História My Promiscuous Baby - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook Kookmin
Visualizações 48
Palavras 2.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - It's all your fault!


Fanfic / Fanfiction My Promiscuous Baby - Capítulo 4 - It's all your fault!

~Taehyung~

Por volta das 11:30 da manhã e eu estava esperando Jeon com minha noiva no shopping até que meu celular toca, era Hoseok, estranhei logo de cara pois ele nunca me ligava, bom, não pela manhã, sempre era mais pela madrugada, por curiosidade decido atender.

-Oi Hobi.

-Tae.. É o Hobi..

-Eu sei, tenho seu número salvo esqueceu?

-Não é hora pra brincadeira.

-O que você quer? -Digo em um tom arrogante

-Jungkook sofreu um acidente e está no hospital em que trabalho, aconselho que largue o seu amorzinho arranjado e venha cuidar de seu irmão. -Diz ele alterado.

-Kookie o quê? 

-Venha depressa. -Ele encerra a chamada

Ainda em choque por conta da notícia e sem mais informações me direciono ao estacionamento, esquecendo totalmente a minha noiva Sooyoung na loja em que estava.
Chegando lá me direciono a recepção, e me informam que ele estava em processo cirurgico, então me direcionaram a sala de espera, fico lá por 2 horas completas, até que  Hoseok sai do centro, levanto-me assim que o vejo.

-E-e então? -Digo com a voz embargada.

-Tae... -Sibila ele enquanto se aproxima- Kookie está bem, porém.. -Suspira- Ele não vai mais poder andar, sinto muito.

-O-oquê? C-como assim?

-Calma, ele rompeu uma vértebra em especial, causando a paralisia, mas se te conforta, Jimin está fazendo alguns experimentos com células tronco, e os resultados são  promissores, podemos testar em seu irmão, se ele quiser claro.

-Posso vê-lo Hobi?

-Ele está sendo transferido para a UTI, você poderá ficar apenas alguns minutos.

-Okay..

Hobi vai comigo até onde meu irmão se encontra, ele estava ligado a varias máquinas, me bateu uma vontade insana de chorar, mas não o fiz, as músicas que vinham das caixas de som dentro da sala onde jungkook estava me deixavam mais "calmo".

-Hora de ir. -Diz Hobi, pondo a mão em minhas costas. Como eu amo essa sensação.

Sorrio sem mostrar os dentes, caminhamos até a porta, nos despedimos e decido ir pra casa, afinal meu irmão estava em boas mãos.. E que mãos..

~Jimin~

Meia hora depois da ligação de Hobi, eu consegui finalmente chegar ao hospital, tudo conspirava pra que eu não chegasse logo, sinais fechados, ruas congestionadas, obras, era como se o mundo todo estivesse contra mim, como se estivessem tentando me testar, mas dessa vez não, não mesmo.

Ao passar pelas portas do Asan Medical Center, verifico em que quarto jungkook está, e pra minha surpresa ele se encontrava na unidade de terapia intensiva, e isso me desesperou mais ainda.

Passo como uma flecha por todos que estavam em seus postos de trabalho, percebo que alguns se assustaram, pois eu realmente nunca vinha aqui.

Paro por alguns segundos em frente a porta da sala onde meu maknae estava, pra tomar um pouco de coragem, decido entrar de uma vez.

Assim que o vi, meu coração quase parou.

-Kookie... -Sibilei sem fazer som

Seu corpo estava pálido, a única coisa corada era sua boca, porém ressecada por conta do ar-condicionado, e do tubo respiratório que haviam posto nele. Haviam tantas maquinas interligadas a sí, nunca imaginei que o veria assim.

Sentei a seu lado por alguns instantes e as lágrimas vieram a tona, segurei sua mão, essa que estava gélida, quase que sem vida, pus ela entre as minhas pra aquece-la um pouco.
Não consegui segurar a vontade de me desculpar, mesmo sabendo do risco dele acordar a qualquer momento o fiz.

-Jungkook, s-sou eu.. Jimin -Falava ainda segurando sua mão entre as minhas- M-me desculpe por tudo o que eu não fiz por nós dois, por todos os momentos que não podemos ter, tudo pelo meu medo e egoísmo... Quero que saiba que depois do que houve conosco, não havia mais jeito, expliquei a meu pai que amava você, mas eu sabia que ele não entenderia  nunca, então no mesmo dia sai de casa, e passei a morar sozinho.. -Suspiro pra poder continuar- Não vou desistir de nós dois Jungkook.

