1. Spirit Fanfics >
  2. My Son Natsuki >
  3. My son Natsuki - capítulo 5

História My Son Natsuki - Capítulo 5


Escrita por: _-Bah_fujoshi-_

Capítulo 5 - My son Natsuki - capítulo 5


Fanfic / Fanfiction My Son Natsuki - Capítulo 5 - My son Natsuki - capítulo 5

- mamãe, o papai vai vir aqui amanhã? - o menor sorria de leve enquanto estava sentado em seu colo de frente para si, brincando com seu cabelo loiro


- infelizmente sim, ele vai trazer a sua irmã aqui pra vcs poderem brincar juntos tá - sorriu beijando a bochecha macia do esverdeado que apenas deu leves pulinhos animado


- mamãe, posso ir ver a vovó Inko? - curioso, o olhou com um cara de interrogação - é que eu tô com saudades dela e faz tempo que eu não vejo ela - ela mexeu os dedinhos enquanto as bochechas tomavam uma cor rosinha


Soltou um suspiro e assentiu, falando pra ele se arrumar para irem pra casa da avó, e iria aproveitar e comprar umas coisas no mercado quando o deixar na esverdeada.


Se levantando após ele ter decido correndo para o quarto para pegar os brinquedos para brincar, pegou o que precisa e logo viu seu filhote descendo sorridente falando que estava pronto para ir. O pegando no colo, saíram da casa e entraram no carro, o pondo na cadeirinha e partindo para a mulher mais doce e incrível do mundo.


Após ter chegado, desligou o carro e tirou o menor da cadeirinha o pegando no colo mais uma vez, beijando- lhe a testa e chegando na porta e tocando a campainha, e logo sendo recebido por um certo sardento o fazendo segurar um grito de raiva e apenas o olhou.


- Papai! - o menor esticou os braços e foi pego no colo por Izuku que o beijou e deu um carinho em seus cabelos verdes claros - senti saudade Papai -


- tbm senti, mas, oque fazem aqui? - a pergunta foi tão confusa que fez com que o cérebro de Katsuki desse uma bugada


- eu o trouxe para ver a avó, já que ele pediu - explicou tentando manter a calma enquanto olhava para os olhos verdes enormes - já que está aqui, brinque com ele, pois viu no mercado e já volto ok - após isso, o maior apenas assentiu e então beijou Natsuki e saiu, indo direto para o mercadinho do relâmpago Marquinhos, Katchau...


(Não resisti, foi mal)


Dirigindo até o local, estacionou após chegar e logo entrou no mercado, com uma lista em mãos enquanto estava com uma caneta atrás da orelha para riscar oque já pegou e um carrinho para colocar as compras, se aproximando de um dos corredores, viu que na lista precisava de cereal, e então foi direto para a área dos doces, mas para sua infelicidade, estava bem lá no alto, o fazendo suspirar irritado e ficar na pontinha dos pés tentando pegar.


Oque prontamente foi um fracasso total, e pensou consigo mesmo, a prateleira ficou mais alto ou ele que abaixou?


Tentando mais uma vez, quase caiu tentando, mas foi pego antes de cair de bunda no chão, olhando pra cima, viu um homem de cabelos azuis escuros e olhos laranja vibrante. Vendo o leve sorriso que ele deu, seu rosto esquentou na hora, foi levantado e o viu pegar o cereal para si.


- o-obrigado - se amaldiçoou internamente por ter gaguejado e virou o rosto um pouco para o lado


- não a de que - ele sorriu e acenou para si, saindo dali


Tocou em seu rosto e o sentiu fervendo, virou a cabeça de um lado para o outro tentando se acalmar e voltar ao normal.


[...]


Após ter terminado de comprar as coisas, foi pra casa, guardando as compras e indo pra casa da Inko buscar seu pequeno, suspirou cansado pois a fila estava enorme, oque o fez ficar esperando bastante.


