História My Sexy Love - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Alexis Ren, Anitta, Antoine Griezmann, Cristiano Ronaldo, J Balvin, James Rodríguez, Lais Ribeiro, Marcelo Vieira, Neymar, Sara Sampaio
Personagens Alexis Ren, Anitta, Antoine Griezmann, Cristiano Ronaldo, J Balvin, James Rodríguez, Lais Ribeiro, Marcelo Vieira, Neymar, Sara Sampaio
Tags Dinheiro, Drama, Fama, Moda, Romance
Visualizações 276
Palavras 4.807
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, LGBT, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - Capítulo Trinta e Dois


Fanfic / Fanfiction My Sexy Love - Capítulo 32 - Capítulo Trinta e Dois

Madrid, España

Alexis Ren

Não acredito que fiz isso, não consigo parar de rir, olhava em volta aquele quarto sozinha, sentada na cama e lembrando da última noite, vi a porta se abrir revelando o Cristiano com uma bandeja em mãos.
- Bom dia - Ele sorriu
- Bom dia - Sorri de volta enquanto ele se sentava do meu lado colocando a bandeja sobre a cama
- Trouxe para você - Se arrumou na cama
- Obrigada - O encarei e ri - Eu sou louca
- É, você é mesmo - Deu risada junto comigo - Dormiu bem?
- Tirando esse vestido desconfortável, sim - Dei um gole do chá
- Se eu soubesse tinha tirado - Ele piscou sorrindo
- É, você devia ter o tirado - Agora ele ficou sério - Como adivinhou? Eu adoro chá
- Não adivinhei, só pedi para que fizessem - Bebi outra vez - Me desculpe por ontem
- É, me desculpe também - Mordi uma torrada mas logo em seguida desisti - Acho que meu estômago não aceita comida no momento, talvez só líquido me ajude a hidratar
- Então tudo bem - Ele tirou a bandeja a colocando na cômoda ao lado e se sentando em minha frente outra vez - Você ficou com ciúmes
- Não fiquei nada - Ele fez que sim - Eu salvei sua vida daquelas prostitutas, me agradeça
- Ah tá, então obrigado - Continuou a me encarar - Estou feliz que veio até aqui
- Talvez eu também esteja - Continuava a beber o chá - Viu as fotos de ontem não é?!
- As coisas na mídia saem na hora, difícil não ver - Deu de ombros
- Eu não fui com ele, ele só estava la - Coloquei a caneca também em cima da cômoda
- Eu não fiquei com elas ontem - Apertei os olhos - As trouxe pra cá, mas nem se quisesse iria conseguir dar pelo menos um beijo em uma delas, e também acho que elas são lésbicas - Enrortei a boca e não disse nada - Hoje eu tenho um compromisso, e gostaria que fosse comigo
- Que tipo de compromisso? - Mordi a boca por dentro
- Um evento de gala, vai comigo - Fiz que sim
- Tudo bem, posso ir com você - Ele sorriu - Mas não posso ficar até tarde, meu vôo é amanhã cedo
- Tá bom - Continuou a me olhar em silêncio, e isso me deixava um pouco constrangida
- Então, preciso ir, preciso de roupas e isso - Apontei para o vestido - Está começando seriamente a me incomodar
- Pode ficar sem - Se levantou da cama
- Você não aproveitou ontem, então perdeu sua chance - Sorri me levantando também e ele soltou um ar de derrota - Mas é sério, preciso ir
- Posso te levar até lá - Fiz que não - Sim, eu te levo até lá, eu insisto
- Então pode ser agora? Preciso muito de um banho e das minhas roupas - Ele sorriu e disse que ia apenas se trocar, quando descemos a casa ainda estava vazia, ainda bem porque minha cara com certeza esta horrível, rápido fomos até o carro e não demorou muito para chegarmos ao hotel - Muito obrigada, você é muito gentil
- Quer que sei lá - Desencostou do banco e olhou para mim - Talvez te espere?
- Não, eu preciso de tempo - Ele fez que sim e dei um beijo em sua bochecha - Que horas você vem?
