História My Possessive Boyfriend-(Vkook) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Flex, Jungkook, Lemom, Seme, Tae, Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi
Visualizações 96
Palavras 4.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiie
Primeiramente: obrigada pelos 60+ favs, de verdade, é o que me deu forças pra terminar de escrever o cap :')
eu tive que correr, porque senão não sairia hoje ahsuahsuha
Eu me senti na obrigação de postar hoje porque vocês sempre escrevem os mais lindos comentários pra mim >< 
Enfim, até as notas finais.

Capítulo 7 - Capítulo 6



Taehyung

~2 semanas depois~ 

 Eu e Jungkook continuamos exatamente como estávamos antes, ele continua muito atencioso e carinhoso comigo. A mudança, que aliás é muito radical, é que agora nós nos beijavamos.

  Antes era Jeon Jungkook que me beijava pois ele sempre me pegava desprevenido, mas os beijos não passavam de apenas selares. Óbvio que não eu não achava ruim, eu penso é que nós progredimos, mas sempre dá para avançar mais alguns passos. E foi o que eu fiz.

 Acontece que eu sempre ficava na vontade de puxa-lo de volta e aprofundar. Queria conhecer sua boca e saciar meu desejo.

 Não fiz isso no começo por dois motivos: 1. eu não sabia o que fazer quando minha língua e a dele se encontrassem. 2. eu sempre ficava atordoado e sem reação quando Jungkook terminava o ato. 

 Mas agora o problema já foi resolvido e agradeço muito pela coragem repentina que eu tive.

 ~Flashback on~ 

 ~No dia seguinte após o show~

Eu estava sozinho na cozinha, terminando de lavar as louças da janta.

 - Hyung. - ouvi alguém chamar atrás de mim e me virei. - Coloque na pia pra mim, por favor. - Jungkook me entregou seu prato logo após de selar nossos lábios rapidamente.

 Ele saiu com um sorriso no rosto, me deixando completamente vermelho e sem reação para trás. Eu não esperava por isso.

 Demorei alguns minutos até me recuperar e voltar para terminar de lavar as louças.

 Eu estava voando nos meus pensamentos tão bagunçados que nem percebi quando terminei de lava-las. Eu agia no piloto automático. 

