos.

Luna on...

Sabe quando o clima tá tenso, mas a educação vem em primeiro lugar ? Poiser, essa é a situação em que me encontro com Jeon.

Seu olhar sem emoção está me deixando cada vez mais triste.

Jimin acabou de chamar o garçom para trazer os cardarpio, por não ter o costume em frequentar esse tipo de ambiente, não estava entendendo nada, apenas número expressando os valores de cada prato.

MUITO CAROOOOO.

- koo... Jeon - me alto corrijo ao lembrar de seu pedido mais cedo.

Jungkook- hun?

- Oque é tudo isso? - pergunto baixo.- essas palavras estranhas são as comidas? - Sorrir me fazendo olha-lo, acabei sorrindo também.

Alívio.

Jungkook- eu faço seu pedido...

- assinto.

O garçom anota todos os pedidos e sai, Jimin se retira da mesa após um tempo, e em seguida s/n faz o mesmo.

Todos fingiram não ter notado.

Jungkook- você está muito linda...- se pronuncia gentil..

- você também está...

Jungkook- me perdoa por hoje mais cedo, já entendi seu lado e se você ficará feliz em partir... eu também ficarei!- fala baixo e põe sua mão sobre aminha que estava em minha coxa.

Encaro sua atitude, um simples gesto que faz meu coração se aquecer todas as vezes.

- eu preciso te contar algo...

Jungkook- diga...

- não agora!

Assente uma única vez e baixa a cabeça, não quebramos o contato, eu fiz questão de entrelaçar nossos dedos.

Jungkook- eu também preciso te dizer algo...- foi sua vez de olhar nossas mãos e sorrir triste.

s/n on...

Jimin estava me provocando. Como? Me estimulando em público, não posso vacilar e deixar que percebam, muito menos consigo retirar sua mão do meu sexo.

Ele parou, levou minha mão até seu pênis e automaticamente o olhei assustada.

Seu pênis estava pulsando, extremamente duro a ponto de marcar bem sua calça social.

Impossível não querer provoca-lo também, oque não deu certo; Já que assim que comecei a massagear, sua mão segurou firme a minha.

Baixei a cabeça fazendo uma pequena careta e ele se retirou, virei discretamente meu corpo para olha-lo, seu semblante estava com um misto de sério e provocativo: sexy.

Sorriu me convidando para acompanha-lo, assim fiz.

- com licença...- peço e todos me olham.

Tentei acompanhar o rapaz, coisa que só consegui fazer com o olhar já que não queria correr atrás dele.

Paralisei por alguns segundos quando reparei o local que este havia entrado.

Era uma espécie de quartinho de limpeza.

Jimin- demorou...

- hun... - meu gemido saiu tão baixo que possívelmente ele não ouviu.- isso é ... ai!- solto um gritinho seguido de risadas rápidas por ser pega de surpresa. (Me pegou no colo fazendo-me enlaçar as pernas em sua cintura).- Jimin, aqui não, é muito arriscado.- disse com a voz mais rouca, seu nariz parecia brincar com meu pescoço.

Jimin- isso não te excita?- ele estava tenso, muito tenso.- argh...- geme quando nossos sexos se chocam propositalmente. - amor...- escorrego minha mão direita entre nossos corpos para sentir seu órgão genital.- hunmm...- joga a cabeça para trás.

Aproveito a ocasião para morder seu queixo e me esticar para beija  sua boca. Apertei seu pênis ainda coberto lhe arrancando palavrões e perguntei oque tanto me sufocava no momento.

- porque não me deixou de tocar ?- coloco minha mão esquerda no mesmo local que a direita e abro a calça do mais velho.

Jimin- arrr s/n, você não sabe os efeitos que tem sobre mim, eu nunca iria conseguir me controlar!

- É bom saber, agora...- desço do seu colo, o beijo rápido enquanto faço com que fique de costas para a parede e me ajoelhou em sua frente.

Jimim- nunca me senti assim antes...- respira fundo e ofegante.

- espero que seja castigo então...- digo provocativa e abaixo sua calça juntamente da coeca.

Jimin- amor... - alívio, estava aliviado por ter se livrado de todo o aperto dos tecidos.

Estava pingando pré gozo. Salivei.

Sem rodeios comecei uma masturbação intensa melando toda a intensão com sua própria porra.

Jimin- amor...- faz mensão de me levantar.

- não me toca Jimin ! - o encaro seria.

Jimin- eu prefiro ficar dentro de você! Argh.

De fato uma proposta tentadora.

