1. Spirit Fanfics >
  2. My sin, my salvation - Destiel >
  3. Entrega

História My sin, my salvation - Destiel - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Então... apenas desculpas...
Boa leitura!
Relevem os erros plis

Capítulo 8 - Entrega


P.O.V Dean


Demorei alguns segundos pra compreender a frase, foi quando olhei em seus olhos brilhantes, que a compreensão me atingiu... oh.


Ele me queria, por inteiro...


- Cas... talvez isso não seja o que você precisa agora. - Falei.


- Mas... então, porque me falou tudo aquilo? Porque me beijou?! - Questionou transtornado. 


- Porque eu precisava falar... precisava que você soubesse. - Falei.


- Então... eu também preciso Dean, preciso de você. - Sussurrou.


- Você está se sentindo pressionado... - Fui cortado.


- Não! Eu preciso, porque eu quero... porque eu quero você Dean! - Rosnou. 


Oh Deus...


Eu não conseguia resistir... eu não queria resistir. 


O encontro das nossas bocas foi bruto, desesperado, mas muito desejado. Castiel retribuía o beijo do jeito que conseguia, desajeitado. Foi então que caiu a ficha que, não era qualquer um ali, céus... provavelmente eu fui a única pessoa que o tocou assim, o beijou. Com essa compreensão, eu desacelerei o ritmo, tornando o beijo calmo e profundo, mas capaz de Cas consegui me acompanhar. E foi o que aconteceu, ele pegou o ritmo rapidamente, e o beijo era de longe o encaixe mais perfeito, e a explosão dos sentimentos e desejos foi inexplicável. 


Ele puxou meus cabelos com força, e gemeu no meio do beijo, como na primeira vez. Sempre tão entregue. 


Nos afastamos lentamente, e ele me olhava com expectativa e receio. Sorri levemente. 


- Está tudo bem Cas, confie em mim. - Falei sincero.


- E-eu, confio Dean. - Ele hesitou um pouco, mas logo sorriu. 


Assenti e levantei do chão, o trazendo junto comigo. Ele se aconchegou em meu peito, e lentamente eu fui em direção a cama. Chegando lá, o deitei devagar ficando por cima, mas tendo o cuidado de não colocar todo o meu peso sobre ele.


- D-dean... - Gaguejava. 


- Calma, só confie em mim Cas... - Sussurrei.


E para a minha surpresa, ele que me puxou pra iniciar um novo beijo. 


- Eu já disse que confio, e você sabe que eu não minto. - Falou.


- Porra! Eu sei Cas, eu sei... - Foi apenas o que disse e voltei a beijá-lo.


E aquilo era...


Quente


Pecado


Salvação...



*****


P.O.V Castiel


Desde o momento que Dean entrou pela aquela porta, eu soube que estaria perdido. E o que mais me assustou, não foi ter essa constatação e sim saber, que eu ansiava por aquilo, por ele. 


O beijo continuava, intenso e quente... Ele se afastou um pouco e tirou sua camisa com calma, me dando tempo de desistir, se eu quisesse. Como se eu conseguisse, apenas assenti e ele sorriu em resposta, revelando seu torso nu e musculoso... corei fortemente. 


- Você é tão lindo Cas... - Ele sussurrava. 


- Dean... - Eu não sabia como responder. 


- Cas, eu posso? - Perguntou e apontou pra minha... batina. Ainda da missa que ministrei hoje... ok, não posso ir por esses pensamentos, se não desistirei. 


E eu não quero desistir.


- P-pode. - Gaguejei. 


Então ele começou a deslizar as mãos pelas minhas pernas, subindo o tecido no processo. Céus... meu corpo tremia a cada toque e sensação nova. 


Ele continuava a subir a bati... minha roupa, até chegar no meu peito e eu levantei os braços rapidamente, ficando livre daquela peça. 


- Tão... perfeito Cas. - Sussurrou. 


- V-você que é Dean. - Falei. 


A sensação dos lábios dele já era conhecida e esperada, mas era sempre surpreendente. Retribuí com mais fervor, me soltando aos poucos, puxava seus cabelos e gemia em sua boca. 

- D-dean, eu quero... você. - Corei violentamente. 


- Você me terá. - Falou firme.


