História My protective wolf - Jeon Jungkook. - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Revelaçoes, Romance, Sobrenatural
Visualizações 39
Palavras 2.581
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


boa leituraaaa💕
desculpa qualquer erro 💕

Capítulo 6 - 06.


Fanfic / Fanfiction My protective wolf - Jeon Jungkook. - Capítulo 6 - 06.

[...] 

Acordo, olho em volta e percebo que estava no quarto, deitada sob a cama. Levanto meu corpo, me sentando na cama, coloco a mão na cabeça, sentindo uma leve fincada. Olho para o lado e vejo uma bandeja de comida encima da cômoda que fica do lado da cama. 

Café da manhã no quarto? Novidade. Pego a bandeja e coloco encima do meu colo começando a comer. 

Enquanto comia, olho em volta novamente.

- Estranho, não me lembro como vim parar aqui. - bebo um pouco de suco.

 Começo a me lembrar do que havia acontecido ontem a noite.

- O Jeon me deu água, e depois... Depois... - encaro o copo de suco na minha mão. - E se tiver a mesma coisa que havia na água, nesse suco? não...ele não...quer dizer, olha o que aconteceu ontem, então ele sim! - me levanto e vou até a janela, jogando o suco do copo fora. - De novo não Jeon JungKookie... 

Guardo o copo, o colocando na bandeja. Troco de roupa e saio do quarto. Aquele garoto colocou alguma coisa na minha água, pra eu ter ficado com sono e fraca daquele jeito, e se ele fez isso, aproveitou que eu estava inconsciente/dormindo e fez algo comigo?  

Desço as escadas irritadas. 

- Cadê ele? Cadê aquele filho da mãe! - chego na sala. Olho para os lados e vejo ele entrando dentro da casa, ele me olha.

JK:- Porque está me olhando assim Bela Adormecida? - ele diz em tom de deboche, fechando a porta.

Bela Adormecida? 

- Você ainda pergunta? Até parece que não sabe! - me aproximo dele.

JK:- Do que? - ele diz cínico. 

Dou um sorriso forçado. Respira fundo, não perde a cabeça Cloé, não caí no jogo dele.

- Do que Jeon JungKook? - ele não diz nada e fica me encarando, fazendo uma expressão confusa, o que é pura atuação, pedindo para que eu continue a falar. - DO QUE!? OLHA AQUI, EU SEI O QUE VOCÊ FEZ, EU SEI QUE VOCÊ COLOCOU ALGUMA COISA NAQUELA ÁGUA, E EU SENTI VOCÊ ME TOCANDO, É A ÚLTIMA COISA QUE EU ME LEMBRO... MAS SE VOCÊ OUSOU APROVEITAR DA SITUAÇÃO QUE VOCÊ MESMO ME COLOCOU, E FEZ ALGO COMIGO, EU ACABO COM VOCÊ, ESTÁ ME ENTENDENDO!? - começo a bater nele. - EIN!? 

Ele segura forte em meus braços, e fica com o seu rosto próximo ao meu, eu começo a me debater, o que não adianta.

JK:- Já deu, já pode parar de escândalo. - ele fala friamente e me olha nos olhos, com uma expressão séria no rosto.

- Você entendeu o que eu disse? - falo em um tom mais baixo e ameaçador, olhando em seus olhos de volta. 

JK:- Você insinuou... Você acha mesmo que eu me aproveitei de você enquanto dormia? - ele diz ainda me olhando nos olhos. Seu olhar estava diferente, eu via a raiva que ele estava sentindo através dele. Sinto o calor do seu toque ficando cada vez mais forte. - Me responda. - ele diz irritado. 

- Primeiro, me solte. - falo ainda olhando em seus olhos, ele não diz nada, nem faz nada, só continua olhando para os meus olhos. Era aquela troca de olhares, que se via até raios passando de um lado para o outro. - Está me machucando. - falo em relação a força que ele segurava meu braço.

Ele olha para onde ele estava segurando, percebendo que estava me machucando, suspira e me solta. Eu passo a mão por onde ele estava segurando, olhando para o local, mas logo volto meu olhar para o mesmo.

JK:- Acha? - ele fala erguendo uma sobrancelha.