 Era esse o efeito que Jungkook causava em mim.

 ~~~ 

 ~Alguns dias atrás~

Eu estava de pé na sala e de costas para a escada, conversando com minha mãe pelo meu celular. Já era tarde da noite.

 - Sim, mãe, está tudo bem aqui. A senhora não precisa se preocupar. - eu disse, já exausto de tantas ordens para me cuidar mais.

 - Filho, não se esqueça de me telefonar todos os dias. Eu e seu pai ficamos preocupados e-. - eu deixei de prestar atenção. 

 Senti alguém atrás de mim e eu assustei, não o ouvi se aproximar. Seu corpo estava grudado no meu e suas mãos estavam em minha cintura, me mantendo perto. Senti um calafrio. 

 - Hyung. - Jungkook sussurrou manhoso. - Me faz dormir? 

 Eu quase deixei o celular cair de minha mão. 

 Jungkook me dava beijos na nuca enquanto suas mãos acariciavam minha cintura. Senti meus pelos eriçarem. 

 - Mãe, depois te ligo. Estão me chamando ali. - eu disse apressadamente antes de desligar a ligação. - Você está louco? E se ela escutasse? - me virei pra ele e perguntei indignado. 

 - Aish, que problema tem? - perguntou Jungkook sem se importar, olhando nos meus olhos.  - Não fique tão preocupado com isso, hyung. - ele beijou meu pescoço. 

 - Como não ficar-. - fui interrompido por um beijo do mais novo.

 - Shh. Você fala demais. - ele disse me abraçando novamente pela cintura, depositando outro beijo calmo em minha boca. 

 Me rendi à ele e aproveitei o máximo daquele momento de carinho. Jungkook alternava entre minha boca e o resto de meu rosto. Mas aí eu me lembrei onde estávamos. 

 - Jungkook-ah. - falei entre um beijo, depois de um tempo. 

 - O que foi, Taehyung? - ele levou os selares para o meu pescoço.

 - E se os hyungs aparecerem? - eu disse com meus olhos ainda fechados, sentindo as carícias gostosas do maknae.

 - Eles estão dormindo Tae. - Jungkook deu uma mordida fraca na minha pele. 

 - Mas eles podem acordar.

 - Aigoo! Você fica muito tenso. - ele parou e me olhou com tédio. - Já que está com medo, vou ir dormir. - Jungkook simplesmente se virou e subiu as escadas, me deixando estático na sala. 

 Logo ouvi uma porta se fechando, provavelmente a do quarto dele. Me sentei no sofá e suspirei. Eu não queria que ele tivesse parado. Queria ter tido alguma atitude e aprofundado mais naqueles beijos. Eu deveria ter aproveitado a oportunidade de mudar as coisas. Os selares que Jungkook me dava eram incríveis, mas eu tinha que experimentar algo diferente. Tinha que haver uma variação. Eu não queria apenas ficar nessa vontade de ''quero mais''. 

 Mas o que eu poderia fazer? Estávamos no meio da sala. Seria constrangedor se fôssemos pegos de surpresa. Olhei para o teto e fechei meus olhos, já sentindo falta dos lábios de Jungkook no meu corpo. Me levantei e andei de um lado para o outro, tentando pensar.

 Já sei. 

 Subi as escadas rapidamente e fui em direção ao quarto do maknae, onde abri a porta sem ao menos bater na mesma. Meu coração batia acelerado com a ideia, mas eu estava determinado.

 - Taehyung? - perguntou Jungkook.

 As luzes estavam apagadas, mas eu já conhecia o local o bastante para alcançar a cama do mais novo sem precisar de iluminação. Continuei em silêncio. Tateei a cama e me deitei no espaço que havia ao lado dele. 

 Envolvi o mais novo que estava de costas para mim nos meus braços e o puxei para mais perto de meu corpo, sentindo todo o seu calor. Dei vários beijos em seu cangote enquanto minhas mãos apertavam mais a sua cintura. Senti Jungkook se arrepiar. 

 O mesmo se virou de frente pra mim e tomou domínio de meus lábios. Era agora a minha oportunidade, eu não iria deixar passar dessa vez. Aproveitei o calor do momento e, em um movimento rápido, fiquei por cima de Jungkook, ainda sem descolar nossos lábios. O mais novo parou o beijo e me afastou carinhosamente. 

 - Não era você quem estava com medo? - perguntou, percebi que ele estava sorrindo. 

 - Shh. Você fala demais. - voltei a beijá-lo. 

 Nosso beijo foi se intensificando até que demos passagens para as tão esperadas línguas.