Após chegar, bateu na porta e foi atendido pela mais baixa, a vendo sorrir. 


- Katsuki-kun, que bom vê-lo, Natsuki está dormindo no meu quarto, entre - ela deu espaço para entrar


- obg por cuidar dele - olhou em volta e ficou confuso - cadê o Izuku? - perguntou a olhando


- e-eh...ele foi com a Yumi jantar em um restaurante, deixando a Bahny comigo até amanhã - viu ela se aproximar um pouco e falar um pouco mais baixo - e a minha neta chorou o tempo todo falando que a mãe dela não gostava dela e só do Izuku, dando atenção apenas a ele - um suspiro da mais velha se faz presente


- que horrível, mas, o Natsuki não tentou acalmar ela? - perguntou curioso e a viu assentir o fazendo rir - bem que é a cara dele fazer algo assim, ainda mais com a irmã dele que é infelizmente filha daquela baranga - após soltar o palavreado, levou uma leve bronca e pediu perdão a mulher


- bem, quer comer bolo, eu fiz com a ajuda da Bahny e do Natsuki, esta delicioso - ela disse o oferecendo, apontando para a cozinha onde o bolo era tampado por uma tampa de vidro para não entrar nenhuma mosca


- deve estar mesmo, mas não, obrigado Inko - sorriu e logo a viu pensar um pouco o deixando curioso - oque foi?


- Katsuki-kun, vc já está com alguém? - a mais velha perguntou o fazendo se espantar de leve mas logo parar e negar, mas se lembrou do homem do mercado, o fazendo corar na hora - acho que isso responde a minha pergunta -


- n-não, eu não estou com ninguém! - bateu na própria cara após gaguejar e a viu desconfiar ainda mais - é sério, eu só vi um homem bonito hoje que me ajudou um pouco em uma das compras - disse coçando a nuca enquanto se lembrava, ele não ajudou pouco, e sim ajudou bastante pois se não fosse por ele, seu filho iria para a escolinha reclamando do cereal preferido dele não estar lá, dentro da barriguinha dele.


- bem, parece que temos um Katsuki apaixonado aqui por um homem desconhecido - ela disse estalando os dedos com um sorriso


- eu não estou apaixonado, é normal sentirmos isso por pessoas bonitas - disse dando a desculpa enquanto a via rir e ir na cozinha, voltando com uma xícara - obrigado - bebeu um pouco do café que estava ali dentro


- quando conheci o Yagi-san, foi como desconhecidos, pensei que nunca mais o veria denovo, mas eu o encontrei tantas vezes que a única coisa que passou na minha cabeça foi "é o destino", e hoje em dia estamos juntos como um casal, amanhã vc vai levar o Natsuki para ir brincar com Bahny, e depois, se este rapaz que vc comentou aparecer denovo, já sabe oque pode ser - ela disse sorrindo fofinha e acariciou os cabelos verdes dela


- vamos ver se é realmente o destino - após dizer isso, ela ri baixinho


Depois disso, ficaram conversando por horas até que Natsuki acorda e aparece nas escadas com um pijama que ele havia esquecido na avó.


- mamãe vc chegou! - ele disse com uma voz de sono enquanto se aproximava com os braços abertos, o pegando no colo e dando vários beijinhos no menor - eu senti saudade - ele fechou os olhos e voltou a dormir


- ele parece cansado - após falar isso, tocou no rosto sereno do menor e sorriu de leve


- ele e a Bahny brincaram a tarde inteira, e depois apagaram quando terminaram de tomar banho e de se vestirem - ela riu baixinho e foi para a cozinha lavar a louça enquanto cantava baixinho


Ficou encarando o o rosto e a pele branquinha dele e aproximou os lábios da testa do menor e dando um leve selar ali, após isso, escutou uma voz baixinha de choro e olhou pro lado, vendo a irmã de Natsuki de pé, se aproximando cansada e chorosa até si, esticando o braço, ela pegou em sua mão e subiu em seu colo também, se aconchegando ali e o olhando até pegar no sono denovo.