- Acho, eu espero tudo de você, ainda mais depois do que você fez ontem. - falo séria aproximando meu rosto do seu novamente.

Ele dá uma risadinha, abaixando sua cabeça. 

JK:- Sério isso? Se eu tivesse feito alguma coisa, você nem estaria aqui em pé agora. - ele diz olhando para mim novamente. 

- O que quis dizer com isso? - tombo minha cabeça pro lado, me aproximando mais.

JK:- Eu quis dizer, que se eu tivesse feito o que você insinuou, eu iria te deixar sem andar. - ele diz abaixando o tom de voz, como provocação.

O encaro incrédula, levanto minha mão para acertar seu rosto, mas ele segura meu pulso, me parando. Ele sorri de lado, e mexe com a cabeça em sinal de negação. 

JK:- Eu não terminei de falar. - ele abaixa sua mão levando meu braço junto. - Eu não fiz nada a você, fique tranquila, essa atitude covarde, eu não pratico... Eu só te levei até o quarto e te coloquei na cama, somente isso. - ele diz sério, soltando o meu braço. 

- Ah, é? Então porque Jeon? O que colocou no meu copo? E pra que? O que você queria?

Ele fica em silêncio, somente suspira, e um climão toma conta, reina entre nós. 

JK:- Ele vai te explicar o que aconteceu. - ele diz se afastando de mim, começando a caminhar. - Aliás, vou deixar vocês a sós, tenho coisas a fazer. - ele coloca a mão no bolso da calça e saí andando até a porta e saí da casa, batendo a porta.

Ele quem?

NJ:- Quem está aí? Jeon? - olho para trás e vejo o meu padrinho, corro até ele e o abraço. - Oh Cloé, boa tarde. - ele retribui meu abraço. 

- Padrinho que bom que está aqui! Eu preciso te contar o que aconteceu, você precisa tomar alguma atitude, aquele garoto-

NJ:- Eu sei...eu sei, eu sei o que aconteceu, calma. - ele diz colocando as mãos nos meus ombros, olhando em meus olhos. Respiro fundo e me acalmo. - Mais calma? 

- Sim, mas padrinho olha- ele me interrompe.

NJ:- Calma Cloé, que agito todo é esse? - ele diz rindo. - Ele conversou comigo, e eu vou te explicar o que foi que aconteceu, o porque que você ficou daquele jeito.

- E porque ele colocou alguma coisa na minha bebida, eu sei que foi isso, eu- 

NJ:- Cloé, deixa eu falar? - ele pergunta e eu faço sim com a cabeça. - Realmente, havia algo na sua bebida, havia um pote no armário com um remédio em pó, que eu misturo na água e tomo sempre quando chego do trabalho sem sono, para poder dormir e descansar. Por isso você ficou daquele jeito, ele confundiu os potes e colocou uma dose grande do remédio no copo com água, pensando que era açúcar. 

- Espera aí... O que? Confundiu? Engraçado, tudo que ele fala, fala com tanta certeza, mas pelo jeito ele não faz tudo  tão certinho assim. - falo dando um sorriso. - Que descuido.

NJ:- Acontece Cloé, é normal, não pense coisas erradas sobre ele e nem o acuse de algo, por conta di- 

- Aish...

NJ:- Já é tarde né? - ele diz cruzando os braços.

- É, se você tivesse aparecido e falado isso antes padrinho. - falo dando um sorrisinho sem graça, sob o olhar sério do Namjoon.

NJ:- O que você disse a ele Cloé? - ele diz ainda me encarando com uma expressão séria no rosto.

- Nada demais padrinho, olha...eu só o avisei, que se ele tivesse feito algo comigo, se tivesse aproveitado da situação, eu iria acabar com ele! 

NJ:- Você falou o que Cloé!? 

- Que eu ia acabar com ele, mas eu ia mesmo, aproveitar quando- 

NJ:- CLOÉ! - ele fala alto, olho para seu rosto um pouco assustada, ele parecia bravo e irritado, bem diferente da pessoa calma e tranquila que ele é. Ele percebe que se alterou, e respira fundo. - Quando que você vai parar com essa implicância? 

