História My secret world - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Bambam, Bangtan Boys, Bangtanboys, Black Pink, Bts, Drama, Ficção, Got7, Hoseok, Imagine, Imagine Bts, Imagine Hoseok, Imagine Jimin, Imagine Jin, Imagine Jungkook, Imagine Namjoon, Imagine Suga, Imagine Taehyang, Imagine V, Imagine Yoongi, Jackson, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Magia, Mark, Mistério, Namjoon, Rap Monster, Romance, Suga, Taehyang, Tragedia, Vampiros, Yoongi
Visualizações 300
Palavras 1.968
Terminada Não
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeeee! ο(^_^)ο♡彡
Desculpem o atrazo, é que está chegando a feira de conhecimentos da minha escola, e eles estão pedindo uns 200 trabalhos (Nem um pouco exagerada kkkk) mas é isso...
Desculpd pelos erros T-T
Boa Leitura *-*
Beijossss!
OBS: Desculpe mais uma vez pelos paragrafos desogarnizados, o meu editor de texto ta uma bosta.

Capítulo 23 - Somos Inimigos


Fanfic / Fanfiction My secret world - Capítulo 23 - Somos Inimigos

Anteriormente…



    S/N: Porque quer tanto encontrá-los? - Lágrimas já desciam descontroladamente pelo meu rosto.

    JIN: Calma pequena.-Ele me abraça. - Quem fez isso com você vai pagar caro!

     Por mais que seu abraço me passasse segurança, ele é meu inimigo, e mesmo que isso doa, eu tenho que me afastar. Desfaço o abraço.

      S/N: Não Jin... eu quero apenas que me faça um favor, por favor!

      JIN: Pode falar.

      S/N: Não procurem a outra família.

      JIN: Por que está pedindo isso?

      S/N: Por favor! Faça o que eu peço…

      Saio de lá quase correndo, mesmo sabendo que aquele pedido possa ter entregado a minha farsa.


==================================


      Com minha mochila nas mãos e ainda chorando, procuro a saída daquela casa enorme.

      Xxxx: S/N? O que aconteceu? Porque você está chorando?

      Me viro para ver quem acabara de me chamar, e era o Taehyung.

       TAE: Me fala.

      S/N: N-não é nada… -Ele se aproxima, e com o seu polegar, limpa as minhas lágrimas.

    TAE: Se fosse nada, você não estaria chorando? -Sua expressão era séria.

   Abaixo a cabeça, e fito meus sapatos.

   S/N: Você pode me mostrar a saída?

  TAE: Posso, mas antes venha aqui. -Ele começa a andar e eu o sigo, logo abre uma porta e entra. - Pode entrar. -Eu entro no local, e era um quarto. - Tem toalhas na gaveta, tome um banho e pode vestir as minhas roupas mesmo, não tenho roupas femininas aqui. -Ele da um sorriso sem graça e sai do quarto.

 S/N: T-Tae! -Eu o chamo mas ele fecha a porta. Então, decido fazer o que ele acabara de me dizer, minhas roupas estavam manchadas de sangue, e estava horroroso. Abro uma das gavetas e pego uma toalha, em seguida entro em uma porta, e ela dava em um grande banheiro. Tiro minhas roupas, ligo o chuveiro e começo a tomar banho.

        De frente para o espelho, noto que algumas de minhas feridas não haviam regenerado, principalmente nos lugares que Jennie havia batido. ~Essa garota me paga!~

       Saio do banheiro de toalha, abro a porta do guarda roupa e procuro algo “Vestível”. As roupas de Taehyung eram enormes e ficavam folgadas em mim. Enfim, acho uma blusa, bem grande, faço umas gambiarras e ela vira um vestido, calço meu tênis e seco o meu cabelo que estava molhado, logo depois prendo o mesmo como um rabo. Guardo minhas roupas sujas na minha mochila e estendo a toalha no banheiro.

        Eu sentia um aperto no peito, e não havia um momento se quer que eu não tenha parado de pensar em minha terrível descoberta.

        Como eu queria que tudo isso fosse um sonho, ou melhor, um pesadelo, e que eu estivesse prestes a acordar, mas, infelizmente isso é a realidade, uma dolorosa realidade.

         Saio do quarto e começo a vagar pelo extenso corredor, a procura da saída, mas mais uma vez eu não acho.

         Xxxx: S/N? Eu estava te procurando.

         S/N: Ah… Oi Jimin…

         JM: Oii… Taehyung me pediu para te buscar no quarto dele, mas já está aqui. Vamos? Hoseok, Taehyung, Yoongi e Jungkook já estão lá fora, nós vamos te  pra casa.

         S/N: Ok, vamos.

         Começamos a andar, Jimin me encarava, enquanto eu andava de cabeça baixa.

         JM: O que o Jin e Namjoon fizeram pra você ein? O Tae disse que você saiu do quarto chorando.

         S/N: Eles não fizeram nada Jimin…

         JM: Pode me contar, eu não vou falar pra ninguém, eu juro!

