1. Spirit Fanfics >
  2. My Protector >
  3. Feliz Aniversário

História My Protector - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa fanfic é dedicada para uma pessoa muito especial!
Parabéns, Dino!!!!!!


Boa Leitura!

Capítulo 1 - Feliz Aniversário


Fanfic / Fanfiction My Protector - Capítulo 1 - Feliz Aniversário

Lee Chan sempre foi alegre e educado em casa, mas na escola sofria bullying e era chamado de ''nerd'', por uma dupla de garotos mais ''populares'' da escola. Os garotos eram: Wen Junhui e Hansol Chwe. Todos os dias ele chorava na biblioteca onde passava a maior parte do seu tempo, já que ele não tinha amigos, ficava sozinho no recreio recebendo olhares dos alunos da escola.

 

 

Hoje ele acordou feliz percebendo que não era um dia comum, a luz do sol iluminou seu quarto enquanto o mesmo ouvia os passarinhos cantando em um galho de árvore próximo. Escutou uma batida na porta abrindo e revelando os seus pais com confetes e chapéus de aniversário.

 

 

 - Feliz Aniversário!- disseram em uníssono.

 

 - Obrigado!- disse Dino contente.

 

 

Depois de inúmeros beijos e abraços de seus pais, Dino se arrumava para à escola. Com um sorriso no rosto caminhando em direção ao local, Chan pensava que nada poderia estragar esse dia. Por nenhum dos garotos saber de seu aniversário. Mal sabia que estava enganado.

 

 

 - Olá, nerd!- disse Hansol com um sorriso no rosto.

 

 - Como vai meu aniversariante favorito do dia?- Jun fala se aproximando de Dino. 

 

 - B-Bem.- Dino fala com as pernas tremulas.

 

 - Se acalma.- Jun ri.- Não fizemos nada... ainda.

 

 - Você achou mesmo que não iríamos lhe dar um seu presente?- Chan não falou nada.- RESPONDE. Eu falei com você.

 

 - Como sabem que é meu aniversário?- Chan pergunta de cabeça baixa.

 

 - Nós temos os nossos meios. Mas o foco aqui, é só para falar que depois das aulas nós vamos te dar o seu presente.- Dino ia saindo, mas Vernon o puxa.

 

 - E nem pense em fugir.- Vernon alertou.

 

 

Chan se assustou, mas mesmo assim foi para as aulas. Ele não parava de pensar na conversa que teve mais cedo. 

 

 

Quando deu o sinal para o recreio, Dino vai para a biblioteca tentar se acalmar lendo alguma coisa. Enquanto caminhava percebeu que não estava sozinho, olhou para trás e viu Hansol e Junhui o seguindo. Acelerou os passos e chegou na biblioteca, e sentou-se na última cadeira à vista.

 

 

Pegou um livro voltando para seu lugar onde estava sentado e vê os que lhe seguiam sentado na mesma, saiu de perto até Hansol sussurrar.

 

 

 - Senta aqui.- Falou apontando para cadeira próxima de si, Dino nega com a cabeça, mas Hansol insisti. E o mesmo acaba se sentando.

 

 

Depois de minutos silenciosos. O celular de Chan toca e o mesmo sai para atender.

 

 

 Chan: - Oi, Jeonghan!

 

 Jeonghan: - Oi, primo! Feliz Aniversário!

 

 Chan: - Obrigado, Hyung!

 

 Jeonghan: - Como você está?

 

 

  Dino olha para trás e vê Vernon e Jun o olhando.

 

 

 Chan: - Melhor impossível.

 

 Jeonghan: - Tem certeza?

 

 Chan: - Tenho, não se preocupe. Agora preciso desligar, tchau!

 

 Jeonghan: - Tchau.

 

 

Jeonghan sabia que tinha algo errado, e Chan não falava nada. Sempre perguntou para seu primo e a desculpa era sempre a mesma.

 

 

...

 

 

Depois de escutar o sinal, correu o mais rápido possível. Mas foi esbarrado na porta da saída pelos garotos.

 

 

 - Pensou que iria fugir?- Hansol diz.

 

 - Me deixem em paz. Eu só quero ir para casa.- Dino fala quase chorando.

 

 - Mas ainda nem começamos.- Jun fala rindo.