 Palavras não descreveriam tudo o que senti quando aquela língua molhada e macia do mais novo se encontrou com a minha pela primeira vez. 

 Borboletas. Sim, estava cheia delas em minha barriga nesse momento.

 Não sei como, mas eu soube fazer tudo. Eu soube mexer a língua na velocidade certa, acompanhando os movimentos da de Jungkook e também onde eu deveria tocar. Nenhum som é capaz de ser comparado com os estalos de nosso beijo no silêncio daquela noite. Aqueles gemidos abafados, a textura da língua do moreno, minhas mãos descobrindo o corpo de Jungkook. Era tudo tão prazeroso. Foi um beijo calmo e sem malícia, mas ainda assim necessitado. O propósito mesmo era apenas darmos abertura para uma nova intimidade.

 Quando o ar fez falta, demos um último selinho antes de nos afastar. Ambos ofegantes.

 - Eu não esperava isso de você, hyung. - disse Jungkook, extasiado.

 - Nem eu, Kook-ah. - disse rouco.

 O mais novo voltou a puxar meu corpo para perto e dominou meus lábios em um beijo cheio de desejo. Nossas línguas dançavam juntas em harmonia. Era incrível como não parecíamos nem um pouco desesperados. Agíamos como se essa fosse nossa natureza e não uma primeira vez. Jungkook estava com uma mão na minha nuca e a outra em minha cintura, guiando meus movimentos.

 Eu rebolava em cima do mais novo, já sentindo aquela minha ereção teimosa que insistia em aparecer quando o maknae me tocava.

 Minha insegurança deu sinal de vida. E se Jungkook não entendesse? E se ele achasse estranho eu estar assim? Será que isso era desconhecido, até então, por ele? Talvez ele não se sentisse do mesmo jeito que eu me sinto.

 Jungkook foi se levantando devagar, ainda sem parar o beijo, até que estivesse sentado comigo em seu colo. Minhas mãos estavam agora em seu couro cabeludo, onde eu deixava leves puxadas.

 Ele tirou minha camisa com um simples movimento quando houve um mísero intervalo entre nossas carícias. Suas mãos percorriam toda a extensão de minhas costas nuas.

 Na posição que eu estava, pude sentir a ereção de Jungkook. Minha insegurança dissipou-se. Além do alívio de causar esse efeito no maknae também, senti uma vontade incontrolável de possuir o corpo do moreno e de aprofundar mais ainda aquele momento. Continuavamos nos beijando sem parar, era um fogo que não cessava. Meu volume já doía dentro de todas aquelas camadas de tecido. Eu precisava de sanidade mental se não eu poderia ir lá e fazer merda sem pensar. Talvez eu iria me arrepender depois.

 Aproveitei o momento que minha boca estava, até então, esquecida pelo Jungkook, que agora dava atenção para meu pescoço, onde depositava beijinhos e sugava minha pele. 

 - Jungkook. - chamei-o, mas saiu mais como gemido. Ele ignorou. - Kook-ah. - eu mantinha meus olhos fechados. 

 - Huh? - ele nem sequer parou com as carícias. 

 - Jungkook, eu tenho que ir. - falei, o afastando um pouco de meu corpo, contra a minha vontade. Ele parou com o que estava fazendo.

 - Não mesmo! 

 - Sim!

 - Não deixo.

 - Você não precisa deixar. - me desvencilhei dos seus braços com muita dificuldade. Jungkook era bem mais forte que eu. 

 - Mas por que assim de repente? - o mais novo perguntou manhoso.

 - Não podemos passar dos limites. - falei já catando minha camisa que Jungkook jogou de qualquer jeito no chão. 

 - Mas nós não vamos!

 - Ah, se eu continuar mais algum segundo nesse quarto com você, eu vou. - falei já indo em direção a porta. 

 - Você não pode me deixar assim, nesse estado. - eu entendi o que ele quis dizer. - TAEHYUNG! - o mais novo me chamou quando fechei a porta e eu dei uma risada. 

 Fui apressadamente para meu quarto, já que eu não estava vestido com a parte de cima. Eu estava com medo dos hyungs verem. Entrei pé por pé no meu quarto para não despertar o Hobi hyung e ser pego no flagra. Me deitei na cama e suspirei. Eu queria ter continuado. 

 Agora sim nos beijamos de verdade.

 Acredito que paramos no momento certo, afinal, eu e Jungkook somos tão jovens, mas nem sempre inconsequentes.

