História My sadistic and first love. - Capítulo 2


Escrita por: e SaYuriChannye

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Red Velvet, Seventeen
Personagens Hansol "Vernon" Chwe, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Joy, Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Drama, Sadismo, Yoonmin
Visualizações 9
Palavras 1.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oláa! Este ja é o segundo capítulo e eu queria dizer algumas coisas, então antes de julgar, leia:

>>1 - Está fanfic não faz apologia com violência, porém contém e se você não gosta apenas saia <<
>>2 - Nenhum dos personagens aqui são assim nada vida real, se você não consegue diferenciar a realidade da fantasia, peço que saia <<
>>3 - Está fanfic é totalmente de minha autoria e se quiser resposta-la, fazer segunda temporada, etc... Quando eu a termina-la, converse comigo. <<

Foi isto, boa leitura e não esqueçam de ler as notas finais^^

Capítulo 2 - Min Yoongi.


Capítulo 02 - Min Yoongi.

 

(...)

[Sábado, 08:31 AM]

 

abri meu olhos levemente, notando que o sol batia nos mesmos. O som do despertador indicava que já era hora de acordar, claro que eu não queria mas precisava. Um resmungo saiu de meus lábios, enquanto levantava-me e desligava aquele aparelho infernal.

 

— Poxa, oito e trinta e cinco ainda, queria voltar a ser criança. — Ri, caminhando até o banheiro podendo enfim, fazer minhas higienes matinais.

 

— Jimin! Seu amigo está aqui. — Escutei minha tia berrar, provavelmente lá da sala.

— Já vou, tia!

 

Eu já estava aqui apenas dois dias. Minha tia havia arrumado um quarto de hóspedes para mim, não era muito confortável, porém era melhor que nada. Kim provavelmente também estava me esperando na sala, e o mesmo sabia de tudo e o porquê de eu estar aqui.

 

Após terminar de me arrumar, saí do quarto apressado, caminhando até Kim e o abraçando apertado.

 

— Olá, TaeTae! Como você está, meu bebê? — Minha tia soltou uma gargalhada e foi para cozinha, enquanto percebi que TaeHyung tinha ficado envergonhado. — Aigoo, TaeTae… Fale alguma coisa! Eu estava morrendo de saudades.

 

— Não seja exagerado, Jimin. Nós conversamos ontem mesmo. — Murmurou, retribuindo o abraço.

— Aish! Vamos logo, eu preciso espairecer um pouco. — Puxei-o para fora da casa, sorridente.

— Está bem, Jiminnie!

— Assim eu derreto, Kim. — Resmunguei ao ver sua carinha fofa.

 

A verdade era que eu sempre tive uma quedinha por ele, desde o colégio. Kim sempre foi desejado por garotas e também garotos, que tinham inveja de mim por ser o único tão próximo dele.

 

— Mas então, TaeTae, como vai as namoradinhas? — O questionei, enquanto caminhávamos em direção ao um parque.

— Eu já amo alguém, não preciso de mais ninguém.

— Oh… — Meu semblante mudou-se para triste, eu sabia que não era eu. — É uma garota?

— Não! É um menino muito bonito e que eu sou próximo desde o colégio. — O encarei confuso, então eu não era o único próximo?

— Aish, TaeHyung! Como assim? Eu não era seu único amigo? — Perguntei para o mais alto, um pouco enciumado.

— Mas você sempre foi, Jimin. — Coçou a nuca, um tanto envergonhado. Espera, eu não raciocinei ainda… Ele está falando que me ama?! Este só pode ser o melhor dia da minha vida!

— Você está falando que me ama, TaeTae? — Ditei baixinho, porém audível para o mais novo.

Ouvi um de seus suspiros, antes mesmo de dizer algo. — Sim, Jimin, eu te amo. — Arregalei meus olhos, surpreso.

 

Então ele realmente me amava? Então é recíproco? Estou tão feliz, a pessoa que eu amo me notou.

— Tae, tenho que te contar uma coisa… — Ele me encarou curioso, talvez ansioso para minha resposta. — Eu, eu também te amo! — Falei muito rápido, com medo de que tudo aquilo fosse mentira.

— O que, Jimin? você disse muito rápido.

— Eu te amo, Kim TaeHyung. — Disse sereno, notando que meu coração se encontrava acelerado de novo.

— Serio, Minnie?! — Parou de andar e colocou suas mãos em meus ombros, fazendo me parar também, abaixando seu corpo para poder encarar meus olhos.

— Sim… — Abaixei minha cabeça envergonhado, ouvindo logo uma risadinha do garoto.

— Me olhe nos olhos, Jimin… — Pediu, mas eu não fiz por estar muito envergonhado, então senti sua destra em meu queixo levantando meu rosto, calmamente. — Aigoo, nunca imaginei que iria pedir isto… Mas, posso te beijar, pequeno?

— TaeHyung… Mas é claro que pode! — Disse como se fosse óbvio, deixando um sorriso escapar. Kim se aproximou, o que automaticamente me fez fechar os olhos.

 

E como eu esperava! Seu lábios são tão macios e maravilhosos. Eu ainda não sabia se deveria aprofundar ou continuar daquela forma, pois pouco antes era bv, então apenas continuei. Me sentia tão bem e ao mesmo tempo com uma sensação estranha, como se alguém estivesse nos observando.

 

— Minnie, acho melhor começarmos com calma, ok? — Murmurou após separarmos.

— Está bem, Taetae! Então… — Observei um carrinho de sorvete e dei um pequeno grito. — Tae… Vamos tomar sorvete? — Antes mesmo que ele falasse alguma coisa, eu o puxei até o senhor de meia idade.

 

(...)

