História My Psicose - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet
Personagens J-hope, Joy
Tags Hoseok, Sooyoung
Visualizações 70
Palavras 1.465
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Drogas, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii
Desculpem a demora pra postar o capítulo, mas enfim,voltei!
Boa leitura.
(Leiam as notas finais)

Capítulo 3 - Chapter III - Dream


Fanfic / Fanfiction My Psicose - Capítulo 3 - Chapter III - Dream

Depois de ter coberto o espelho, eu senti algo se partir dentro de mim, como se alguma coisa se quebrasse. Meu coração se partiu.
Ignorei a dor em meu peito quando cobri o espelho e respirei fundo, olhando fixamente para o pano branco, que agora impedia totalmente o meu contato com Hoseok. 
Não gosto de pensar no que ele sentiu quando coloquei o pano, pois se for algo perto do que estou sentindo, me faz ficar ainda pior, mas tenho que ser forte. Para o bem dele, é melhor que continue assim. 

Hoseok. Apesar de ter falado e visto ele poucas vezes, eu sentia uma conexão forte com, não sei como explicar, mas ele me trouxe sensações diferentes e novas, coisas inexplicáveis, me fez sorrir.
E pensar que apenas algumas palavras com ele, fizeram eu me sentir mais viva do que jamais me senti...

- Espero que fique bem... - Sussurrei para o vazio, deixando uma lágrima solitária escorrer. 

Respirei fundo novamente e virei-me de costas para o espelho. Olhei em volta daquele porão, percebendo a quantidade de coisas que existiam por ali, eram várias caixas empoeiradas e algumas coisas cobertas por panos encardidos. 
Senti uma vontade de vasculhar cada pedaço daquele porão, mas, subitamente, se senti exausta, e decide voltar para o quarto, passei pela passagem por onde entrei, que já não era tão dificil assim de passar, por causa do costume de vir e esperar Hoseok. 
  Deitei-me na cama, tentando entender o que se passava dentro de mim, encarei o teto branco, enquanto pensava em tudo e ao mesmo tempo em nada, adormeci. 
 

"Eu estava em um quarto. Olhei em volta, observei as paredes, a cômoda, o piso e o teto, a cama a qual eu estava deitada, uma poltrona ao lado, a janela que trazia a luz do sol, e tudo tudo me era estranhamente familiar. 
Levantei-me daquela cama e algo caiu de cima de mim, um urso de pelúcia, peguei aquele objeto e por algum motivo, não o soltei.
Por estar descalça, meus pés encontraram o chão frio me causando um leve arrepio. Andei em ao redor, e encarei algo no canto da parede, ao lado esquerdo da cama, um espelho. Andei lentamente até o mesmo, com passos incertos, baixei a cabeça com medo do que veria. 
Encarei meus pés, e fui subindo o olhar devagar, vi minhas pernas e o resto do meu corpo coberto por um vestido verde, olhei meus braços, pescoço; até que cheguei no rosto e me espantei. 
Meus cabelos se encontravam curtos. Encarei meu próprio reflexo, e apertei o urso em minhas mãos. 
Desde que me lembro, desde que estive com eles, eu nunca tive cabelos curtos."

 Acordei subitamente sentindo uma sensação estranha, aquele sonho me deixou confusa, era como se fosse um pressentimento de que algo iria acontecer, ou algo que já aconteceu e eu não me recordava, tudo naquele sonho me era tão familiar, como se eu já tivesse visto e eu sentia que era importante. 
 Me sentei na cama tentando pensar direito no que aquilo poderia significar, eu sentia que era importante, mas não sabia o porque.
 Avistei a bandeja de comida que sempre era posta ali, e me levantei indo até a mesma, eu sentia fome e sede, apesar de ainda tentar formular o que acabará de sonhar, eu precisava comer, e assim fiz. Peguei a bandeja e me sentei na cama, eu comi tão rápido que parecia que não me alimentava a tempos, mas logo que terminei pus a bandeja no mesmo lugar em que a peguei e me sentei novamente na cama, suspirando.
- O que exatamente significou aquela sonho? Por que sinto que é tão importante? - perguntei a mim mesma, mesmo sabendo que não teria uma resposta assim. 
 Depois de pensar tanto, eu cheguei a uma única conclusão. Isso deve ter alguma coisa a haver com aquelas caixas, só pode ser!!
 Me levantei da cama passando pela passagem de sempre em direção ao porão, corri até as caixas que estavam cobertas por panos velhos e sujos.
- Deve ter alguma coisa importante aqui, algo que seja de valor, talvez os objetos que vi em meu sonho? - falei para mim mesma e joguei os panos velhos e sujos longe. 
 Não demorei a abrir as caixas. Nada! Não havia nada dentro da primeira, nem na segunda. Me sentei no chão frio sem esperanças, não tinha nada ali! NADA! Qual era o objetivo, então? 
 Olhei em volta mais uma vez e vi. Uma última caixa, ela era média, e não estava tão empoeirada quanto as outras, e não tinha um pano velho a cobrindo, mas estava bem escondida. Fui até a mesma e abri delicadamente, aquela caixa era minha última esperança, tinha que ter algo ali.
 E tinha! Sorri ao ver um pequeno urso, o peguei delicadamente e sorri, era tão familiar e ao mesmo tempo, tão estranho. E foi ai que percebi 
- É o mesmo urso do meu sonho - meu sorriso não sumiu ao olhar para aquela urso
 O abracei fortemente sentindo um cheiro doce e bom, me trouxe conforto, era apenas um objeto? Sim, mas não parecia ser apenas isso, ele era importante e eu queria muito pode saber o que significava e o porque era tão importante. Eu apenas sentia que era, não sabia o porque, mas sentia. 
 Passei meu olhos mais uma vez pelo urso e o coloquei sobre meu colo, a caixa foi meu alvo novamente e avistei uma outra coisa, um caderno, sim um caderno que me era muito familiar, mas ao mesmo tempo estranho, assim como o urso. 

