1. Spirit Fanfics >
  2. My Second Heartbeat >
  3. Call Me When You're Sober

História My Second Heartbeat - Capítulo 26


Escrita por:


Capítulo 26 - Call Me When You're Sober


Val me arrastou no meio da platéia até chegar do lado dos meninos. Eu fiquei sentada do lado dela, que também não estava muito feliz com todas aquelas garotas quase arrancando as camisas pra eles.

_ Bem que isso podia dar certo. - Val me cutucou. - Amy?

_ Oque foi?

_ Eu disse que isso podia dar certo. - A olhei confusa. - Eles, fazerem sucesso. - Colocou a mão na testa.

_ Ah tá. - Dei de ombros. - Bom, eles foram reconhecidos, acho que já está dando certo.

_ Eu esperei bastante por isso. - Ela olhou orgulhosa pra eles. - Ainda bem que estamos acabando a escola, assim dá pra eles caírem de cabeça nisso.

_ É mesmo. - Coloquei a mão no queixo.

_ Hey. - Ela balançou a mão na frente do meu rosto rindo. - Você está mais desligada do que o normal.

_ Ah, obrigada Valary. - Forcei um sorriso e mostrei o dedo.

_ Quanto mal humor. - Ela riu. - O Brian também gosta de você, porquê essa insegurança toda?

_ Primeiramente, ele não gosta. E você não viu ele pegando nos peitos daquela garota na frente de todo mundo?

_ Oh, então isso tudo é ciúme. - Ela disse e tampou a boca.

_ Caralho Valary! - Falei um pouco mais alto, e depois me senti um pouco culpada por gritar com ela.

_ Não tá mais aqui quem falou. - Levantou as mãos rindo.

_ Você tem algum cigarro aí?

_ É claro que não. - Ela franziu a testa. - Você geralmente é essa pessoa.

_ Tudo bem. Talvez os meninos tenham. - Me levantei.

_ Amy. - Ela segurou meu braço. - Deixa pra depois?

_ Eu queria ir lá fora, dar uma respirada. - Me puxou até eu me sentar do seu lado de novo.

_ Depois eu vou com você. Voltar aqui deve te trazer muitas lembranças né?

_ Você não imagina. - Suspirei. - É como se uma bomba tivesse caído bem na minha frente.

_ Te entendo. - Ela me abraçou de lado. - Eu te amo, ok?

_ Também te amo Val.  - Sorri pra ela, e resolvi a escutar, eu não precisava mais desses cigarros pra relaxar, eu só precisava deles.

Depois de mais algumas músicas, eles terminaram o show improvisado, e todos ali estavam comentando o quanto eles eram bons. Seria questão de tempo até alguém importante saber deles, ainda mais que eles tinham tirado fotos com muitas pessoas por ali, e tenho certeza de que vi alguns celulares gravando eles.

_ Amy, eu te amo! - Jimmy me abraçou, me tirando do chão e me rodando.

_ Se não fosse por você, a gente não teria vindo aqui. - Zacky me puxou, e me abraçou também.

_ A gente te ama, não pensa que o Jimmy gosta mais de você, tá? - Johnny disse com as sobrancelhas levantadas e eu o abracei rindo.

_ Isso é verdade. - Matt também me abraçou e eu fiquei surpresa, ele geralmente era o que menos demonstrava esse tipo de afeto comigo.

_ Cadê o Brian? - Val perguntou olhando pros lados.

_ Da última vez que eu vi ele estava beijando a terceira menina. - Johnny deu de ombros rindo.

_ Ao contrário de nós, ele realmente sabe aproveitar os 15 minutos de fama. - Jimmy coçou a cabeça.

_ Vocês podiam aprender com ele né? - Fiz sinal com as mãos pra que eles fossem, e mais uma vez restaram só eu, Val e Matt. - Eu sempre fico no meio de vocês né? - Perguntei rindo.

_ Claro que não, Amy. - Val disse

_ Nós gostamos da sua companhia. - Matt deu um sorriso meigo.

_ Mas acho que já atrapalhei vocês por muito tempo. - Mostrei os dentes como se tivesse feito algo errado e eles riram. - Vou deixar vocês a sós. - Pisquei e saí andando por ali.

Eu realmente não tinha nenhum lugar pra ir, qualquer canto que eu me enfiasse, priovavelmente veria meus amigos pegando alguém. Fui lá pra fora, e como se eu fosse vidente, vi o Brian todo enrolado com uma garota.

_ Não é que te encontrei sozinha de novo? - Josh disse no meu ouvido e eu revirei os olhos. - Pra amigos, eles te deixam bem sozinha.

_ Eu não sou uma criança que precisa de amparo, nem supervisão. - Dei de ombros.

_ Eles são loucos de te deixar sozinha por aqui, é perigoso não querer voltar mais.

_ As lembranças são muitas, mas não trocaria minha vida atual por nada. Não trocaria eles.

