1. Spirit Fanfics >
  2. My Protector >
  3. Cap.4 - Um dia com ela

História My Protector - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Cap.4 - Um dia com ela


Fanfic / Fanfiction My Protector - Capítulo 5 - Cap.4 - Um dia com ela


EM ALGUM LUGAR DA FLORESTA

Tic'Tic e D'Dleh caminhavam por aquela floresta, os mesmos estavam perdidos, quando fugiram da aldeia desesperados para não serem mortos que acabaram indo por um caminho diferente e pelas contas do caçador eles já estavam a 1 semana andando e nada de encontrar a tribo Quileute, a floresta pode lhe pregar peças e eles sabiam disso, eles caminharam por varios dias em circulo e já estavam com fome e o medo de não encontrarem sua alfa só aumentava

- Caçador, acho que os ancestrais não querem que encontramos Aya - D'leh se sentou em uma pedra - Estamos caminhando por varios dias e nada

- Nos vamos a encontrar, tenha paciência - Pediu o mais velho

Ao longe eles ouviram um barulho, D'leh se levantou rapidamente pegando sua lança e se preparou para atacar assim como Tic'Tic

- Quem esta ai? - Perguntou o caçador - Se não sair vamos até você

Um menino surgiu de trás da arvore levantando as mãos, era Baku um dos jovens Yagahl

- Baku? O que esta fazendo aqui? Pra casa! - O caçador levantou sua lança indicando para o menino voltar para seu ponto de partida

- Por favor, me deixe ir! Eles mataram minha familia - O menino olhou com um olhar pidão

- Ele esta sozinho - D'Leh argumentou, Tic'Tic o olhou revirando os olhos

- Ele só vai nos atrapalhar - O caçador voltou a caminhar

- D'leh tenho sede - O menino correu e pegou a bolsa de agua e bebeu

- Vamos! Com sorte encontraremos o caminho certo! Os ancestrais estão conosco - Tic'Tic chamou os meninos que correram até ele

[…]

Depois da fogueira, Paul conversou brevemente com Aya já que seu nervosismo o impediu de fazer todas as perguntas que queria fazer a ela, mas o garoto lobo ficara contente ao ver que seu imprinting rindo com seu nervosismo. 1 semana havia se passado desde aquele dia e desde de então, Paul sempre ia até a casa dos Black's para ver Aya mais nem sinal da mesma, se perguntava se ela estava triste ou doente e só de pensar nisso o lobo ficava inquieto, Mas segundo Jacob - questionado por Paul - Aya saia um pouco mais tarde para ir até o penhasco que lhe mostrará quando sairam juntos para ver o por do sol e de manhã a india costumava ficar com ele na garagem lhe fazendo companhia. Mas naquele dia em especial, Paul acordara mais cedo e correu até a casa de Jacob ficando atrás da arvore vigiando com olhos atentos a movimentações dentro da casa, a porta foi aberta dispertando a atenção do mesmo, ao longe ele pode ver a garota destinada a ele, ela vestia um lindo vestido lilás que ia até metade de seus joelhos, ele também pode sentir o cheiro de Menta e Hortelã no ar novamente e sorriu

- O que vai fazer hoje? - Ele perguntou para si mesmo dando um sorriso de lado, ele observou a garota andar um pouco e observar a floresta a sua frente e sorrir em agrado, ela correu dando três passos e se transformou em um grande lobo branco acinzentado, Paul se transformou e passou a segui-la pelo seu cheiro, permaneceu quieto para que não fosse percebido pela menina.

Ao chegar perto do penhasco, Aya voltou a sua forma humana e vestiu o vestido que havia colocado encima do galho de uma das arvores, ela caminhou até a beira do penhasco e se sentou observando a vista. Paul voltou para sua forma humana e vestiu sua bermuda Jeans caminhando a passos lentos até a menina, mas fora denunciado ao pisar em um galho fazendo Aya se virar para a floresta e o encontrar

- Oi - Ela se levantou - Algum problema?

- Oi…- Disse nervoso - Não, nenhum problema é que…Eu vi um lobo passar então resolvi ver quem era

- Ah - Aya sorriu - Você vai fazer ronda? Porque se você quiser pode ficar aqui comigo pra me fazer companhia, as vezes ficae sozinha é cansativo

Aquele foi o melhor convite que Paul podera receber, ele sorriu e caminhou até Aya que se sentou aonde estava seguida por ele

- Se tiver ronda, pode ir! Não quero que Sam ache que sou má influencia

- Você má influencia? Fala serio - A india olhou para o menino e sorriu de lado pela ironia na voz dele

- Eu acabei de chegar então…

- Relaxa - Paul pediu olhando para ela, Aya desviou o seu olhar para o horizonte e fechou os olhos sorrindo

- Você já nadou á noite? Eu sempre achei que seria maravilhoso - Ela abriu os olhos e olhou para o garoto ao seu lado

- Então porque nunca nadou?