- As 20:00 horas - Fiz que sim tirando o cinto e descendo do carro
- Obrigada mais uma vez - Entrei rápido no hotel para evitar meu horrível estado e graças a Deus o elevador ja estava la, entrei rapidinho e apertei o botão do andar - Meu Deus, preciso de outro vestido - Disse a mim mesma e tentei me lembrar se havia algo na mala, mas tenho certeza que não, já que ele disse que é de gala, não vou arriscar ir de qualquer jeito, então tomo um banho rápido, me troco e vou atrás de algo.
------------------------------------------------------------------------------
Fiquei o dia inteiro fora, acabei parando na loja da Gucci e comprei um vestido, devo dizer que foi caro, mas é lindo, é vermelho, com as costas nua e de alças, tive que fazer minha própria maquiagem, mas dei um jeito, já fiz tantas vezes sozinhas, o salto é preto mesmo, e o cabelo resolvi deixa-lo preso para valorizar a enorme abertura em minhas costas. Dei algumas voltas no espelho para ter certeza que está tudo certo, e parecia estar, me sentei na cama respirando fundo
- É, é o Cristiano Ronaldo - Olhei no espelho outra vez rindo - O que está acontecendo com a minha vida? - Respirei fundo de novo e senti meu celular vibrar, é Cristiano, disse que já esta la em baixo, me cesrtifiquei no espelho outra vez e agora troquei a bolsa, ainda era de mão e pequena, mas dessa vez preta, apaguei a luz e sai pela porta, chegando ao elevador que tinha algumas pessoas que direcionaram seus olhares para mim, espero que seja porque estou bonita, não um borrão na minha cara, peguei meu celular e entrei nas mensagens, e só assim vi a mensagem de Griezmann de hoje cedo que acabara esquecendo de responder, ele perguntava o que aconteceu ontem, e aí me lembrei que o havia beijado, céus, estou ficando mesmo louca, apenas respondi um "Desculpa, me senti mau", e bloqueei o celular o guardando. O elevador abriu e andando para fora pude ver Cristiano ao lado do carro arrumando o botão da manga de sua camisa, ele nem reparou quando cheguei perto.
- Podemos ir - Ele levantou o rosto me olhando por inteira
- Você está incrivel - Sorri sem graça
- Obrigada - Ele abriu a porta do carro para que eu entrasse, e dessa vez ele estava indo de motorista, logo ele entrou pela outra porta se sentando ao meu lado
- Você está linda - Acho que dessa vez fiquei meio vermelha
- Obrigada de novo, você também está - Ele continuava a me olhar, como sempre fazia
- Que bom que está indo comigo, posso ficar te exibindo para os outros - Dei risada - Vão ficar com inveja
- Não diga isso, não vão não - Mexi o nariz
- Vão sim - Olhei para frente e depois voltei a olhar para ele - Esse colar é muito bonito, combina com você - E ai me lembrei que colocará seu presente
- É, eu ganhei, muito bonito né? - Ele fez que sim - Afinal, quando é o seu aniversário? - Apontei para ele
- Foi em fevereiro - Me senti mau comigo mesma e isso parece estar na minha cara - Não se preocupe, não estávamos tão próximos ainda
- Mesmo assim, estou meio mau por não saber isso antes - Ele sorriu
- Tudo bem, esquece - Ele ficou em silêncio, enquanto analisava algo em meu rosto - O que você está fazendo comigo Alexis? - Colocou seu polegar sobre meu labio inferior
- Eu não sei - Disse suavemente com seu polegar ainda ali
- Esses lábios - Deu uma pausa os encarando - As coisas que você poderia fazer com eles - Por um momento senti um arrepio correr por minha espinha, fechei os olhos brevemente enquanto ele movia sua mão para o meu rosto, respirei fundo e sorri nervosa abrindo os olhos, e ele recolheu sua mão a colocando no queixo - Eu não sei mais o que fazer - Mexeu a mão