          S/N: Obrigada Jimin… mas não. Fica tranquilo, os meninos não me fizeram nada.

          JM: Tá bom… não vou insistir.

          Saimos da casa e paramos em frente de um carro, logo entrando já que estava chovendo.

          JH: Oii meu bebê!

          S/N: Oi Hobi.

          JK, YG e TAE: Oi.

          S/N: Oi.

          JH: Porque você ta triste?

          S/N: Não tô bem hoje Hobi.

          JH: Motivo?

          S/N: Nada… só não tô bem, vamos?

          TAE: Vamos.

           Yoongi liga o carro, e logo saimos. Enquanto Jhope de Yoongi conversavam, Jungkook e Jimin jogavam Jokenpo para ver quem iria acordar o Yoongi de manhã cedo, pelo o que diziam, o mesmo só faltava matar quem o acordace.

           JK: Merda! -JungKook perde as três rodadas.- Hyung se você me bater amanhã, eu também vou te bater.

           YG: Relaxa eu não estou tão agressivo ultimamente.

           JH: Não tá não… Sei… e ontem foi o que?

           YG: O que eu fiz ontem?

           JH: Jogou o travesseiro em mim.

           YG: Isso não é agressão.

           JM: É sim.

           Enquanto, ouvia a conversa deles, eu pensava muito sobre minha vida, como vai ser daqui pra frente? Será que quando descobrirem que sou a inimiga vão me rejeitar? Ou pior, me matar? Tenho que me afastar deles… E isso pra mim, vai ser quase impossível.

            Eu fitava a janela do carro, e observava cada gota de chuva que passava diante dos meus olhos. Pelo reflexo do vidro, vi que Taehyung me olhava fixamente, e seu rosto não mostrava nenhum tipo de expressão. Me viro e olho para o mesmo que estava ao meu lado, que me dá um sorriso sem graça e olha para frente. Volto a olhar pela janela, e por mais que eu tentasse esquecer, meus pensamentos eram sempre voltados ao mesmo assunto: “Meus melhores amigos, na verdade são os meus inimigos mortais”.

             O carro para, quando percebo que já estava em frente de casa.

             Xxxx: S/N?

             S/N? An.... Ah… oi! Desculpe tô distraída.

             JH: Tô vendo… bom, chegamos, seus pais já chegaram da viagem?

            S/N: As luzes estão apagadas, acho que não.

            JH: Quer que ficamos para fazer companhia?

            S/N: Seria ótimo Hobi, mas já dei muito trabalho hoje, podem ir.

            JM: Não deu trabalho nenhum.

            S/N: Dei sim.

            YG: Você vai ficar bem aqui sozinha?

            S/N: Vou.

            YG: Então tá… vou confiar em você.

            JM: Qualquer coisa liga ok?

            S/N: Ok!

            Jimin me dá um abraço apertado, e em seguida vem Jhope e Yoongi.

            JungKook vem até mim, mas antes de me abraçar ele para.

            JK: S/N.

            S/N:...

            JK: Me desculpa por ter gritado com você na escola?

           S/N: Claro que desculpo Kook, e você? Me desculpa por ter gritado com você?

           JK: Claro que sim! -Ele me abraça forte.

           Depois vem Taehyung, que durante o trajeto entre a casa dele e a minha, não havia dito uma palavra.

        TAE: Não quer mesmo que fiquemos aqui com você?

           S/N: Tenho Tae, Obrigada!

           TAE: de nada… tchau. -Ele me abraça.

           S/N: Tchau.

           Saio do carro e corro para a área com a mochila na cabeça, já que ainda estava chovendo. Destranco a porta e entro dentro de casa, os meninos me olhavam entrar, e quando fecho a porta, ouço o som do carro sendo ligado, abro a cortina da janela, e vejo eles saindo.

            Subo as escadas e entro em meu quarto, quando meu celular toca.

            Era minha mãe.



                Ligação On.



                S/N: Alô!

                S/M: Oi filha! Como está?

                S/N: Tô bem mãe… e a senhora?

                S/M: Estou bem também! Eu liguei para avisar que eu e seu pai não voltaremos por tão cedo…

                S/N: O que?! Por que?!

                S/M: Aqui está chovendo muito e os voos foram cancelados.

                S/N: Mas onde vocês estão?

                S/M: Não vem ao caso agora filha.

                S/N: AAAHHHH!

                S/M: Oxi… Porque está tão preocupada? Achei que gostasse de ficar sozinha.

                 S/N: Eu gosto… Só é que…

                 S/M: Só é que o que? Por acaso encontrou a nossa família inimiga? -Ela ri.

                 S/N: É-é… -Um estrondo.

                 S/M: Eita! Filha! Tenho que desligar! Seu pai acabou de derrubar metade da bagagem aqui. -Volta a ri. - Tchau! Beijo!

                  S/N: B-beijo mamãe!

                  Minha mãe dava risada alta.

 

                 Ligação   Off.


