História My son, my lover - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter, Mitologia Grega
Personagens Abraxas Malfoy, Alvo Dumbledore, Lord Voldemort, Murta Que Geme, Personagens Originais, Tom Riddle Jr.
Tags Sabedoria, Seme Mais Novo, Sexo, Tom Marvolo Riddle, Tom Possessivo
Visualizações 49
Palavras 1.300
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola obrigado por aqueles que deram favorito.
Para aqueles que n virão o aviso.
Essa fanfic sera a primeira que irei fazer e ira conter pedofilia leve alguns capítulos a frente.
Mas sem adiar mais ai está.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction My son, my lover - Capítulo 1 - Prólogo

Eu sou aquele que tudo vê e tudo sabe eu sou sabedoria.

Muitos pensam que estive lá desde o início de tudo.

 Mas é mentira. eu fui criado pelos Deuses que temiam a derrota para os Titãs, para estar na Linha de frente dessa guerra pelo Olimpo, E como Todos sabem os deuses saíram vitoriosos. Mas e depois você sabe o que eles fizeram?Não, não sabem, tudo que vocês sabem são baseados em lendas, que em seu interior contém verdade, Mas tão dissolvida que é difícil achar.

Mas, eu sei de tudo que aconteceu desde a coisa mais inútil a mais significativa.

Mas isso não é importante agora, pois irei contar como ocorreu minha condenação.

A Batalha tinha chegado a seu fim eu estava fraco, destruição e morte rodeavam me, me sentia quebrado Pois havia acabado de nascer e logo minhas mãos já ceifaram muitas vidas, os deuses que presenciaram meu poder e temerão me, aproveitaram de minha fraqueza pare prenderem me e me jogaram No Vazio (um lugar onde não havia tempo).

 Minha sanidade só se Manteve firme por meu Dom que me permitia ver através de espelhos e deles vendo diferentes realidades, diferentes heróis, diferentes fins, podendo ver muitos Mundos. e mesmo entre esses Mundos só um se destacava,  um mundo onde magia existia onde crianças tinham de frequentar colégios especiais para magia.

o mundo dentro de Outro Mundo!. para aqueles que ainda não descobriram, Esse era o mundo do menino que sobreviveu, Harry Potter.

O porquê deste se destacar? foi pelo motivo do vilão ser o herói, mas não qualquer vilão, hora Claro que não!! ele era Voldemort, o mestiço que matou sua própria família, aquele que queria separar totalmente mundo trouxa do Bruxo , o homem Cobra insano.

mas para mim ele tinha boas ideias os  outros que eram burros demais mais para entendê-las e por esse motivo morreram. Voldemort os matou ? bem...alguns.

mas o verdadeiro extermínio veio por parte dos trouxas. primeiramente o mundo bruxo de Londres foi atacada muitos morreram aqueles que defendiam os trouxas foram os primeiros a serem exterminados.Os puro sangue que acreditavam Voldemort sobreviveram mas não por muito tempo, logo todo mundo bruxo por todo planeta foi invadido e aqueles que possuíam pelo menos um pingo de poder foram mortos queimados na fogueira os que tiveram mais sorte tiveram os miolos Estourados.

Mesmo desejando mudar isso não teria como pois ainda estou pressionando nesse vazio

 -Sabedoria 

uma voz sombria que não poderia ser definida como masculina ou feminina, de um homem velho ou de uma pessoa jovem e simplesmente sombria.

O sorriso se espalhou por meus lábios, eu sabia quem.

era único ser que me visitava, aquele que me dava atenção mesmo que fosse por motivos egoístas.

Mors ou melhor morte

- Morte pensei que estaria com seu mestre jovem...qual é o nome mesmo dele ?Ah lembrei!!!Harry Potter

-Sabedoria preciso de você- sua voz fria e sombria encheu aquele lugar vazio -  Meu Mestre el

-Tá morto eu sei-cortei sua fala o ar ficou mais tenso e frio.

Como sempre tudo sabes parecia ter algum tipo de sarcasmo envolvendo suas palavras

-A Linha do tempo em que habitava foi destruída,todo um povo exterminado.

Senti uma risada rompendo pelos meus lábios

-Esta preocupado com a morte de um povo?! não me faça rir morte você só está triste pelo seu mestre, agora chega diga-me porque está aqui se não deseja dizer vá embora

Mortes se aproximou a Passos leves e lentos Estendeu o seu braço com seus dedos esqueléticos tocaram em meu ombro e num piscar de olhos me vi em uma mansão sombria e caindo os pedaços,mas não me distrair com pequenos detalhes pois em minha frente um homem velho de cabelos brancos e totalmente bagunçados como um ninho de passarinho conversava com morte não precisaria olhar duas vezes para reconhecê-lo, 

Ele era Harry James Potter o Lord Potter.