Riu bem baixinho ao ver que tinha dois pequenos esverdeados dormindo, pareciam gêmeos de tão idênticos que eram. Levantou com dificuldade, com eles ainda no colo e foi até inko, falando que ia os botar no quarto e que iria demorar um pouco para voltar, pois com certeza eles iriam acordar, bem, menos seu filhote que dormia como pedra e mal acordava.


Subindo as escadas calmamente, entrou no quarto de hóspedes e os colocou deitados na cama de casal e olhou para o lado, vendo uma foto de Izuku com a Baranga ao lado e a pequena Bahny recém-nascida nos braços da mulher. O esverdeado chorava alegre enquanto a mulher apenas olhava para a menor com indiferença e fingia um falso sorriso, rosnando baixinho após olhar o rosto da piranha, pegou a foto e colocou na gaveta, logo a fechando.


Suspirou aliviado e se assustou ao olhar para o lado e ver a menor o olhando.


- obrigado por tirar a foto - ela disse querendo voltar a chorar -pois sempre que eu olho pra ela penso que mamãe nunca vai me amar como vc ama o maninho - ela disse soltando finas lágrimas que se tornavam grossas aos poucos, enquanto os olhos verdes brilhantes se embaçam com aquelas mágoas desde bebê


Se aproximou dele e se sentou ao lado da mais nova, a colocando deitada em seu colo, como as mães pegam os bebês sabe, enquanto deu um beijo na bochecha dela e limpou o rosto cheio de sardinhas da esverdeada, tirando aquelas lágrimas que carregavam muita dor.


- vc pode não ser minha filha, mas, eu considero vc como se fosse, minha pequena - disse sorrindo a vendo ter os olhos brilhando e logo mais lágrimas brotam e ela começa a soluçar após escutar aquilo - eu amo vc como se fosse minha filha, como se fosse minha bebê - esfregou a bochecha na da dela, sentindo os braços rodearem seu pescoço em um forte abraço, o fazendo sorrir e beijar os cabelos bagunçados dela.


[...]


Após ter a acalmado, ela dormiu o abraçando, com um sorriso no rosto, mas antes dela pegar no sono completo, apenas escutou bem baixinho.


"Eu te amo mamãe"


Sorrindo alegre, beijou a testa dos dois que se abraçaram e saiu do quarto, indo pra baixo e viu a dona Inko o olhando com os olhos marejados.


- acho que nunca vi uma cena tão bonita quanto essa de vc com eles dois - ela disse limpando o rosto e sorrindo - quer passar a noite aqui? Tem roupas suas aqui, vc esqueceu quando veio dormir com Natsuki na semana passada - riu baixinho e assentiu.


[...]


Após ter tomado um belo banho e ter se vestido com seu pijama, se deitou no meio das duas crianças e abraçou os dois, um de cada lado, demorou um pouco para pegar no sono, olhando a hora, viu que iria dar meia noite já, suspirando, olhou para os dois e finalmente no sono veio, oque o fez agradecer aos deuses e logo adormecer.




[...]




Sentindo pulos na cama e escutando gritos o chamando, pulou da cama no susto, olhando para os lado e encontrando os olhos vermelhos e verdes o encarando animados, suspirou e se jogou pra trás.


- mamãe, acorda, acorda, nós vamos passear hoje, vamos mamãe, acorda - ele disse o balançando enquanto a garotinha ajudava


- mamãe, vamos, levanta, levanta - Bahny disse corada mas sorrindo enquanto o balançava, entregou os olhos e assentiu - ebaa -


Se levantando, foi ao banheiro, fazendo suas higienes pessoais e logo escovou os dentinhos dos dois sapecas e deu um banho neles, os arrumando e desceu, vendo Inko cozinhando.