            S/N: Sim mamãe! Eu encontrei a família inimiga… -Digo em voz alta para mim mesma. - E e-eles são os m-meus melhores a-amigos. -Simplesmente eu desabo em lágrimas.- Porque comigo?! Porque?! Eu nunca tive amigos! E os únicos que tenho, vão me tirar? Eu odeio ser quem sou! O-D-E-I-O! Eu me odeio mais que tudo no mundo! -Raios e trovoadas pioravam aquele maldito momento, me faziam sentir-me ainda mais sozinha. - Porque comigo? - Me jogo na cama, e afundo meu rosto no travesseiro, fazendo com que o som da minha voz e dos meus soluços saíssem abafados.- Porque eu nasci? Nasci para me sentir assim? Nasci para me sentir um lixo? Para viver só, e me iludir com amizades? Porque que eu nasci? Eu sou um desastre! O pior dos desastres! Por minha culpa, se descobrirem, haverá outra guerra… -Meus olhos estavam pesados, e aos poucos, ainda chorando muito, adormeço.

           Acordo com o som da campainha sendo tocada freneticamente, pego o meu celular e marcava 2:43 da manhã.

           Desço as escadas lentamente fazendo o mínimo de barulho, a campainha continuava a ser tocada e então, vou seguindo a passos lentos e sigilosos até a porta, e logo fico na ponta do pé para ver pelo olho mágico quem estava tocando a campainha.

            E era… o Taehyung?! O que ele está fazendo aqui? A essa hora? Não posso atendê-lo… não desse jeito, meu rosto está inchado, e ele vai perceber que eu estava chorando.

           TAE: S/N! Sei que está aí! Abre a porta!

           Ando na ponta dos pés e me abaixo atrás do braço do sofá. Ele volta a tocar a campainha.

           TAE: S/N! Ta chovendo muito! Abre a porta por favor!

          Como eu queria Tae… Como eu queria poder abrir a porta para você! Mas… não posso, eu tenho que, me afastar.

         Novamente uma lágrima solitária desce pelo meu rosto.

        TAE: E-eu sei o que está acontecendo, não tudo… mas sei… E-eu estou preocupado com você. Por favor! Aparece.

         Eu me sento no chão.

         TAE: Eu consigo te ouvir… não chore… por favor, venha até aqui.

         Eu me levanto e vou devagar até a porta.

        TAE: Você vai abrir?

                 


                 P.V.O.   S/N Off

 

                 P.V.O.    Tae On.

  


        Ouço passos lentos vindo até a porta, logo, o som da chave sendo girada é ouvida e em seguida a porta se abre, revelando S/N.

        Ela estava com olhos inchados, e suas bochechas molhadas pelas lágrimas que ainda desciam. Com um impulso ela me abraça e obviamente eu retribuo, ela chorava muito.

        Depois de um curto tempo assim, ela me solta, e sem dizer uma palavra, me puxa para dentro da casa.

        S/N: Obrigada Tae… Eu estava precisando de você.

        TAE: De nada… Por favor, me conte porque está assim.

        S/N: D-desculpe, eu n-não posso falar…

        TAE: Não pode ou não quer?

         S/N: E-eu… -Eu a interrompo.

        TAE: Confia em mim.

         S/N: Ah… Tae… -Suspira- Tá bom… senta aqui. -Ela vai para um sofá, e eu vou atrás dela e me sento.

        TAE: Pronto. -Estava-mos frente a frente.

        S/N: Por onde devo começar…

        TAE: Por onde achar melhor.

        S/N: Ha… ta bom. -Ela abaixa a cabeça e enquanto fala, brinca com os dedos.- Eu… sei que você… é um vampiro Tae… e…-Eu a interrompo.

         TAE: Você tem medo de mim? Por isso quer se afastar?

         S/N: E-eu? Não Tae… O problema não é esse. Espera… como sabe que eu queria me afastar?

         TAE: E-eu tenho telepatia… ou… leio mentes…

          S/N: Então já sabe de tudo…?

          TAE: Não! Eu… não sei usar isso direito… só consegui ver isso… continuando… qual o problema?

          S/N: O problema é que… eu também sou uma…

          TAE: Espera ai! Você é transformada? Quem te transformou? Um dos meninos?

           S/N: Não Tae… Eu não sou transformada… Eu nasci assim, assim como você.

           TAE: O que?! Isso não é possível, só existiam duas famílias, e você não é minha parente, pelo o que eu sei, e na guerra a minha que venceu, e mataram todos da outra.

            S/N: Não… isso não é verdade… A minha família está viva, ou melhor, boa parte dela. -Ela voltou a chorar.

             TAE: Então, isso quer dizer que…

           S/N: Sim Tae, nós somos inimigos.

             NÃO PODE SER… EU ME RECUSO A ACREDITAR!      


Continua....

        

Notas Finais


Tam tam taaaaaaaaaaan (musica dramatica.) e ai? O que acharam? Será que a S/N vai contar também para os outros?
Beijoooooos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...