História My prisoner (Stray Kids-Hwang Hyun-jin) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Visualizações 77
Palavras 1.429
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Policial, Suspense
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


desculpa..pelos erros e boa leitura 💜 essa garota que estar na capa.. é quem vocês imagina
Lee Hany....
💕💕💕💕💕💕💕💕💕💕💕💕

Capítulo 3 - All because of me


Fanfic / Fanfiction My prisoner (Stray Kids-Hwang Hyun-jin) - Capítulo 3 - All because of me



eu justamente , não sabia oque estava acontecendo. e por que estou me sentindo uma pessoa, que não serve exatamente pra nada? a mais você serve sim, já que você foi vendida. sirvo... eu acho que sirvo como objeto sexual..isso

-- você dorme aqui. diz o mesmo apontando seu dedo para a cama de casal ao meu lado.

-- e-eu não vou dormir aqui.. falo me sentando em uma das poltronas que havia ali.

-- não me faça te raiva por tanto, me obedeça. suspira e espera um segundo AGORA. grita o mesmo, me assustando um pouco 

-- você é tão mandão..

-- eu sou seu dono! resmunga o mesmo baixinho enquanto arrumava a cama.

-- você meu dono? Pergunto debochada e solto uma gargalhada você não é meu dono... quem na verdade é meu dono, é seu querido paizinho... desafio o mesmo, me levantando da cadeira e caminhando lentamente em sua direção. 

-- você estar comigo, é enquanto estiver aqui comigo. você será minha.. minha prisioneira. diz se sentando na cama. 

eu não vou ficar aqui, por muito tempo... então oque apenas vou fazer é tentar ganhar a confiança dele.

-- não vem com essa de "minha prisioneira" imito a última frase que o mesmo falou, fazendo entre aspas.

-- francamente revira os olhos, é afasta mais um pouco se sentando no meio da cama. 

-- senhor Hyunjin... falo de uma forma sexy, ficando de joelhos na cama e engatinhando até o mesmo por que você finge ser tão cruel? 

-- oque você pensa que estar fazendo? me olhou tombando a cabeça pro lado, provavelmente sem entender 

-- não se faça de santinho, você sabe oque eu quero. sorri sexy e sentei no colo dele

-- fala logo oque você quer. diz friamente 

-- eu só quero que você, me deixa livre... rapidamente pego um jarro e acerto no rosto do mesmo.

-- sua vadia, cretina...

ele me tira de seu colo, é após eu der de conta que ele não estava conseguindo enxergar direito, pego sua arma que estava cravada em sja cintura e saio de cima da cama, corro até a porta, paro e seguro a maçaneta e volto a olhar pra ele.

-- você é um ordinário falo com ódio, retiro as chaves da porta e o tranco dentro do quarto, para que eu pudesse fugir sem ele ir atrás de mim.

jogo a chave pela janela e corro entre os corredores, desço correndo rapidamente as escadas e dou de cara com alguns dos meninos na sala jogando vídeo game. 

-- oque faz aqui a essa hora da noite garota? Minho me olha, reparando em algo que não estava certo. 

-- bem... o Hyunjin me deixou sair para tomar um ar livre. digo e escondendo a arma atrás de mim e um grito de Hyunjin espanta os meninos. 

-- não deixem, essa vadia fugir. grita o mesmo do quarto , que provavelmente estaria tentando sair do mesml. 

os meninos pegam em suas armas, e rapidamente eu aponto a arma em direção, a Minho. 

-- você não tem saída disse um deles, de cabelos ruivos sorrindo psicopata de canto. larga a arma. 

-- eu vou sair daqui... viva ou morta. respondo o mesmo, furiamente. 

-- não seja tão má menina.. disse Jeongin 

mais que bebê safado. 

não falo nada mais é tudo fica em silêncio. 

-- vão lá pra cima, ajudar o Hyunjin, deixem que eu cuido da garota. Minho fecha os punhos e ordena, assim todos os obedece por que ainda continua segurando essa arma? 

-- quero te matar. digo, caminhando até ele sem ao menos tirá-lo de minha mira 

-- e por que você não tenta? 

-- deveria? o olho perversa e levanto a mira da arma, indo até a luz da sala, aperto o gatinho e uma bala é disparada na mesma, o quebrando e assustando os outros lá em cima.

Minho se abaixa pra se defender, dos vidros da lâmpada e eu consigo correr até o lado de fora da casa, olho ao redor procurando uma saída. 


ouço a voz de Minho é saio correndo em uma direção oposta da casa. 

por longos minutos, de correria. sinto minhas pernas doerem, paro perto de uma árvore e me apoio na mesma, olhei ao redor e me senti segura já que não ouvia mais a voz de Minho me chamando ou me ameaçando. 