 Teremos tempo o bastante. Não era nossa hora, ainda

~Flashback off~

Assim como sempre, há premiações para participarmos quando lançamos algo novo, e essa premiação vai ser hoje.

Lá terá vários outros grupos e acontecerão algumas apresentações de entrada.

Eu estava animado, gostaria de saber em que lugar ficamos. Mas eu também estava evitando de criar muitas expectativas.

Os meninos acordaram bem animados hoje, com uma aura muito positiva e isso me deixava feliz.

Hobi hyung já estava com os outros lá embaixo, na sala, e eu estava sozinho no nosso quarto ainda terminando de colocar meus brincos.

Estávamos um pouco atrasados, mas não tinha tanto problema assim, afinal, não seríamos os primeiros a apresentar.

Escutei batidas na porta.

- Entra!

- Hyung, estão todos só te esperando lá embaixo. - falou Jungkook depois de entrar.

- Já estou terminando. - falei olhando-o se sentar na cama de Hoseok através do espelho, eu ainda estava tentando encaixar a rosca no brinco. - Aish! Jungkook-ah, me ajuda aqui? - pedi com um bico no meu lábio.

- Claro. - ele se levantou e ficou de frente pra mim, pude sentir o perfume viciante do maknae. Ele colocou meus brincos com o maior cuidado. - Pronto.

- Obrigado. - falei sorrindo e já me preparando para dar meia volta.

- Onde pensa que vai? Eu cobro pelos os meus serviços. - ele sorria ladino.

- Aigooo, se eu soubesse nem teria pedido. - rio e reviro os olhos.

Jungkook me puxa pela cintura, fazendo com que meu corpo colasse no seu.

- Ah, eu duvido. Se você soubesse o que eu vou pedir, não recusaria. - falou baixo. Ele me olhava nos olhos de uma forma penetrante, o que me fez arrepiar. Meu olhar desceu para seus lábios rosados.

- E o que você vai pedir? - falei, mordendo meu lábio inferior para me conter de não beijar o mais novo.

Jungkook avançou cuidadosamente e colou nossos lábios, logo senti a língua do maknae pedir passagem. Fechei meus olhos e passei minhas mãos para a nuca do mais novo, onde dei leves puxadas em seu cabelo negro.

Nosso beijo transbordava luxúria e desejo. A língua macia de Jungkook passeava por toda minha boca, descobrindo-a. Quando vimos que estávamos indo em direção à cama, percebemos que com aquele beijo as coisas poderiam se intensificar. Então paramos.

- Está na hora de ir. - Jungkook deu um último selinho e permaneceu com seu rosto perto do meu.

- Acho que vou sempre lhe pedir um favor, porque quem sai ganhando sou eu mesmo. - ri soprado, envergonhado.

Jungkook riu e depositou um selar em minha bochecha.

- Vem, vamos descer. - ele me puxou pela mão.

Suspirei com um sorriso bobo. As coisas entre nós só melhoravam cada dia mais.

Quando chegamos perto da escada, o mais novo largou de minha mão e desceu na frente, para tentar disfarçar. Mas acho que seria impossível, eu estava tímido e sentia minhas bochechas quentes, com certeza estava corado.

Observei os meninos enquanto descia os degraus, todos estavam no sofá.

Jimin estava com sua cabeça encostada no ombro de Yoongi e o mesmo acariciava as mãos do ruivo.

Seokjin nos viu descendo e sussurrou algo no ouvido de Namjoon, que logo deu uma risada.

- Vocês demoraram, hein!? - falou Hoseok, desviando seu olhar da tela do tablet.

- V hyung precisou de ajuda para terminar de se arrumar. - Jungkook deu de ombros assim que terminou de descer as escadas.

- Sei. - Hobi hyung respondeu sarcástico. Tenho certeza que eu só ficava mais vermelho.

- Vamos embora logo, não podemos atrasar mais. - disse Namjoon hyung entrelaçando suas mãos com as de Jin hyung e puxando o mais velho para se levantar do sofá.

Trancamos o apartamento e descemos juntos pelo elevador. Jimin estava com a cabeça escorada no peito de Yoongi.

- Hoje você tirou o dia para estar carente, né Jimin hyung? - eu falei brincando.

- Claro, tenho que aproveitar agora já que mais tarde não vou poder. - ele respondeu e mostrou a língua pra mim. Eu apenas ri.

Entramos na van. Me aconcheguei nos últimos bancos com Jungkook do meu lado. Ele me fazia um cafuné gostoso, que não comprometia nada entre a gente.