Sinto algo apertar meus dedos , sento-me rapidamente e vejo Jungkook tentar abrir os olhos, meu coração não se contém de felicidade, a mão grande do meu maknae fazia uma força sutil contra a minha, até que finalmente ele consegue abrir aqueles lindos olhos castanhos, como eu estava com saudade de vê-los,de tocar cada centímetro do seu corpo.

Percebo que ele tenta reconhecer o local onde se encontra até que repousa a vista sobre mim, um rubor aparece em suas bochechas, e seu coração acelera, Jeon tenta dizer algo, mas as palavras não fazem sentido por causa do tubo de ar em sua boca, faço um sinal pra que aguarde, e retiro o mesmo com cuidado pra não lhe machucar.

O moreno mexe a mandíbula algumas vezes, até que por fim diz com certa dificuldade.

-A cu-culpa... -Puxa o ar- F-foi.. S-sua Ji-Jimin.. -Dizia ele enquanto apertava meus dedos.

-Minha??

Ele assente com a cabeça, e prossegue com dificuldade.

-Su-suas fotos... No-no meu por-ta luvas.

Seus olhos marejam intensamente, e seus sinais vitais começam a oscilar muito, me desespero ao vê-lo me culpar pelo acidente, e tento sair dali o mais rápido possível.
Em contra partida vejo que a música descrevia meus sentimentos naquele momento.

*Error-Vixx*

♫Se eu segurar você, dói
Mas se eu deixar você ir, dói ainda mais
Mais profundo que um sonho dentro de um sonho
Não tenho nenhuma confiança para escapar dele

Dizer que eu vou te esquecer
É apenas uma mentira que permanece em mim
Seu rosto se espalha por todo o meu coração
Dói ainda mais que antes
Eu acho que eu sinto sua falta ainda mais

Eu acho que é ainda mais perigoso♫

Ao sair da sala dou de cara no peito de Hobi, não consigo dizer nada, apenas choro intensamente, sinto um par de mãos em minhas costas, e ouço a voz de Tae soar leve.

-Calma cunhado, as coisas vão melhorar, você vai ver. -Dizia Tae.

Olhei na direção de sua voz, tentando conter meu choro, então vejo que JB também ouvira as palavras de Taehyung por sua cara de desgosto.
Não faço nada, apenas saio dali sem rumo algum.

Uma hora depois eu volto pra casa ainda com o rosto vermelho de chorar, assim que abro a porta de casa, vejo JaeBum sentado no meio do sofá, de braços cruzados com cara de poucos  amigos.

-Mas que merda foi aquela? -Pergunta JB furioso

-Que merda? -Ironizo

-Aquele cara te chamando de cunhado! Por acaso você ta me traindo Jimin?

-Se tivesse você nunca saberia. -Retruco.

-Então existe a possibilidade?

-Olha quer saber? Quer mesmo? Jungkook é o amor da minha vida, namoramos por alguns anos e eu simplesmente deixei ele sair da minha vida, e caso tenha dúvidas sim Jae, eu o AMO! -Digo sem pensar nas consequências.

Ele se levanta caminhando em minha direção.

-Mas eu amo você.. -Diz o moreno.

-Pena que eu não sinto o mesmo..

-Acho que acabou... certo?

-Sim Jae.. não posso seguir com isso, não agora, e não assim. 

JB recolhe seu casaco jogado no sofá e sai da minha casa sem olhar pra trás, sinto uma pontada na barriga, não sei se fiz certo em terminar, mas disse que lutaria pelo meu Maknae, então o farei, custe o que custar.

~Taehyung~

*Uma semana depois*

Meu irmão se recuperava bem e o tratamento que Jimin estava experimentando possivelmente faria efeito, deixando o clima em casa um pouco mais leve.
Lembro que hoje Hobi está de folga, e decido ligar pra ele.

-Hobi?

-Hm.. ? -Diz ele com voz de sono.

-Vai estar ocupado mais tarde?

-Depende do que você queira fazer comigo. -Responde mais animado.

-Algo que vai gostar..

-Sua noivinha furreca não ta liberando né? -Implica ele.

-Hobi..

