História My Sexology Teacher - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Aluna, Desejos, Gabriel Aubry, Gregg Sulkin, Kaya Scodelario, Professor, Romance Proibido
Visualizações 226
Palavras 2.783
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente postando tarde sexta à noite tão vendo como sou boa? kkk... vcs devem estar estranhando a imagem do capítulo, esse é o novo personagem BRIAN espero q gostem e boa leitura

Capítulo 9 - Odeio bananas por culpa do meu professor


Fanfic / Fanfiction My Sexology Teacher - Capítulo 9 - Odeio bananas por culpa do meu professor

Ah, como amo as quartas-feiras, são um dos melhores dias da semana. O dia hoje estava lindo, o sol um pouco forte entrava pelas janelas da casa o que era estranho, primeiro por que estamos falando de Vancouver e segundo por que são apenas seis da manhã. Meu sorriso não podia estar maior, como era bom ter a casa só pra mim, poder andar por ai completamente nua, fazer o que quiser. Tinha coisa melhor? Acho que não.

Hoje levantei-me mais cedo que o normal, talvez pelo fato de eu não ter dormido direito à noite, mas eu não estava com sono o que era estranho.

Sai da cama apenas de calcinha e uma regata branca, sorridente e saltitante, desci as escadas correndo e cantando uma música qualquer. Abri a geladeira e dei uma olhada, parecia que tinha um buraco da camada de ozônio no meu estômago. Peguei dois ovos, presunto, queijo e tudo que era necessário para fazer um omelete. Deixei o fogão se encaminhar do resto e fui fazer meu suco predileto, morangos.

Depois de tomar meu café da manhã, lavei a louça e subi até meu quarto correndo. Meu pai me enchia o saco toda vez que me via correndo pela casa, mas quem se importa.

Tomei um banho quente e rápido. Eu estava à dez minutos em frente ao closet tentando escolher uma boa roupa, afinal hoje tinha aula do James. Droga eu precisava tanto de Lizzie nessas horas.

Optei por um short jeans claro e uma blusa branca de mangas compridas que caiam no ombro, soltei meus cabelos passei uma maquiagem leve. Coloquei meu All Star, peguei meu óculos por que não queria colocar as lentes, minha mochila e sai trancando a porta de casa.

- Seus pais viajaram, mas eu estou de olho em você mocinha! – a velha fofoqueira do bairro gritou.

- Eu sei que está senhora Johnson. – gritei de volta e fui para o ponto de ônibus.

A chegada na escola foi rápida, como a cidade era um ovo você chegava em qualquer lugar sem demora alguma. No estacionamento já estava lotado, mas não só de carros, mas de pessoas também. Uns desciam de seus carros, os meninos do time estavam em uma brincadeira boba jogando a bola um pro outro, as líderes de torcida como sempre muito vulgares se maquiando e falando o quando o pênis de algum garoto era grande.

Olhei em volta e não vi o carro de Lizzie, é talvez ela não viria hoje mesmo. Era sempre ruim ficar sem sua melhor amiga no colégio, você se sente como se não se encaixasse no meio de tantas pessoas. Olhei mais uma vez a minha volta e vi o volvo do meu professor ali muito bem estacionado, como sempre muito pontual.

Sai andando pelo estacionamento, pegando meu celular da bolsa e enviando uma mensagem para Lizzie. Como essa vacaranha ousa á me deixar na esperança me fazendo achar que vinha. Foi tudo tão rápido que quando notei estava no chão xingando até a quinta geração do ser que esbarrou em mim e me fez cair ralando meu joelho e cotovelo.

- Maldição, não olha por onde anda imbecil, você é cego ou.... – parei de falar quando levantei o olhar pra ver quem me derrubou, dei de cara com um menino que nunca tinha visto em toda vida.

- Me desculpe moça, perdão, pelo amor de deus você está bem? Vem deixa eu te ajudar. – ele me ajudou a levantar foi ai que pude ver o quanto realmente lindo ele é. Seus olhos eram castanhos assim como os cabelos que estavam meio que penteados de lado mas não deu muito certo pois estava um pouco bagunçado mas parecia ser natural, a boca... Puta que pariu, a boca dele era vermelhinha e generosamente carnuda.

O desconhecido me olhava com uma notável preocupação. Ele usava uma calça cinza, camisa rosa e um casaco também cinza, o mesmo usava óculos de grau assim como eu.