~~~

Chegamos na entrada do local em que o evento da premiação aconteceria e estava completamente lotado de paparazzis e fãs.

Respirei fundo e desci da van, encarei todas as câmeras com meu melhor sorriso. Eu estava realmente animado.

Além de todos os grupos dos quais eu conheço os membros estarem lá também e eu estar morrendo de saudades de todos eles, estávamos concorrendo o primeiro lugar da premiação. Eu estava bem ansioso para os resultados.

Passamos pela entrada e adentramos no local, indo direto para o lugar reservado para os idols.

Quase todos estavam lá, já que havia poucas mesas vazias.

Cumprimentamos os garotos do EXO. Eles são muito próximos de nós e sempre nos deram apoio com a carreira, nos dando dicas e ensinando como as coisas são de fato, já que são mais velhos nesse mundo artístico.

Assistimos as apresentações. Jungkook se sentou longe de mim, mas eu e Hoseok aproveitamos os shows como se não houvesse amanhã. Ele é um hyung bem animado.

Me descontrai tanto durante as apresentações que nem lembrei de me preocupar com a nossa, afinal, não seria tão importante quanto foi nosso último show. Não teria problema se eu errasse.

Depois que nos apresentamos teve mais duas performances e enfim chegou a hora dos resultados.

O clima em nossa mesa não deixou de ficar tenso, mas eu procurei todos os grupos dos quais estávamos concorrendo e sussurrei um ''fighting'' para quem percebesse meu olhar sobre eles.

De dedos cruzados e tentativas falhas de manter a respiração calma, ouvimos o resultado do primeiro lugar. EXO ganhou e eu não pude ficar mais feliz com isso.

Ficamos em segundo e SHINee em terceiro.

Eu também adoro os meninos do SHINee. Eles são engraçados e fáceis de socializar. Por mais que sejam bem mais antigos que nós, eles nos tratam com igualdade, nos ensinando também, assim como o EXO, as suas experiências vividas.

Quando os meninos do EXO terminaram seus agradecimentos para os fãs, fui correndo esperá-los para descer do palco.

Eu queria muito abraçar o Baekhyun e o Suho. Eles são os membros mais próximos de mim de todo o grupo, mas eu não deixaria de parabenizar os outros também.

- Parabéns Baek! Esse prêmio foi muito merecido. - eu falei animado quando nos encontramos.

- Obrigado, V. Nós trabalhamos realmente duro nesse MV. Ganhamos por apenas alguns pontos a mais. - ele disse, terminando de me abraçar.

- Eu estava com saudades de você, hyung. Deveríamos marcar de jantar juntos como fazíamos antes.

- Mal tive tempo ultimamente e acredito que você também não. Mas assim que eu tiver, farei questão de te ligar. - ele deu seu amável sorriso retangular e eu  passei meu braço pelo seus ombros.

Voltamos assim para o hall dos idols já que eu não consegui achar o Suho desocupado. Baekhyun me acompanhou até a mesa onde meu grupo estava e todos eles levantaram para o cumprimentar. Menos Jungkook.

O mais novo olhava fixamente para um ponto qualquer com uma expressão séria, ignorando completamente o que estava acontecendo.

Quando Baekhyun foi de volta para sua mesa, aproveitei que Namjoon hyung havia saído do lado de Jungkook e me sentei em sua cadeira.

- Por que está com essa cara, Jungkook-ah? - falei brincando com os brincos do maknae.

- Por que você foi lá nele? - Jungkook me perguntou sério, afastando minha mão de sua orelha.

- Talvez porquê ele é meu amigo? - falei sarcástico.

- Ah, sim. Amigo. Entendi. - Jungkook desviou o olhar dos meus olhos e o voltou para o palco.

- Que foi hein, Jungkook? - perguntei, hesitante.

- Nada.

- Como assim nada?