- Eu também não - Disse sinceramente e ele fez que sim, o motorista avisou que havíamos chegado e logo parou o carro
- Está pronta? - Fiz que sim, então ele esperou um pouco até que decidiu descer, e deu a volta abrindo a porta esticando a mão para mim, a segurei e desci, fomos engolidos pela multidão, fiquei até tonta com tantas câmeras e pessoas, alguns seguranças nos ajudou e Cristiano apenas acenava de longe e sorria, rápido nós entramos, já que era difícil ele conseguir parar e falar com um se  todos vinham em cima, as pessoas vinham até ele, e ele apenas as cumprimentava
- É sempre assim - Ele diz e apenas mexi a cabeça
- E ai cara - Pude ver Marcelo se aproximar - Não acredito - Ele me olhou e logo me abraçou
- Ei, muito contato físico - Cristiano disse colocando os braços no meio de nós
- Quanto tempo - Concordei com ele
- E a Clarisse? - Ele olhou para o lado e me olhou de novo
- 3,2,1 - Logo ouvi sua voz conhecida
- Alexis - Ela me abraçou - Não acredito que está aqui - Me abraçou outra vez
- É né - Entortei a boca e dei de ombros
- Você em - Deu um beijo em Cristiano - Não perdeu tempo - Cristiano fez cara de quem não estava entendendo - Mas é a Alexis, ela é um doce
- Obrigada - Agradeci sem graça - Você esta linda
- Eu? Olhe só para você, está incrível - Sorri a agradecendo outra vez - E arrumou um gato em
- Olha só, eu estou aqui - Marcelo abriu os braços indignado - E ele nem é tão bonito assim - Cristiano deu risada e dois tapas nas costas do amigo
- Eu sou incrível - Marcelo fez uma careta
- Não estou nem aí pra você tá?! - Se virou para mim - Mas então, e a Manu? Deve estar enorme
- E está, vocês não tem ideia, ela é uma criança adulta  - Sorri ao me lembrar dela, e a saudade bateu - Vi fotos dos meninos, vi o Liam um bebezinho ainda
- Temos que marcar de nos encontrar, a muito tempo não nos juntamos - Clarisse me abraçava de lado
- É mesmo - Olhei para Cristiano que estava cercado de pessoas, não me importei já que deve ser o tempo todo assim - Mas e ai, como vai sua vida aqui?
- Vai muito bem - Clarisse apertou os  olhos - Está pensando em se mudar para cá também?
- Não - Dei risada - Nada disso - Senti alguém encostar em minha cintura a abraçando, me deu um frio na barriga e Cristiano me apertou para perto dele
- É, vocês fazem um belo casal, devo admitir - Marcelo mexeu no cabelo, e antes que pudesse responder o "Não, não somos um casal" Cristiano foi mais rápido
- Eu sei, obrigado - Apenas sorri sem graça - Podemos entrar agora? - Fizemos que sim e fomos acompanhados por Clarisse e Marcelo, la dentro havia muitas mesas e muitas pessoas, Cristiano está sempre falando com as pessoas e me apresentando, ele é realmente uma pessoa muito "badalada", como minha mãe diz, mas ele estava sempre por perto, sempre mantinha um contato físico, segurando minha mão, ou me abraçando de lado.
- Está tudo bem? - Sorri e disse que sim - Me desculpa, eu juro que vou te dar atenção
- Está tudo bem, não se preocupe comigo - Ele fez que sim, e logo outras pessoas apareceram, por um momento me perdi olhando todas aquelas pessoas conversando, sorri em pensar que um esporte as juntaram, que vieram de todos os lados do mundo
- Alexis, vem, vamos nos sentar - Ele me guiou até uma mesma onde nos sentamos, Marcelo estava na mesa ao lado, logo Sérgio Ramos, que conheci a alguns minutos atrás se junto à nós com sua esposa.