- Brian, eu já peguei o seu... Oh meu deus, Lílian. – olhei pra trás do garoto e Lizzie veio correndo até mim. – O que aconteceu com você? – ela olhava entre mim e ele.

- Lizzie eu esbarrei nela sem querer, mas acho que ela não está bem, onde fica a enfermagem? – me afastei quando vi que o mesmo queria me pegar no colo.

- Eu... Eu estou bem – fiz uma careta sentindo o ardor no meu joelho. – Quer dizer... Foram só alguns arranhões.

- Mais uma vez me desculpe, eu sou desastrado mesmo, perdão. – disse ajustando os óculos.

- Vejo que já se conheceram. – disse Lizzie sorrindo.

- É… espera, esse é o seu irmão? – olhei mais uma vez para o garoto, ele mal se parecia com Lizzie.

- Sim Lílian, esse é Brian, e Brian essa é Lílian, minha melhor amiga – ela disse, o garoto deu um sorriso desconcertado e percebi que ele tinha covinhas adoráveis.

- Prazer em conhecer Lílian, mais uma vez perdão eu... Não tenho a coordenação motora muito boa.

- O prazer é todo meu, não tem com o que se preocupar, eu também sou bem desastrada. – sorri sem jeito. Passamos uns minutos nos encarando, e mais uma vez pude admirar o quanto ele era bonito.

- Não querendo cortar o clima, vamos atrás da sua sala Brian? – perguntou sorrindo, Lizzie sempre tão inconveniente. Olhei para meus pés, corando violentamente.

Andamos na escola quase toda, Lizzie como sempre não parava de falar um minuto fazendo seu irmão rir um pouco, ele parecia ser carinhoso pois a abraçava quase o tempo todo.

Ela o mostrava cada canto da escola, até os mais desnecessários como esconderijos debaixo das escadas, salas que estavam em manutenção, corredores que eram vazios. Ele não falava nada, apenas ria das idiotices que a irmã dizia.

Depois do acontecimento mais cedo não nos falamos mais, até por que Lizzie parecia uma matraca. Eu contava os minutos pro sino tocar logo para irmos para nossas salas, pois minha primeira aula seria com ele…

- Legal termos a mesma aula agora. – Brian comenta comigo, enquanto já estávamos bem próximos da sala de aula.

- É. – foi o que eu disse, entrando na sala e sendo acompanhada por ele.

Parei por uns segundos no meio da sala olhando meu professor que já estava de pé explicando alguma coisa. Seu olhar foi de mim para Brian, ele arqueou uma sobrancelha e ficou sério.

- Está atrasada senhorita Forks.

- Desculpe professor, a culpa foi minha. Lílian estava me mostrando a escola – Brian disse se pondo ao meu lado. James ficou de frente pra nós com os braços cruzados, e Deus que braços. Percebi ele travar a mandíbula e me encarar furioso.

- Oh ela estava. – falou sínico olhando diretamente para mim. – Me desculpem então, vá se sentar, e você rapaz como se chama? – fui me sentar calada e um tanto desnorteada, um sorriso quase que incontrolável surgiu em meus lábios. Ele estava com ciúmes.

- Brian Parker. – disse ajustando os óculos.

- Sou James Coleman, o professor de sexologia, sinta-se à vontade e sente-se. – mesmo tentando disfarçar, vi o ódio em seu olhar e aquilo o deixou muito sexy.

Ele prosseguiu com a aula, mas não prestei atenção, eu apenas o admirava. Ele estava tão atraente naquela calça jeans preta colada e aquela camisa xadrez vermelha, também colada com as mangas arregaçadas e os três primeiros botões abertos revelando o caminho da perdição, os cabelos molhados e...

- Não sabia que tínhamos aula de sexologia. – Brian sussurrou pra sí mesmo mas pude ouvir, percebendo que ele estava sentado do meu lado.

- Você vai gostar. – dei de ombros, olhei pro outro lado e vi Sara comendo Brian com os olhos. – Vejo que já está cheio de fãs Brian.

- O que?

- Sara, a morena ali do lado, ela não para de olhar pra você. – ele revirou os olhos dando de ombros.

- Odeio esse tipo de mulher – bufou.

- Você é gay? 

- Não. – ele quase gritou arrancando uma gargalhada minha.

- Não tem nada de errado em ser gay.

