História My psycho,my Jerome - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Gotham
Personagens Jerome Valeska, Personagens Originais
Tags Arlequina, Gotham, Jerome Valeska
Visualizações 31
Palavras 757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Smile


Fanfic / Fanfiction My psycho,my Jerome - Capítulo 2 - Smile

Eu passei a noite inteira planejando,quem e quando eu ia matar,eu decidi que mataria as líderes de torcida,como eu era uma,eu também iria na viagem para o ginásio torcer para nossa escola,como iria demorar uma semana deu tempo de eu conseguir explosivos,foi muito difícil eu colocar os explosivos nos ônibus, mas consegui,eu falei para o motorista durante o jogo que me precisava me trocar,eu tive que seduzir o babaca um pouco,mas coloquei um explosivo em cada mochila.

Estávamos voltando para casa,tava tudo indo de acordo com o plano, estávamos perto do cruzamento do trem,a essa hora o trem irá passar e o ônibus irá parar,ou seja,momento perfeito para pular do ônibus e explodir essas vadias

Eu me agacho para colocar meus patins,com eles quando eu pulasse do ônibus eu iria mas longe e quanto mais longe eu estivesse da explosão melhor seria.Mas o motorista para e muita gente gritava,ainda estávamos a uns metros do cruzamento,eu me levanto para ver o que tá acontecendo e ele aparece,ele e seu sorriso horripilante e hipnotizante,ele me fazia mas insana,ele me deu uma vontade de matar que era quase impossível de eu resistir. 

-Olá senhoras e senhores!Eu sou Jerome Valeska e esses são meus maníacos-ele faz uma reverência teatral, ninguém se importa e todos continuam gritando,ele fica bravo e dá um tiro que não acertou em ninguém infelizmente-Aplausos!

Nesse momento todos aplaudiram, três homens sobem no ônibus com muitas algemas,eles começam a prender todas as vadias,acho que é para nós não fugirmos,o ruivo apoiado assobiando,eu fiquei hipnotizada olhando para ele enquanto as vozes gritavam para eu ir junto com ele que não escondi o botão dos explosivos,o homem que veio me prender percebe ele

-O que é isso?-Ele tentou tirar o botão da minha mão,eu dei um soco nele e peguei o botão,escondi em baixo da saia do meu uniforme.O ruivo viu e veio a nossa direção, meu coração disparou.

-O que está acontecendo?-fala com uma cara nada satisfeita

-Ela tem um botão-o homem diz apontando para mim como se fosse a explicação mais clara do mundo.O ruivo olha para mim

-E que botão é esse?-ele diz com um sorriso assustador,ele me observa e parece perceber aonde botão está,ele ponha a mão em baixo do meu uniforme,sinto um grande arrepio por todo o corpo,ele pega o botão e procura os explosivos,depois de olhar em baixo dos bancos,ele olha nas mochilas.

-Ora Ora-ele fala pegando o explosivo na mão-Parece que sua amiguinha aqui pretendia explodir vocês! Vocês deviam estar agradecidos por ser eu que vou matar vocês afinal é melhor morrer por um psicopata do que pelo seu amigo.

Ele gargalha,mas sua expressão logo muda

-Leve ela para o caminhão-ele fala para um careca,ele estranha mais obedece.

Ele me coloca da forma mais bruta no caminhão e me amarra no banco.Lá pela janela dava para ver tudo e principalmente ele,quando ele vê que eu tô olhando ele acena e manda beijo.

O careca pega a mangueira e dá para o ruivo,ele abre e joga por todo o ônibus,logo depois a polícia chega e escuto tiros,confesso que tive medo do ruivo morrer,dois dos capangas dele entram e ligam o caminhão,o ruivo sobe no caminhão no lado de fora,o careca acelera o caminhão,estava faltando um que com certeza está morto.

O caminhão para em um bairro nobre,o careca desçe para abrir espaço para mim sair do ônibus,o careca me ajuda a sair,eu fico ao lado do ruivo,ele acena para os capangas indo embora,ele segura minha mão amarrada e me leva até a porta de uma casa grande,nesse momento um medo toma conta de mim,eu achava que ele ia me estrupar,eu não gritei,por que sabia se gritasse ele ia me matar e por que queria muito sentir o corpo dele.

-Mi casa,su casa-ele diz abrindo a porta para eu entrar.

Quando entramos ele tranca a porta atrás de nós,ele vai para a sala e eu o sigo,ele tirou a blusa dele e pegou uma garrafa de whisky,ele senta no sofá e percebe eu parada na porta,ele faz um sinal com o dedo para eu chegar perto.Eu chego perto e ele desamarra minhas mãos.

-Tome banho e desça aqui-falou ele apontando para a escada -Não tente fugir,você não vai conseguir.

Eu subo às escadas e abro porta a porta até achar o banheiro, enquanto eu tomava banho lembrei do meu pai,não sei porque mas Jerome me faz me lembrar dele,os dois são igualmente psicopatas e me tratam quase da mesma forma.

Eu estava comparando meu pai com o ruivo quando escuto um tiro,eu pulo rapidamente da banheira com o corpo e o cabelo molhado,me enrolo em uma toalha e desço para ver o ruivo.





Notas Finais


Se vcs gostaram favoritem 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...