- bom dia Katsuki-kun! - a esverdeada sorriu gentil enquanto terminava oque estava fazendo - dormiu bem? -


- sim, só achei ruim a hora que eu acordei - olhou para os menores que sorriram inocente


- que coisa feia crianças! - riu e olhou a hora - Katsuki-kun, lembra do que eu te falei ontem, caso o encontre denovo - ela disse o fazendo franzir o cenho


- eu já disse que ele não vai estar lá, essa coisa de destino não existe - disse fazendo ela rir


- vamos ver se não é - cruzou os braços e suspirou


[...]


Ver as crianças brincando o fez sorrir e ficar adimirando elas animadas nós brinquedos do parquinho, mas se lembrou do que a Inko falou e logo começou a olhar em volta, não vendo o homem, sorriu vitorioso após perceber que não era real oque ela falou


- eu estava certo como sempre - riu baixinho e voltou a olhar para os sapecas mas sentiu um tocar em seu ombro o fazendo olhar pra trás


Suspirou apaixonado ao ver ele mas arregalou os olhos ao lembrar de Inko.


- oi, lembra de mim? Sou o homem que te ajudou no mercado - ele disse sorrindo o fazendo sentir seu coração acelerar


- tem como não esquecer? - sorriu devolta e o viu puxar um carrinho de bebê junto, se sentando ao seu lado no banco, olhou ele virar o carrinho e mostrar um bebê de olhos azuis vibrantes e cabelos azul escuro - é seu filho? - curioso perguntou, aproximando o dedo da não pequena o vendo agarrar e começar a rir, fazendo seus olhos brilharem


- sim, ele nasceu já vai fazer um ano - o homem sorriu orgulhoso - ah! desculpe a minha falta de educação, Sou o Albert Célibataire, sou da França - ele sorriu mais uma vez - e vc como se chama homem belo? -


- k-katsuki Bakugou, sou daqui mesmo - sinto que corei e olhei para Natsuki e Bahny que ainda brincavam, solto um suspiro aliviado ao os ver ainda ali


- seus filhos? - ele perguntou e eu apenas assenti sorrindo de leve - são bem bonitos -


- é, o seu também, sua mulher deve ter muito orgulho de ter um marido e um filho assim! - sorriu e o viu ficar meio desconfortável - me desculpe, disse algo errado? -


- na verdade não, é só que, minha mulher e eu estamos divorciados, pois depois de uns meses desde o nascimento dele, encontrei minha ex mulher me traindo com outro - ele disse meio pra baixo


- eu sinto muito, aconteceu comigo também, quando estava grávido, fui dar a notícia para meu ex e o encontrei comendo uma piranha... - olhou pra baixo mais percebeu oque falou - desculpe o meu linguajar - disse tampando a boca


- não tem problema - ele o olhou profundamente - parece que temos algo em comum - o sorriso dele foi tão belo que o fez quase derreter


Sorriu do mesmo jeito e começaram a conversar sem parar, mas mesmo conversando, olhava as crianças e brincava com o filho dele no qual, depois de uns papos descobriu que se chama Karter.


Ficaram horas conversando até se despedirem, mas como não eram bobos, ele pediu o número de Albert e depois disso foram embora, cada um para cada lado.


Deixando Bahny na casa de Inko, se despediu dela e foi para a sua.

Que após chegar, tomou um banho com seu filhote e foram assistir um filme.


- mamãe! Posso te perguntar uma coisa? - ele o chamou e apenas concordou com a cabeça enquanto acariciava os cabelos dele - aquele estranho é seu amigo? -


- sim, não precisa se preocupar ok - sorriu dando um beijo na bochecha dele e voltaram a assistir, mas viu que seu pequeno dormiu perto do final e desligou tudo, enquanto o segurava no colo e ia para o quarto descansar.


Após se deitar, olhou para o teto e sorriu após se lembrar de Albert, se virou e abraçou o corpo do menor, logo pegando no sono e dormindo pesado...


_______________





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...