1. Spirit Fanfics >
  2. My Sin - Park Jimin >
  3. O retorno.

História My Sin - Park Jimin - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Perdeom a demora. Estou trabalhando duro para finalizar outras fics. Espero que gostem deste episódio de hoje!
Boa leitura!

Capítulo 7 - O retorno.


Quase deixo o celular cair do meu ouvido. Ver Yan, ali depois de dias, abria minha mente para as teorias. Já não sentia culpa, me sentia feliz com Jimin. Como nunca fui com Yan!

Eu precisava fazer algo sem ter que ele descubra. Se Jimin diz que Yan é um ser horrendo, tenho medo que ele possa fazer algo  contra Jimin, não irei me perdoar. 

— Tudo bem? O que houve? — Yan tenta me abraçar, mas desvio fazendo o mesmo franzi a testa. — O que foi?

— Por que não me contatou? Passou longos dias fora de casa.  

— Não fique brava, amor! Estava em um pequeno vilarejo. Mas estou de volta!


Jimin disse para ter cuidado, precisava ser cautelosa ao extremo. Agora não sabia o que fazer.


— Estava com tanta saudade! — diz ele me envolvendo em um abraço. Arquejo pensando em plano B, pois irei precisar mais do que isso.


Yan foi para o banho e preparei o jantar, eu queria arrancar informações dele, da onde estava e o que estava aprontando. Diante da mesa, ele comia como um animal selvagem e eu o encarava da pior forma possível, por Jimin me dizer que ele não era o que aparentava. 


— Então onde foi fazer seu serviço? — Dou a primeira garfada no macarrão com queijo. 

— Como eu disse, em um interiorzinho longe daqui de Busan, amor. Você precisava ver o quanto a família estava necessitada! A Senhora mãe de Ella, é um amor de pessoa. — Disse com a boca cheia. 

— Ella? – Indago. — Essa Ella é casada? — Pergunto por curiosidade. 

— Oh, está com ciúmes? — Passa seus dedos em meu rosto. E a primeira reação, foi desviar. Eu não queria ser tocada por ele!

— Estou bem! Só quero saber como foi a experiência longe do vilarejo. Tudo bem para você? — questiono cínica. Aquela conversa estranha, o jeito que ele ria me passa um ódio!

— Eu te amo! Você é tudo para mim! — Ri.

Ah, claro que ele estava escondendo algo. 


Depois da janta, lavei todos os pratos e tomei um banho. Yan teria caído feito pedra na cama, ele perdeu o interesse em mim tão rápido! Estava ótimo assim. Liguei para Charlotte, eu precisava conversar com alguém sobre essa situação. 


— Nossa! — ela leva as mãos a boca, toda surpresa com a história que contei. — Quem diria, né? Para quem dizia que não dava bola para o padre… Minha amiga, está de parabéns! — ela cruza os braços rindo de soslaio.

— Veio para tirar uma com a minha cara ou me ajudar?

— Tá vai, foi mal! Então você está grávida? Mas de quem?

— Claro que de Jimin, né? Passei os últimos dias com ele… Yan estava fora em um interior aí, que não acredito que seja real. 

— Desgraçado… Olha, eu nunca gostei dele mesmo! Fico feliz pelo resultado, de coração.  — Ela me surpreende com um abraço. 

— Olha, não tenho mais ninguém para desabafar… Me sinto muito mal, Charlotte! Eu ainda não contei a Jimin, ele deve estar sabendo da volta de Yan… estou com medo.

— Eu vou te ajudar! Você precisa pegar o resultado antes. Precisamos bolar algo o quanto antes. 

— Sim. Mas tenho que ir bem cedo… 

— Já sei o que faremos! Vamos mudar o seu nome para o meu, do resultado de sangue. Você pode ligar, agora para o consultório. — Ela me dá seu celular. 

— Seu nome? — arquejo confusa. 

— Eu conheço o dono! Só faz o que estou pedindo! — assenti, discando o número do consultório, fiz tudo o que ela teria me passado. 

— Pronto. Amanhã às 7 , já pode pegar o resultado. 

— Eu ficarei encarregada de pegar ele, irei guardar comigo. Enquanto isso, você arruma tempo para contar a Jimin, e por um plano em ação para sair daqui!