- veja isso como uma punição e agradeça por eu gostar muito do seu gosto.- dito isso o engoli, o rapaz  fechou os punhos e jogou novamente a cabeça para trás.

Jimin- Aaaah !- estava sugando fortemente com a boca enquanto deslizava a língua conforme sugava e bombeando com as mãos oque não cabia, queria acabar logo, não queria que pensassem merda por nossa demora. Oque é meio impossível.- argh... - parei de sugar e voltei a masturba-lo freneticamente.

Jimin estava se segurando para não se mover nem gemer, ele estava vermelho e as veias começavam a aparecer em seu rosto.

- vamos Jimin...- provoquei.- geme minha putinha.

Não demorou muito para que eu voltasse a chupar seu membro pulsante.

- hummm...- gemi com a boca ocupada por seu pau na tentativa de fazer uma garganta profunda.

Jimin- puta que pariu!- arquei as costas contra a parede e me olha em seguida, não por muito tempo pois voltou a jogar a cabeça para trás e fechar os olhos. Assim como suas mãos.- aaahm s/n!!!

Sua respiração ficou totalmente sem  rumo, não me surpreendeu o suor começar a aparecer em seu rosto.

Quando achei que Jimin iria preencher minha boca ele me afastou, virou as costas e caiu ajoelhado começando a se tocar, me irritei com isso, foi como na primeira vez, só que ela eu entendi, espero que essa tenha uma boa explicação.

Foram questões de segundos para ele ejacular forte e grosso.

O Garoto praticamente se jogou/ sentou com as costas contra a porta. Por um estante achei que tivesse desmaiado, porém ele sorriu de olhos fechados.

Jimin- Vale lembrar que você me deve... uma risada enquanto te chamo... de putinha... viu mocinha.- disse cansado, acabei rindo.- as minhas pernas.- me olha.- estão tremendo.

- primeiro não me deixou te tocar, agora não me deixou terminar o serviço!

Jimin- mas eu já disse pequena. -se arrastou até mim.- eu não sou tão discreto quanto você.- ficamos frente a frente.

- e agora ?- me puxa para seu colo.

Jimin- você não iria querer sair daqui toda suja né?

- tudo bem Jimin...

Jimin- acho que não foi uma boa ideia colocar você em meu colo !- diz malicioso.

- esse fogo não apaga não?

Jimin- eu sei que também tá excitada meu amor. Até imagino o quanto...- aproxima sua boca do meu ouvido.- você está molhadinha aqui em baixo.- Me assustei quando senti seu pênis roçar em minha vagina.

- Jimin...unnm.

Jimin- posso ?- ainda estava me pincelando, como resposta dei uma leve rebolada.- quero que você calvague.- começa me invadir lentamente.- porque tão apertada?...- respirei fundo e fechei os olhos para não gemer.- foda-se...- deitou-me no chão ficando por cima e iniciou com as estocadas rápidas, não consegui segurar os gemidos.

- Jimin... - travei minhas unhas em seus ombros coberta pela camisa.- ahm.

Jimin- amor...- esconde seu rosto no meu pescoço mantendo o ritmo acelerado.

- mais!- foi só oque consegui pronunciar.

Recebi investidas mais rápidas, fundas e fortes, qualquer um que passasse ali na frente ouviria o som de nossos gemidos, nossos corpos se chocando e outro ruídos.

Minhas costas estavam doendo, o chão que antes estava frio, agora se encontrava úmido.

Gememos juntos por conta de sua estocada bruta, aqueei as costas e apertei mais seus ombros enquanto o mesmo repetia seu ato me deixando louca.

Jimin- ooh, s/n... amor.

- hunm...

.

.

.

- Jimin...- o chamei brincando com os botões de sua camisa, não queria olhar pra sua cara ainda.

Ele estava sentado no chão com as costas contra a parede, eu estava "deitada" em seu colo, estilo noiva ou garotinha indefesa.

Era minha terceira tranza e não tinha porque me fazer de forte como mais cedo, então apenas aproveitei suas carícias.

Jimin- sim ?- me deu atenção com a voz calma.

Sua mão direita repousava em minha coxa, seu polegar me acariciava e sua respiração passeava calmamente entre meus fios de cabelos.

- porque você está assim ?- perguntei ainda encolhida e senti seu olhar queimar em mim, mesmo que não pudesse ver seu rosto, nem assim demonstrou nervosismo.- é por causa dos remédios também?

Jimin- como...? - pergunta suavemente massageando minha perna.