- Porque continuamos vindo a esses eventos do time mesmo? Eu nem sei porque eles fazem isso o tempo todo - Sérgio se sentou rindo
- Talvez porque jogamos no time otário - Bale disse da outra mesa
- Cala a boca - Sérgio revidou se virando para ele
- Não briguem crianças - Benzema estava em pé abrindo os braços tentando acalmar a situação
- De onde eles tiram a ideia de nos colocar juntos? - Cristiano desabotoou um dos botões de seu blazer, a uma mesa atrás pude ver Modrić fazendo um sinal de "Não sei" com os braços
- Eles são sem noção, eu poderia matar vocês - Talvez Sérgio fosse meio revoltado
- Fica quieto ai magrelo - Bale se sentava na mesma mesa que nós - É um prazer - Ele acenou de longe e acenei de volta sorrindo - Vai começar, como sempre, a palestra - Bale deu risada, e assim ficamos lá, acho que por uma hora, ouvindo o dono do time, diretoria, alguns patrocinadores, até o Técnico Zidane parecia cansado daquilo, já que quando falou, disse pouca coisa para acabar logo, e disse que não aguenta mais ver a cara desse time rindo, claro que eles fingiram indignação, Sérgio até reclamou e pediria demissão, é, ele é mesmo revoltado, mas depois de tudo, voltou a ser um evento normal, com música, pessoas, bebidas e comida, olhei para o lado e Cristiano me encarava
- O que? - Apertei os olhos
- Não consigo parar de te olhar, você esta linda - Passei a mão pelo pescoço
- Você ja disse isso, e obrigada outra vez - Ele mordeu os lábios
- Vou pegar alguma bebida para nós - Fiz que sim e ele se lavantou saindo
- Querida, você é muito para ele - Bale se sentou no lugar de Cristiano - Não percebe? A feiura daquele rapaz? - Comecei a rir
- Eu falei pra ela, Cristiano é uma catástrofe - Marcelo estava em pé bebendo algo
- Cristiano? - Sérgio fez som de deboche - Me façam o favor né, ele é ridículo
- Não falem assim, ele é uma graça - Coloquei a mão no peito fingindo indignação
- Graça, não beleza, tudo bem que ele é famoso, bilionário e tudo mais, mas e dai? Ele é um falso, fingido, que corre no campo e cheira a suor - Bale colocou sua taça na mesa
- Vocês também não sooam? - Eles pararam para pensar um tempo
- Enfim, queremos o seu bem - Sérgio disse convicto disso?
- A deixem em paz - Pilar, esposa de Sérgio os espantava dali
- O que está acontecendo? - Cristiano apareceu com duas taças é um champanhe
- Obrigado - Bale pegou as taças e Sérgio a garrafa, Marcelo os acompanhou, e eles sumiram na multidão
- Não ouse em deixa-la sozinha - Pilar o deu um aviso - Eles gostam de encher o saco, você sabe
- Sei - Ele olhou para o outro lado e depois voltou a mim - Vem, não posso te deixar nem por alguns segundos - Me levantei o seguindo até o bar e ele pediu outras bebidas - O que eles disseram?
- Que não devia ficar com você, que você é feio e cheira a suor - Me sentei na banqueta
- Trairas - Ele apertou os olhos - Não acredite neles, sou muito cheiroso e bonito - Fiz que sim sorrindo, depois não falamos muito, além das inúmeras pessoas que ali apareciam para dizer algo, por um breve momento enquanto ele conversava me peguei o encarando, ele tem belas sobrancelhas, e um lindo sorriso, meu Deus, estou igual a ele quando me olha. Depois aquelas pessoas saíram e ele voltou a me olhar
- Você me olha muito, por muito tempo - Dei um gole da taça
- Qual o problema? - Deu um gole também
- Não sei, fico meio sem graça - Me virei para ele que também se virava para mim
- Não fique, gosto de olhar porque você é linda - Sorri me aproximando dele
-  Tudo bem então - Ele continuou a me encarar, uma mulher, muito linda por sinal, se aproximou de nós
- Oi Cris, quanto tempo - Ela colocou a mão no ombro dele
- Oi - Ele a olhou e voltou para mim
- Como você esta, não te vejo faz tempo - O encarava
- Bem - Ele virou para o balcão sorrindo e virou para ela
- E então, você está namorando, ou sei la? - Ele deu um gole da bebi8da me olhando
- Estou - E só ai ela me encarou, não disse nada,  podia deixar passar essa - E você?