- Implicância? Não vem não... Que ele também tem implicância comigo! 

NJ:- Mas eu estou falando e perguntando para você, quando Cloé? 

- Não é implicância padrinho. - ele não diz nada e fica me encarando com uma sobrancelha erguida. - Ok, talvez seja, mas... É que eu não confio totalmente nesse garoto, não o conheço direito e-

NJ:- Cloé... você acha que eu deixaria qualquer um tomando conta de você? - ele pergunta suavizando sua expressão, parecendo mais calmo.

- Não?

NJ:- Não, eu não pediria para ele ficar aqui tomando conta de você, se ele não fosse da minha total confiança, não se preocupe, pode confiar nele também. - ele diz colocando a mão no meu ombro.

- Sei não padrinho... - falo olhando para o lado.

NJ:- Mas  eu sei, você não confia em mim? 

- Confio, mas... Ah, está bem, eu posso tentar confiar mais nele, mas tudo vai depender dele, se não me der motivos para desconfiar de algo. - olho para o meu padrinho e ele me abraça, bagunçando meu cabelo.

NJ:- Isso mesmo, vamos ver se agora você para de implicância e ele também, porque vou te contar viu! Ô jovens difíceis e cabeça dura que eu fui arrumar. - ele diz rindo ainda bagunçando meu cabelo.

- Padrinho? Padrinho! Chega. - me afasto dele rindo e arrumando meu cabelo. 

NJ:- E então? Você tomou o café da manhã mais reforçado que estava no seu quarto? Aquele remédio é forte e você precisa se alimentar direito agora. - ele diz se sentando no sofá.

[...] 

Fiquei conversando a tarde toda com o meu padrinho, ele fez o meu bolo preferido e me teve como sua ajudante, pegava todos os ingredientes para ele, e depois fui para o fogão, eu fiz somente a calda de chocolate, mas pra quem não é boa na cozinha, é um começo. Ele brincou comigo, e me contou várias histórias de sua vida, até me fez prometer que iria tentar me dar bem com o Jeon, sim até isso ele conseguiu. 

Estava sentada no sofá, comendo mais um pedaço daquele bolo divino. Meu padrinho saí da cozinha, vindo para a sala com um prato de bolo na mão.

NJ:- Se o Jeon continuar demorando desse jeito, não vai sobrar bolo para ele não. - ele diz rindo se sentando no outro sofá.

- Concordo, ele vai perder, porque está muito bom. - falo começando a comer mais. Escuto um barulho na porta, quando olho para trás era o Jeon entrando na casa.

NJ:- Olha que coincidência, acabei de falar de você. - ele diz olhando pro Jeon sorrindo.

JK:- É, eu ouvi mesmo o meu nome. - ele diz arrumando a blusa de frio e se aproximando. 

NJ:- Eu e Cloé, fizemos um bolo de chocolate, que está uma delícia. - ele diz ainda sorrindo, e come mais um pouco. 

JK:- Você e ela? Fizeram um bolo de chocolate? - ele pergunta, eu e meu padrinho concordamos. Ele me encarou e deu uma risadinha abaixando a cabeça.

Olho para ele e respiro fundo. 

- Eu sei o que você está pensando Jeon, sei que você está doidinho para perguntar o que eu fiz, não é? e só para você saber eu peguei todos os ingredientes certinho, não confundi nenhum, com outra coisa e ainda fiz a calda. - falo sorrindo, colocando mais um pedacinho do bolo na boca.

JK:- Olha...é não é que ela sabia mesmo? - ele diz em tom de deboche. - Não sabia que lia mentes. - ele disse erguendo uma sobrancelha e dando um sorriso.

- Não é muito difícil adivinhar o que se passa na sua cabeça, quando se trata de mim, aliás... - falo me levantando e indo até o mesmo.

Dou uma olhada para o meu padrinho e vejo a tensão exposta no seu rosto, dou um sorrisinho para ele e viro meu rosto olhando para o Jeon.

NJ:- Cloé... - escuto ele falar, mas contínuo olhando para o Jeon.

- Acho que começamos com o pé esquerdo, poderíamos tentar começar de novo, e deixar o que passou para trás. - estendo minha mão.