- Na minha tribo tinha uma cachoeira e todos nadavamos, mas meu pai nos proibiu de nadar a noite porque a correnteza ficava mais forte - Ficou um silencio entre os dois, Paul tivera uma ideia e que esperava que desse certo

- Você já pulou de um penhasco? - Ele se levantou e ficou bem proximo a beira do penhasco

- Não, o maximo que cheguei foi saltar de uma pedra na cachoeira - Aya se levantou

- É a maior adrenalina, vem! - Paul sorriu

- Acho melhor não, a agua esta muito agitada - Aya se preocupou

- Ela esta otima, não se preocupa eu vou estar lá para te pegar - Paul estendeu sua mão, a menina lobo olhou para a mesma e a pegou com um sorriso, os dois olharam para frente e depois se olharam, se distanciaram e pularam do penhasco, Aya sentiu seu corpo tremer e uma sensassão boa lhe invadir, quando seu corpo se chocou com a agua sua mão se solto da mão de Paul, mas aquilo não a fez sentir medo, de alguma forma sabia que o garoto iria te achar e estaria ali caso algo acontecesse

Paul por sua fez havia subido para a superficie e parecia preocupado

- AYA! AYA! - Chamava a garota olhando para todos os lados - AYA! - Ele ouviu um barulho atrás de si e se virou encontrando seu imprinting que sorria, seu cabelos molhados estavam todos para trás e seus labios estavam pouco roxos devido a agua gelada, a menina sorria para ele e Paul não pode evitar de devolver o gesto

[…]

- Isso foi divertido - Dizia Aya saindo da agua depois de muitas braçadas dadas até chegar na praia de la push, os dois riam incansavelmente, Paul se sentia feliz por ver sua destinada feliz

- Bom…- Ele recuperou o folego, Aya se sentou em um tronco com o vestido molhado - Já vai escurecer e esta ficando muito frio e estamos molhados

- Lobos não ficam doentes Paul, pelo menos eu nunca fiquei - O garoto lembrou desse fato e se sentou ao lado da garota - De qualquer forma, logo estarei seca, já que hemano um calor de mais de 50 graus

- Já se apaixonou? - Paul perguntou derrepente, ele não queria perguntar mais não se conteve, precisava saber se Aya tinha alguem ou se já teve algo com alguem, Mas apesar da pergunta repentina a jovem sorriu

- Não - Paul se sentiu aliviado - Prefiro esperar meu companheiro para a toda a vida, na minha tribo chamamos isso de "a marca", porque essa tatuagem - Mostrou a tatuagem em seu ombro - é substituida por dois lobos entrelaçados, antes que me pergunte como isso é possivel eu te respondo, Mágia - Aya riu seguida por Paul

- E como encontram a sua marca? - Perguntou ele

- Temos que estar na forma lupina para isso acontecer, meu pai diz que quando olhou nos olhos da minha mãe ele pareceu flutuar e foi como se sua alma tivesse sido puxada para completar a dela, ele diz que foi a melhor sensasão que já teve em toda sua vida - Aya sorriu ao se lembrar do pai

- É como o imprinting, pelo menos é parecido, mas não temos que estar na nossa forma de lobo nescessariamente - Paul comentou

- Então conhece a sensasão! - Afirmou Aya

- Não, mas...Me disseram como é - Paul olhou nos olhos da menina que o retribuiu

- Como? - Aya sorriu

- Ter um Imprinting por alguém é quando…Você a vê e tudo muda, derrepente não é mais a terra que segura você aqui…é ela, você faria qualquer coisa, seria qualquer coisa que ela precisasse, um amigo, irmão… um protetor - Aya e Paul se olhavam intensamente

- O modo como fala, parece que já encontrou sua metade, vc já a encontrou? - Aya perguntou curiosa

- Eu…

- EI PAUL, ESTA NA HORA DA SUA RONDA! - Paul rangiu os dentes, Quil havia lhe atrapalhado e estava com raiva disso