- Eu sei disso, mas… eu não sou, ok? – ajustou os óculos. – Fui praticamente criado pela minha avó e ela me ensinou muitos princípios, como tratar uma mulher e como escolher a certa. Sabe acho que nada acontece por acaso, acho que não vim para cá por nada, amor de verdade pra mim é aquele que acontece do nada, quando menos se espera, você se vê apaixonado pela pessoa que você menos esperava. Não gosto de sair com várias pra escolher uma, sou mais uma cara de ficar na minha.

- Ok, se você diz que não é gay quem sou eu pra descordar. – ele riu, mostrando mais uma vez suas lindas covinhas, ri também.

- Não gostaria de compartilhar com a sala o motivo de tanta conversa e risos senhorita Forks, ou você, senhor Parker? – parei de rir quando ouvi a voz alta de James.

- Desculpe-nos professor. – Brian se desculpou por mim. James deu de ombros e voltou a explicar a matéria.

- Desculpe te fazer passar por isso no seu primeiro dia. 

- Tudo bem, não se preocupe. – ele sorriu e acompanhei. Fiz uma careta quando meu joelho bateu na mesa.

- Maldição – guinchei.

- O que houve? Se machucou? – ele perguntou preocupado.

- Sim. – me contorci de dor na cadeira.

- Espera, vou ver se posso te ajudar. – ele levou suas mãos até debaixo da mesa indo até meu joelho, fazendo movimentos circulares. Gemi. – Está melhorando? 

- JÁ CHEGA – me assustei quando James de repente havia gritado, chamando a atenção de toda a turma. Só vi que minha perna estava em cima das de Brian quando o olhar de James queimou ali. Tratei de as tirar prontamente. – Vejo que estavam prestando atenção na minha aula. – disse irônico. 

- Me descul...

- Lílian venha aqui, preciso de um voluntario. – James cortou Brian imediatamente.

- Ela está machucada – os olhos de James foram de mim pra ele.

- Oh é mesmo? Quer vir no lugar dela?

- Eu posso ir...

- Pode deixar Brian – dei de ombros, não devia ser algo assim tão grave. Levantei-me com ajuda de Brian que se levantou puxando minha cadeira, fazendo James revirar os olhos.

Olhei para a mesa de meu professor e lá tinha uma banana. Dei de ombros e parei ao seu lado, de frente para toda a turma. Oh deus, isso era constrangedor.

- Como eu estava dizendo, o preservativo é super importante na relação, tanto previne doenças sexualmente transmissíveis como também previne gravidez indesejadas, então se você garota não querer ser mamãe tão cedo, e você rapaz não querer ser pai, é importante usarem e saberem usar. – ele deu uma pausa indo até sua mesa, pegando a banana e mexendo em algo em sua mochila. – Se não for colocado direito, pode ocorreu vazamento e o preservativo pode estourar. Agora, a minha assistente irá me ajudar.

Ele me olhou com um sorriso travesso nos lábios e meus olhos se arregalaram quando ele me entregou o pacote prateado de camisinha.

Oh não, ele não faria isso, faria? Olhei mais uma vez pra todos na sala. Os meninos seguravam o riso, já as meninas olhavam com curiosidade. Brian tinha os olhos arregalados assim como eu. Olhei mais uma vez para James que segurava a banana, ele a colocou na minha frente e tremi.

- Vou dar as coordenas, é bom que prestem atenção e nada de gracinhas. – James disse olhando seriamente para a turma. – Vamos Forks, abra o pacote. – seus olhos verdes brilhavam em divertimento. Ah, eu o mataria depois.

Olhei mais uma vez o pacote á minha frente e tremi. Aquilo era constrangedor.

Eu iria acabar logo com isso, mas James iria se ver comigo. Tentava abrir o pacote, mas estava difícil. Eu era uma verdadeira anta quando o assunto era abrir embalagens.

- Se na transa você demorar isso tudo pra abrir esse pacote, o cara vai broxar na hora, Forks. – Luke disse fazendo todos rirem, até o desgraçado do James.

Quando abri o pacote, minhas mãos pareciam não obedecer-me, pois tremiam incontrolavelmente. Respirei fundo, estava prestes á colocar logo essa porcaria de qualquer jeito na banana, quando James me parou.

- Assim não Forks, segure a ponta do preservativo e deslize devagar. – James sussurrou, com seu famoso sorriso de lado. Arqueei a sobrancelha o encarando. Eu odeio bananas e isso por culpa de James, aquele maldito.