- Ah, Taehyung. Você vai lá correndo pro cara que ganhou no nosso lugar? - ele parecia nervoso.

- E daí que eles ganharam em primeiro lugar? Não quer dizer que vou bancar o ignorante e não ir lá parabenizá-los.

- Não estou falando para bancar o ignorante. Apenas não fique correndo atrás do Baekhyun igual um idiota. - falou debochado.

- Eu não estava correndo atrás dele, Jungkook. - falei chateado.

- Ah, claro. Eu que estava. - ele cruzou os braços e reencostou suas costas na cadeira.

Me encolhi e senti meus olhos começaram a querer marejar com a brutalidade repentina de Jungkook. Eu fiquei completamente sem palavras pra tudo aquilo.

Jungkook suspirou frustrado e o clima entre nós ficou pesado de uma hora para outra.

Olhei para trás de relance e pude ver Baek olhando para mim, o mais velho logo acenou quando viu que eu estava o olhando. Eu apenas desviei meu olhar e voltei a me sentar de frente.

Comecei a brincar com meus dedos para disfarçar meu constrangimento, mas não deu certo.

Quando eu vi que não aguentaria mais segurar, me levantei apressadamente e fui em direção ao banheiro, tentando não mostrar que eu havia ficado triste com tudo aquilo.

Cheguei no banheiro e quando entrei na cabine, desatei a chorar.

Sim, eu chorei. E muito.

Eu chorava de soluçar, liberando todas as mágoas pelas lágrimas.

Jungkook estava tão carinhoso e cuidadoso comigo ultimamente que acho que me acostumei com todo o mimo dele. Agora que ele foi rude dessa forma, me feriu mais.