- Acho que tem que ir - Aya se levantou seguida pelo menino - Eu também já vou indo, te vejo por ai! - A menina colocou sua mão direita no ombro de Paul e se aproximou do mesmo, lhe dando um beijo na bochecha - Tchau! - A menina sorriu antes de correr para a floresta e se transformar em um lobo, Paul sorriu

- EI PAUL! - Quil o chamou fazendo o menino ranger os dentes novamente, Paul se virou e caminhou até o irmão

- Obrigada, muito obrigada - Paul caminhou até a floresta, Quil não entendeu a irritação do amigo

- O que eu fiz? - Perguntou ele seguindo o garoto

[…]

Quando chegou na casa dos Black's, Aya tomou um banho quente e vestiu um pijama de regata, ela ainda estava se acostumando com tudo aqui, a agua que saia do chuveiro e que poderia ser controlada para fria ou quente, as roupas que só via em jovens que iam acampar perto da aldeia, e as sandalhas e os sapatos que estavam em seus pés que sempre permaneceram discalços. Deitada na cama que agora é sua, Aya sentiu algo dentro de si quando se lembrou de sua familia, seu coração se apertou e uma onda de tristeza a encheu, estava com saudades de todos e esse tristeza poderia durar por muitos anos ou não, a garota só pedia para que os anceatrais a ajudassem e ajudassem sua tribo, seus pensamentos estavam tão longe que nem notara quando bateram em sua porta

- Oi! - Ao ouvir a voz de Jake, Aya se levantou puxando um pouco da corberta que a cobria para si

- Oi - Sorriu amigavel

- Eu bati na porta mais, você não atendeu

- Eu estava com os pensamentos longe - Jacob se aproximou e se sentou na cama proximo a Aya - Saudades de casa

- Relaxa, logo tudo isso vai acabar e você vai reencontrar seu pai e todos que ama - Jacob pegou na mão da garota colocando a outra por cima

- Obrigada Jacob, você esta sendo um grande amigo - Sorriu para ele que retribuiu

Jacob não sabia do imprinting de seu irmão e se quer sonhava que Paul tinha passado o dia com ela, mas o lobo sabia que seu irmão de matilha estava estranho desde que Aya chegou e se quer conseguia enchergar seus pensamentos, mas seus sentimentos sobre a menina que encontrou na floresta cada dia mais aumentava e com eles a expectativa de talvez ter encontrado sua alma gêmea, mas por hora Jacob preferia reprimir tal sentimento para que não fosse magoado no final.

FLORESTA DE FORKS

Após andarem por muito tempo, Tic'Tic, D'leh e Baku finalmente encontraram o caminho para a reserva Quileute, embora o caçador achasse que o garoto iria lhe atrapalhar ele os ajudou muito

- Como eu disse os ancestrais estão conosco, vamos dormir aqui por hoje e amanhã vamos continuar nosso caminho - O caçador disse colocando sua blusa grossa de pelo de urso seguida pelos meninos, se sentou debaixo de uma arvore fazendo todos ficarem lado a lado, eles fecharam os olhos procurando o sono que não tinham a 1 semana

- Caçador, estou com fome - Baku reclamou

- Baku, dormir - D'leh pediu ao mais novo

- Mas estou com fome - O menino não estava mentindo, o som da barriga do garoto podia ser ouvido pela floresta interia, o caçador respirou fundo e soltou o ar

- Que tal assarmos o resto de carne de cervo que caçamos ontem e depois dormir com todos de barriga cheia? - Tic'Tic sugeriu, afinal, o jovem menino precisava de uma recompensa por achar o caminho de volta para a tribo Quileute

- Eu pego os troncos para fazer a fogueira - Baku se levantou rapidamente saindo correndo para pegar a madeira, Tic'Tic e D'leh sorriram com tal atitude do garoto

- Estamos cada vez mais perto de Aya, logo reencontraremos ela

- Tic'Tic acha mesmo que vão nos receber de braços abertos? - Perguntou dele

- Não sei, certamente que sim, mas se não receberem teremos que partie para outro lugar - O caçador se ageitou ao se sentar assim como D'leh

- Aya ficara arrasada quando descobrir que o chefe Moha morreu

- Ela será forte, Aya agora tem uma tribo para liderar

- Se a tribo permanecer viva até lá - O caçador reflitiu sobre o que o jovem ao seu lado falou, ele pedia aos céus que a tribo ficasse viva até lá ou então Aya não teria um povo para liderar.

---

CAPITULO NÃO REVISADO ❌



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...