Levou as mãos até sua calça e eu respirei fundo, estava mesmo acontecendo... eu estava prestes a... me entregar.


Inteiramente


Verdadeiramente


À aquele homem...


À Dean Winchester. 


Fechei os olhos por um momento, e escutei o som do zíper sendo aberto, sem consegui me conter abri os olhos e vi aquela imagem... 


Totalmente indecente...


Mas... tão certa.


Dean estava abaixando sua calça e a tirando completamente, jogando em qualquer canto. 


Ele sorriu e voltou a se deitar em cima de mim e o choque do seu corpo descoberto sobre o meu, me deixou tonto. 


- Ahh... D-dean. - Gemi.


Ele começou a friccionar sua ereção ainda coberta sobre a minha, deliciosamente. 


Apertei seus ombros com força e gemi abafado. 


- D-ean, por favor...


- Tudo ao seu tempo, anjo. - Sussurrou e beijou meu pescoço. 


Começou a distribuir beijos e chupões pelo meu pescoço, e eu gemia baixinho. Desceu os beijos para o meu peito e sem enrolação abocanhou meu mamilo, enquanto acariciava o outro. 


- Ahhh, D-ean... droga...


Eu queira tanto...


- Sem prolemas em usar palavrões agora Cas, é excitante até. - Brincou. 


E eu queria muito usar um...


Então ele voltou a chupar meu mamilo, e empurrou o quadril pra frente chocando os nossos membros, ele queria testar meu limite... e ele conseguiu.


- Porra Dean, s-sim, sim, por favor... - Um pecado a mais na lista não era nada comparado a... todo resto.


- Oh sim Cas, se solte... porra é tão sexy. - Sussurrou. 


Sorri e puxei seus cabelos, ele começou a descer os beijos, chegando a minha barriga e... ele levantou a cabeça e olhou em meus olhos. 


- S-sim, continua. - Respondi sua pergunta silenciosa.


Ele assentiu e puxou minha cueca lentamente, a deslizando pela as minhas pernas. Minha ereção saltou... dolorida.


Ele a tocou levemente e eu arqueei as costas me contorcendo na cama...


- Porra... sim, Dean... porra!


- Cas... eu vou fazer algo novo. Ok? - Me avisou. 


- O-ok Dean. - Disse receoso. 


Ele sorriu e abaixou a cabeça e afastou um pouco minhas pernas. Travei um pouco, mas... ele me tranquilizou e então ele...


- D-EAN, AHHH!!! - Gemi alto ao senti sua boca em volta de mim. 


Era um prazer tão intenso, tão avassalador, que eu puxei seus cabelos fortemente e levantei meu quadril, me afundando mais em sua boca. E foi a vez dele de gemer... com aquela voz rouca... excitante.


- Muito bem Cas, se solte... - Sussurrou e voltou a me...


Ele descia e subia a cabeça com maestria, usando a língua nos lugares certos e eu movimentava meus quadris no mesmo ritmo.


- D-dean, porra... Ahhh, eu não sei o que.... - Balbuciava em êxtase.


- Só deixe vim. - Murmurou. 


E desceu a boca sobre meu membro, tão profundamente... que ali foi meu limite. 


- DEAN!!! AHHHH...


Uma sensação de queimação e alívio se abateu sobre mim, e eu me desmanchei em seus lábios...


Ele sugou tudo e engoliu... é... estranho. 


Relaxei os músculos sobre a cama e Dean rapidamente subiu em cima de mim, nu... estava tão perdido no prazer que não vi o momento que ele ele se despiu por completo.


- Cas... eu não aguento mais, preciso senti-lo...


- E-eu também, porra, eu também... - Rosnei.


Ele levou seus dedos a minha boca e eu fiquei confuso, por um momento.


- É... sem lubrificante aqui. - Falou um pouco nervoso.


Sorri, aquilo foi novo, Dean envergonhado. 


Apenas abri a boca e chupei seus dedos, com fervor. Ele gemia e apertava meu corpo, abri mais as pernas e ele se acomodou ali, tirou seus dedos da minha boca e eu assenti levemente. 


Ele contornou minha entrada com seus dígitos e eu gemi desesperado.


- Dean, vai logo... continua... por favor... - Implorava. 


- Sim, sim Cas...