Eu senti medo dele.

~~~

Depois de um bom tempo dentro do banheiro, consegui tranquilizar minhas emoções.

Abri a porta e fui direto para a pia, onde me olhei no espelho. Minha cara estava toda inchada, então liguei a torneira e joguei água em meu rosto, tentando fazer com que toda aquela vermelhidão sumisse.

Quando terminei de secá-lo, percebi que não fez muita diferença, mas eu tinha que sair dali. Funguei antes de voltar para a confraternização. Eu me sentia ainda muito sensível.

Fui a procura dos meninos e percebi que o evento já tinha acabado porque todos os idols estavam de pé cumprimentando uns aos outros.

Corri meus olhos pela multidão e avistei Jungkook com uma pessoa. Ele conversava com ela tão animadamente que até estranhei. Jeon Jungkook não é muito sociável, ainda mais com outros idols.

Me aproximei mais para ver quem era e vi que era o Yugyeom do GOT7.

Senti um leve aperto em meu coração. Jungkook já havia me falado dele antes.

Eu nunca parei para conversar com ele, mas eu não precisei conhecê-lo para saber que o cara era legal. Muitos idols falavam que, mesmo Yugyeom sendo tímido, ele era um ótimo amigo.

Eu os observei de longe, prestando atenção em qualquer movimento dos dois. Eles riam e conversavam sem parar.

O maknae do GOT7 leva sua mão para a bochecha de Jungkook, onde deixa uma leve apertada, dando um sorrisinho meigo e Jungkook a correspondeu sorrindo também.

Outro aperto em meu coração.

O que ele pensava que estava fazendo? Eles já eram tão íntimos assim?

Eu queria ir lá e afastá-lo de Jungkook, mas eu me sentia fraco. Eu já havia gastado todas minhas forças no banheiro. Senti minhas pernas bambearem.

Yugyeom foi embora e Jungkook se virou em minha direção. Quando me viu, sorriu pra mim. Eu apenas virei de costa. Suspirei fundo, eu deveria ser forte e tentar não demonstrar que eu estava abalado.

Como Jungkook conseguia ser assim? Ele briga comigo por ir atrás de um amigo, mas ele pode interagir com um garoo daquele jeito? Não faz sentido.

Senti alguém colocar a mão no meu ombro e dar apertadinhas, me virei ainda cabisbaixo para saber quem era.

Jungkook.

- O que aconteceu, hyung? - Jungkook mudou de expressão assim que percebeu meu olhar.

Eu o ignorei e desviei meu olhar para baixo.

- Cadê os meninos? - ele voltou a perguntar.

- Não sei. - falei desanimado.

- Aigoo, por que está assim?

- Sei lá, talvez o Yugyeom saiba. - sorri triste e saí de lá. Juro que não consegui me conter.

Logo senti um puxão no meu braço.

- Vem aqui. - Jungkook segurava meu braço com força, fazendo com que eu não consiga me soltar.

- Para, Jungkook! - pedi, mas não adiantou.

Ele me levou para os fundos do lugar, onde ninguém poderia nos ver, e me prensou contra a parede. Ele olhava sério nos meus olhos.

- Não fique tão ignorante comigo assim, Taehyung. - ele pediu manhoso. Percebi que estava usando seu charme.

Eu que estava ignorante? Cadê aquele olhar felino e a grosseria que Jeon Jungkook tinha até pouco tempo atrás? Como ele podia mudar tão rápido? Eu queria apontar o dedo na cara de Jungkook e gritar com ele, falar tudo o que eu estava sentindo e o quanto estava machucado. Mas eu fiquei tão incrédulo pela mudança que não consegui pronunciar nenhuma dessas coisas pra ele. Eu me sentia frágil.

Jungkook me beijou, me tirando dos meus pensamentos. Não correspondi seu beijo. Ele estava achando que eu era o que? Um brinquedo? Só porque a droga daquele menino foi embora ele se lembrou de mim.

Ele se afastou e olhou em meus olhos, confuso, então tentou novamente, mas agora senti a língua do mais novo no meu lábio, pedindo passagem. Não o fiz.

- Aish, Taehyung. Para de bobeira. O que foi? Ficou com ciúmes, é? - ele sorriu com uma expressão de deboche.

Senti meu sangue esquentar. Era sério isso? Ciúmes? Ele ainda não percebeu o quanto foi imbecil comigo? Não viu que foi injusto?

- Me poupe, Jungkook.

Eu o empurrei e saí daquele lugar, voltando para o festival. Eu não queria ficar mais ali.

Procurei Namjoon hyung em meio de todo o pessoal, até que eu o achei conversando com um cara que não consegui reconhecer quem era.

- Namjoon, quero ir embora. - eu disse logo após de tê-lo puxado para um canto.

- Agora!? - ele perguntou confuso.

- Sim. Eu posso ir de táxi para não atrapalhar a noite de vocês.

- Claro que não. Todos nós vamos juntos com você. Mas aconteceu alguma coisa? - ele parecia preocupado.

- Não. - falei desanimado. - Só não fala para os outro que fui eu quem pedi para irmos embora, por favor. Não quero parecer estraga prazeres.

- Pode deixar, Taehyung. Vou chamar os outros, nós te encontraremos na van.

- Ok. - falei e o líder desapareceu entre as pessoas.

Suspirei e segui para fora de cabeça baixa. Não queria que ninguém me reconhecesse e viesse me cumprimentar. Eu estava indisposto para socializar.

Vi os meninos chegando. Para meu alívio, ninguém parecia desapontado. Não consegui olhar para Jungkook.

- O bom de ir mais cedo é que teremos mais tempo pra dormir. - falou Seokjin, que estava segurando no braço do nosso líder.

Entramos na van e eu me sentei na poltrona ao lado de Hobi hyung. Seguimos o caminho de volta pra casa. Eu tentava não pensar nas coisas que Jungkook falou pra mim, porque eu sabia que eu não conseguiria conter minha tristeza.

Quando chegamos no nosso prédio, eu ainda evitava olhar para o maknae. Eu não conseguia o encarar.

Entramos no apartamento. Me despedi dos meninos e fui direto com J-Hope para nosso quarto.

Entrei no banheiro e joguei uma água quente no corpo rapidamente, não queria manter minha mente desocupada por muito tempo porque eu sabia quais pensamentos iriam vir à tona. Eu não poderia me render às lágrimas novamente, não com Hoseok no quarto.

Saí do banheiro já de pijama e peguei meu celular em cima da minha estante. Fiquei mexendo nele enquanto secava meu cabelo com a toalha.

- Taehyung. - chamou Hoseok.

- Sim, hyung? - perguntei sem tirar os olhos do celular.

- O que foi?

- O que foi o que?

- Aconteceu algo? - dessa vez eu o olhei rapidamente, mas logo voltei meu olhar para a tela do aparelho.

- Não, hyung. - tentei sorrir para parecer convincente.

- Olha pra mim, Taehyung. - pediu Hobi e eu me forcei a fazer sorrindo. - Você não sabe mentir. Dá pra ver tristeza em seus olhos.

Meus olhos encheram d'água e senti um grande aperto em meu peito com aquelas palavras. Não aguentei, eu suportei muito já, não conseguia segurar mais.

Coloquei a toalha e o celular em cima de minha cama e caminhei de encontro com o mais velho. Eu o abracei, sendo correspondido, e comecei a chorar sem conseguir parar.

- Shh, calma, calma. Eu estou aqui, vai ficar tudo bem. - o hyung acariciava meu cabelo.

- Hy-hyung. - solucei.

- Shh, não precisa me contar agora. - ele se desvencilhou de mim e foi até o interruptor, onde apagou as luzes. Logo voltou para onde eu estava. - Vem, deita aqui. Você precisa descansar. - ele me levou até sua cama e se deitou comigo, minha cabeça estava em seu peito.

Eu sentia desgosto por estar chorando, mas eu não consegui me conter. Eu estava sensível e Hoseok ter falado daquele jeito só piorou, eu não estava preparado.

Eu berrava, sentindo já minha cabeça latejando por causa do choro. A camisa do Hobi já estava toda encharcada.

- Hyung, me d-desculpa.

- Não há problemas em chorar, Tae. - ele me envolveu mais em seu abraço enquanto acariciava meu rosto.

Meu choro foi diminuindo a intensidade até que eu apaguei.