_ Você está tão fiel assim porquê eles tem uma banda? - Ele fez cara de impressionado. - Esse tipo de música não faz mas tanto sucesso, e você sabe disso, né?

_ O quer quer dizer? - O encarei feio. - Eu não sou uma interesseira ou algo do tipo.

_ Eu sei. - Levantou as mãos rindo. - Mas você sempre teve essa bobagem de carreira e Axl Rose, essa época já passou.

_ Pelo que eu vi aqui. - Apontei ao redor. - Eles lotaram bem mais do que nos shows do seu pai, parece que foi a época dele que passou, não é? - Ri alto. - Ah, sem contar que foi tudo em cima da hora, improvisado.

_ Pode rir. - Ele balançou a cabeça. - Sei que esse seu jeito de me diminuir é só mais uma forma de me manter por perto, e eu senti bastante falta disso.

_ Não viaja. - Franzi a testa. - Você pode estar bêbado, mas estou bem lúcida, e sóbria, principalmente.

_ Isso é uma novidade, na verdade você adorava ficar chapada enquanto me via andar de skate.

_ Por acaso agora eu prefiro surf. - Cruzei os braços olhando pro lado.

_ Eu ainda me lembro bem de quando eu estava de boné, e você o virava pra trás dizendo "você fica tão sexy de boné pra trás". - Tocou meu queixo.

_ Não me enche, garoto. - Eu ri, e ele me acompanhou. - Isso não é um reencontro, só pra constar.

_ Claro que não. - Pôs as mãos no bolso. - Só uma conversa entre amigos. - O olhei estranho. - Conhecidos. - Tombou a cabeça.

_ Conhecidos está melhor. - Sorri.

_ Você quer? - Ele tirou aquele cigarro de dentro da jaqueta e meus olhos quase saltaram do rosto.

_ Não. - Apertei os lábios.

_ Uau, não achei que fosse sério o lance de ter mudado. Bom pra você. - Ele sorriu e eu assenti com a cabeça.

_ Você devia experimentar. - Ri fraco. - O pior entorpecente que eu já usei na vida foi o amor.

_ Ponto pra mim. - Ele riu e bebeu um gole do seu copo.

_ Na verdade não. - Eu disse e ele desfez seu sorriso. - Você foi só uma ilusão, sei lá. Uma alucinação dessas merdas.

_ Você mentia melhor.

_ Não estou mentindo. - Me virei de frente pra ele, séria. - Não pense que estamos nos dando bem de novo, não pense que eu sou uma otária que ainda morre por você, e nem ouse pensar que vai acabar comigo mais uma vez.

_ Hey, oque foi Amy? - Ele riu e levantou as mãos.

_ Só queria me lembrar do quanto você é um babaca, pra que eu possa manter distância de todos da sua laia. - Fiz que ia sair mas o encarei novamente. - E nem pense em me procurar de novo, ou vou ter que pedir meus amigos pra te darem um jeito. - Ele me olhava com as sobrancelhas levantadas e um olhar surpreso, acho que pelo menos me livrei desse fardo. - Ah. - Ri fraco. - E você sabe que eu adoro usar meu soco inglês. - Pisquei e voltei lá pra dentro.

_ Aí está ela. - Brian disse assim que os encontrei.

_ A gente achou que você tinha sido consumida pela nostalgia e tinha voltado pra sua antiga casa. - Johnny disse em um único fôlego.

_ Só vocês podem se divertir por acaso? - Eu disse sorridente.

_ Você estava transando com alguém no carro? - Brian perguntou pausadamente.

_ Não. - Franzi a testa e balancei a cabeça. - Pra vocês diversão é só isso? - Eles assentiram com a cabeça rindo.

_ É só brincadeira. - Jimmy me abraçou. - Com o que você estava se divertindo então?

_ Eu acho que finalmente enterrei todo o meu passado, me sinto uma nova pessoa. - Sorri abertamente.

_ Isso merece uma comemoração! - Val gritou.

_ Johnny's? - Zacky perguntou.

_ Johnny's. - Nós dissemos juntos.

...

_ Então o lance com a Taylor acabou mesmo? - Perguntei pro Brian, assim que ele se sentou do meu lado.

_ É.. - Coçou a cabeça. - Pelo menos por hoje, mas ela não precisa saber disso, né?

_ Ridículo. - Revirei os olhos e ele riu.

_ Porquê você não está bebendo hoje? - Ele me cutucava sem parar, e isso estava me irritando.

_ Estou dirigindo, esqueceu?

_ Sinto falta de você. - Ele disse tudo enrolado.

_ É meio difícil de acreditar, você nunca me chama quando está sóbrio.

_ Que história é essa? - Ele riu. - Eu sempre estou com você.

_ Sempre está comigo quando acontece algo com a Taylor né? - Me olhou confuso. - Na verdade você está estranho comigo desde aquele dia na sua casa.

_ O dia em que você tentou me beijar?

_ Oque?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...