 

[Sábado, 23:08 PM]

 

Tae já havia seguido seu rumo para casa, que não era muito perto daqui. Ele insistiu em me levar para casa, mas eu disse que não tinha necessidade por ser mais perto, então pedi para que fosse logo para a sua. Suspirei antes mesmo de entrar no local, eu ainda tinha a sensação de estar sendo observado. Abri de uma vez a porta, arregalando os olhos após adentrar e sentir-me ser segurado por dois homens. Iria gritar mas um deles colocou um pano em meu nariz e acidentalmente eu acabei respirando o mesmo, que imaginei conter formol, pois em apenas alguns segundos não sentia mais meus movimentos e eu estava pesando cada vezes mais. Só pude ouvir, antes mesmo de desmaiar, alguém dizer: — Finalmente você é meu, Park Jimin.

 

(...)

 

[Domingo, 04:01 AM]

 

Senti ar faltar em meus pulmões e eu acordar eufórico, não conseguia manter a calma, puxava o ar entre os dentes seguidamente. Onde eu estava? Tentei me mexer, mas notei que estava preso e ainda pior, apenas de boxer, em um lugar bem macio por sinal, uma cama diria eu.

 

— Quem está aí? — Sentia a presença de alguém, entretanto não conseguia reconhecer quem era, uma venda também estava em meus olhos e eu já estava ficando com medo. — Me responda! Por favor… — Queria chorar, não sei o porquê, mas sentia que corria perigo.

 

— Sou eu, Jimin, seu dono. — Alguém sussurrou no pé de meu ouvido, fazendo-me arregalar os olhos com tanta proximidade.

— Como assim? Quem é você? Por que estou aqui? E o que quer comigo? — Joguei várias perguntas de uma vez, soltando uma risada, pois estava com medo e uma de minhas manias era rir nestes momentos.

— Uma pergunta de cada vez, Park Jimin! — Senti se afastar.

— Por que estou preso, cara? — O questionei ao notar o tom de voz desta pessoa; era um homem.

— Não fale assim comigo! — Um tapa foi desferido no lado direito de meu rosto, ação que fez meus olhos lacrimejarem. — Sou seu dono, putinha! E exijo respeito. — Meu corpo se estremeceu, eu apenas queria saber o por que de estar ali? A pouco estava com Tae… TaeHyung! Será que é ele? Acho que não.

TaeHyung? É você? — Tinha quase certeza de que não era ele, que foi confirmada, após levar outro tapa no rosto.

— Não me confunda com aquele garoto, putinha! Não lembra de mim mesmo? — Estava reprimindo meu choro e fungando repetidas vezes, assim começando a ouvir melhor a voz do homem. Era um pouco conhecida e nunca seria TaeHyung! TaeHyung tinha o tom de voz mais grosso, porém o homem que estava ali conseguia me intimidar com seu timbre, que não era como de Tae… Tão dócil.

— Não…

— Vou te dar uma dica, putinha.... — Aquele “apelido” estava me deixando louco, ele não tinha o direito de me chamar assim, mas eu apenas chorava feito um bebê. — Eu já fui teu amigo no colégio…

— Mas eu só me lembro de… — Meu corpo se tornou tenso ao lembrar do garoto pálido, que antes meu amigo, mas agora era apenas uma lembrança pelo simples fato dele ter me humilhado na frente de todos. — M-min… Yoongi?

— Exatamente, em carne e osso. — Deu uma risada exagerada, passando a mão em meu corpo.

— O que você quer, Yoongi?! Por que não me solta?

— Por que eu te soltaria? Para você escapar de minhas garras e correr para Kim “maldito” Taehyung? — Senti um aperto em minha coxa esquerda e logo um tapa, que me fez grunhir.

— Não o chame assim, eu o amo e peço para que você o respeite. — Outro tapa em meu rosto, que já imaginava estar vermelho. — P-pare, por favor… Isso dói, Min Yoongi.

— Está muito atrevido! Não sabe do que sou capaz se falar dele novamente. — Já estava alterado e minha garganta gritava para dizer um monte a ele.

— O que quer comigo? Depois de ter me humilhado por causa de meus sentimentos.— Soluçava repetidamente, eu sentia medo, só queria que tae estivesse ali.

— Não sei exatamente, só sinto nojo quando olho para você e Taehyung juntos. Eu estava passando meus dias em Daegu, até sentir falta de algo… Você sabe como sou ambicioso e não desisto do que quero. — Eu não podia  o enxergar e mal sabia como estava, porém imaginei que em seus lábios haviam um sorriso malicioso. — Senti saudades, minha putinha. E saiba de uma coisa… Você é meu, entendido?!

— Mas e v-você Min Yoongi? É meu? — Momentaneamente o perguntei, por mais que tentasse, eu ainda tinha um pequeno sentimento por ele.

— É claro, que não Jimin! Se toca e ponha-se em seu devido lugar, você é meu. Porém não sou seu, sou do mundo!

— Pare de dizer que sou seu! Eu não sou, idiota. — Retruquei. — Realmente acha que tem posse de mim?

— Quer que eu te mostre?!  — Ditou em um tom muito alto e amedrontador, que me fez encolher sobre a cama.

— Não, Yoongi…

— A propósito me chame de senhor, garoto!  — Suspirei, me entregando a toda aquela submissão, sabia que não tinha escapatória.

— N-não, senhor.

 


Notas Finais


Aaa, então foi isto. Sei que foi um pouco chato, mas prometo que no próximo será melhor.

SPOILER: Yoongi foi o primeiro amor de Jimin, e Taehyung (seu amigo/crush) o ajudou a esquecer Yoongi depois da humilhação. Porém ainda sem motivos, Yoongi voltou para Seul e justamente para falar com Jimin e faze-lo seu.

Agora é só esperar os próximos capítulos, beijinhoos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...