- Ah não, continuo solteira - Cristiano fez que sim, depois ela não continuou ali, saiu andando   e eu não disse nada, apenas a observei sair
- Vem, vamos dançar essa música - Me tirou de lá me levando até onde tinha algumas pessoas dançando
- É sério? - O olhei com dúvidas
- É - Colocou minhas mãos em seus ombros e segurou minha cintura me puxando para perto dele, a música era lenta, então apenas dávamos alguns passos para la e para ca - Você acha que danço bem?
- Por enquanto sim - Dei de ombros e la em  estava seus olhos em mim
- Eu quero você - Abaixei a cabeça sorrindo e voltei a encara-lo, ainda tinha algumas dúvidas sobre ele, mas algo me atraia para ele, então respondi a primeira coisa que me veio a cabeça
- Também quero você - Quer dizer, não tenho certeza se era isso que veio a minha cabeça, mas foi o que saiu pela minha boca, e o sorriso e surpresa estavam estampados em seu rosto
- Isso é bom - Ele entortou os lábios
Continuamos a dançar o resto daquela música, logo o som mudou e os rapazes trataram de nos chamar para nos juntarmos a eles, ficamos um bom tempo la, até Cristiano decidir que iríamos embora, nos despedimos bem rápido e fomos, o caminho de volta foi silencioso, a não ser pelo momento em que ele pediu para que fosse embora com ele, e aceitei, o resto foi silencioso, ao chegar na casa dele também foi silencioso, a casa estava silenciosa, ele me estendeu a mão e fomos andando até seu quarto, aproveitei o percurso e fui soltando meu cabelo, ele soltou de minha mão e tirou seu blazer ficando com sua camisa e alguns botões abertos, me encostei na parede e fiquei o observando por um tempo, que logo se virou para mim e me encarava parado, do outro lado do quarto.
- Eu... - Dei uma pausa e sorri meio nervosa olhando para parede e voltando a olha-lo, que continuava ali parado - Eu nunca mais fiz isso - Respirei fundo - Então eu fico nervosa - Sorri para ele - A última pessoa que eu beijei foi o pai da minha filha, a quase três anos atrás - Sorri nervosa outra vez, e ele veio andando até mim.

Madrid, España

Cristiano Ronaldo 

Fui até ela e sorri, a trouxe para mais perto de mim beijando sua testa
- Não precisamos fazer nada - Beijei sua bochecha - Apesar de querer muito - Beijei seu queixo - E você me deixar louco - Beijei seu ombro nu - Não precisamos fazer nada - Aproximei meu lábio dos dela, que estava com os olhos fechados e aqueles lábios vermelhos que me deixam louco, a beijei, logo ela cedeu ao beijo, coloquei a mão em sua cintura a deixando próxima, não pude deixar de beija-la com vontade, a queria, queria muito, ela quem colocou as mãos em meu peito e começou a desabotoar minha camisa enquanto ainda a beijava, tenho que dizer já estar animado, minha calça já estava ficando apertada, ela se afastou por um momento e sorriu
- Desculpa - Apertei os olhos
- Não, eu gostei - Tirou suas mãos de mim - Só estou meio tonta - Deu risada
- Tá, não vamos fazer nada, desculpa - Me afastei dela e entrei no closet, logo ela veio atrás de mim, tirei a camisa e respirei fundo
- Será que você pode? - Ela se virou de costas, pedindo para que eu abra o zíper de seu vestido, ele é bem la em baixo, já que suas costas estão a mostra
