História My Question is... (Shawn Mendes) - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Visualizações 153
Palavras 1.631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 34 - Parents in law


Fanfic / Fanfiction My Question is... (Shawn Mendes) - Capítulo 34 - Parents in law

Maggie Borman

O jeep estacionou em frente a casa amarela, com um pequeno jardim na frente. Minha casa.

A viagem foi surpreendente rápida, talvez por eu ter dormido o caminho inteiro, ou por contada pouca distância. Mas de qualquer maneira, foi rápida.

Shawn abriu a porta pra mim, que saí com a bunda quadrada de tanto ficar sentada. 

demos os poucos passos até chegar na porta. Pensei em pegar minha chave e simplesmente abrir a porta, mas meio que eu não avisei minha mãe que estava a chegar,então talvez ela tenha um ataque cardíaco.

Apenas toquei a companhia, segurando a mão do canadense ao meu lado.

- Eu vou conhecer minha sogra…- Murmurou ao meu lado.

- Talvez você se assuste com a euforia dela.- Lembrei-me de quando apresentei meus outros namorados a ela.- Mas eu te juro que ela é perfeitamente normal.

- É muito tarde pra entrar dentro do carro e ir pra minha casa?- Ri com o jeito que falou.

Um “Já vai” ecoa de dentro da casa, e imediatamente reconheci a voz da minha mãe.

- Acredito que sim.- Sorri pra ele, que logo retribuiu.

Escuto a chave na porta, e logo a maçaneta gira, revelando a mulher de quarenta e dois anos com os cabelos pretos em um coque, e seu conhecido vestido de bolinhas.

-Oi mãe.- Sorri, e nesse momento me lembrei das saudades que sentia.

Amália sorriu de orelha a orelha, antes de me envolver em seus braços.

Olhei para dentro da casa, vendo que absolutamente nada estava igual. O sofá preto de couro foi substituído por um cinza de camurça, o painel de televisão de madeira escura agora era branco. As decorações pretas e brancas foram trocadas por pontos de cor.

Me perguntei se todos os cômodos tinham sofrido alterações. E se meu quarto foi afetado.

Assim que sai do abraço, minha mãe fez questão de dar uma medida daquelas em mim.

- Natari não lhe matou de fome!- Levantou as mãos como se agradecesse aos céus por isso.

- Sua filha não deixaria isso acontecer, provavelmente comeria o gesso da parede.- Shawn diz, e fico impressionada com tamanha a calúnia dita.

- Isso é mentira!- Lhe dei um cutucão com o cotovelo.

- Maggie, você comeu quase uma pizza inteira sozinha… Contra fatos não há argumentos.

- É minha filha, você é igual seu pai.- Minha mãe entra no assunto.- Mas enfim, entrem!-Minha mãe dá o espaço para nós, e fecha a porta.- Estava fazendo muffins. 

-MUFFINS!- Bati palmas e corri pra cozinha. Vendo que ela também tinha mudanças.

As pedras foram trocadas por mármore branco, e os ladrilhos agora eram pastilhas de tijolinhos brancas. Me senti como no irmãos a obra, e pensei se eles estiveram aqui, e se sim, fiquei deprimida por não poder ver aqueles irmãos maravilha.

- É por isso que ela não morreu de fome.- Riu juntamente a minha mãe.

Estão bem amiguinhos hein.

- Ah, mãe. Esse é o Shawn.- Meio tarde pra apresentações, mas fazer oque.

- Namorado dela.- Shawn completou estendendo a mão, que minha mãe usou como impulso a puxá lo para um abraço.

- Maggie do céu, ele é muito alto.- Eu sei, e é assustador.

Mas ao mesmo tempo é ótimo, se eu quiser uma estrela, é só pedir pra ele estender o braço e pegar.

Maravilhoso.

- Um poste.- Neguei com a cabeça, me sentando em uma das banquetas, do balcão americano.

- Sua filha é um gnomo.- Eu to achando uma palhaçada ele me difamar assim.