- assim!- não encontrei palavras.- primeiro no camarim e agora no quartinho de limpeza do restaurante...- sorriu soprado me abraçando mais. - é um feitch?

Jimin- é! vai dizer que não gostou da sensação de que alguém poderia nos pegar? - fiquei calada.

Afinal, depois de um certo tempo, nem ligava mais, só queria que ele fosse cada vez mais fundo mais forte e. Vocês entenderam!

- e o... amor ?

Jimin- hun ?- questiona.

- É que você ficou me chamando de amor um monte de vezes .

Jimin- ah. É isso?... você é amor, meu amor, o amor da minha vida!- sorri boba.

- Jimin...

Jimin- diga...

- eu não gostei muito de transar no chão.- rimos.

Jimin- desculpa

- quando vamos sair daqui ?- rimos.

Jimin- fica calma... ninguém lá em casa vai te julgar.- fechei meu olhos cansada.- e ninguém vai ver a gente sair !

- vamos ficar aqui até todos irem embora? - perguntei humorada voltando a abrir os olhos sem o olhar.

Jimin- tenho uma ideia melhor ?- o olhei.

Jimin encarava uma pequena janela a nossa frente, não era tão alto e mesmo assim tinha uma pequena escada ali que nos ajudaria.

Sai de seu colo e tentei abrir sendo acompanhada por ele.

Jimin- abril ! - Sorrir e pega a escada pondo para subirmos.- vou ver se tem alguém? - seguro a escada e nossa que bunda esse meu noivo tem !- vou passar primeiro para te ajudar a descer.

- ok!- estava ansiosa para fazer.

Ouvi um ruído e posso quase afirma que ele caiu, oque não me admiraria, já que tinha ficado de bunda pra cima.- se machucou ?

Jimin- estou bem !- sorri aliviada.

- posso ir?- pergunto já começado a subir e o olho pela pequena passagem.

O rapaz sorrir negando e me pega, me puxando com cuidado, meu corpo foi abraçado assim que terminei de passar e risadas nossas puderam ser ouvidas por qualquer um que passasse próximo do local.

Desfiz o abraço e segurei sua mão não dando tempo para interrogatório  e comecei a correr junto dele.

Jimin- ei.

- vamos logo!- continuei o puxando até chegar a beira da pista e fiz o primeiro taxista parar.

Ainda sorrindo entramos no veículo, passamos o endereço da casa do Jimin e fomos.

.

.

.

Jimin- você me faz sentir como um adolescente vivendo sua primeira paixão proibida.- fecha a porta do quarto e puxa meu vestindo com minha ajuda me deixando totalmente exposta para si.- me diz s/n...- usa a voz rouca, baixa seu olha para meus seios se aproximando mais volta e me encarar.- qual o limite do seu prazer ?- senti minha pele encrespar com sua pergunta.

.

.

.

Jungkook on...

- gente é sério eles já foram! - ninguém acredita.

Luna- eu não vi eles saindo...

Senhora Park- nem eu !

Jin- se eles já foram ou não, veremos amanhã, o kook tem que ir, a Luna precisa ir também.- cita a mais nova que conversava com a amiga e com Yoong.- O Tae precisa descansar, e Hope, que eu me lembre você ainda vai deixar a Jennie em casa não é? - assente rindo.

Hope- tá apressado irmão?- tentou disfarçar mais não seu certo.

Jin- estou!

Huuuuuuum- todos menos Jin e a senhora Park.

Senhora Park- deixem ele gente !- rimos.

Jin- e você Yoong?

Yoong- não dormirei em casa hoje !- disse calmo como sempre.

Jin- pelo menos a chave do carro estava comigo! Vamos.

- Jin, Luna e eu vamos de uber!- assente depois de um tempo.

Jin- cuidado e... cuidado....- o último cuidado disse com cautela de forma que só eu entendi.

Luna e eu nos despedimos de todos e chamamos o uber, que não tardou a chegar.

O trageto foi silêncio, enquanto ela estava perdida em seus pensamentos olhando a estrada pela janela do veículo, eu apenas a observava, já imaginando como seriam os dias seguintes sem ela.

Motorista- desculpa, mas já chegamos.

Luna me olhou rindo.

Luna- babaca !- rir.- você não estava prestando atenção? - acompanhei sua risada ainda envergonhado e paguei o moço.

- você também não!

Luna- a culpa é minha agora ?

- sou tão culpado quanto você, não dramatize!

Motorista- desculpa mas...

- oh, claro, desculpa!- saio do carro assim como a baixinha que agora ria mais.