-- aqui não deve ser perigoso. digo tentando recuperar o fôlego. 

-- pensou errado. ouço a voz de Minho em meu ouvido, e me assusto.

me afasto da árvore e tiro a arma de minha cintura , apontando em direção ao mesmo. 

-- por que não atira logo garotinha? pergunta se aproximando mais de mim. 

-- por que não me deixa em paz, hm!? garotinho... digo abaixando a arma aos pouco

-- você deveria ser obediente, gosta do perigo não é? 

-- ora se não gosto. sorri de canto 

-- por que não me mostra do que é capaz , apertando esse gatinho? ele caminha em passos lentos até mim, e dou passos para trás, tremendo um pouco a mão. 

-- p-por que, eu não quero te machucar. paro de dar passos para trás ao sentir minha costa bater em uma árvore. 

ele chega mais perto de mim, é levanta um pouco sua mão, indo até a arma que eu estava segurando. ele abaixa a mesma lentamente sem tirar os olhos de mim. 

após a arma já estar abaixada do lado de minha coxa, ele a puxa rapidamente de minha mão e joga um pouco não muito longe de nós. 

-- você me chama muita atenção alisa  coxa com seus dedos, me causando calafrios. 

-- M-minho... não ouse triscar na mercadoria de seu chefe. fico um pouco excitada e arfo. 

-- eu não vou ousar, nem chegar perto. opa... aperta uma das minhas coxas, e segura na mesma levantando até sua cintura desculpa , eu não entendo língua de meninas desobedientes segura na outra você minha, fazendo a mesma coisa que fez com a primeira. 

-- o-oque você tá fazendo, me coloca no chão começo a me debater mais ele me prende encostada na árvore , e entrelaça minhas pernas envolta de sua cintura 

--  e eu tenho a grande honra em te castigar por isso. ele roça nossas intimidades apenas uma vez pra que eu possa ficar bem apoiada, é começa a dar beijinhos em meu pescoço. 

isso tá bom demais pra ser verdade.... mas não sou tão fácil assim

-- me larga, por favor... tento me tirar de seus braços o empurrando e dando tapas em seus ombros. 

os beijos que o maior dava envolta de meu pescoço iam, ficando cada vez mais intensivo, tento não me entregar por facilmente e continuo a tentar tirá-lo de perto de mim, ele solta uma das minhas coxas e sobe sua mão por baixo do tecido de minha blusa, indo até meus seios, os apertando levemente mais graças a um lindíssimo salvador ele para de beijar meu pescoço e retira sua mão de dentro de minha blusa. 

-- larga ela... reconheço a voz dessa pessoa, é desvio meu olhar de Minho para ele (a) 

-- Oque faz aqui Hyunjin? perguntou Minho, sem ao menos expressar algum tipo de reação. sem me tirar de seu colo ele se vira para o maior que estava de braços cruzados e de capuz preto. 

-- você se fudeu... digo rindo provocativa e pela última vez, tento sair de seus braços e assim o mesmo me coloca no chão, calmamente. 

-- não enche garota diz o mesmo me puxando pela cintura e me pondo ao seu lado, sem ao menos tirar a mão de minha cintura ele dá um leve selinho demorado em minha boca 

-- larga a minha garota...

-- por que? parece que ela gostou do selinho. me olha sorrindo de canto e pisca pra mim de uma forma sexy

Hyunjin, descruza os braços e solta um olhar mortal para o outro que se mostrava também irritado. 

-- Eu disse, larga a minha garota. ele dá passos rápidos até nós e me puxa pelo braço, fazendo com que eu ficasse ao seu lado. e você, ainda tem uma conversinha comigo. disse me olhando de canto 

-- agora pronto.. vocês dois vão brigar por mim agora? Pergunto olhando pros dois, mais logo desvio meu olhar pro meu braço...  o qual estava sendo machucado pela força que Hyunjin estava o segurando. 

-- se for possível.. diz Minho sem tirar os olhos de Hyunjin, assim como o mesmo sem tirar os olhos dele.

- Guerra é Guerra fico com  boca entre aberta e olho pro Hyunjin, já que o mesmo falou essa frase em tom de desafio 




Notas Finais


eita barraco, adoro.
se os dois tiver gostando dela, eu rodo a bolsinha.. anota aí

até o próximo capítulo 💚💭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...