— Sabe as chances de fugir? Os problemas que podem surgir? Tenho medo, medo do que o povo pode achar. 

— Você se preocupa demais com o que os outros dizem a respeito de você,___! Foge com Jimin, Yan é um idiota, cara. Os rumores eram reais, ele se pegava com as mulheres que iam até sua casa nas vésperas de festas de fim de ano! Ele te traiu primeiro. Merece alguém que te ama, tá bom? Agora que vem um anjo ao mundo! — Ela sorri boba. — Essa criança merece Jimin como pai!

— Eu agradeço muito por isso! Não sei como retribuir.

— Apenas faça o certo! Não escolha ficar aqui,  neste lugar imundo! Vocês não merecem. 

— Mas e você?

— Eu irei onde você for. Eu tenho meus contatos! — ela sorri. 

— Muito obrigada pela ajuda! Mas agora preciso ir, antes que ele acorde.

— Tudo bem, vai lá. 


Saí o mais rápido possível de volta para casa, Yan ainda dormia. Dei uma revistada em sua bolsa, e lá, encontrei um número de celular, em um papel. Disquei o mesmo, pelo meu celular com o ID oculto. 


— Alô? — Uma voz feminina profiu no outro lado da ligação. — Tem alguém aí?


Desligo o celular de imediatamente, havia algo de errado. Ele passa dias fora, nem entrou em contato, mal olha na minha cara, age normalmente, um número desconhecido, de uma mulher, em sua bolsa. Ele havia aprontado! Jimin tinha razão! Então ele não devia ser uma ameaça como o moreno citou, mas um nojento que, provavelmente, teria passado dias em um prostíbulo! 

Mal dormi aquela noite, olhei a chuva cair pela janela. Acariciei minha barriga e sim, estava mais feliz do nunca! 


Na manhã seguinte, Yan acordou cedo,  preparou café da manhã, e estava feliz da vida na cozinha. Ele era um ator mesmo! 


— Bom dia. — Disse ele sentado na cadeira. Enquanto coloco o café  da manhã na mesa, ele lia seu jornal com uma xícara de café ao lado. Estava tão desconfortável em relação a ele, eu queria sumir logo. Sumir de uma vez!


— Bom dia! As panquecas estão uma delícia. — Sorriu de soslaio. 


A quem ele queria enganar? Até quando tentaria me enganar com esse joguinho sem fim? A única coisa que quero agora, é , simplesmente, sair dessa casa. Não quero ficar mais nenhum minuto! Não, eu também não queria saber o que ele fez durante esse tempo fora. Só quero sair desse vilarejo de uma vez por todas. 


— Vamos a reunião hoje. Jimin quer todas as garotas lá, começamos um novo projeto para as mulheres que estão com ansiedades, ataque de pânico, essas coisas. 

— Mas você não tem essas coisas… Ou tem? Você está bem?

— Estou sim! Mas é importante! Ele me disse que é essencial que todas nós vão. Poderemos ajudar outras mulheres, sabe? 

— Entendo. Por isso mesmo que eu quero que vá logo! — sorriu. 

Após terminar tudo, fui voando ao encontro de Jimin, que por sorte estava sozinho. Ele me levou até atrás da casa que ele morava de fachada. 

— Você está bem?

— Estou e você?

— Melhor agora. — Ele passa sua mão sobre meus lábios. Os beijando intensamente. — Estou morrendo de saudades do teu corpo. — sua voz sussurra em minha boca — dos teus lábios, de você ditando todos os movimentos. 

— Eu também! Estou louca para te ter novamente. Mas não vim aqui para falarmos disso…

— O que houve? — sua expressão muda para mais uma seria.

— Jimin, precisamos sair da Coreia, o quanto antes!

— Yan voltou? Tão rápido?

— Sim. Preciso te dizer algo, também. — Segurei firme em seu rosto. — grávida! 


Notas Finais


O que Yan seria capaz de fazer contra esses dois?
Você precisa ser esperta para fugir antes que Yan descubra!

Até uma próxima! :*

https://www.spiritfanfiction.com/historia/scream--jeon-jungkook-18765017 novíssima, para quem ainda não leu!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...