- Claro - Fui até ela e o abri - Céus Alexis, o que você tem? - Perguntei indignado com a forma que seu corpo atraia o meu, beijei seu ombro nu outra vez e pelo espelho pude ve-la fechar os olhos, coloquei minhas mãos por dentro de seu vestido, as colocando em sua barriga, as subi um pouco mais e ela não usava nada, passava minhas mãos livremente pelos seus seios, a sentia respirar fundo, voltei descendo as alças de seu vestido, que desceu até sua cintura
- Me deixe te fazer minha, me deixe te-la - Tudo o que ela fez foi soltar um "sim" baixinho, e então desci o que restava de seu vestido a virando para mim, vendo seus perfeitos seios, ela usava uma calcinha também vermelha de renda, o que me deixa excitado, a encostei próxima das prateleiras em uma parede, levantei sua perna esquerda até minha cintura tirando seu salto, e fiz o mesmo com a direita, logo voltei a beija-la, é tão gostoso sentir sua língua, sua boca quente, mau conseguia respirar, logo nossas bocas estavam todas marcadas por seu batom, direcionei meus lábios para seu pescoço enquanto minhas mãos a seguravam pela cintura firme, a escutava respirar fundo e soltar o ar com necessidade, ela colocou suas mãos em meu rosto voltando meus lábios para o seu, encostei meu pênis em sua intimidade
- Eu te quero, eu sempre te quis - Fui sincero em minhas palavras
- Então me tenha para você - Encarei seus olhos, agora estavam escuros, muito escuros de desejo, ela me quer, da mesma forma que a quero.
- Papai? - Ouvi a porta do quarto se abrir
- Droga - Alexis colocou a mão na boca segurando o riso, me soltei dela e fui até Junior que me procurava pelo quarto, fechei o closet
- Oi filho, o que foi? - Estava com meu filho de pau duro, legal
- Não consigo dormir - Me encarava com cara de dó - Pode me colocar para dormir? - Olhei para a porta do closet fechada e respirei fundo
- Claro, vamos lá - O peguei no colo e sai pelo corredor
- Isso é batom? - Ele tocou meu rosto
- Longa história filho.
------------------------------------------------------------------------------
Quando voltei ao quarto, Alexis estava deitada, sem mais marcas de batom
- Oi - Entrei fechando a porta, desta vez a trancando
- Oi - Ela sorriu - Está tudo bem?
- Sim, o Junior só não conseguia dormir, mas ja dei um jeito - Me aproximei da cama
- Então deite comigo - Fiz que sim, e por força do abto, tirei minha calça, me deitando apenas de cueca
- Acho melhor colocar um moletom - Me levantava de novo
- Não, pode ficar assim - Voltei a me deitar ao seu lado, ela estava de bruço, com as costas descobertas
- Que droga né - Ela sorriu fazendo que sim , coloquei minha mão em suas costas fazendo carinho e ela fechou os olhos
- Seu toque me excita - Fiquei surpreso por sua revelação
- É mesmo? - Ela fez que sim mordendo os lábios - Não faz isso, toda vez que morde o lábio é tão convidativo
- Então sinta-se convidado - Ela levantou a cabeça vindo até mim e beijando meu pescoço, minha mão continuava em suas costas, então aproveitei o momento para vira-la e ficar por cima dela, a encarei e ela sorriu, fiquei a observando e pensando por um tempo que eu a namorei essa noite inteira, desde quando fui busca-la, até agora, beijei sua boca e ela acariciava meu rosto.