- Isso puxou o pai…- Olhou pra mim como se eu fosse a culpada daquilo.

FOI OS GENES DELES QUE NÃO DERAM CERTO.

- A teimosia veio de onde?- Shawn e minha mãe farão reuniões semanais para falar mal de mim.

- Da minha sogra.- Minha mãe revirou os olhos.

Shawn se sentou ao meu lado, e passou um braço pelo meu ombro.

- Mas a beleza veio da mãe…- É por isso que ele conquista as novinhas, porque a mãe delas gama nele.

Esse baba ovo do caralho…

Minha mãe se sentiu a própria miss beleza, ao andar até o forno e pegar a bandeja de muffins.

Vi aquele bolinho, e pensei em como sobrevivi sem aquilo por tanto tempo.

- Ainda tá meio quen…- Falou assim que dei a primeira mordida.

Sabe quando, você come algo muito quente, e coloca a mão na boca pra ficar respirando pela mesma? Eu, nesse exato momento.

Isso saiu diretamente do inferno. Ou do rabo do Shawn.

Fogo do cu dele.

O mesmo soprou o muffin antes de comer, esfregando na minha cara não ter queimado a língua.

Mas tá metido esse menino.

- Mãe, porque a casa tá diferente?- Bati os dedos no mármore.

- Rabo quente do seu pai.- Shawn gargalhou, dando umas tossidas depois.

SE ENGASGOU ÓTARIO.

- Toma.- Sou uma namorada legal, que salva vidas dos outros, entregando copos de sucos para quem vai morrer engasgado.

Shawn engole direitinho (hehe) e me dá um beijo na bochecha. É isso que eu ganho por salvar a vida dele?

O correto, seria ele me f*der nesse balcão americano, e me deixar nas cadeiras de rodas.

- E como foi a viagem?- Minha mãe se senta conosco.

- Boa…- Tentei me lembrar de algum momento incrível.- MÃE EU CONHECI UM CARA CHAMADO ROGER!

- E lá vamos nós…- Shawn brincou.

- E quem é?

- É um motorista de uber, que a Maggie quase matou todo mundo de preocupação saindo com ele.- Isso Shawn, joga as merdas na rodinha.

- Não foi bem assim…- Mendes me interrompe.

- É, foi bem pior.- Quis socar a cara dele, mas me mantive plena.

- Saiu com um estranho Maggie?- Minha mãe me lança um olhar mortal.

- É que, ninguém queria sair comigo, ai eu chamei o Roger.- E me arrependi muito depois.

- Meu Deus, você é louca.- Mora comigo há dezoito anos e só descobriu agora?

- Mas eu to viva, olha.- Cutuquei ela.

- Porém quase morreu andando de carro, porque colocou a cabeça pra fora da janela.- Não dá pra te defender assim.

- Maggie!- Amélia disse em tom repreendedor.

- There’s nothing holding me back.- Proferi simplista, dando mais uma mordida no muffin.

- Eu deveria te segurar.- Shawn disse, e naquele momento eu quis esfregar a letra que ele fez, na carinha bonitinha dele.

- Te colocaria de castigo, mas você cresceu.- Aquele olhar de mãe…

- Nem tanto assim.- Shawn murmura e minha mãe gargalha.

- Idiota…

(...)

A porta da frente é aberta, por ninguém mais ninguém menos que meu pai. Com a típica cara de cansaço, a camisa social, e a pasta preta.

Certas coisas nunca mudam.

Corri até ele, escutando meu namorado dizer “ela parece um pato correndo” e minha mãe gargalhar.

Torci pra ele se engasgar de novo.

- Pai!- Abracei o homem não muito mais alto que eu.

- Oh querida!- Exclamou entre o abraço.

Saio de seus braços,  e o arrasto próximo ao sofá, onde Shawn e minha mãe se encontravam.

- Pai esse é o…- Sou interrompida pelo movimento grotesco de Shawn que se levanta do sofá.