~~~

Acordei com a luz da manhã batendo em minha cara e percebi que eu e Hope hyung esquecemos de fechar as cortinas de nossa janela. Olhei para o lado, para minha cama, e vi que ele estava dormindo nela completamente desengonçado. Talvez ele tivesse saído da dele durante a noite para me deixar mais à vontade.

Me levantei para fechar as cortinas para não atrapalhar o sono do mais velho e senti uma forte pontada em minha cabeça, ainda pelo choro de ontem à noite.

Eu sentia meu rosto todo inchado, principalmente meus olhos. Acho que eu não vou ter coragem de me olhar no espelho ou sair desse quarto hoje.

Me deitei novamente assim que tampei a claridade e fiquei pensando sobre ontem. Mesmo com a dor de cabeça, eu me sentia um pouco mais leve.

Eu sou muito sentimental, admito, mas eu nunca havia chorado tanto assim por alguém. Talvez seja porque Jungkook não é uma simples pessoa. Ele significa muito pra mim, mesmo sendo um babaca.

Eu gostaria de saber o que eu e ele somos afinal, não sei o que o poderia definir nossa relação. Se ele já tem toda essa posse pra cima de mim, provavelmente somos mais do que apenas dois colegas de trabalho.

Eu afastei esse pensamento. O que eu não queria fazer, naquele momento, era pensar em Jeon Jungkook.



Notas Finais


Geeente, prestem atenção no que eu tenho pra falar.
Eu coloquei esse dois Flashbacks pra mostrar o progresso deles, ok? 

Eu espero que tenham gostado.

Eu amo muito vocês, não esquecem de comentar o que estão achando da fic, eu sempre respondo todos eles!
Beijocas, até a próxima.<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...