- Acho que depois disso não vou conseguir ficar mais sem você - Disse próximo ao seu lábio e ela apenas sorriu e me beijou outra vez, fiquei muito tempo ali, apreciando sua boca gostosa, imaginando o que talvez sua língua podia fazer, beijei seu pescoço, e logo continuei descendo minha língua até seus seios os chupando, fiquei um bom tempo ali os sentindo também, queria sentir cada parte dela perfeitamente, desci por sua barriga e logo tratei de tirar sua única peça de roupa, a calcinha, a descobri por inteiro e precisei olha-la, ela colocou as mãos no rosto e se encolheu
- Não se esconda - Tirei suas mãos do rosto - Você é perfeita - Ela ficou vermelha,  o que me fez sorrir, voltei beijando sua coxa, pela parte de dentro, próximo a sua intimidade, passei minha mão por ali e ela estava bem molhada, dei toda minha atenção a aquela região, dei um pequeno beijo e foi o suficiente para senti-la tremer, passei minha língua por toda parte e senti seus dedos adentrarem meu cabelo fazendo carinho, continuei a passar a língua e a cada vez que ficava mais gostoso para ela, ela abria mais as pernas e eu afundava mais minha cabeça ali, queria ve-la, levantei um pouco os olhos e pude enxerga-la perfeitamente com os olhos fechados enquanto mordia os lábios, meu pênis dói, dói de tão duro que ele está, olhei bem sua intimidade, e que buceta linda, voltei beijando sua barriga, seus seios e sua boca
- Você é tão gostosa - A beijava sem parar, senti suas mãos descendo até meu pênis e o massagear, fechei os olhos sentindo seu toque
- Te ver assim é gostoso - Continuou a massagear e encostou seu lábio no meu - Me deixa te chupar - Logo ela abaixou minha cueca e tratou de ficar por cima de mim, por um momento nossas intimidades se encostaram e quero tanto estar dentro dela que fico louco só de pensar, ela beijou meu peito e colocou sua mão mais uma vez em meu pênis o massageando, desceu sua boca até lá e encostou sua língua nele, senti meu corpo formiga, o colocou inteiro na boca e o chupou
- Alexis - Chamei seu nome e minha voz mau saia - Eu não consigo - Ela continuou a me chupar, e não pude segurar o gozo que saiu em sua boca
- Você tem um gosto bom - Encostou sua testa na minha, e estiquei minha mão até a gaveta para pegar uma camisinha, estava bem enrolado para encontrar então ela procurou para mim
- Obrigado - Peguei de sua mão a abrindo rápido e a colocando - Eu não sei o que fazer com você, você me enlouquece - Ela estava sentada em cima de mim com o cabelo todo jogado para um lado só e mordendo os lábios
- Faça o que você quiser - Veio até meu ouvido - Eu sou toda sua - Me arrumei em baixo dela e encachei meu pênis em sua entrada, logo ela sentou fechando os olhos, sentou devagar, a beijei colocando minha mão em seus cabelos os segurando com força, fiz um pequeno empusso dentro dela que abriu a boca sem soltar nenhum som, logo ela sentava em um movimento mais rápido, não quero que isso acabe, a virei na cama ficando por cima a olhando enquanto entro e saio dela, ela esta aqui, em meus braços, eu á tenho, certeza que agora ela é minha, toda minha, posso te-la a hora que quiser. Um gemido saiu de seus lábios e meu Deus, não existe som mais gostoso que esse, coloquei meu dedo em sua boca e a mesma o mordeu enquanto me olhava, nossos olhares foram quebrados assim que ela fechou novamente os olhos, juntei mais nossos corpos e ela me abraçou
- Cris - Ela gemia em meu ouvido - Eu quero você, quero você por inteiro - Sorri beijando seu ombro, minhas estocadas ficavam mais pesadas, sentia que ia explodir dentro dela, e assim aconteceu, ela gozou junto de mim, fiquei por um tempo ali, dentro dela, enquanto sentia seu peito descer e subir rápido igual ao meu
- Eu quero você assim, muitas e muitas vezes - A virei para mim beijando sua boca e ela sorria,  tirei a camisinha de mim e me levantei para joga-la fora, voltei para me deitar com ele, e não conseguia parar de olha-la  - Você é gostosa - Sorriu sem graça
- Você também  é - Virou seu corpo para mim e a abracei
- Não pode ir mais embora, vou te querer o tempo todo, já te quero agora de novo - Mordi os lábios e ela me deu um selinho
- Quem sabe de manhã antes de eu ir embora - Juntou sua testa na minha
- Tudo bem - Ela se aconchegou
- Você cheirou meu cabelo? - Beijei seu seio
- Não - Sua resposta sempre.


Notas Finais


Finalmente o capítulo que vocês tanto esperavam!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...