Então senti uma pressão incômoda, mas nada muito doloroso. 


Ele parou um pouco, mas logo o olhei impaciente e ele apenas sorriu e inseriu o dedo lentamente... era estranho, não ruim, mas terrivelmente bom. 


Começou a movimentá-lo e eu gemia e puxava seu cabelo com força, logo um segundo dedo se juntava ao primeiro e eu já praticamente gritava por mais.


- D-dean... merda, vai logo com isso... 


- Eu não quero... - O cortei.


- Porra, vai logo... eu não aguento mais. - Falei muito impaciente. 


- Oh Cas... eu vou te foder tanto... - Ele rosnou. 


Gemi alto e corei com o palavreado chulo.


Ele se posicionou e... sem proteção. Eu me preocupei com esse fato, mas chegamos tão longe, não poderiamos parar...


- Estou limpo Cas, eu posso te garantir. - Falou lendo toda a minha preocupação.


Eu confio nele, céus... eu confio tanto, a tal ponto de não duvidar de suas palavras, mesmo sabendo que ele poderia está mentindo.


- Eu sei, eu sei... - O puxei e beijei seu lábios profundamente, e intensamente, nossas línguas se chocavam, e saliva escorriam por nossos lábios.


Então eu senti uma dolorosa pressão lá embaixo e apertei seus ombros fortemente. Dean começou a se empurrar lentamente e eu gemi sôfrego e lágrimas caíram pelo meu rosto.


- Relaxa Cas... eu, porra...


- D-dean... - O apertava e cerrava os olhos com força, a medida que ele entrava um pouco mais, até me sentir completo.


Gemi e tentei disfarçar a dor. 


Mas ele percebeu, ele sempre percebe. 


- Ei, olha pra mim... e-eu, eu... tô apaixonado por você Cas, eu te amo... eu sei que, não é o momento mais romântico pra isso... - Se declarou.


- Eu... ainda não posso... você sabe... mas eu também gosto muito de você. - Falei sincero.


- Eu sei... - Dean falou.


E logo deu a primeira estocada, e foi aí que percebi, que não sentia mais tanta dor, ele estava me distraíndo com a declaração...


Gemi em agradecimento e ele logo aumentava os movimentos, me fazendo perder a noção de tudo. As estocadas mudaram de lentas a quase violentas, eu só sabia gemer e revirar os olhos de tanto prazer. 


- Cas... porra, céus... você é tão...


- D-ean, Ahhhh... mais forte... só mais, por favor...


- Sempre mais... - Respondeu ofegante. 


Ele segurou minhas pernas, e eu as rodiei em sua cintura, saiu quase completamente e voltou com força e rapidez. E eu fiquei tonto, com uma sensação nunca sentida. 


- DEANNN!!! O QUE... - Revirei os olhos e tremi sobre a cama.


- CARALHO... Cas, acho que achei...


Não entendi o que ele quis dizer, na verdade não entendia muita coisa no momento. 


Ele voltou a estocar naquele lugar sem parar e eu já estava gritando... chamando por ele, puxei seu rosto junto ao meu e o beijava como podia em meio aos gemidos e gritos dados.


Ele então segurou meu membro e começou a movimentar no mesmo ritmo que me estocava, e aquilo foi o meu limite. 


O apertei com força e tremi violentamente sobre a cama.


- DEANNN!!! AHHHHHH... PORRA...


Gritei e me desfiz sobre meu abdômen, e o dele e ele rosnou estrangulado. 


- CAS... PORRA, EU... AHHHHH... - Gritou e se desfez em meu interior. 


Era a consumação do nosso pecado...


Ele caiu exausto do meu lado e eu não estava nem um pouco diferente, apenas nos olhamos, e sorrimos totalmente satisfeitos e aquilo foi...


...A certeza da nossa salvação.


Notas Finais


Eu nem sei o que dizer, eu vacilei com vcs, eu tive uns problemas aí e não conseguia escrever, hoje que terminei de escrever esse cap e sei lá... nem gostei tanto assim...
Eu fiquei muito em dúvida de qual ponto de vista faria isso, do Dean ou do Cas, então coloquei os dois... espero que tenha ficado bom.
Achei que o cap sairia maior, aff... enfim
É isto... Desculpas novamente e...
Espero que gostem♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...