 -isso tem que parar- o velho Senhor pronunciou ao cair sentado poltrona que anteriormente já foi do mais belo vermelho mas que agora só estava rasgada quase sem sua cor -essa Matança desenfreada ao meu povo -mesmo com essas palavras claramente em seus olhos dava para se ver que ele havia desistido.

-Há uma forma Meu Mestre- Morte proferiu.

O efeito foi instantâneo tal como limão no bicarbonato, Harry se levantou uma luz de esperança brilhou em seus olhos- sabedoria poderar mudar isso

Os olhos do velho homem que brilhavam logo se apagaram e uma risada de descrença pairou sobre seus lábios

-Sabedoria!!! acha mesmo que resposta estar em alguns livros. Falou sentando-se novamente na poltrona - e mesmo se estivesse é impossível pois todos os livros de magia,Runas, Poções até mesmo história foram destruídos.


- O meu Senhor do que falo não é esse tipo de sabedoria- morte foi rápido ao se explicar- tipo que falo é original a mãe de tudo

-Isto é insanidade- Harry havia compreendido as palavras do ser em sua frente- sabedoria está trancafiado ao vazio pelas mãos dos Deuses.

Ora então morte contou sobre mim.

Eu posso tirar ela de lá mestre- Potter olhou em descrença - tudo que precisa fazer mestre é ordenar.

-Pois assim seja.! Liberty e faça mudar esse presente abominável- falou numa digna postura de lorde .

logo o sentimento consciência sendo puxada e aquela lembrança se distanciando quando eu finalmente recobrei a consciência mors ainda continha sua mão no meu ombro, me distanciei de morte.

-Salvar aquele mundo mudar o futuro - finalmente encarei a caveira em minha frente- pelo preço da minha liberdade- conclui.

-Sim, você só precisa aceitar.

-Nem tudo é tão simples.- muitos prós e contras rodeavam minha mente


-Isso é -a morte já tocava no meu rosto, suas mãos esqueléticas e frias sendo carinhosamente passadas pelo meu rosto traziam me a sensação de prazer - Enquanto você estiver lá não precisará voltar para o vazio.

Rodiei meus braços ao redor do ser das sombras , que em sua vez agarou minha cintura.

-Não esconda nada morty- falei ao encostar meus lábios na boca da caveira,   um gemido escapou por meus labios, sentindo sua mão adentrar em minhas vestes .

-Porque mentiria ? só que precisa fazer É treinar Voldemort . deretia me em seus braços mas com Tais palavras afastei-me- você voltará ao ano de 1926 criará o jovem Tom marvolo Riddle e o  encaminhará para o caminho que o massacre dos bruxos pelas mãos dos trouxas não aconteçam.

-Viu você me escondeu alguma coisa.- mesmo sabendo disso antes mesmo dessa conversa aconteceu não poderia iritarme  com ele - nessa realidade poderei fazer o que desejar -proferir como se estivesse pensando se aceitaria mas que na verde pedido ja havia aceitado antes mesmo dele pedir.

-Des que o mundo bruxo esteja salvo,  faz o que tiver vontade

 um sorriso em meus lábios até chegar nas orelhas e num estalar de dedos já estava com uma aparência os padrões de um bruxo sangue puro.

-Você aceitou- foi mais uma afirmação do que uma pergunta mas mesmo assim assim acenei com a cabeça e o sorriso macabro que morte lançou a mim me deu arrepios agradáveis- 31 de Dezembro de 1926 esteja na

-Eu sei orfanato onde Tom cresceu - morte concordou novamente, joguei meu copo para de junto de Mors e beijei onde seria seus lábios -até breve- mors me soltou e instantaneamente um formigamento espalhou-se por todo meu corpo e no clarão desapareci.

as frias ruas de Londres, onde imundice rodeava a mim.

 mas pela primeira vez em milênios sentime livre.

Fiz-me esquecer logo esse sentimento.

 Encaminhei-me pela noite sombria e fria em direção orfanato, mas antes mesmo de chegar ao destino ao longe vi Meu Alvo.

A mulher que antes poderia ser considerada uma das mais belas e bem educadas, mas que agora assemelhava-se a uma mendiga grávida pronta para dar à luz. Cambaleando pelas ruelas cheias de lixo, ratos e só os deuses sabem quais seres asquerosos mais.

 Era ela quem eu tinha de encontrar,a mãe aquele que não se deve ser nomeado, a progenitora de Voldemort.

Merópe Gaunt.



Notas Finais


Ei olha eu aqui, bem.. eu falei que iria postar sábado e hj é sábado (madrugada para sábado).
Espero que gostem, talvez irei postar um cap por semana mas se estiver de bom humor dois.
Se acharem algum erro me desculpa ,mas esse cap é feito pelo celular então talvez haverá muitos erros de escrita.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...