Luna- oh claro!- me imita e volta a gargalhar.- isso é efeito da comida? Será que os outros estão assim também?

- vem sua doida, vamos entrar, parece que vai chover de novo!- ela passa na frente e abre a porta.

Luna- primeiro você donzela !

- tá muito cheia se gracinha, não acha não?- Passo e ela fecha a porta novamente!

Luna- não gosto mais dessa casa.- olha para o local onde o corpo de seu pai esteve e fica seria por uns segundos, mas volta a sorrir minimamente.-  tenho que te contar algo!

- eu também, por favor me deixa falar primeiro...- implorei.

Luna- T-ta.- caminha calmante até o sofá sentando-se nele.- vem, senta aqui. Porque está tão nervoso?- fiz.

Calma Jeon... calma !

- É que eu te amo tanto!- a garota arregalou os olhos e sorriu soprado.- E como eu te amo! Teu sorriso, tua voz, teu olhar, tua loucura, as crises de riso, o mal humor...- dei pausa ao perceber que atropelei todas as palavras.- eu amo cada detalhe seu!- abre um pequeno sorriso.- teu cabelo , tua força, tua ousadia e loucura, mas quando você disse que iria embora eu... fiquei assustado.

Luna- percebi, mas...

- não, eu preciso falar! vou sentir saudade de tudo, mas se é lá que sua felicidade está, eu vou aceitar! Meu único pedido é que não se esqueça de mim! O babaca que esbarrou em você no meio da rua, depois ficou dando um de protetor sem te conhecer e sentiu ciúmes sem estarmos em nenhum tipo de relacionamento, não esquece de mim nem de todas as vezes que te irritei pra chamar tua atenção.- juro que eu esperava qualquer reação, menos ela caindo na gargalhada.

Não soube oque pensar.

Luna- kook.- rir.- era pra você ter me deixado falar primeiro.

- mas...- rir novamente.- caramba Luna, não sabia que essa seria sua reação, se soubesse te deixava ir sem saber de nada!- disse sério a vendo parar de rir.

Luna- aish. Não fica triste kookie...- segura meus rosto me fazendo olha-la. Eu estava realmente magoado.- olha, eu não vou mais embora ok ?- travei.

- como ?- foi automático o sorriso que se formou em meu rosto.

Luna- eu não...ai - a joguei no sofá e fiquei apenas a encarando. No meio do ato suas mãos seguraram fortemente meus ombros.

Meu coração batia forte e acelerado, sorri soprado fitando os olhos de Luna, ela realmente estáva feliz por me falar aquilo.

- repete?!- seu sorriso se alarga, suas mão delicadas voltam para meu rosto e sua perna esquerda enlaçou meu quadril.

Luna- eu, não vou mais, para o Brasil! - sua voz estava calma, serena, sexy, sedutora. Ah.

Ela não iria mais embora. Estávamos tão próximos, o clima estava perfeito, mas eu só queria ficar ali e admirar sua beleza.

- eu não consigo parar de te olhar!

Luna- bobão!- gargalha se movimentado de modo inusitado em baixo do meu corpo.

Cocei a garganta e separei nossos corpos a deixando confusa.

Luna- oque houve?

- nada.

Luna- kook... foi porque tentei um contato ?- se aproxima.

Pergunta me deixando surpreso, imaginei que tivesse sido apenas um movimento involuntário.

- É que, tiveram todos esses acontecimentos com você, o caso do seu pai agora e...

Luna- eles me forçaram Jeon, foi contra minha vontade!- assenti.- mas com você eu quero !- estava descobrindo uma nova Luna, uma totalmente seria e madura.- não quero continuar apenas com a visão ruim das relações sexuais.

- desculpa não quiz te deixar triste nem nada, só quero que as coisas aconteçam no seu tempo! Quando você desejar que aconteça!- seu olhar fixou em meus lábios quando parei de falar, automaticamente fiz o mesmo.

Luna- eu quero que aconteça... agora!- minha nuca foi puxada nos deixando em uma distância mínima a ponto de nossas respirações se misturarem.

Mais uma vez meu peito ganhava batidas fortes.

Seus olhos estavam fechados dando-lhe assim um expressão serena.

Ainda de olhos abertos e encarando sua boca rocei nossos lábios de forma carinhosa.

- Eu te amo Luna...- sorriu.

Jin on...

Mas deixe-a ir sabendo dos seus sentimentos, sabendo do quanto ela é importante pra você e o quão feliz e diferente você se sente quando estão juntos!

Mark- Jin?


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...