1. Spirit Fanfics >
  2. My Present >
  3. My Present: Crucio

História My Present - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Lumos

Capítulo 22 - My Present: Crucio


My Present 

C R I E D W O L V E S 

Capítulo. 22: Crucio 



Quando Harry entrou no dormitório, Tom estava sentado em sua cama com o diário em sua mão.



─ Não é legal o que você está fazendo com eles


─ O que eu estou fazendo? Você tá os transformando em pessoas ruim iguais a você!


─ Então agora eu sou ruim? Agora eu sou?



Harry ficou calado, ele não tinha argumentos, já havia dito que Tom era incrível, e ele não se arrependia disso.



─ Você está se tornando um pessoa ruim Tom, e está os levando com você


─ Estou me tornando ruim Peverell? Então espere para ver o quão ruim eu posso ser


A voz de Tom causou um arrepio tão forte em Harry que o fez arfar de medo.



─ O que vai fazer?


─ O que eu vou fazer? ─ Tom questionou


─ Tom...


─ Está com medo agora não está? ─ Tom questionou se aproximando de Harry



Harry reprimiu com todas a forças de seu corpo a vontade de tremer e chorar, ele realmente sentia medo de Tom.



─ Vou tirar a última coisa que você tem Harry ─ Tom disse pegando sua varinha e apontando para o gatinho ao lado de Harry


─ Não! Por favor Tom, não faz nada com ele ─ Harry pediu ─ eu imploro


─ Então se ajoelha e implore pela vida dele, e talvez eu lhe conceda ─ Tom disse ─ Crucio


─ Tom, pare por favor ─ Harry pediu se ajoelhando


─ Peça... Criucio 


─ Por favor, para Tom ─ Harry chorava de desespero, ele podia ouvir os gritos de dor de Salém ─ Para, por favor, para



O feitiço foi cessado e Harry pegou o gatinho em seu colo



─ Me desculpe Salém



Tom segurou o queixo de Harry e o obrigou a lhe olhar



─ Eu posso fazer muito pior do que isso, então não teste minha paciência



Mais lágrimas desceram pelo rosto de Harry, como ele podia imaginar que poderia mudar alguém como Tom? Como?


─ Como eu posso ser apaixonado por alguém como você?



A pergunta pegou Tom desprevenido, Harry gostava de si? Mas por que? Como alguém como Harry poderia gostar de alguém como ele.



─ Não me ame... Me odeie com todas as suas forças e eu farei o mesmo ─ Tom soltou o rosto de Harry


─ Eu não posso... Não consigo


Harry se levantou e ficou a sentimentos de distância de Tom



─ Diz que me odeia


─ Eu te odeio Peverell


─ Eu não acredito em você 



Harry falou antes de sair do quarto e seguir até a ala hospitalar, ele precisava cuidar de Salém



─ Eu estou bem Harry


─ Eu não acredito ─ Harry disse



Ao entrar Harry viu a ala hospitalar completamente vazia.



─ Sr. Gillen não está ─ Harry disse deitando o gatinho na maca ─ Morte!


─ Sim? ─ O homem apareceu ao seu lado ─ Tom? 


─ Tom... ─ Harry suspirou ─ Eu não consigo nem protegê-lo 


─ Harry, o seu familiar que deve protegê-lo e não o contrário ─ Morte disse 


─ Além disso, eu estou bem, foram apenas dois



Harry sorriu para o gatinho e olhou para o homem ao seu lado



─ O que acontece se eu desistir agora?


─ Vai acontecer tudo que aconteceu no seu tempo meu garoto


─ Eu quero desistir... Mas não conseguiria deixá-lo


─ Então não o deixe, use tudo que puder para fazer Tom perceber o que está fazendo



Harry assentiu e Morte desapareceu assim que o Sr. Gillen entrou.


─ Olá, o que ouve Harry


─ Eu não sei direito, algum aluno usou a maldição Cruciatos nele


─ Oh, coitadinho, eu vou examiná-lo



Gillen cuidou de Salém enquanto Harry saia da sala e seguia para o Grande Salão ele já havia perdido o café da manhã e o almoço, não poderia perder o jantar ou acabaria desmaiando de fome.


Ele caminhou despreocupado até a mesa da Corvinal e se sentou ao lado de Chang que sorriu para si.