-Venha agora, não vou esperar você pra sempre Tae.

Desligo e vou me arrumar as pressas, realmente ele não iria aceitar ser  o outro da relação, e nem merecia isso, imagino como meus pais reagiriam a dois filhos gays em casa, mesmo que não morássemos juntos.. Será que eu teria coragem de deixar Hoseok escapar assim? Como Jimin fez com meu irmão? 
Meus pensamentos são interrompidos por uma mensagem do mesmo.

*Vai perder a surpresa se demorar mais*

Depois dessa "proposta" me dirijo a meu carro e vôo baixo em direção a casa dele.

Lá chegando Hobi estava no jardim, tomando um banho de mangueira, aquilo mais parecia a visão do paraíso, o moreno sem camisa, cabelos molhados e o short bem colado por  causa da água. Ao me ver ele joga a mangueira em minha direção, molhando minha roupa branca, deixando-a transparente, evidenciando minha box preta.

-Nossa que delícia. -Diz ele enquanto se aproxima

Abro um sorriso retangular enquanto coço a cabeça. Ficamos nariz com nariz, e eu não resisto, tomo seus lábios dentro dos meus, enquanto desliso minhas mãos por suas costas nuas, repousando-as no cós de seu short, e ele sorri.

-É só isso o que você quer de mim né? -Pergunta ele entre o beijo.

-Na verdade eu pretendo tirar o resto da sua roupa. -Respondo.

O moreno sorri malicioso, me põe no colo, e eu abraço sua cintura com minhas pernas enquanto ele nos leva pra dentro de casa, percebo que alguns vizinhos nos olham com uma cara de surpresa, mas estou pouco me fodendo, literalmente.

Já dentro da residência, ele me joga em cima do sofá e tira minha camisa ainda molhada, e a joga pra algum lado que não consegui perceber qual, continua me beijando fervorosamente, suas mãos percorrem meu corpo com uma avides e paixão, mas ele sempre parava na barra do meu short, e isso me deixava impaciente.

-Vamos logo Hoseok. -Falo

-Tá com pressa?

-N-não..

-Bom mesmo.

Ele me deixa sozinho na sala por alguns instantes, sem me dizer nada, voltando apenas de box e uma venda em uma de suas mãos.

-Agora vamos brincar. -Disse ele.

Engulo em seco, Hobi nunca tivera essas idéias antes, e isso me exitava, mas também assustava.

O moreno segura meus cabelos com força fazendo com que eu arfe, no mesmo instante me beija mordendo meu lábio, aquela altura eu ja estava completamente louco, até que ele me venda, dalí em diante a unica coisa que eu poderia fazer era ouvir, sentir e tatear.

Ouço o som de algo metálico, enquanto Hoseok acaricia e beija meus pulsos.

-Vamos subir?

-Eu estou vendado anta. -Respondo

-Você vai se arrepender de ser mal criado comigo Baby.

Estou ferrado, se eu sou o baby.. ele é o D-daddy, sinto sua mão gelada em minha nuca, seguindo de sua boca a morder meu pescoço, estremeço e pelo jeito ele percebe, me toma  em seus braços e me leva pra algum lugar da casa, não consegui identificar qual, Hobi me põe sentado em algo gelado com bordas retangulares, escuto algo abrir, desuso que estamos na cozinha, sinto a proximidade e o calor de seu corpo junto ao meu, mas sua boca havia algo especial.. estava gelada. Voltamos a nos beijar intensamente então notei que havia um
cubo de gelo dentro de sua boca, então comecei a arrepiar ao senti-lo passar seus lábios com a pedrinha em meu pescoço, descendo pelo vale entre meus peitos desnudos enquanto brincava com meus mamilos usando suas mãos.
Deitou-me no balcão onde insinuei estar, destinou seus beijos gelados a minha barriga, fazendo com que eu me contorcesse em cima do móvel, senti suas mãos grandes e macias acariciarem minhas coxas, enquanto agora estava concentrado na barra do meu short. Arfei.
Ao ouvir minha respiração nervosa o moreno me despe totalmente, e investe com sua boca contra meu membro desnudo e rígido, ao sentir o gelo que ele estava eu enlouqueço  de vez e começo a ditar o movimento com as mãos segurando sua cabeça contra o mesmo, mas ele subitamente para.