- Shawn Mendes, prazer.- Estende a mão, que meu pai aperta firmemente.

- Seu namorado?- Se direciona pra mim, e assenti no mesmo instante.- Não é aquele cantor?- Um sorriso se delineou no rosto de Shawn, e eu apenas assenti novamente.- Você viaja e volta namorando, se fosse eu…- Minha mãe se intervém.

- Se fosse você iria ficar pianinho porque é casado.- Disse em seu jeito marrento.

- Ela tirou as palavras da minha boca!- Disse do seu jeito brincalhão.- Não se case.- Murmura pra Shawn. E o mesmo gargalha.

Os dois se sentaram, e fiz o mesmo ao lado de Shawn.

- Se case sim. Não escute ele.- Sussurro pra Shawn, pra só ele escutar.

- É óbvio que eu vou me casar.- Me deu um selinho.- E você sabe com quem…

Fiquei vermelha, mas mesmo assim não perdi a oportunidade de:

- Camila Cabello, eu sempre soube que é real.- Dei de ombros convencida.

- Não me faça dizer…- Estávamos presos em um mundinho só nosso. Esquecendo que meus pais estavam ali.

- Dizer o'que?- Fiz a sonsa, sempre dá certo.

- Que…

- Namorem depois!- Meu pai exclamou, e dei um mini pulo do sofá.

- A gente só tava…- Shawn não concluiu a frase, pois nem ao menos ele sabia o'que estávamos fazendo.- Entendeu?- Meus pais acompanharam a risada dele.

- Jovens…

- Da juventude pra vida inteira.- Shawn disse me olhando com aquele sorriso.

Aquele sorriso que mata qualquer uma.

Sabe, aquele sorriso?

- VOCÊS SÃO PÉSSIMOS PAIS!- Olha, o demoniozinho que eu chamo de irmão chegou.

Luther estava com a roupa de treino, e completamente suado.

- Esqueceu de buscar ele?- Meu pai pergunta a minha mãe.

- A Maggie chegou antes, e eu esqueci.- Shawn e eu rimos do desespero do mais novo ao me ver.

- MINHA DEMONIAZINHA CHEGOU.- Veio correndo me abraçar.

Mesmo todo suado, eu abracei aquele adotado.

- Você tá maior que eu.- Doeu dizer essas palavras. Doeu muito.

A risada de todos doeu mais ainda, fez ferida.

- E quem é esse?- Luther é bem simpático, a gente vê.

Shawn sorriu sem mostrar os dentes, olhou pra mim. Do tipo “Me apresenta”.

- Meu namorado.- Luther torceu o rosto.

- Você desencalhou?- Bufei e Shawn gargalhou.- Queria que um ateu explicasse isso. Se não for milagre eu nem sei…- Olhei indignadíssima pra criatura ao meu lado.

- Luther!

- Vamos ao que interessa.- O adotado esfregou uma mão a outra.- Quais são suas intenções com a minha irmã?- Mas não era meu pai que tinha que perguntar isso?

- As melhores possíveis.- Vai tomar no cu Shawn.

- Planeje uma resposta melhor. Dá tempo.- Meu irmão se senta no sofá e cruza os braços.

- Que audácia.- Afrontoso, amei.

- Prometo fazer ela feliz.- A essa altura do campeonato, Shawn Já segurava a risada.

- Se você machucar o coração dela, vai sofrer consequências.- Gargalhei ao ver o mais novo estalar os dedos com a mão.

- Se o Shawn assoprar ele te quebra no meio, Luther.- Minha mãe disse e gargalhei ainda mais alto.

- Eu prometo em nome da Grifinória não machucar o coração dela.- Shawn disse já rindo.

Pessoas quebram promessas, né?


Notas Finais


ele vai quebrar o coração dela
tipo assim, ele vai estrassalhar
e depois sambar em cima
tocar na fogueira
e pegar a prima dela


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...