O objeto já estava em minhas mãos, e eu senti a mesma coisa que senti quando peguei o urso, eu queria tanto saber o que tudo aquilo significava, mas como esses objetos vão me dizer alguma coisa? Tá tudo muito confuso em minha mente agora. 
 Abri o caderno cautelosamente e descobri que era um diário, sim um diário, não lembro onde eu soube o que era um diário, mas isso não importa agora. 
 Tinha alguns desenhos, bastantes por sinal, de pessoas, parques, crianças e até flores, eram bonitos e me pareciam familiar. 
 Mas não havia só desenhos, ao decorrer das páginas eu vi letras, letras de músicas, composições? Será que era isso? 
 Então eu li, uma letra de uma me chamou atenção, como tudo que tinha visto dentro dessa caixa, era muito familiar, mas não estranho, era realmente muito familiar. 
 Ao terminar de ler aquela letra, lágrimas preencheram os meus olhos e eu não sabia o porque estava chorando, só estava, mas naquela hora, de algum jeito que não sei como, aquela música me fez lembrar dele: 
 O garoto do espelho, Hoseok, a pessoa que me trouxe conforto depois de tanto tempo, que me trouxe confiança. 
 Será que tudo isso aqui, tem alguma coisa haver com ele? Será? 
 E foi ai que eu vi, uma tesoura, o último objeto que se encontrava na caixa, eu a peguei com um certo receio e só consegui lambrar de uma coisa. Cenas do sonho passaram voando na minha cabeça, como um FlashBack, eu estava de cabelos curtos no sonho.
- Talvez... Isso seja algum tipo de sinal, meus cabelos curtos no sonho, e agora uma tesoura a minha frente! - Não consegui pensar em nada.
 Apenas fiz, cortei meus cabelos grandes sem ao menos olhar pelo espelho, apenas cortei, estranhamente, eu me senti leve. Sorri ao finalizar o corte, foi algo estranho, mas me trouxe confiança de alguma forma que não sei explicar. 
 Abracei o urso fortemente e aquele diário, como se fossem pessoas, como se fosse ele, Hoseok.
- Eu preciso vê-lo, ele pode me dizer o que tudo isso significa, eu preciso contar a ele. 
Coloquei novamente os objetos na caixa, e me levantei respirando fundo. Me virei, ficando de frente para aquele grande espelho, ainda que um pouco distante.
Não faz nem um dia que eu o cobri, e sinto como se fizessem anos, sinto que preciso retirar o pano. Preciso encarar Hoseok novamente, preciso que ele diga algo sobre meus cabelos ou que me ensine sobre as coisas que são desconhecidas por mim. 
Dei um passo.
 Não sei o que é essa necessidade enorme que estou sentindo, nunca me senti tão dependente de algo como me sinto de conversar com ele. 
Outro passo. 
Não sei o que ele tem, mas pensar nele me deixa arrepiada. Conversar com ele...
Mais um passo. 
Faz eu me sentir... Viva. 
Respirei fundo novamente e levantei uma das minhas mãos, segurando uma parte do pano com ela. Fechei o olhos enquanto suspirava, um arrepio percorreu todo meu corpo. 
Não sabia se era o certo a se fazer, não tinha certeza, por um momento minha coragem falhou, e eu me vi dividida.
 Retiro? Ou apenas deixo como está?
 


Notas Finais


Então pessoas, esse capítulo não foi escrito por mim, e sim pela @Min-Hayeon e pela @LyTaeyeon
Agradeço muiito a elas pois eu estava bastante travada com esse capítulo e não sabia como continuar.
Uma boa notícia é que o próximo já está sendo escrito, então tentarei posta-lo o mais rápido possível.
Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...