─ Posso ficar?


─ É claro que pode Harry ─ Ele disse


Harry se ajeitou e se serviu recebendo vários olhares de alunos das quatro casas.


Enquanto comia um pedaço de torta Harry deitou sua cabeça no ombro de Callin e suspirou cansado


─ Harry, o que aconteceu?


─ Eu acho que estou quebrado ─ Harry disse com a voz baixa


─ Oh, meu bem



Chang abraçou Harry que fechou os olhos tentando se sentir seguro ou pelo menos bem.


─ Eu me sinto péssimo ─ Harry disse


─ Eu não sei oque aconteceu... Mas... Eu acho que ao menos devia falar com eles


─ Acha mesmo?


─ É o melhor que pode fazer né?



Harry assentiu, ele iria falar com os quatro, mas como? Ele não saberia como falar?



─ Eu já vou, até a manhã Chang


─ Até Harry



Me levanto e saio do grande salão encontrando Salém sentado o olhando



─ Salém! ─ Harry sorriu e o pegou no colo


─ Eu estou bem, eu disse que estava


─ Eu sei, desculpe


─ Está tudo bem



Harry seguiu Pará o salão comunal da sonserina e se sentou próximo a lareira enquanto fazia carinho em Salém.



─ Harry?


─ Oi Abraxas


─ Ainda está bravo conosco? ─ Avery questionou


─ Eu quero que me respondam uma coisa.... Quando iam me contar?


─ Não íamos, Tom nos fez prometer não dizer nada ─ Rosier respondeu


─ Ótimo, então a resposta para sua pergunta é sim Avery



Harry desviou seu olhar para o gatinho que dormia tranquilamente enquanto sentia os carinhos de Harry.



─ Harry... Por favor... ─ Abraxas o olhava suplicante assim como os outros



Harry os olhou



─ Então escolham... Eu ou ele


─ Que jogo baixo Peverell ─ Tom disse disse entrando ─ Vamos lá, escolham



Abraxas foi até Harry e se sentou ao seu lado



─ Eu sempre vou te escolher Hazz ─ O loiro sorriu


─ Obrigado ─ Harry sorriu


─ Desculpe Harry ─ Avery disse se aproximando de Tom assim como Rosier


─ Espero que não se arrependa depois Malfoy ─ Tom disse antes da sair sendo seguido por Avery e Evan



Harry abraçou Abraxas que retribuiu o apertando em seus braços



─ Obrigado ─ Harry disse.


─ Me desculpe, eu sinto muito Hazz


─ Está tido bem, tudo bem ─ Harry sorriu... Mas eu preciso te contar algo... Algo que nenhum dos outros sabe sobre mim








Harry levou Abraxas para um local vazio de Hogwarts e lá contou tudo, revelou cada coisa para Abraxas que ouvia tudo sem falar nada, quando terminou Morte apareceu para explicar tudo a Abraxas e o fazer prometer por sua magia que nem sobre tortura iria revelar o segredo de Harry.



─ Isso é meio surreal ─ o loiro disse


─ Eu sei... E eu preciso de ajuda... Não podemos deixá-lo ser o que você viu


─ Eu tenho uma ideia... Mas não sei se irar funcionar


─ Estou desposto a tentar qualquer coisa para Salvá-lo


─ Até mesmo seduzi-lo?


─ Seduzir Tom? Nem em 100 anos eu conseguiria


─ À por favor Harry, você é lindo, Tom cairia aos teus pés


─ Eu duvido, mas vou tentar



Os dois voltaram para os dormitórios, Tom e Rosier já estavam dormindo e enquanto Abraxas usava o banheiro Harry colocou um feitiço protetor ao redor da cama do loiro.


Harry se ajoelhou perto da cama de Tom o o observou, parecia tão inocente enquanto dormia.


Sem perceber Harry tocou o rosto de Tom que franzio o cenho ao sentir o toque.



─ Não se torne algo ruim Tom... Por favor


Os olhos de Tom se abriram se fixando nas esmeraldas brilhantes de Harry.


Rapidamente Harry tirou sua mão do rosto de Tom.



─ Tom...


─ O que quer Peverell


─ Que você seja bom ─ Harry disse antes de beijá-lo


Notas Finais


Nox


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...