1. Spirit Fanfics >
  2. My Sexy Boss >
  3. Um Lindo Dia Revoltante

História My Sexy Boss - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Um Lindo Dia Revoltante


 

Sakura Haruno

Hospital Mito Senju, 15:37

 

 

   Era um belo dia para salvar vidas, o sol brilhante, nenhuma nuvem no céu, o clima ameno e a promessa de uma grande promoção deixava a mim e minhas amigas excitadas, também não poderia ser diferente, seremos as médicas mais jovens a chefiar os departamentos cirúrgicos do hospital, as primeiras mulheres nessa posição desde a fundação do Mito Senju a quase 50 ano, hoje faríamos um marco na história desse lugar e incentivaríamos milhares de mulheres a lutarem pelos seus sonhos.

 — Estão atrasados? Será que deu algo errado? — Ino já batia o pé, estava nervosa, como todas nós alias, e ela estava certa, a reunião havia sido marcada para às 15:30 horas de hoje, e já haviam se passado sete minutos que esperávamos os velhos senis e preconceituosos do conselho administrativo do hospital.

— São só sete minutos, não vamos nos alarmar, Tsunade nos garantiu que tudo já estava acertado, os velhos devem estar remoendo a raiva em algum lugar, não vai demorar muito e nós vamos ser nomeadas as novas chefes dos departamentos mais jovens da história desse hospital e depois vamos ao bar do Nagato comemorar.— Temari disse confiante, porém eu via como apertava seu jaleco, por mais que ela não quisesse admitir a deusa da cardio também estava nervosa.

Eu, Tenten e Hinata permanecemos em silêncio, esperando o momento em que minha madrinha Tsunade entraria pela porta com os velhotes, eu sentia que tinha algo errado, eles eram tão pontuais, não se atrasariam para nada, acho que até para transar os idiotas tinham hora marcada. Algo tinha acontecido, e por mais que eu quisesse ser positiva, esse era o único pensamento rondando minha mente, e essa premonição se tornou real quando minha madrinha e os conselheiros entraram na sala, a culpa e a decepção evidentes no rosto dela e as expressões vitoriosas deles deixavam explícito o que ocorreu, não seriamos nomeadas. E pelo visto não foi só eu que percebi isso, Tenten e Temari apertavam os punhos tentando conter a raiva antes de ter a certeza, Hinata ficou com uma expressão triste, assim como eu respirei fundo tentando conter o choro da mesma forma que Ino, ali nosso sonho se distanciava da nossa realidade, era uma certeza massacrante que eu sabia que elas sentiam do mesmo modo que eu.

— Então meninas ... eu e os integrantes do conselho tivemos uma reunião de última hora e ...— Ela parou de falar, seus olhos marejados nos indicava o que vinha a seguir, a decepção depois da alegre expectativa.

— Nos reunimos e decidimos que vocês não estão aptas a comandarem departamentos tão importantes para o Hospital, ainda são muito jovens e frágeis, já temos médicos adequados para ocupar os cargos, homens profissionais e muito reconhecidos, podem voltar ao trabalho.— Um dos mais velhos, Hiruzen Sarutobi, se pronunciou, em seu rosto um sorriso debochado estava estampado.

Suas palavras ficaram repetindo na minha cabeça: "Médicos adequados ... homens profissionais e muito reconhecidos." me deixando em choque por um momento. Temari, Tenten e Ino estavam revoltadas, seus gritos de fúria eram ouvidos pelos homens que fingiam não escutar e por Tsunade que chorava calada, Hinata estava como ela, chorando calada e decepcionada. Parecia que o lindo dia ensolarado em que acordamos, aguardando a realização de nossos sonhos infantis, havia se tornado um pesadelo chuvoso, sendo a água salgada de lagrimas de dor, decepção e angustia.

—Saiam agora, antes que chame os seguranças e as façam passar vergonha na frente de todo o hospital. — Danzo Hamura gritou, e tomadas pela humilhação nos dirigimos à porta da sala de reunião.

— O seu preconceito e misoginia só mostram o quanto vocês são pequenos, espero que se afoguem em seus preconceitos arcaicos suas cobras ordinárias, e só para deixar claro, não somos homens, mas também somos médicas adequadas e muito reconhecidas. E podem esperar minha denúncia ao conselho Nacional de Medicina, denegrir e diminuir profissionais pelo gênero é inaceitável e eu vou denuncia-los sim. — Vi suas caras espantadas e o olhar de orgulho de Tsunade, e ao sair do local ainda escutámos os impropérios daqueles retrógrados desgraçados.

Andamos cabisbaixas pelo Mito Senju, e. acabamos por nos esconder no vestiário feminino, Hinata sentou-se tristonha no chão, Tenten rasgou seu jaleco, Temari xingava os idiotas do conselho, Ino andava de um lado para o outro enquanto os amaldiçoava e chorava, já eu, eu liguei o chuveiro de um dos boxes e entrei sem nem me importar com as minhas roupas, eu só queria extravasar a angustia que estava sentindo, a raiva por ser julgada incapaz por ser mulher. Então eu só fiz a única coisa que poderia fazer naquele momento, eu gritei minha dor enquanto me abaixava e sentava no azulejo frio, deixando minhas lagrimas serem levadas ao ralo junto com a água.