 

 

Numa ação rápida, Junhui empurra Chan e o mesmo cai no chão. Hansol chuta a sua barriga até sair sangue. Jun quebra os óculos de Chan e derruba tudo que estava na mochila. Vernon abre sua mochila e pega um saco de amido de milho e ovos, e começaram a jogar em Chan.

 

 

 - Feliz Aniversário! - disseram em uníssono.

 

 

Saem e deixam Dino ali, jogado no chão como se fosse um saco de lixo. Chan se levanta com uma imensa dor na barriga, com a visão embaçada, pega a suas coisas do chão e vai em direção ao banheiro se limpar um pouco.

 

 

...

 

 

 - Mãe, cheguei.

 

 - Oi, meu filho! - Senhora Lee vai abraçar seu filho, mas senti um cheiro nada agradável. - O que aconteceu? Que cheiro é esse?

 

 - Hã... hoje teve aula de educação física. Eu vou tomar um banho.

 

 - Vai. Não se esquece que a sua festa vai ser de seis horas.

 

 

P.V.O Lee Chan 

 

 

Assenti e subir para meu quarto. Depois de tirar a camisa para tomar banho, percebo que tinha vários hematomas na minha barriga, e quando as tocava doía muito. Comecei a chorar por tudo que tinha acontecido até agora, por não saber me defender e mentir para todos que me perguntaram. Eu só queria uma vida normal, que ninguém me machucasse ou me azucrinar. 

 

 

Quando me senti melhor, fui tomar banho, a água estava gelada, mas depois de minutos foi ficando aliviante. Meu corpo estava leve e minha barriga dolorida, eu ficaria ali até amanhecer, sorrir estando triste dói. Fico pensando um bom tempo até ouvir meu pai batendo na porta e chamando meu nome. 

 

 

 - Filho. Você está aí?

 

 - Estou sim. Já estou saindo. 

 

 

 Me visto e desço para a sala, toda a minha família estava lá, e quando me viram começaram a cantar, enquanto sorria e ia para perto deles. 

 

 

Quando foi a hora de apagar a vela, meus pais falaram para eu fazer um pedido. Pensei no que pedir, o que eu precisava para melhorar a minha vida? Fechei os olhos e fiz o pedido.

 

 

Eu preciso de um amigo.

 

 

Depois de muitos abraços, saí um pouco da festa para frente de casa, e vi um carro parar aí.

 

 

Jeonghan saiu do carro, e correu para me abraçar.

 

 

 - Eu estava com tanta saudade! 

 

 - Eu também, Hyung!

 

 - Como foi seu dia hoje?

 

 - Foi... cansativo.

 

 - Lee Chan, não menti para mim. Sabe que pode me contar qualquer coisa.- Dino abraça Jeonghan novamente começando a chorar.

 

 

Chan conta tudo que ele passa na escola, detalhe por detalhe, a cada palavra o mais velho ficava com a cara triste e preocupada.

 

 

 - Por que não me disse isso antes?

 

 - Não sei. Não queria que ficasse preocupado.

 

 - Você precisa com alguém, seus pais ou a diretora.

 

 - NÃO. Não fale para ninguém.

 

 - Vai continuar assim?

 

 - Claro que não. Um dia isso acaba.

 

 - Lee Chan, resolve isso ou eu resolvo.

 

 - E como eu vou fazer isso?

 

 - Digamos que isso será seu presente de aniversário.

 

 - Sério?

 

 - Sim!- Jeonghan assobiou e um cachorro saiu do carro e veio em minha direção.

 

 - Ruffus?

 

 - Você lembra que nós brincávamos com ele, quando erámos crianças?

 

 - Lembro. Ele está muito grande. 

 

 - Você também, Chan!- Ambos riram.

 

 

Eu não acreditava em pedido de aniversário, depois que ganhei Ruffus de presente minha vida mudou. Eu sempre conversava com Ruffus, mesmo ele não entendendo uma palavra sequer que eu falava. Pelo menos, eu tinha alguém para conversar, e esse alguém não me criticava.

 

 

Dias depois, eu fui à diretoria para falar sobre meu problema. Junhui e Hansol foram expulsos, nós nos encontrávamos na rua, e como sempre Ruffus me protegia. A partir daí, ninguém me aborrecia, e Ruffus era o que eu precisava para mudar a minha vida.


Notas Finais


Me parte o coração fazer Vernon e Jun os vilões da história.

Me desculpem se ficou ruim.

~Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...