-Quem você é hoje Baby? -Me lembra ele.

-S-seu..

-Meu o que?

-Ba-baby..

-E  o que eu sou seu?

-M-meu Da-ddy. -Respondo

-Então quem dá as cartas sou eu.

Estremeço, ele me tira do balcão e me deita em um local fofo e confortável, passa seu corpo por cima do meu enquanto me beija suas mãos vão de encontro as minhas, o moreno as  levanta vagarosamente, e sem que eu perceba as prende junto a grade da cama, então era isso o que eu tinha escutado antes.. Algemas.. Safado.

Ele se ausenta da cama por alguns instantes, me sinto rejeitado, momentos depois eu o escuto sibilar pra que eu faça silencio.

-Shhhh baby.

Então algo quente cai sobre minhas coxas, não consigo conter um gemido de dor, novamente ele pinga o liquido em mim, na outra coxa dessa vez, o moreno alternara entre as duas, depois de muito judiar e de me ouvir gemer de dor, Hobi da leves tapas nos locais ainda quentes limpando-os fazendo com que eu quase gritasse, mas por "pior" que fosse eu amava essa sensação de privação de sentidos, me deixando completamente a mercê do outro.

-Agora eu vou foder você, e eu te proíbo de gemer. -Falou ele amarrando algo em minha boca.

Suspirei, ele jogou seu corpo dessa vez totalmente nu em cima do meu, e ao senti-lo completamente me fez soltar um gemido, mesmo que abafado.
O moreno começa a me estimular vagarosamente, e eu tento procurar o ar que já estava me faltando por causa da mordaça, sinto-o chupar meu membro totalmente enrijecido alternando entre lambidas em minha glande e investidas totais do meu membro em sua boca, já não conseguia mais me conter especialmente quando ele passara a aumentar a velocidade de suas investidas com sua boca e mãos, não controlei e gozei em sua boca.
Segundos depois minha mordaça é retirada e consigo respirar "normal", então decido provocar.

-Cadê a pessoa que ia me foder?

Sinto meu corpo sendo posto de bruços na cama, fazendo com que meus braços ficassem cruzados na grade da cama, eu estava sem apoio algum, leves batidas começam a ser distribuídas em minha bunda. 

-Não tem graça brincar e não te ouvir gritar de prazer e dor. -Diz ele enquanto me chicoteia forte dessa vez.

As batidas param e eu escuto atenciosamente o barulho que o membro de Hobi fazia ao se masturbar me deixando mais exitado do que já estava, não contenho meus lábios e passo a língua nos mesmos, sinto meu quadril ser erguido pelas mãos ágeis de Hoseok enquanto separava bem minhas pernas, sinto minha entrada ser estudada por seus dedos  ávidos, que sem algum aviso são introduzidos. Arfo mas não gemo, o moreno segue com as estocadas de seus dedos em mim, dessa vez mais fortes, fazendo movimentos de tesoura
me preparando pra receber seu membro em meu interior, estremeço.
Os movimentos são interrompidos bruscamente e por alguns segundos nada acontece, até que sinto seu membro me penetrar de uma vez, fazendo com que eu gritasse de dor e  prazer ao mesmo tempo, mas o moreno não deu tempo pra recompor meus sentidos, continuou  a me foder forte e a unica coisa que eu conseguia fazer era gemer.
Sinto suas mãos deslisarem em meu corpo indo de encontro a minha nuca, a venda é tirada, viro meu rosto pra admirar meu Homem, e ao ver seu rostinho de prazer não aguento e gemo em seu nome.

-A-aaah.. Ho-seok...

O mesmo bate forte em minha bunda.

-Sou o seu Daddy! -Exclama ele estocando mais forte que antes.

-Aaaaah Da-daddy! Me fode!

Vejo o moreno perder o controle e segurar meus cabelos da nuca enquanto estocava cada vez mais forte em um ritmo mais frenético, ele acerta meu ponto e eu amoleço

-Awwwn D-da-ddy iiisso!

Em questão de segundos eu chego ao meu orgasmo junto com o do moreno que ejaculara dentro de mim, minhas pernas tremiam de tesão, ele tomba a meu lado, pegando as chaves das algemas e solta meus pulsos, esses que estavam completamente vermelhos.

Nos abraçamos e dormimos ali mesmo, sem dizer uma palavra.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...