JK:- O que? É sério isso? - ele fica me olhando e logo olha para o Namjoon. - Essa é a irmã gêmea da sua afilhada ou o que? 

NJ:- Jeon... - ele diz olhando para o Jeon, mas logo olha para mim. - Essa é a minha afilhada. - ele diz orgulhoso olhando para mim. Sorri e voltei a olhar para o Jeon.

- Se eu fosse você apertava minha mão logo, antes que eu mude de idéia. - falo tombando minha cabeça pro lado e sorrindo.

JK:- Não sei o que você fez Namjoon, mas... talvez as coisas funcionem melhor agora. - ele diz olhando para mim, ele olha para minha mão estendida e logo depois volta a olhar para meus olhos. - Eu tenho mesmo que-

NJ:- Vai logo Jeon. - ele fala olhando para o mesmo que suspira, e pega na minha mão. 

- Agora nós daremos bem. - digo dando um sorriso.

JK:- Ah, tanto faz. - escuto ele dizer, mas resolvo ignorar, sinto o calor de sua mão, sua mão é sempre tão quente, como? ele solta minha mão e se afasta.

NJ:- Vai lá pegar bolo pra você, e venha aqui comer com a gente. - ele diz sorrindo para o Jeon.

JK:- Estou indo. - ele caminha até a cozinha.

NJ:- Que bom que está cumprindo com o que prometeu. 

- Tinha que arrumar um jeito de começar, não é? - digo me sentando novamente no sofá sorrindo e começando a comer novamente.

Vejo o Jeon voltando com um prato de bolo.

NJ:- Eai? Está bom, não está? 

JK:- É, o bolo é bom mesmo, até a calda está boa. - ele diz me olhando, mas logo desvia o olhar. Sabia que ele não ia resistir, e ia soltar uma dessas. Reviro os olhos.

- Claro, é simples e a gente aprende né Jeon, foi tranquilo, eu não errei e nem confundi nada. - falo dando um sorriso olhando para o mesmo, que estava de costas para mim, mas vira na hora.

NJ:- Cloé vai lá colocar mais um pedaço para você, o seu está acabando já. 

JK:- Namjoon já te contou tudo o que aconteceu pelo jeito né, que bom que não errou, não confundiu nada, e dessa vez não foi irresponsável, foi até dependente. - ele ergue uma sobrancelha olhando para mim.

- É. - dou um sorriso. - E sobre o que aconteceu, agora já está tudo bem, todos cometem erros não é mesmo? Até você, acontece. - me levanto e pego meu prato. - Vou sim padrinho. - dou uma olhada para o JungKook e caminho até a cozinha.

JK:- Erros claro que acontecem, por exemplo seus pa- ele para de falar de repente, eu me viro para trás e vejo o Namjoon tampando a boca do mesmo.

NJ:- Vocês vão recomeçar ou continuar na mesma!? Que eu saiba a conversa de minutos atrás, antes dessas provocações era sobre mudar e se dar bem um com o outro, então por favor gente, não vou falar de novo. - ele diz sério.

- É mesmo, agora é sério, desculpa padrinho, e... desculpa Jeon, se eu disse algo que- 

JK:- Desculpada, e... - ele olha para o Namjoon antes de continuar a falar. - Foi mau aí. - ele vai e se senta no sofá.

- Tá tudo bem. 

Eu e Jeon tínhamos mais alguma coisa em comum, além do jeito difícil, pavio curto, o lado provocativo, além disso tudo, tínhamos muito respeito pelo meu padrinho, então para conseguir cumprir minha promessa, terei que ser mais tolerante e menos provocativa, Jeon mudará um pouco seu jeito também, ele não iria decepcionar meu padrinho, não combina muito com ele isso.

Amanhã será um dia mais produtivo, e eu conseguirei manter a minha promessa, sem nenhuma recaída, e se tiver também, eu avisei, é uma tentativa. 

" Prometo que irei tentar me dar bem com o Jeon. " 




Notas Finais


continua?
me falem o que acharam rs 💕
uma perguntinha •
• acham que esse recomeço, que essa promessa da Cloé vai para frente, que realmente vai fazer esses dois se darem bem? ou não vai durar nem 24h.?
bjoos💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...