Suspirei fazendo o que ele mandou, segurei a ponta da camisinha a deslizando lentamente por toda banana, mas não sem fazer todo o procedimento olhando para James, que mordeu o lábio inferior.

- Muito bom Forks, volte ao seu lugar. - ele disse e fui até minha cadeira sentando ali, a vergonha ainda estava presente em mim. James ainda falava, mas não prestei atenção. Brian me encarava um pouco assustado.

- O que foi? Você deveria me agradecer de ter ido no seu lugar. - ele riu.

- Oh é, muito obrigado.

- Mais uma vez ouçam, sexo sem camisinha é como mágica, aparece um bebê e some o pai. Por isso camisinha sempre, e divirtam-se. – só percebi que a aula tinha acabado quando todos já estavam indo embora.

- Quer ajuda? – Brian ofereceu.

- Não precisa, já estou melhor. – falei e ele deu um sorriso gigante, suas covinhas o deixavam mais adoráveis.

- Quero falar com você a sós Forks. – James estava sério vendo minha cena com Brian.

- Te espero no refeitório Lílian.– ele acenou saindo da sala, James foi até a porta e a fechou.

- Qual é a desse veadinho? – James perguntou, cruzando os braços sobre o peito. 

- Ele não é viadinho.

- Ele tem um jeitinho de um, não gostei nenhum pouco de saber que vocês anda por ai na escola com um garoto e que você anda mostrando o colégio pra ele, e o que aquele idiota tanto dizia que te fazia rir tanto? – sorri. Sim, ele estava com ciúmes, bom na verdade ele estava era ficando louco, não tinha porque ele sentir ciúmes do irmão de Lizzie.

- Você está exagerando! Brian é só um amigo. – falei.

- O que diabos foi isso em você? – perguntou ele se referindo ao meu joelho, que realmente estava feio.

- Sabe, Brian e eu não tivemos um encontro muito agradável. – James revirou os olhos.

- Lílian pare de falar nesse garoto. 

- Mas foi você quem começou à falar dele. – sorri com ironia e ele bufou.

- Que seja, mas voltando ao assunto, está doendo? – perguntou, avaliando meu joelho com preocupação.

- Só um pouco, mas Brian disse que... – parei quando vi seu rosto tomar uma feição de fúria.

- Será que dá pra parar de falar desse idiota, que inferno. – ele esbravejou, ficando de costas pra mim, me dando uma ótima visão daquele traseiro gostoso.

- Desculpe professor, por ser uma aluna desobediente.

- Sim, você merece ser castigada Forks. – James se virou e se aproximou de mim de novo, me fazendo andar para trás e dar de costas na parede.

Ele me prensou ali e fui ao paraíso quando senti sua língua em contato com a minha. Gemi quando sua mão grande veio até minha coxa apertando e dando leves arranhões, automaticamente minha pernas ficaram em volta de sua cintura.

James me prensou mais na parede, senti seu pau completamente duro em contato com minha vagina que nesse momento estava encharcada. Suas mãos foram para minha cintura, apertando ali.

- Inferno, viu o que você faz comigo? Lílian eu não tenho controle perto de você. – James me soltou, agora dando muito beijos em meu rosto. Sorri com essa caricia.

- E nem eu. – mordi o lábio, sorrindo como uma verdadeira apaixonada. – Eu te adoro muito.

- Não mais do que eu. – disse beijando minha testa. Ele não estava mais com nenhum resquício de mau humor como estava antes. – O que acha de um cinema hoje mais tarde? – perguntou colocando uma mecha do meu cabelo atrás de minha orelha.

- Seria ótimo.

- Te pego então às oito.

- Ok. Mas agora, James, que porra foi aquela da banana? – perguntei irritada, notei que ele estava achando graça. – Você não deveria ter feito eu pagar aquele mico, te odeio seu desgraçado. – dei um tapa em seu ombro o fazendo rir.

- Odeia nada, não tem como alguém me odiar – sussurrou sorrindo convencido. Ia saindo, até que ele puxou meu braço. – Não quero você com aquele veadinho. – sorri saindo dali. Cara, só o James mesmo…

Parei no refeitório, encontrando Lizzie, Brian e Thomas em uma mesa afastada. Lizzie e Thomas só faltavam se engolir, deixando o pobre Brian lá de vela. Sorri e fui até eles.


Notas Finais


E aí gente o que acharam, Bom? Ótimo? Péssimo? Ruim? Uma merda? Comentem a opinião de todos vcs é importantíssima, bjs e até o próximo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...