Não sei quanto tempo passou, só voltei a mim quando Tsunade desligou o chuveiro e me abraçou.

— Eu sinto muito querida, me perdoe.— Ela também chorava, acho que sentia culpa, ela havia nos garantido uma promoção e recebemos uma punhalada nas costas, mas eu sabia que a culpa não era dela e esperava que as meninas pensassem como eu, ser a única mulher entre homens machistas devia ser um infernos.

— Não foi...— Um soluço estrangulado me escapou. — Sua culpa.

— Não, foram aqueles velhos filhos da puta. — Temari exclamou rouca, sendo apoiada por Tenten que assentiu.

— Sinto como se estivesse em um pesadelo. — As palavras de Hinata me fizeram chorar ainda mais, porque era assim que eu me sentia, como se meus sonhos tivessem sido destruídos e um pesadelo horrível tivesse iniciado. Ino só fungava e olhava para a parede tristonha.

— Independente do que aqueles idiotas falaram quero que saibam que vocês são maravilhosas, são mulheres lindas e profissionais muito competentes, eu tenho certeza que não há ninguém mais preparado, homem ou mulher, para ocuparem os cargos do que vocês. E eu quero que vocês façam a denúncia ao CNM contra aqueles desgraçados, mas hoje vão para casa e descansem, hoje ocorreram muitas coisas tristes e precisamos nos reerguer para enfrentar esse mundo preconceituoso.

Aquelas palavras eram a realidade doida e sofrida que muitas mulheres enfrentavam e hoje era a gente.

[...]

Chegamos em casa destruídas, o rosto inchado, os cabelos desgrenhados e cansadas emocionalmente.

— Eu vou tentar dormir e esquecer o dia de hoje. — As palavras de Hinata saíram tristes, mesmo que todas nós soubéssemos que dormir hoje seria uma tarefa no mínimo difícil.

E foi o que aconteceu, eram duas horas da madrugada quando eu desci as escadas de casa encontrando Tenten sentada no sofá, não tardei a sentar ao seu lado.

— Também não conseguiu dormir?

— Acho que ninguém vai conseguir dormir hoje Pucca.

E eu estava certa, logo uma a uma foi chegando e se sentando no sofá.

— Não consigo dormir, eu fecho os olhos e ouço eles nos chamando de incompetente. — Disse Hinata com a voz embargada.

— A gente também, pode ter certeza. — Explanou Temari.

— Eu não entendo, eles já haviam aceitado, porque voltaram atrás agora? Porque nos humilharam dessa forma? — Ino perguntou e eu lhe respondi:

— Eles não aceitaram Ino, a madrinha Tsunade lhes informou que como as melhores médicas do hospital nós iriamos assumir a responsabilidades pelos departamentos, eles provavelmente procuraram outros médicos e lhes ofereceram a promoção, se não aceitaram foi por nós ou por algum outro motivo.

— Como assim? — Hinata se fez ouvir

— Antes de Tsunade ser escolhida como chefe da cirurgia, o cargo foi oferecido ao Dr. Jiraya três vezes e ele negou, depois foi oferecido a Kakashi e ao Gai que também negaram, o conselho só a aceitou depois que o Dr. Jiraya indicou o problema ao Hashirama. E mesmo assim ela é voto vencido, ela está sozinha contra 10 velhos idiotas e quatro homens omissos.

— É isso! Ela pode pedir ao Sr. Hashirama que nos promova, os velhotes não teriam como negar. — Pela primeira vez desde o ocorrido da tarde Ino deu um sorriso e, infelizmente, seria eu a lhe tirar a esperança.

— Ele não vai ajudar Ino, saiu de féria com a esposa, deixou ordens claras que o conselho tem plenos poderes sobre o hospital. Além de que ninguém sabe onde eles estão.

Vi a face da loira entristecer novamente e isso me partiu o coração. Eram minha família, e vê-las sofrer doía em mim.

— Mas e se os médicos novos não quiserem ser chefes de departamento como o Dr. Jiraya não quis? Talvez ainda possamos ser promovidas. — A inocência de Hina nos acalentou um pouco naquele momento.

— A diferença meu anjo, é que o Jiraya sempre foi louco pela Tsu, ele nunca aceitaria o cargo às custas do sofrimento dela, porque ele sempre soube que ser chefe da cirurgia era o sonho dela, esses caras nem nos conhece, porque eles abririam mão de uma oportunidade de ouro como essa?  Não tem jeito gente, amanhã eu vou a sede do CNM e vou denunciar o conselho do hospital e procurar um novo emprego porque com certeza eu serei demitida.

— Estaremos com você. Passamos pela mesma situação, garanto que cinco denuncias não ficarão impunes não é mesmo? — Apesar da fala, Temari ainda tinha um pouco de dúvida, seu tom demonstrava isso.

— Espero que não. Mas se a denuncia não der em nada não se preocupem, eu conheço um jornalista, ele vai amar acabar com aqueles velhos escrotos e expor a incompetência do CNM.

Já amanhecia quando nos demos conta, e mais um dia chegou, só esperávamos que esse não se transformasse em um lindo dia revoltante.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...